Cristiano Felício joga para provar ponto



Quando Cristiano Felício anunciou que não tentaria uma vaga na Seleção Brasileira que disputará a Olimpíada do Rio de Janeiro para se concentrar em seu futuro na NBA, muita gente torceu o nariz. Mas as primeiras movimentações do Chicago Bulls no mercado mostram que a aposta pode dar bons frutos. Neste sábado, às 19h, com transmissão ao vivo do WatchESPN, o ala-pivô estreia na Summer League de Las Vegas com o time de verão do Chicago Bulls para começar a provar que está certo.

Cristiano Felício Foto Divulgação-NBA

Cristiano Felício luta para se afirmar (Foto: Divulgação/NBA)

O Bulls foi uma das equipes que mais se movimentaram no mercado após o fim da temporada. Começou enviando Derrick Rose para o New York Knicks em troca de José Calderón, Jerian Grant e Robin Lopez. Depois, mandou o armador espanhol para o Los Angeles Lakers, abrindo salarial para viabilizar a contratação de Dwyane Wade.

No processo, ainda perdeu Mike Dunleavy, que foi para o Cleveland Cavaliers; Pau Gasol, que foi para o San Antonio Spurs; e Joakim Noah, que foi para o New York Knicks. Por outro lado, o Bulls contratou o armador Rajon Rondo, que estava no Sacramento Kings.

Assim, o time deve começar a próxima temporada com Rondo e Wade como titulares do perímetro ao lado de Jimmy Butler. Os três não têm o arremesso de longa distância como ponto forte – somados, acertaram 133 bolas de três na última temporada, menos do que 29 jogadores converteram.

Por isso, o Bulls vai precisar que seus pivôs tenham pontaria calibrada de longa distância. E Felício pode ser de grande ajuda assim.

Na última temporada, o brasileiro converteu 40% dos seus arremessos de três pelo Canton Charge, time da D-League, a liga de desenvolvimento da NBA, filiado ao Bulls. Mostrou que tem potencial para ajudar como arremessador.

Felício chega a Las Vegas sem contrato garantido para a próxima temporada. O Bulls pode dispensar o brasileiro a qualquer momento, sem custos extras para isso. Por isso, a Liga de Verão será importante para que o jogador mostre que tem potencial exatamente no fundamento que o time mais precisa. É por isso que sua opção faz sentido.



MaisRecentes

Slam Dunk Contest trinta anos depois



Continue Lendo

Cristiano Felício aproveita caos do Bulls



Continue Lendo

Érika acha um lar adequado na WNBA



Continue Lendo