No LANCE! de hoje 



E NADA MUDOU

1 – Não houve o que se convencionou chamar de “período de estudos” no Allianz Parque. Palmeiras e Flamengo logo tentaram causar estragos do jeito que preferem. Os líderes, ocupando o campo de ataque e fazendo a bola chegar. Os vice-líderes, conduzindo-a em movimentos ordenados. Ninguém teve sucesso.

2 – Pouco jogo em meia hora. Baixo índice de bola em movimento, finalizações defeituosas e nenhum perigo. O apito não saiu da boca do árbitro André Luiz de Freitas Castro, que interpretou todo contato como falta.

3 – Dois cartões amarelos para Márcio Araújo excluíram o volante do Flamengo do jogo. O primeiro foi merecido e, ao fazer a falta que lhe valeu o segundo, ele já sabia que seria expulso. Em inferioridade numérica antes do intervalo, a noite se complicou para os visitantes.

4 – Surpreendente escolha de Zé Ricardo, ao retirar Diego para a entrada de Cuéllar.

5 – O grito de gol palmeirense estava preparado quando Gabriel Jesus tomou a bola de Réver e armou o chute. Extraordinária defesa de Muralha.

6 – Cuca voltou do vestiário com um atacante (Barrios) no lugar do volante (Gabriel) que marcava Diego. A posse do Palmeiras naturalmente aumentou, mas sem as ideias necessárias para aproveitar o jogador a mais. Apenas dois momentos com Gabriel Jesus.

7 – Logo após ser chamado por Zé Ricardo para dar ao Flamengo um pouco mais de jogo, Alan Patrick foi acionado por Everton e tirou o ar do Allianz Parque. O Flamengo vencia e ameaçava tomar a liderança em pleno estádio palmeirense.

8 – O Palmeiras não conseguia conferir clareza à disposição para empatar. Faltava organização ofensiva e sobrava espaço para contragolpe do Flamengo. Desmarcado para dominar a bola que saiu da área, Gabriel Jesus solucionou o problema: o chute colocado passou por Muralha, tocou na trave e entrou.

9 – O empate não alterou a classificação. O Palmeiras lamenta.

SUMIÇO

O deputado federal Marcelo Aro (PHS-MG), que bajulou Eduardo Cunha com o título de cidadão honorário de Belo Horizonte, faltou à sessão da Câmara Federal que lhe cassou o mandato, na segunda-feira. A conduta de Aro é compatível com sua atuação como diretor de Transparência e Ética – um cargo cuja existência ainda não foi explicada – da CBF: ausente.

PRESENÇA

Excelente começo de temporada de Fernandinho, do Manchester City. Atua à frente dos zagueiros, distribuindo o jogo, mas também se molda a duas outras funções, como aconteceu no recente clássico da cidade. Fernandinho ainda tem força para cobrir uma grande extensão do campo, tornando-se um jogador importante para o sistema do técnico Pep Guardiola.

(publicada em 15/9/2016, no LANCE!)



  • Paulo Pinheiro

    Dois detalhes, André:
    1. O lance do primeiro cartão amarelo nem falta foi. Márcio Araújo toca a bola e o choque posterior é consequência. O Gabriel Jesus é um dissimulado, que tentou incriminar o Pará num tapa que não levou (assim como o Dudu simulou um pênalti e TAMBÉM não levou cartão amarelo). O árbitro é péssimo e a CBF sabia disso quando o escalou. Como também sabia que a maracutaia do STJD de deixar a torcida do Palmeiras sozinha no estádio para pressioná-lo funcionaria. E funcionou. O Palmeiras apitou a partida.
    2. No referido lance da defesaça do Muralha (e foi mesmo) dois erros crassos da arbitragem. O Gabriel Jesus atinge o Réver primeiro e toma a bola no desequilíbrio deste. Além disso, como a bola não saiu da área durante o tiro de meta o lance deveria ter sido paralisado e mandado repetir a cobrança.
    Seria uma maravilhosa partida que nos deixa convicto que o Flamengo venceria (quem tira um Diego no primeiro tempo e mantém Guerrero no banco se não por necessidade tática?).

    Mas o STJD e a CBF conseguiram. Perde o futebol.

    • André Kfouri

      1) a falta foi clara, com certa dose de violência e interrompeu um ataque promissor. Cartão amarelo obrigatório.

      2) sim, houve erros graves do árbitro nessa jogada. O primeiro deles foi não mostrar cartão amarelo para o Réver.

    • André Kfouri

      1) falta clara, com certa dose de violência, que interrompeu um ataque promissor. Cartão amarelo obrigatório.

      2) sim, houve erros do árbitro nessa sequência. O primeiro deles foi não mostrar cartão amarelo para o Réver. https://t.co/t7LPmBQmmK

      • Paulo Pinheiro

        Sobre o cartão do Rever confesso que desconhecia que isso representaria uma punição disciplinar (seria seu único cartão na partida). Mas sabia que a jogada não poderia seguir e – acima de tudo – que foi falta clara do G. Jesus.
        O vídeo como um todo só reforça minha tese: o Palmeiras é que deu os cartões para o Márcio Araújo. A imagem que ele apresenta do primeiro cartão não favorece, mas a câmera pelo outro ângulo já mostra que o Márcio Araújo toca a bola antes do choque. O Gabriel “bateram-na-minha-cara” Jesus valoriza pra caramba. E no segundo cartão – como o Zé Elias bem explicou – foi totalmente cavado. Ele dobra os joelhos antes do choque. Simplesmente o Palmeiras marcando território e dizendo que ali quem apita são eles.
        O único lance passível de interpretação de cartão pra mim é justamente o que não foi. Interpretação porque claramente ele tropeça. Mas cabe ao interpretador dizer se a imperícia (não foi imprudência, como falou o Sálvio) é culposa.
        A comemoração da expulsão foi mais efusiva do que a do próprio gol do Palmeiras. Aquela era a missão deles: prejudicar o Flamengo pra não perder a partida.

  • Ailton Souza

    Caro AK

    Pelas análises táticas de pós jogo, mostrando qual intenção e efeito desejado na partida e com resultado positivo quase sempre, pode ser dizer que Zé Ricardo é o melhor treinador do Brasileirão de 2016?

    Abraços

  • Ailton Souza

    Caro AK

    Pelas análises táticas de pós jogo, mostrando qual intenção e efeito desejado na partida e com resultado positivo quase sempre, pode se dizer que Zé Ricardo é o melhor treinador do Brasileirão de 2016?
    Qual o melhor treinador até o momento?

    Abraços
    PS: Taticamente que foi melhor Flamengo ou Palmeiras?

    • André Kfouri

      Não (Dorival Júnior). Flamengo, claramente.

  • Ailton Souza

    Caro AK

    A convocação do Muralha foi merecida ou Tite já está entrando na relação dos treinadores que fazem convocação que todos desconfiam da sua real intenção?

    Abraços

MaisRecentes

Futilidade



Continue Lendo

Incoerente



Continue Lendo

Sozinho



Continue Lendo