Nike prioriza o desenvolvimento técnico no Brasil



Recentemente anunciada como patrocinadora da Liga Nacional de Basquete (LNB), a Nike reforça, no Brasil, sua aposta na modalidade. Fornecedora da Seleção Brasileira e parceira da NBA a partir da temporada 2017/2018, a empresa traça planos que envolvem o desenvolvimento do esporte e o fortalecimento da marca no país. Para isso, se diz “atenta” à crise na Confederação Brasileira de Basquete.

Problemas financeiros e de gestão fizeram com a Federação Internacional de Basquete (Fiba) anunciasse, em novembro, intervenção na CBB que, a princípio, termina no próximo dia 28. Parceira da Confederação, a Nike, que vestiu a Seleção Brasileira na Olimpíada do Rio de Janeiro, acompanha a situação como parte interessada.

– Nosso compromisso com a CBB e com o esporte é de longo prazo. O assunto tem sido acompanhado de perto pela companhia e estamos confiantes de que a CBB tratará esses desafios com seriedade – afirmou Marcelo Trevisan, gerente-geral de Sportswear e líder de basquete da Nike do Brasil, ao blog.

A Confederação, assim como a LNB, é peça fundamental para que a marca domine o basquete no país. Além das parcerias com as entidades gestoras, a empresa ainda patrocina Anderson Varejão, Bruno Caboclo, Cristiano Felício, Leandrinho, Lucas Bebê, Marcelinho Huertas, Nenê, Raulzinho e Tiago Splitter, brasileiros que jogam na NBA, e Alex, Georginho, Larry Taylor, Lucas Dias, Marcelinho Machado, Marquinhos, Rafael Hettsheimeir e Shamell, destaques do NBB.

Sete anos depois de iniciar seus investimentos no basquete brasileiro, a Nike agora coloca como prioridade o desenvolvimento técnico, fundamental para que a modalidade continue se popularizando. Este aspecto deve ser um dos pilares da parceria com a LNB.

– Eu diria que a troca de experiência e intercâmbio, por meio de torneios e clínicas internacionais organizadas pela Nike Basketball globalmente, vai contribuir para darmos o salto que o basquete brasileiro precisa. Queremos usar todo o “know how” que construímos ao longo de décadas trabalhando ao lado dos melhores atletas do mundo para ajudar a desenvolver a modalidade. Serão profissionais de diversas áreas que nos ajudarão a dar esse salto de qualidade – projetou Trevisan.

Até aqui, ainda não existem planos na Nike para lojas exclusivamente da modalidade no Brasil.



MaisRecentes

NBB é case para Atlético-PR, Coritiba e CBV



Continue Lendo

Slam Dunk Contest trinta anos depois



Continue Lendo

Cristiano Felício aproveita caos do Bulls



Continue Lendo