NBA deveria combater times que jogam para perder



Quem acompanhou as últimas temporadas da NBA acostumou-se a ver o Philadelphia 76ers destoando dos demais em termos de qualidade. Utilizando-se da maior probabilidade que os times de pior campanha têm nos Drafts seguintes, a franquia simplesmente resolveu abrir mão da montagem de um elenco razoável para acumular boas escolhas em busca de jovem talento. Isso até achar um astro e decidir construir seu time ao redor dele. A estratégia vai contra os preceitos básicos de entretenimento que a NBA tanto valoriza e, por isso, deveria ser combatida pela liga.

Na última campanha, o Sixers perdeu suas 14 primeiras partidas da temporada, um dos piores inícios da história da NBA. Neste ano, o cenário não é diferente. Tudo isso com uma montagem de elenco planejada para que as derrotas venham, mesmo: seis jogadores do elenco nem sequer foram draftados.

Enquanto acumula mais e mais derrotas, a equipe tenta desenvolver Nerlens Noel e Jahlil Okafor, seus dois únicos jogadores que aparentam ter futuro na NBA. A dupla de garrafão tradicional vai contra a revolução tática recente da liga, que cada vez mais consagra times mais leves e com apenas um homem de garrafão. Mas, como não há qualquer pressa por resultados imediatos, isso ainda não pôde ser considerado um problema.

A médio prazo, o Sixers pode melhorar com as adições do pivô Joel Embiid, que ainda se recupera de lesões e não conseguiu fazer sua estreia na NBA após ser draftado em 2014, e do ala Dario Saric, que se desenvolve na Europa antes de se mudar para a NBA. Antes disso, os torcedores da franquia ainda devem sofrer bastante com o time…

Mesmo sem material humano, o técnico Brett Brown, que foi aprendiz de Gregg Popovich no San Antonio Spurs, conseguiu montar uma defesa decente. Isso mostra que a franquia, caso quisesse, conseguiria sim ser competitiva com a adição de talento.

O que isso significa para a imagem da NBA? Será que não é maléfico para a liga ter uma equipe que, desde o primeiro dia, entre em quadra abertamente para perder? Claro que os jogadores, dentro de quadra, se esforçam para vencer os jogos. Mas simplesmente não têm qualidade para isso.

Assim, acho que esse tipo de estratégia deve servir para que a NBA reveja seu sistema de Draft. Atualmente, as equipes que não vão para os playoffs vão para uma loteria na qual os piores times têm as melhores chances de escolherem primeiro.

Na sequência, as que foram para os playoffs escolhem de acordo com suas campanhas, ordenadamente. Ou seja, o melhor time tem a 30ª e a 60ª escolhas.

E se todos os times que não foram para os playoffs tivessem chances iguais? Isso evitaria o “tank” – ou seja, faria com que todos os times tentassem vencer seus jogos sempre. Elencos fracos como o do Sixers não seriam montados, e as franquias poderiam investir mais para encontrar talento na D-League, a Liga de Desenvolvimento dos Estados Unidos, e em campeonatos fora do país.

O Sixers não tem pressa e aposta em uma reconstrução lenta, sustentada por meio de derrotas. Estão no direito deles. Mas acho que é boa hora da NBA rever esse direito.



  • luiz

    Não dá pra concordar q todos os times tenham chances iguais, pois isso iria contra a política da própria liga de dar chance ao equilíbrio e evitar longas dinastias, pois imaginemos q nessa brincadeira, times já mto fortes(vamos colocar aqui um San Antonio, Golden State, Miami Heat, até o Cleveland, q voltou a ter um bom time), fossem premiados com primeiras escolhas? Abriria ainda mais um abismo entre esses e os piores times.

    Tem a já tradicional regra q impede q o pior time leve a primeira escolha mais de uma vez seguida, mas se fosse uma questão de desconfiar q auto sabotagem(o q me parece mtas vezes pouco inteligente), q se desse uma punição ao time, jogando ele para as últimas escolhas, até como forma de evitar q aquilo se repetisse.

    Me pareceria uma coisa mais sensata e q manteria as possibilidades de qualquer time se alçar a um patamar acima

  • Fábio Lampólia

    Eu acho o draft uma excelente ferramenta de s equilibrar o campeonato, e não entendo como alguém pode afirmar que tem equipes perdendo de propósito para conseguir melhores escolhas, muitas vezes as franquias até trocam de posições em troca de jogadores e dinheiro. Das 30 equipes que disputam a liga haverá apenas 1 vencedor…

MaisRecentes

Tiago Splitter joga para garantir futuro



Continue Lendo

MVP pode sair das mãos dos favoritos



Continue Lendo

Jogo das Estrelas e as opções da Seleção



Continue Lendo