Janeiro trará importantes definições no basquete olímpico



Os fãs de basquete esperam duas importantes definições no começo de 2016. No próximo dia 19 de janeiro, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) vai divulgar os países-sedes dos Pré-Olímpicos feminino e masculino, que vai decidir os últimos classificados para os Jogos do Rio. Oito nações se inscreveram e vivem a expectativa do anúncio oficial.

O torneio feminino, que será disputado entre os dias 13 e 19 de junho, tem França e Espanha como candidatas a sede. Além das duas nações, Belarus, Turquia, Argentina, Cuba, Venezuela, Camarões, Nigéria, China, Coreia do Sul e Nova Zelândia vão participar do torneio, que dará cinco vagas olímpicas.

Brasil, Estados Unidos, Sérvia, Canadá, Austrália, Japão e Senegal são as sete seleções já classificadas para os Jogos Olímpicos deste ano na chave feminina.

No masculino, as coisas serão um pouco diferentes. O pré-olímpico será dividido em três torneios, que serão simultaneamente disputados entre os dias 4 e 10 de julho. O campeão de cada chave vai carimbar sua vaga no Rio.

Além das 15 nações classificadas para o Pré-Olímpico via torneios continentais, os três países sedes se juntarão à disputa. República Tcheca, Alemanha, Itália, Filipinas, Sérvia e Turquia querem sediar o torneio classificatório para o Rio.

Caso uma seleção já classificada seja escolhida como sede, um país de seu continente será puxado para o Pré-Olímpico de acordo com sua colocação no último torneio local.

França, Grécia, Sérvia, Itália, República Tcheca, Canadá, México, Porto Rico, Angola, Tunísia, Senegal, Filipinas, Irã, Japão e Nova Zelândia são as seleções que já estão garantidas na chave masculina da Olimpíada. Ou seja: italianos, tchecos e filipinos podem acabar classificando novas equipes.

As outras seleções que já garantiram classificação para os Jogos são Estados Unidos, Brasil, Austrália, Nigéria, Venezuela, Argentina, Espanha, Lituânia e China.

A escolha das sedes e a divisão das equipes serão fatores decisivos para que nível da disputa seja determinado.



MaisRecentes

Tiago Splitter ainda tem lugar na NBA



Continue Lendo

Raulzinho, o ‘Westbrook brasileiro’, e a paciência



Continue Lendo

Zaza Pachulia e a eleição para o All-Star Game



Continue Lendo