Gracias Medellín



Gracias Medellín. Por abrir seu estádio para que “sejamos uma só luz”.

Gracias Medellín. Por atrair milhares de colombianos a uma cerimônia em que não se chorou a morte de nenhum colombiano.

Gracias Medellín. Por convidar o mundo do futebol a uma noite de celebração de humanidade. E por nos receber com tanto afeto gratuito. 

Gracias Medellín. Por nos comover pelo que não somos, pelo que deveríamos ser, pelo que deveríamos ser capazes de fazer. Todos os dias. 

Gracias Medellín. Por uma quarta-feira de futebol em que a bola ficou imóvel, emocionada por sua capacidade de reunir pessoas em nome dela. 

Gracias Medellín. Pelo branco, pelo verde, suas cores, nossas cores, ontem, hoje e sempre. 

Gracias Medellín. Pelo auxílio, pelo cuidado, pelo esforço, pela solidariedade, pelo exemplo, pela lição. 

Gracias Medellín. Por recolher os mortos e tratar os feridos, estejam eles nos seus hospitais ou em Chapecó, em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Brasil. 

Pois feridos, de uma forma ou de outra, todos ficamos, todos somos. Gracias Medellín. 

Gracias Medellín. Também por uma dose de constrangimento provocada pela dúvida se seríamos assim. E pela impressão de que não seríamos. 

Gracias Medellín. Pela lembrança do verdadeiro significado do futebol, e das sensações que ele nos proporciona. 

Gracias Medellín. Pela mensagem aos corações mais afetados por essa tragédia indescritível, a de que eles não estão sozinhos, apesar de se sentirem perdidos. 

Gracias Medellín. Por nos apontar o caminho que provavelmente não seguiremos. E é por isso que também choramos. 

Gracias Medellín. Muchíssimas gracias. 



  • J.H

    Em meio a essa comoção geral, ainda vemos algumas figuras, cartola que neste momento pensa em STJD, em prejuízos para si por adiamento de rodada. Nada deveria surpreender mais, depois de questionar anulação de jogos manipulados por árbitro réu confesso. Não se trata de exagero. O que se pede é a mesma coisa. Para depois culpar “algo” por um possível fracasso. Até para isso deveríamos dar “gracias a Medelin”. “Deem o titulo à Chapecó”.

  • PauloFini

    Na minha vida, SEMPRE disse que só torceria para um clube, desde que nasci sou Palmeiras e vou continuar a ser até morrer…mas a a partir de hoje, “ADOTEI” mais um clube NO MEU coração….O Atlético de Medelim e vou torcer e acompanhar o andamento do clube nos campeonatos que ele disputar a partir de agora…
    Depois do que ví ontem…o respeito que o povo colombiano teve com nossos irmãos que faleceram no seu país, em especial, o povo de Medelim, com os torcedores do Nacional, percorrendo as ruas da cidade, cantando musicas exaltando a Chape, fazendo vigílias e lotando o estadio com mais de 40 mil pessoas dentro e umas 50 mil fora, a maioria vestida de branco, segurando velas, muitos chorando, numa cerimonia maravilhosa, em homenagem aos jogadores, aos jornalistas e demais vitimas do desastre aéreo — Sinceramente, nos meus 56 anos, nunca vi ou tive conhecimento de qualquer coisa semelhante — Começarei, a partir de hoje, uma campanha por aqui, para que organizemos uma torcida on line, com todos os demais torcedores de times brasileiros, para acompanhar e torcer por este clube na final do Mundial em dezembro….Avante Nacional de Medelim….rumo a conquista do mundial de clubes….porque vcs já são, os campeões mundiais do melhor que existe no espirito humano…
    Aqui é Palmeiras, o maior campeão do Brasil …
    Aqui é Nacional de Medelim, campeão Colombiano, campeão da Libertadores e se deus quiser, campeão do mundial de clubes de 2016….CAPITE?

