The Strongest 1 x 1 São Paulo



1 – Da escalação à postura no início, ficou evidente a pretensão do São Paulo de controlar o The Strongest em La Paz. Ganso ficou no banco provavelmente porque a ideia era exercer controle sem a bola, proposta que exige uma disposição a defender que ele não tem. A questão era o que o São Paulo faria quando tivesse posse.

2 – Os dois primeiros chutes na direção do gol de Denis subiram demais, dispensando o trabalho do goleiro são-paulino. Quatro, por vezes cinco jogadores do time brasileiro vigiavam a região frontal da área, com clara atribuição de evitar finalizações de longe.

3 – Cartão amarelo para Denis, por demora na reposição de bola. O São Paulo tentava apressar o relógio, mas o jogo ainda não tinha meia hora de vida. 

4 – Quando alcançou essa marca, o The Strongest vencia por 1 x 0. Bola erguida na área, Denis saiu com medo e Cristaldo mandou para o gol. Falha de Denis, falha de posicionamento, falha no planejamento inicial.

5 – O gol não alterou a dinâmica do encontro. O The Strongest seguiu atacando e o São Paulo, sem conseguir atacar. Mas a retribuição da falha defensiva provocou a igualdade. Calleri aproveitou a diferença de tamanho entre ele e seu marcador para cabecear. O empate livrou o São Paulo da pior situação imaginável: ter de buscar um gol no segundo tempo, quando o futebol na altitude ganha uma dimensão ainda mais assustadora.

6 – Kelvin por pouco não virou, em jogada individual. Dentro da área, a batida de pé esquerdo passou por cima do gol. Bola leve? Só ele pode dizer.

7 – O cronômetro voltou a ser tricolor, o que manteve Ganso no banco. Ele fatalmente seria chamado a entrar se a sorte não colaborasse com o São Paulo na primeira ocasião de perigo na segunda metade. A troca de passes acionou Alonso, desmarcado, frente a frente com Denis, mas um escorregão prejudicou o chute.

8 – Aos 15 minutos, a fadiga se instalou no time de Bauza, incapaz de manter a posse ou sair de seu próprio campo. Curiosamente, Denis ainda não tinha sido obrigado a nenhuma defesa em chute de longa distância.

9 – Caramelo em campo aos 19 minutos, no lugar de Bruno, completamente exausto.

10 – Ganso em campo aos 22 minutos, no lugar de Michel Bastos.

11 – Alan Kardec em campo aos 30, no lugar de Calleri.

12 – Brutal o aspecto fisiológico. Para alguns jogadores do São Paulo, o jogo se desenvolvia em câmera lenta. Mas o time boliviano insistia em chegar tocando, sem forçar Denis a trabalhar. Excelente postura dos defensores do São Paulo.

13 – Denis expulso pelo segundo amarelo, de novo por cera, já nos acréscimos. Maicon obrigado a ir para o gol. Um jogador de linha vestindo luvas representava a última chance para o The Strongest. A questão era se haveria tempo para um chute.

14 – Tempo até havia, mas nenhum chute houve. Duas bolas chegaram à área pelo alto, competentemente defendidas por Maicon. O zagueiro-goleiro garantiu a classificação do São Paulo de maneira insólita.



MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo