Minas e Vitória fazem jogo histórico pelo NBB. Mineiros avançam, baianos caem aplaudidos | Lance!

Minas e Vitória fazem jogo histórico pelo NBB. Mineiros avançam, baianos caem aplaudidos



Minas e Vitória - NBB

Jefferson Campos (MIN) e Kenny Dawkins (VIT): que duelo em Cajazeiras! Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória

Quando o cronômetro zerou pela última vez, depois de três (sim, uma, duas, TRÊS) prorrogações, jogadores de Minas e Vitória se abraçaram, antes de qualquer outra reação. Só depois, ainda assim de forma contida, os mineiros celebraram a classificação às quartas da décima edição do NBB Caixa, após vencerem por 117 a 111. Os rubro-negros foram aplaudidos por sua torcida, reconhecendo a entrega em quadra, no ginásio de Cajazeiras, em Salvador. Mais um jogo que entra para a história dos #playoffsNBB, cada vez mais emocionantes, cada vez mais comentados, um produtaço de entretenimento.

Abaixo, o abraço entre os treinadores assim que a partida acabou. Os jogadores do Minas festejam, mas a habitual invasão dos atletas do banco não aconteceu:

O Minas já estreia nas quartas no próximo domingo, às 14h, contra o Flamengo. Vai ser difícil, considerando-se o cansaço e o efeito que a descarga de adrenalina, seguida de alívio, foi injetada em cada atleta. Digo porque me recordo, no NBB 5, de o Bauru Basket passar à semifinal pela primeira vez, superando o rival Franca em cinco jogos: o feito fora tão grande e desgastante que logo de cara tomaram um vareio do Uberlândia, mesmo na Panela de Pressão. Que respirem e se recomponham, os minastenistas.

Para o Vitória, hora de avaliar a temporada e ter a certeza de que Salvador abraçou o basquete. Que siga firme. Sua camisa e seu carisma fizeram muito bem ao NBB.

— Desde o começo, todos falaram que seria o duelo mais equilibrado, oitavo contra nono. Quem sai ganhando é o basquete brasileiro, o NBB. Parabéns para Minas. Falhamos, eles também falharam, mas foram melhores na última prorrogação. O terceiro lugar do ano passado jogou a expectativa lá em cima e não conseguimos praticar o mesmo basquete — disse o ala André Goes à repórter Giovanna Terezzino, na transmissão do #NBBnoFacebook.

Giovanna, aliás, arrancou lágrimas de Flávio Espiga, do Minas. Bela entrevista, baita momento do novato treinador. Um trecho de seu depoimento:

— Que batismo pra mim! Queria parabenizar o Vitória, o Régis Marrelli. Falei pra ele que fizemos uma série muito disputada e ele foi um gentleman. Só se preocupou com o time dele, não reclamou de arbitragem. É um cara ético pra caramba, correto. Eu cresço muito duelando com você, Régis. Achei que a gente ia perder várias vezes. Foi uma guerra mental — disse Espiga, que homenageou Alberto Bial, de quem foi auxiliar até a última temporada:

— Foi difícil sair do Solar, mas eu queria viver um momento desse, experimentar. Ontem vi a classificação deles, me imaginei lá, mas tinha que estar aqui. Se tem uma pessoa que posso homenagear é o Bial. Se eu aprendi a lidar com grupo, muito foi com ele — reconheceu.

Minas e Vitória

A emoção de Espiga em entrevista a Giovanna Terezzino. Foto: Reprodução #NBBnoFacebook

Quartas de final definidas!

Flamengo x Minas
Mogi das Cruzes/Helbor x Banrisul/Caxias do Sul
(desses dois confrontos sai uma semifinal)

Paulistano/Corpore x Solar/Basquete Cearense
Sesi/Franca x Sendi/Bauru Basket
(daqui sai outra semi)

Programação dos jogos, aqui

A repercussão de Minas e Vitória

Atletas, imprensa especializada, torcedores… Muita gente levou a partida aos trending topics do Twitter: