Coach K age para motivar os americanos



Um dos maiores méritos de Mike Krzyzewski, o “Coach K”, no comando da seleção americana masculina de basquete é a maneira  com que ele mantém motivados os astros de um dos melhores times esportivos do planeta. Na última semana, entre os dias 11 e 13, ele  deu mais uma mostra disso.

Entre as temporadas da NBA – a próxima começa somente em outubro –, é comum que jogadores se juntem para treinos ao redor dos Estados Unidos. Geralmente, os mais requisitados são ex-jogadores, como Hakeem Olajuwon, que até hoje ensina seus famosos movimentos de costas para a cesta, e veteranos como Tim Duncan, costumeiramente procurados por pivôs mais jovens que buscam evoluir.

Neste ano, a seleção americana não teria competições oficiais para disputar. Isso porque, como atual campeã mundial, a equipe está automaticamente classificada para a Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016. Frente a situações deste tipo, os Estados Unidos geralmente abrem mão da disputa da Copa América só para cumprir tabela.

Por isso, aproveitando-se da “inatividade” da seleção e da busca dos jogadores para parceiros de treino, o Coach K implementou nos últimos anos a rotina de reunir selecionáveis para um período de atividades conjuntas. Foi assim esse ano, com 34 astros da NBA.

Provavelmente, sairão destes 34 os 12 convocados para a Olimpíada do Rio. O material humano que o treinador tem em mãos é incomparável. Desde veteranos estabelecidos, como LeBron James e Carmelo Anthony – que, se convocados, vão brigar pela terceira medalha de ouro seguida – até astros jovens e ascendentes, como Stephen Curry, atualmente MVP da NBA.

A empolgação criada pela reunião já motivou até Kobe Bryant, que, lesionado, não fez parte do encontro. Começa a surgir uma força difícil de ser superada no Rio.



MaisRecentes

Slam Dunk Contest trinta anos depois



Continue Lendo

Cristiano Felício aproveita caos do Bulls



Continue Lendo

Érika acha um lar adequado na WNBA



Continue Lendo