Uma Dominicana a menos, um Canadá a mais



Nesta quinta-feira, às 19h (de Brasília), a Seleção Brasileira masculina de basquete estreia na Copa Jenaro Tuto Marchand, em Porto Rico, no último teste da equipe nacional antes da Copa América, que dará quatro vagas para a Copa do Mundo do ano que vem. No torneio preparatório, os comandados de Rubén Magnano vão estrear contra a República Dominicana, que tem causado dores de cabeça nos últimos anos, e terminar sua participação diante do Canadá, que não tem sido uma força representativa no continente recentemente. Mas 2013 pode ser o ano em que isso começará a mudar.

Brasil se prepara para a Tuto Marchand (Divulgação/CBB)

Brasil se prepara para a Tuto Marchand (Divulgação/CBB)

O Brasil enfrentará ainda Argentina e Porto Rico na Tuto Marchand, no torneio amistoso que traz os principais favoritos à vaga no Mundial da Espanha no ano que vem. A Venezuela, país sede da Copa América, corre por fora na competição, que pode começar a mudar a ordem de forças do continente.

Na Copa América de 2011, quando conseguiu a histórica vaga para a Olimpíada de Londres-2012, o Brasil chegou a ter sua classificação ameaçada após derrota para a Dominicana por 79 a 74. O ponto forte daquela equipe era a rotação de garrafão, que tinha Al Horford (22 pontos e cinco rebotes naquele jogo), Jack Martinez (10 pontos e 10 rebotes) e Charlie Villanueva (6 pontos e 5 rebotes).

Se com Tiago Splitter em quadra o garrafão adversário preocupava, dessa vez o dano poderia ser ainda maior. Além do pivô do San Antonio Spurs, o técnico Rubén Magnano viu Anderson Varejão, Nenê, Vitor Faverani, Lucas Bebê e Paulão, outros interiores, pedirem dispensa por motivos variados. Por sorte, o problema assola também o outro lado.

A Dominicana não contará com seus pivôs da NBA. Al Horford e Charlie Villanueva não vão à Venezuela, deixando o time carente de talento. Claro que o ala Francisco Garcia estará lá e pode se aproveitar da falta de tamanho do Brasil no perímetro. Mas essa não é mais uma seleção que preocupa.

Enquanto isso, na contramão das demais seleções, o Canadá vem com uma geração cheia de talento, presente na NBA e disposta a defender sua equipe nacional. Cory Joseph, armador do San Antonio Spurs; Andrew Nicholson, ala-pivô do Orlando Magic; Tristan Thompson, ala-pivô do Cleveland Cavaliers, e Joel Anthony, pivô do Miami Heat, estão na lista. Assim como o ala Kris Joseph, recentemente dispensado pelo Boston Celtics.

Além disso, o Canadá – que ficou em sexto na última Copa América e sequer foi ao Pré-Olímpico Mundial em 2011 – deve contar, nos próximos anos, com o ala-pivô Anthony Bennett, primeira escolha do último Draft e reforço do Cleveland Cavaliers; com o também ala-pivô Kelly Olynyk, outra escolha de primeira rodada e reforço do Boston Celtics; e com o ala Andrew Wiggins, favorito à primeira escolha do ano que vem.

Com mais opções, mais talento e um projeto sólido comandado por Steve Nash, General Manager canadense, o Canadá promete incomodar o Brasil nos próximos campeonatos – mais do que a Dominicana. A começar pela Copa Tuto Marchand.



MaisRecentes

Slam Dunk Contest trinta anos depois



Continue Lendo

Cristiano Felício aproveita caos do Bulls



Continue Lendo

Érika acha um lar adequado na WNBA



Continue Lendo