A coragem do São Paulo do corajoso Ceni



Rogério Ceni à frente do São Paulo no Morumbi (foto: Mauricio Rummens)

Rogério Ceni está começando uma carreira como treinador. Abdicar de uma aposentadoria cercada de regalias para se tornar técnico já é algo que demonstra imensa coragem. Uma coragem única, pois o que estamos vendo no São Paulo é algo inédito no Brasil: nunca um ídolo de um clube só, com 1237 jogos, assumiu este mesmo clube um ano após se aposentar. Não vale nenhuma comparação com outros tantos ídolos que treinaram as equipes pelas quais brilharam. É diferente, é único, e só o tempo trará respostas sobre bônus e ônus do novo desafio de Ceni, que está apenas começando.

E o Tricolor de Rogério larga em 2017 corajoso como seu comandante. Seria cômodo para alguém iniciando uma carreira apostar no pragmatismo, num time fechado em busca de resultados que lhe deem respaldo. Ceni escolheu arriscar-se, até porque conta com o irrestrito apoio da arquibancada que conquistou como jogador vitorioso. São apenas cinco rodadas do Paulistão, apenas indicativos do que o novo São Paulo pode ser. Mas há indicativos de um projeto de equipe que trata bem a bola e ataca.

O Tricolor é disparado o time com mais finalizações certas no campeonato: 40 (78 somando também as erradas). É também a equipe que mais desarmou até agora, o que mostra a sede dos atletas por retomar a bola a todo instante. O São Paulo começa o Paulistão com o melhor ataque (15 gols), e também a segunda pior defesa (11). Criar, no entanto, está sendo mais importante para Ceni do que apenas destruir. Mostra coragem. Em campo, há um time corajoso que saiu atrás no placar em quatro dos cinco jogos e buscou a reação sem desespero. Perdeu apenas para o Osasco Audax, na estreia.

O time busca triangulações, os laterais jogam abertos. Será preciso, sim, acertar a defesa – não fosse um “pênalti amigo” contra o São Bento, pior equipe do Paulistão, o São Paulo amargaria um empate em casa. Mas a opção foi por começar a montar um time que busque a bola e seja agressivo, mesmo que pague o preço ainda por um sistema defensivo problemático. É melhor começar assim, não? Não há nenhuma garantia de que o trabalho dará certo, mas ter coragem é uma grande qualidade para um comandante e um time. Ainda mais um time que sofreu tanto pela falta de brio nos últimos anos.

Ceni tem tudo para vingar como treinador. Em 2017, após tempos turbulentos do clube, ser campeão nem precisa (e nem deve) ser a prioridade número um. É preciso brigar, competir, vencer clássicos. Ser corajoso para recolocar o São Paulo no topo, objetivo final que pode demorar mais tempo.

“Há dois tipos de técnicos: os que têm coragem e os que não têm”, é um dos lemas que Rogério Ceni carrega no início da nova carreira. Aprendeu com Juan Manuel Lillo, auxiliar do consagrado Jorge Sampaoli. O são-paulino mostra ter plena convicção de qual lado pretende ficar. E, de novo: se vai dar mesmo certo é outra conversa…



  • Perna Alta de Prata

    De fato Rogério Ceni é um técnico especial, fez a imprensa chamar “defesa exposta” de “coragem”.

    • Vitor Colucci

      exposta por que? joga com 2 volantes que dao proteção a zaga.. oq esta acontecendo é cagadas individuais por isso os gols tomados

      • Perna Alta de Prata

        claro, tomou 11 gols por erros individuais. tá tudo certo sim.

    • joao vitor Almeida

      kkkkkkkkk espera so

  • Bruno Odorizi

    Por que pênalti amigo ? A TV mostra claramente que foi pênalti

    • Richard Carlos Borbalan

      Quem não é tricolor, sempre vai tentar diminuir as vitórias do maior do mundo.

    • Nostradamus

      Pênalti amigo entre aspas…. quer dizer que o pênalti veio numa hora certa. Depois dos 3 gols perdido do Cueva e o empate do São Bento o “penalti amigo” veio numa hora boa.

  • Peroba

    Se agarrar pelas costas dentro da área não é penalte então soco cruzado na mandíbula é cuspida.

  • Eu já vi Lucas Lima enroscando o pé em buraco na área e o arbitro marcar pênalti, sem nenhum defensor perto dele! Isso sim pode ser chamado pênalti amigo!

  • Nome

    A inteligência e coragem do M1to são características marcantes. Sua visão e obstinação chamam o sucesso. Planejamento e treinamento dao base à teoria. Boa gestão de pessoas privilegiam a concorrência sadia.

  • Nino Fell

    E os comentários da má inveja vão pulular como pipoca. Mas todos sabem que além de ídolo com história única em um mesmo clube, R. Cen1 é inteligente e acima da média. Mostrou que é estudioso e como fez sob as traves, quer a perfeição.

  • LUIZÃO

    O que tenho a dizer é que não tinha técnico melhor. O início está dentro do esperado, à exceção da vitória contra o Santos.

  • Perna Alta de Prata

    Assistindo o clássico e dando gostosas risadas com a ‘coragem’ do Ceni.

MaisRecentes

Corinthians de uma ideia e com alma de vencedor



Continue Lendo

O que o Palmeiras quer da vida?



Continue Lendo

O que é preciso fazer para arrancar aplausos dos palmeirenses



Continue Lendo