Esquiva pode ser campeão como Miguel de Oliveira



Esquiva Falcão pode ter a chance no início do ano que vem de ser o quinto brasileiro campeão mundial de boxe. O capixaba venceu o mexicano Norberto Gonzalez, por pontos, após oito rounds, sábado à noite, em Los Angeles.

O medalha de prata em Londres-2012 alcançou a 18ª vitória consecutiva, volta a se apresentar em 11 de novembro e, segundo Sergio Batarelli, (seu conselheiro) terá a chance de disputar o cinturão mundial da Associação Mundial de Boxe em 2018, se o japonês Ryota Murata vencer o camaronês Hassam N’Damm, dia 22 de outubro.

Se for campeão, Esquiva vai me lembrar muito do que fez Miguel de Oliveira, campeão dos médios-ligeiros, versão Conselho Mundial de Boxe, em 1975.

Miguel não era um tremendo pegador como Eder Jofre e Acelino Popó Freitas, mas possuía um arsenal de golpes de mira cirúrgica. Sabia golpear na linha de cintura e tinha ótimo preparo físico, o que lhe permitia imprimir um bom ritmo durante todos os rounds previstos.

Esquiva é desta forma. Ele não tem o poder de fogo de Gennady Golovkin, Saúl Canelo Álvarez ou Jermall Charlo, mas sabe castigar o adversário, a ponto de sofrer pouco assédio dos rivais nos combates.

A vitória diante do limitado Norberto Gonzalez foi apenas o primeiro passo do brasileiro sob orientação de Robert Garcia. Deu para sentir a falta de ritmo e a dificuldade em acertar a distância para os golpes. Normal para quem só tinha lutado uma vez este ano.

Dia 11 de novembro, Esquiva vai estar melhor e seu adversário também será melhor. Melhor para o Brasil, que vai poder sentir como seu lutador mais promissor da atualidade vai se desenvolver.

 

 



MaisRecentes

Lance!, muito obrigado!



Continue Lendo

Yamaguchi sobe no ranking do CMB. Esquiva cai



Continue Lendo

GGG x Canelo 2 tem de ser em um estádio



Continue Lendo