A tarde do Moisés LuCarille



Fábio Carille será campeão paulista (foto: Marco Galvão)

No mesmo campo, sob o mesmo sol de Campinas. O Corinthians fez seu melhor jogo em 2017 exatamente no mesmo gramado em que o maior rival Palmeiras, mais badalado, fez seu pior. Um será campeão paulista após vencer a Ponte Preta por 3 a 0, enquanto que o outro deu adeus ao campeonato ao perder pelo mesmo placar na semifinal. O título muda o status de Fábio Carille para o restante da temporada.

Carille está ganhando casca. Nota-se um treinador mais confiante e fortalecido nos discursos em suas entrevistas. Sempre claro e convicto do trabalho que está realizando. Vale lembrar que o técnico já passou por tormentas na curta carreira como treinador: um pênalti perdido do Brusque evitou um vexame e outros desperdiçados pelo Corinthians resultaram em eliminação precoce na Copa do Brasil.

Campeão paulista, o Timão jogará apenas Brasileirão e Copa Sul-Americana até o fim do ano. O elenco com limitações e a justa avaliação de pré-temporada que colocaram o Corinthians como “quarta força” dão uma sensação de missão cumprida para a temporada corintiana. Passar o Nacional no bloco dos dez primeiros e chegar às finais da competição internacional serão resultados aceitáveis. A confiança no trabalho de Carille e a paz que um título dá podem fazer com que o Alvinegro suba mais degraus.

Os estaduais continuam não sendo parâmetro para medir as necessidades de um clube na sequência da temporada. Carille vai bem no campo, acertando um time visto com desconfiança, e bem também fora dele, ao dizer que vê no Palmeiras o melhor time do Paulistão e que nem sempre o melhor ganha. Campeão em tão pouco tempo na carreira, o treinador não se deslumbra. Ponto para ele. Bom sinal para o torcedor corintiano.

A estratégia de montar um time começando por um sólido sistema defensiva, marca do Timão desde 2008, funcionou. Carille não perdeu nenhum clássico, algo que dá muita força num início de ano, e fechará o Paulistão com a melhor defesa – só dez gols sofridos até agora. Vão olhar diferente para o Corinthians no Brasileirão, por mais que seja claro que a equipe precisa de mais recursos. Na primeira turbulência, vão olhar para o banco e ver um treinador já campeão e não apenas um ex-auxiliar. Em Campinas, Carille deu um passo importantíssimo. A tarde do Moisés LuCarille. A primeira tarde de domingo no ano em que o time foi a campo após uma semana completa de trabalho no CT. Deu resultado, deu muito resultado. Fábio Carille sai muito forte do Campeonato Paulista e o Corinthians, tão vencedor nos últimos anos, com sua 28º taça estadual. Faz pouca diferença na vitoriosa história alvinegra, faz toda a diferença na nova história de um iniciante treinador.



  • Eugenio

    esse negócio de quarta força é pura balela, nós podemos sim estar sendo a quarta força em se falando de elenco, mas com certeza somos a maior força nao só de sao paulo mas do brasil, entao, o certo é que estamos como quarta força mas na verdade somos o maior do brasil…..vcs entenderam…….

  • Mais1DúbandLOKO

    O time só não esta melhor por culpa da best4 do R. Andrade , que não pos o Carille assim que o Tite saiu ,, gastou mais de 2 milhoes e meio em rescisão de contrato com 2 técnicos por 10 jogos ,,,, Administrador de m3rd4 esse cara

  • Corinthiano

    Pra mim o teste principal e o campeonato BR e a copa sul-americana se conquistar o titulo em pelo menos uma das duas posso dar um voto de confiança, mas por enquanto continuo de orelha em pe o paulista e ate um campeonato competitivo mas nao pode servir de parametro para o resto da temporada o problema do corinthians e falta de gols a defesa ate que ta arrumada mas um time que quer realmente ganhar os jogos tem que fazer muitos gols espero que as coisas comecem a melhorar a partir dessa final!!!

  • MALOQUEIRO !!!

    Temos que tentar a sul-americana !!!
    Além de ser um título internacional, dá uma vaga pra libertadores…
    Vai curintia!

  • MALOQUEIRO !!!
  • sabino seki

    Carrile: com esse Campeonato você será ungido a plêiade dos grandes técnicos de futebol deste país. Com tres cabeças de bagres… tiricia e se achando como Gilvanni Augusto, Marquinhos Gabriel e Guilherme… meia boca como Clayton, Gazin e o esforçado (tenho que reconhecer Romero) um banco com vários meninos da base ser campeão Paulista parabens, minha admiração, respeito e gratidão.

MaisRecentes

Da Arena Corinthians ao Allianz Parque: o ‘efeito novidade’ não passa



Continue Lendo

Vira-latismo quer minar a paixão na Libertadores



Continue Lendo

Grêmio e Corinthians pintam o sete



Continue Lendo