Convidado pelo Jazz, Machado tem nova chance na NBA



Mais um representante brasileiro recebeu um voto de confiança para tentar se firmar em uma franquia de olho na temporada 2013/2014 da NBA. O armador Scott Machado, que passou, sem sucesso, por Houston Rockets e Golden State Warriors, fará parte da pré-temporada do Utah Jazz e terá uma oportunidade de ouro para mostrar serviço, já que entra em uma franquia em processo de reconstrução tendo chances reais de ser contratado.

Scott Machado não conseguiu se firmar no Rockets (Foto: Divulgação/CBB)

Scott Machado não conseguiu se firmar no Rockets (Foto: Divulgação/CBB)

Depois de não se classificar para os playoffs na última temporada, o Jazz resolveu abrir mão de alguns veteranos para investir em jogadores mais jovens, apostando no futuro da franquia. E uma das posições que passa por reformulação é justamente a armação. Em relação ao elenco que vestiu a camisa da equipe na última campanha, foram embora o titular Mo Williams, que foi para o Portland TrailBlazers, e o reserva Jamaal Tinsley, que é agente livre e segue à procura de um clube.

Agora, a principal aposta do Jazz para a armação veio no Draft deste ano. Com a nona escolha do tradicional recrutamento de calouros, a franquia de Utah selecionou o badalado Trey Burke, que veio da universidade de Michigan e foi o primeiro jogador da posição a ser lembrado no evento.

Aos 20 anos de idade, Burke, no entanto, não começou bem sua trajetória no basquete profissional americano. Durante a disputa da Liga de Verão, na primeira oportunidade que os prospectos têm de entrar em contato com o mundo da NBA, o armador apresentou médias de 8,8 pontos e quatro assistências em 26,8 minutos por jogo, acertando apenas 24,1% de seus arremessos de quadra e 5,3% dos tiros de três pontos.

Além disso, mesmo em seus melhores dias, Burke é um armador que procura a cesta antes da assistência. Na temporada 2012/2013, sua segunda e última no basquete universitário, o jogador apresentou médias de 21 pontos e 7,5 assistências a cada 40 minutos, produzindo 1,09 pontos por posse de bola. Como comparação, Machado, na temporada 2011/2012, sua quarta e última no basquete universitário, produziu 15,3 pontos e 11,2 assistências a cada 40 minutos, anotando 1,05 pontos por posse de bola.

A maior disposição pelo passe de Machado pode pesar a favor do jogador, que é nascido em Nova York, mas defende a Seleção Brasileira por ter pais nascidos no país. Isso porque o Jazz também passa por reformulação no garrafão. Foram embora dois veteranos: Paul Millsap, hoje no Atlanta Hawks, e Al Jefferson, hoje no Charlotte Bobcats. Os titulares devem ser Derrick Favors, de 22 anos de idade, e Enes Kanter, de 21. Os dois vão precisar receber a bola em boas condições para a equipe funcionar.

No ano passado, entre dispensas e passagens por Houston Rockets e Golden State Warriors, Machado ficou na quadra por pouco menos de 30 minutos no total em jogos da NBA. Passou boa parte da temporada na D-League, a Liga de Desenvolvimento. Lá, teve média de 8,57 assistências a cada 40 minutos, sendo o quinto melhor da liga no fundamento. Foi responsável por 31,51% das assistências de seu time enquanto esteve em quadra, sendo o sexto melhor nesta lista.

Aos 23 anos de idade, Machado é jovem o bastante para fazer parte do processo de reconstrução do Jazz. Mas precisa ter em mente que o caminho não será fácil. Para isso, ele terá de deixar para trás suas frustrações recentes: a dispensa do Golden State Warriors, o corte da Seleção Brasileira e a fraca atuação na Liga de Verão.

No torneio, Machado apresentou médias de 3,3 pontos e 2,4 assistências em 15,4 minutos por partida. Como adversário na briga por uma vaga no elenco e, pensando de maneira otimista, na rotação, ele terá Ian Clark, que anotou 12,4 pontos e 1,4 assistências em 21,6 minutos por exibição pelo Warriors, assim como o brasileiro.

Além dele, o Jazz ainda contratou os armadores John Lucas III, que apresentou médias de 5,3 pontos e 1,7 assistências em 13,1 minutos por jogo pelo Toronto Raptors na última temporada, e Jerel McNeal, que anotou 18,1 pontos e 5,5 assistências em 30,3 minutos por partida no Bakersfield Jam, da D-League, também na última temporada.

Obstáculos não faltam para Machado. Mas, se conseguir explorar sua capacidade na visão de jogo e nas assistências, o armador poderá ajudar o Jazz a suprir uma carência do elenco e garantir uma vaga no plantel. A franquia conta atualmente com 14 jogadores, sendo 15 o máximo permitido pela NBA.



MaisRecentes

Tiago Splitter joga para garantir futuro



Continue Lendo

MVP pode sair das mãos dos favoritos



Continue Lendo

Jogo das Estrelas e as opções da Seleção



Continue Lendo