Investimento de franquia canadense pode ajudar o Brasil



Se o basquete brasileiro tem o trato a seus jovens talentos como dificuldade crônica, uma boa notícia chegou recentemente do Canadá nesse sentido. O Toronto Raptors, time da NBA em que jogam o ala Bruno Caboclo e o pivô Lucas Bebê, fundou um time da D-League, a liga de desenvolvimento dos Estados Unidos, que vai se chamar Raptors 905 e será sediado na cidade de Missisauga.

Os dois brasileiros chegaram ao Raptors como projetos para o futuro da franquia. Bebê foi selecionado na 16ª escolha do Draft de 2013 pelo Boston Celtics, teve seus direitos trocados para o Altanta Hawks antes de ser adquirido pelos canadenses e ainda jogou mais um ano na Espanha antes de desembarcar na NBA. Caboclo, por sua vez, foi um investimento mais direto: foi selecionado na 20ª escolha do Draft do ano passado pelo próprio time.

Como não poderia deixar de ser, dois jogadores vistos como promessas não tiveram muito espaço na primeira temporada em um time de playoff. O pivô de 22 anos de idade disputou apenas seis jogos pelo Raptors, apresentando médias de um ponto e 1,8 rebotes em 3,8 minutos por exibição. Já o ala de 19 anos de idade entrou em quadra em oito oportunidades, obtendo, em média, 1,3 pontos e 0,3 rebotes em 2,9 minutos por partida.

Geralmente, o caminho para franquias da NBA nessa situação é mandar seus prospectos para a D-League. O problema é que, até a temporada passada, o Raptors não possuia uma afiliada, e era uma das 13 equipes que dividiam espaço no Fort Wayne Mad Ants. Com isso, nem nesta liga os dois brasileiros tiveram muito tempo de quadra.

Quando enviado, Bebê ainda teve mais espaço no Mad Ants, apresentando médias de 8,3 pontos, dez rebotes e dois tocos em 20,1 minutos por exibição nos quatro jogos que disputou na D-League. A situação de Caboclo foi pior: entrou em quadra em sete oportunidades, obtendo médias de 3,4 pontos e 1,9 rebotes em 8,9 minutos por jogo.

Como é difícil imaginar que os brasileiros terão mais espaço em Toronto imediatamente, a criação do Raptors 905 é uma ótima notícia, já que a franquia da D-League deve concentrar esforços no desenvolvimento de jogadores de sua afiliada. A Seleção Brasileira agradece…



MaisRecentes

Raulzinho, o ‘Westbrook brasileiro’, e a paciência



Continue Lendo

Zaza Pachulia e a eleição para o All-Star Game



Continue Lendo

NBA e os polêmicos dois minutos finais



Continue Lendo