Chance para Huertas se firmar na temporada



Nos últimos dias, Marcelinho Huertas teve mais espaço no Los Angeles Lakers do que vinha recebendo até então. O armador, que deve ser um dos protagonistas da Seleção Brasileira na Olimpíada do Rio de Janeiro, ganha, assim, tempo de quadra importante para tirar a “ferrugem” e adquirir ritmo de jogo.

Até pouco tempo atrás, o cenário não era muito animador para Huertas. Com médias de apenas três pontos e 2,6 assistências em 12 minutos por exibição, o armador brasileiro chegou a ficar fora de 29 dos primeiros 62 jogos da equipe por opção técnica. Mas isso pode ter começado a mudar.

Na terça-feira, primeiro dia do mês de março, Huertas jogou por 14 minutos na vitória por 107 a 101 sobre o Brooklyn Nets, anotando dois pontos e cinco assistências. Apesar de apresentar números pouco relevantes, o jogador acertou uma linda assistência para Larry Nance Jr. enterrar, em jogada que foi considerada a mais bonita do dia pelo site da NBA.

No dia seguinte, foi ainda melhor: nove pontos e oito rebotes em 31 minutos na derrota por 117 a 107 para o Denver Nuggets. As três marcas são as melhores de sua carreira na liga profissional americana até aqui.

Magnano já mostrou várias vezes ao longo da temporada que não está satisfeito com o papel de coadjuvante que os jogadores da Seleção têm na NBA. Pior para Huertas, que, relegado por vezes à função de terceiro reserva para a armação do Lakers, via Raulzinho começar as partidas como armador titular do Utah Jazz.

Huertas é um jogador estabelecido, com carreira internacional de respeito. Mas não é exatamente isso que o Lakers, último colocado da Conferência Oeste, procura nesse momento. O time, que já não tem mais esperanças de se classificar para os playoffs, tem como prioridade o desenvolvimento de seus jovens, como os armadores D’Angelo Russell e Jordan Clarkson.

Porém, o brasileiro pode, aos poucos, ganhar minutos que eram de outros veteranos. Kobe Bryant, que vai se aposentar ao fim da temporada, tende a jogar cada vez menos tempo. Lou Williams, que vinha sendo usado como principal opção para a reserva de Russell e Clarkson, tem uma lesão muscular e vai fica fora de combate pelo menos até quinta-feira.

Além disso, Williams tem contrato garantido com o Lakers até o fim da temporada 2017/2018. Com isso, o técnico Byron Scott pode optar por poupá-lo cada vez mais e “testar” Huertas – o brasileiro tem vínculo válido somente até o fim do campeonato, e a franquia pode querer ver se vale a pena mantê-lo.

Enquanto isso, Raulzinho perde espaço para Shelvin Mack no Jazz. O cenário começa a ser animador para Huertas na Seleção.



MaisRecentes

MVP pode sair das mãos dos favoritos



Continue Lendo

Jogo das Estrelas e as opções da Seleção



Continue Lendo

Dawn Staley e o Dia Internacional da Mulher



Continue Lendo