Budweiser lança parceria com a NBA e quer repetir sucesso do UFC no Brasil



Satisfeita com a exposição que teve com o Global Games 2015, a Budweiser resolveu ampliar seu contrato de parceria com a NBA para o Brasil. De acordo com Daniel Feitoza, gerente de marketing da empresa, a cervejaria vê na liga uma oportunidade semelhante à explorada com o UFC no país.

Em outubro do ano passado, a Budweiser fez uma série de ativações no jogo Flamengo x Orlando Magic, disputado no Rio de Janeiro, em partida que fez parte do NBA Global Games, amistosos que as equipes da liga americana fazem ao redor do mundo durante a pré-temporada. Agora, durante os playoffs, resolveu retomar a parceria, que deve ser mais duradoura.

– Como a temporada tem uma longa duração, preferimos ativar a parceria agora, com a atenção que os playoffs e as finais atraem. Mas quando a temporada voltar, devemos fazer mais ações. Temos uma visão a médio e longo prazo. Não é só uma questão de oportunidade – explicou Feitoza, ao blog.

De acordo com o dirigente, as principais plataformas de relacionamento da Budweiser com seus clientes são a música e o esporte. Feitoza cita ações da empresa com o UFC como exemplo de sucesso no Brasil e, agora, quer repetir o modelo com a NBA.

Ainda segundo Feitoza, a parceria com uma modalidade olímpica não tem a ver com a proximidade dos Jogos do Rio de Janeiro, que serão disputados em agosto.

– Vemos a NBA pelo lado do entretenimento. É uma oportunidade para o consumo, para reunir os amigos – explica.

A Olimpíada é motivo para que o Global Games não venha para o Brasil em 2016. Mas Feitoza espera que o evento, que deu início à parceria entre a Budweiser e a NBA, volte em anos posteriores. Antes disso, espera outros tipos de atrações para os fãs da liga.

– Existem alguns projetos em andamento. Acho que os fãs vão ter muitas novidades interessantes ainda – projeta.

Além do acordo de co-gestão comercial com o NBB, a NBA Brasil ainda tem parcerias de mídias firmadas com a Globo e a ESPN e de licenciamentos com SPR, Dermiwil, Foroni e Netshoes.



MaisRecentes

Raulzinho, o ‘Westbrook brasileiro’, e a paciência



Continue Lendo

Zaza Pachulia e a eleição para o All-Star Game



Continue Lendo

NBA e os polêmicos dois minutos finais



Continue Lendo