  • J.H

    Em 1969, o Corinthians fazia excelente campanha no Campeonato Paulista e a torcida imaginava que quebraríamos o jejum iniciado em 1954.Em 28 de abril de 1969, porém, após um empate com o São Bento, sofremos terrível perda. O ótimo lateral direito Lidu e o ponta esquerda Eduardo, estrelas do time corinthiano, morreram em um acidente automobilístico na Marginal do Tietê.Houve comoção geral na cidade. Choro e consternação nas ruas, bares, construções. No campo esportivo, enfraqueceu-se demais a equipe mosqueteira.Solicitou então o Corinthians a inscrição de dois novos jogadores. Para que a medida fosse aprovada pela federação, bastava o sim unânime dos clubes participantes.Todas as agremiações, sensibilizadas, votaram a favor, exceto um clube! Pobreza de espirito que hoje vimos não existir no GRANDE Atlético de Medelin!

  • Julia Posey

    André, eu me emocionei ontem quando escutei sua crônica no Sportscenter. Fui às lágrimas agora quando a li. Mas o trecho que mais me tocou, entre todos, foi este: “Gracias Medellín. Também por uma dose de constrangimento provocada pela dúvida se seríamos assim. E pela impressão de que não seríamos”. Que um momento como esse sirva de lição para a soberba – provocada pelo total desconhecimento – de muitos brasileiros com os seus semelhantes e para com demais países sulamericanos. Como corinthiana posso dizer que agora tenho um time ‘verde’ para torcer. Parabéns, Atlético Medellín e colombianos pela grandeza demonstrada. Muchíssimas gracias, povo colombiano.

    • J.H

      Não é impressão de que “não seríamos” Julia. Vendo atitudes como a do Inter, a impressão vira certeza. Cabe na cabeça de qualquer um de nós o que estão fazendo e dizendo hoje? Citar 2005 para pedir clemência em 2016? Como? Ainda insistem em defender atos de um juiz que FRAUDOU os jogos? E ainda essa, de dizer que não querem jogar a ultima rodada? Já que estão tão abalados com a “tragédia” dos outros que deem W.O! E você André, não vá trabalhar porque faleceram colegas jornalistas!. Fim da picada se o Inter não for rebaixado!.

      • Julia Posey

        J.H., concordo contigo. É lamentável o papelão que esses dirigentes do Inter fizeram. O Alex, idem. Como sempre, foram prepotentes, já que sempre se julgaram superior a tudo e à todos, por isso não podem jogar a Série B. Na verdade, o desespero deve ser com relação à redução do número de vagas de acesso em 2017: serão 3. E com esse time o Inter corre o risco de não subir. O lugar deles é na série D, não na B, com times mais briosos e decentes do que eles. Agora, usar de novo esse papinho de 2005 para justificar essa lambança…pára, já deu, já cansou! Conversa de viúva…O que o Corinthians tem a ver com esse time pífio do Inter de 2016? Tomara MESMO que o Inter seja rebaixado. Eles merecem.

        • Francisco Diniz Neto

          Só lembro que as ações foram de alguns dirigentes e alguns jogadores. A torcida repudiou palavras toscas. E em 2005 vocês roubaram o campeonato sim . Comprovado em gravações telefônicas.

  • Saulo Seixas

    Perfeito o Texto, entendo ser impossível de sintetizar melhor todo o momento, e além.

  • Paulo Pinheiro

    “Que lo escuchen en todo el continente: Siempre recordaremos
    Campeon al Chapecoense”.
    Esse grito nas ruas me arrepiou. Quando vi esse vídeo com os torcedores colombianos eu cheguei às lágrimas, e entendo agora que elas vieram por tudo isso que o André descreveu. Em especial o “Por nos comover pelo que não somos, pelo que deveríamos ser, pelo que deveríamos ser capazes de fazer. Todos os dias.”

    Fez-me lembrar de um senhorzinho que vende lanches aqui perto do meu trabalho e disse em sua simplicidade essa frase (foi antes da terrível tragédia) transcrita aqui ipsis literis: “Se a gente pensasse como a vida é curta… era pra nós tudo ser amigo”.
    Sabedoria. Poderíamos aprender isso, mas é fácil demais, por isso não conseguimos.

MaisRecentes

Até o fim



Continue Lendo

Sem casca



Continue Lendo

Na boa…



Continue Lendo