No LANCE! de hoje 



CRUZ

Trinta e um pontos e dezoito andares na classificação separam o Palmeiras do adversário desta noite, o Santa Cruz. Só se o líder enfrentasse o lanterna o jogo apresentaria um desequilíbrio maior na comparação de aproveitamentos. Só se o jogo fosse em São Paulo o Palmeiras seria mais favorito. Em relação à necessidade de vencer, não faz diferença: são três pontos compulsórios na corrida pelo título, mesmo levando em conta as dificuldades de visitar o Arruda, onde o Santa Cruz perdeu sete das treze partidas que fez.

Uma vitória em Recife estabeleceria diferença de três pontos em relação ao Flamengo, exatamente a vantagem (87 a 84) que se verificaria ao final da última rodada, caso ambos os times vencessem todos os jogos restantes. Ao deixar dois pontos no Morumbi, no sábado, o Flamengo criou a oportunidade para que o líder se descole. Se o Palmeiras vencer hoje, não perderá a primeira posição na classificação em apenas uma rodada, por causa da folga no saldo de gols (22 a 11) e nos gols a favor (47 a 37).

Os times de Cuca e Zé Ricardo não estão em seus melhores momentos, o que é absolutamente natural em uma temporada como a que temos no Brasil. O Palmeiras jogou muito mal em Porto Alegre, na última quarta-feira, quando perdeu para o Grêmio na Copa do Brasil, exibindo os mesmos defeitos de outras atuações como visitante. Embora se fale muito sobre “modelo de jogo”, o problema não está na forma como se pretende atuar, mas na aplicação das ideias que a compõem. O Palmeiras tem falhado naquilo que costumava fazer bem, por isso tem sofrido.

Ser eliminado por um time como o Palestino, na Copa Sul-Americana, diz o suficiente sobre a atuação do Flamengo no meio da semana passada. O desempenho no empate com o São Paulo também não significou um retorno ao nível habitual, um padrão que fez do vice-líder o time mais confiante em sua capacidade entre todos os participantes do Campeonato Brasileiro. Alguns lembrarão a virada tardia sobre o Cruzeiro como outro exemplo de mau jogo, mas, naquela tarde, o Flamengo venceu porque teve clareza para se associar nos últimos minutos e construir o gol de Mancuello.

Haverá júbilo entre rubro-negros se o Santa Cruz tirar pontos do Palmeiras logo mais, mas eles não serão os únicos a esfregar as mãos. Uma vitória do mandante no Arruda, por exemplo, significará que a liderança do campeonato estará ao alcance do Atlético Mineiro a partir da próxima rodada. E com um bônus: os confrontos diretos com Flamengo (rodada 33) e Palmeiras (rodada 35) se darão no estádio Independência. A questão em relação ao Atlético é de jogo e confiabilidade. O time dirigido por Marcelo Oliveira custa a praticar futebol coletivo e tem se apoiado no potencial de desequilíbrio de seus – muitos – destaques individuais.

Caprichosa, a programação de jogos planejou encontros do Santa Cruz com os dois primeiros colocados, em duas rodadas seguidas. Após receber o Palmeiras, o vice-lanterna irá ao Pacaembu para enfrentar o Flamengo, no domingo que vem. Novamente: pontos compulsórios, ou a competição pelo troféu voltará a ter três integrantes bem próximos.

PEGADOR

São inacreditáveis os números do goleiro brasileiro Diego Alves, hoje no Valencia, em cobranças de pênaltis. De acordo com o MisterChip (@2010MisterChip), guru das estatísticas no Twitter: desde 2007, quando jogava no Almería, foram cobrados 45 pênaltis contra Diego Alves, em todas as competições. Foram 21 gols, 22 defesas, um chute para fora e outro no travessão. Diego pegou dois pênaltis na derrota do Valencia para o Atlético de Madrid, ontem. Das últimas dez cobranças, ele defendeu seis. Já são quase dez anos assombrando cobradores na Espanha.

CASTIGO

Bayern, Borussia Dortmund, Real Madrid, Barcelona, Manchester United e Manchester City não venceram em seus campeonatos nacionais no fim de semana. Jornada ruim para gigantes e aspirantes na Europa.

(publicada em 3/10/2016, no LANCE!)



MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo