Patrocínio máster deixa a LNB em boa situação



Nos últimos anos, a Liga Nacional de Basquete tem aproveitado bem o Jogo das Estrelas para divulgar a marca e capitalizar. Em anos anteriores, as parcerias com a NBA e a LBF foram anunciadas durante o fim de semana especial. Em 2016, não será diferente: a Caixa, confirmada como nova patrocinadora máster do campeonato, fará sua estreia justamente na partida festiva, que acontece neste sábado, às 19h, em Mogi das Cruzes (SP).

O acordo com a Caixa, válido até março de 2020, foi anunciado na última quarta-feira. De acordo com comunicado emitido pela patrocinadora no mesmo dia, a empresa anunciou que vai investir R$ 32 milhões e adquirir os naming righs das competições. Do valor, R$ 22 milhões ficarão para o torneio masculino, que agora se chama NBB Caixa, e R$ 10 milhões para o feminino, batizado de LBF Caixa.

O acordo com a Caixa foi o terceiro anunciado pela LNB nos últimos 30 dias. Antes de confirmar seu patrocinador, a liga havia fechado também com Avianca e Sky.

Além de tudo isso, foi anunciado nessa sexta-feira, por meio das redes sociais da Liga, um acordo de patrocínio pontual com a Renault para o fim de semana do Jogo das Estrelas.

O bom trabalho de captação de recursos da Liga serve como exemplo para o basquete brasileiro. Depois de ganhar visibilidade na TV aberta, já que é parceira da Globo e tem jogos transmitidos pela RedeTV, a LNB mostra que é possível a criação de um modelo sustentável em uma modalidade que teve clubes desistentes nos últimos anos e que tem uma confederação cujo presidente reclama publicamente de falta de dinheiro.

A avalanche de patrocínios” também pode servir de inspiração para outras modalidades olímpicas. A LNB aproveita um possível aumento de interesse no basquete por conta dos Jogos do Rio e firma um contrato longo, de quatro anos, para ter certeza de que não vai perder a fonte de renda após o evento.

Com parcerias com a TV aberta, a NBA e uma patrocinadora máster, a LNB se coloca em ótima posição para continuar crescendo. Que sirva de inspiração para a confederação tomar caminho semelhante.



  • Jorge Guerreiro

    Ué, a CAIXA? Cadê os que defendem que banco estatal não pode patrocinar esporte? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

MaisRecentes

Slam Dunk Contest trinta anos depois



Continue Lendo

Cristiano Felício aproveita caos do Bulls



Continue Lendo

Érika acha um lar adequado na WNBA



Continue Lendo