No LANCE! de hoje



PONTOS E ESPÍRITO

1 – O primeiro efeito da presença do público no Morumbi foi garantir que o São Paulo começasse o jogo na temperatura certa. A postura do time, questionada em ocasiões neste ano, não teria como ignorar um apoio tão representativo.

2 – O segundo passo era encontrar o equilíbrio entre a vibração dos grandes encontros e a concentração para jogar da maneira certa. O adversário não era meramente um time argentino, mas o River Plate.

3 – Chance para um gol antes dos vinte minutos, no escanteio cobrado por Ganso e desviado por João Schmidt. A ideia era o desvio na primeira trave para a conclusão de um companheiro, mas a bola entraria se não fosse a intervenção do goleiro Barovero.

4 – Saboroso gol para Calleri, aos vinte e oito. As costas de Ganso consertaram o domínio defeituoso do argentino na área, em uma tabela involuntária. A bola ficou na medida para o chute forte, que entrou mesmo após o desvio do goleiro. O coração azul e amarelo de Calleri vibrou duplamente.

5 – Bom primeiro tempo de Hudson.

6 – O São Paulo teve problemas com a pressão argentina no reinício. Mas como acontece nas noites que já estão escritas, uma reviravolta se deu de repente.

7 – Calleri dobrou a vantagem aos quatorze minutos, completando a cobrança de falta de Michel Bastos. Logo depois, uma falta violenta de D’Alessandro em Bruno condenou o River no jogo. Vangioni chutou a bola no são-paulino, no chão, e ainda deu um tapa na cara de Calleri, quando a confusão se fez. Cartão vermelho.

8 – A primeira atitude destemperada, frise-se, foi de D’Alessandro. Carrinho por trás, sem dó.

9 – Uma falha de Dênis em jogada aérea permitiu um gol ao River e certa dúvida quanto ao resultado, nos minutos finais. Também porque João Schmidt levou o segundo amarelo, eliminando a vantagem numérica.

10 – Conduzido por Ganso, o São Paulo navegou até o último apito sem maiores sustos, fechando uma noite valiosa em pontos e em espírito.

QUEDA…

A eliminação do Barcelona da Liga dos Campeões da Uefa nos relembra como é difícil ganhar o torneio europeu. Conquistá-lo em anos seguidos, então, é um projeto insano. Mesmo no caso dos times que parecem muito superiores aos outros, basta um momento de desequilíbrio e o adversário errado para o futebol mostrar como as coisas funcionam. E é bom que seja assim.

… BRUSCA

O problema do Barcelona é uma crise de jogo, que passa pela queda de desempenho do trio sul-americano (que não retornou da data-Fifa) e, também, pela falta de lucidez dos outros. Até o clássico com o Real Madrid, os temas eram a invencibilidade e o segundo triplete. Agora até o Campeonato Espanhol está sob risco, pois com o nível atual, não há nenhuma garantia.

(publicada em 14/4/2016, no LANCE!)



  • nilton

    Eu ia falar da data FIFA, mas você rematou todo o meu pensamento em poucas palavras.
    Será que esta temporada será do Atlético de Madrid?? o Guardiola já esta se preparando e pedindo atenção total. E o Barça tem 3 pontos de frente, mesmo que só pegue time que esta abaixo do 10º até o final da campeonato, se o tri não voltar o Atlético pode por as asinhas para cima do espanhol.

MaisRecentes

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo

Feliz Natal



Continue Lendo