No LANCE! de hoje



MÁXIMA DISCRIÇÃO

O GloboEsporte.com revelou ontem, em reportagem dos jornalistas Leonardo Lourenço e Martín Fernandez, que o Barcelona admitiu à Justiça da Espanha que contratou Neymar antes do prazo permitido pelo regulamento de transferências da Fifa. A peça traz a informação que faltava para comprovar, publicamente e sem margem para questionamentos, o que leitores bem informados já conheciam: quando entrou em campo para disputar a final do Mundial de Clubes, em dezembro de 2011, o astro brasileiro não só estava negociado com o adversário do Santos, como também já tinha sido remunerado por isso.

A ida de Neymar para o Barcelona foi finalmente acertada em novembro de 2011. Doze dias antes da decisão do Mundial, o contrato civil firmado entre o clube catalão e a empresa do pai de Neymar determinou o pagamento de 10 milhões de euros para assegurar a contratação do craque. Durante algum tempo, a figura de um compromisso “não esportivo” entre um clube e um jogador que tem contrato de trabalho com outro clube foi uma questão polêmica, por se tratar de um instrumento que, na prática, dribla a legislação da Fifa. Ocorre, porém, que o Santos autorizou Neymar a negociar antes dos seis meses finais de seu acordo.

As transcrições do depoimento de Sandro Rosell a um juiz espanhol, publicadas pelo GloboEsporte.com, mostram a preocupação em ocultar a transação. Disse o então presidente do Barcelona: “Tentamos tratar com a máxima discrição, para que não houvesse vazamentos, […] porque o jogador estava no Santos, era importante que a torcida do Santos não soubesse. Havia um pré-acordo com um time que não era o dele”. Em retrospecto: em novembro de 2011, sabia-se que Barcelona e Santos disputariam o Mundial de Clubes. Em 6 de dezembro, data do contrato relativo aos 10 milhões de euros, sabia-se que ambos se enfrentariam na final, a não ser que o Kashiwa Reysol ou o Al-Saad se intrometessem.

Mesmo em um ambiente caracterizado por negociações criativas, Neymar talvez esteja sozinho na categoria de jogadores que atuaram contra o futuro empregador, com quem já tinha relação comercial estabelecida. Feita a ressalva de que não foi cometida nenhuma ilegalidade, não se pode afirmar se, e como, tal contexto interferiu em seu desempenho na derrota por 4 x 0 para o Barcelona, em Yokohama. Independentemente desse aspecto, sempre que se joga luz sobre temas misteriosos há lições a aprender. Uma delas tem a ver com a histeria do torcedor santista a cada vez que se publicou, em 2012, que Neymar estava negociado.

(publicada em 5/1/2017, no LANCE!)



  • Bruno Telles Zelinski

    O Mario Gotze jogou a final da Champions 2013 pelo Borussia já contratado pelo Bayern.

    • André Kfouri

      Não jogou. Machucado.

MaisRecentes

Indecifrado



Continue Lendo

Equação



Continue Lendo

A opção pelo erro 



Continue Lendo