CAMISA 12



 

(publicada em 17/3/2016, no Lance!)

DEL NERO DEVE

Em 29 de maio do ano passado, após abandonar suas obrigações no congresso da Fifa e retornar ao Brasil, Marco Polo Del Nero contou por que tinha deixado Zurique às pressas. “Resolvi partir da Suíça para o Rio de Janeiro (…) e dar as explicações necessárias não só às autoridades, mas à imprensa do Brasil”, disse o presidente da CBF, em entrevista na sede da entidade.

Em 17 de setembro, quando a Seleção Brasileira foi convocada para a segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018, as ausências de Del Nero nos compromissos do time no exterior já chamavam a atenção. Eis o que o Marco Polo que não viaja respondeu quando foi questionado sobre a repentina fobia de voar: “Nós estamos tratando aqui da convocação da Seleção Brasileira. Em momento oportuno falarei sobre esse assunto”.

O “momento oportuno” foi lembrado na convocação seguinte, em 22 de outubro, quando um repórter quis saber se Del Nero viajaria a Buenos Aires para Argentina x Brasil. Um assessor de imprensa da CBF interrompeu a pergunta, mas o jornalista insistiu, refrescando a memória do cartola sobre as declarações que ele prometeu. Com o semblante constrangido, Del Nero optou pelo silêncio. Foi sua última entrevista.

Em 16 de dezembro, já indiciado pela Justiça dos Estados Unidos e licenciado da CBF, Del Nero depôs na CPI do Futebol e disse que seus advogados o aconselharam a não viajar ao exterior. Quando o senador Romário perguntou se ele tinha medo de ser preso, Del Nero respondeu com um inexplicável “não sei”.

Agora quem cobra Del Nero é a Fifa, que acionou a Justiça americana para reaver cerca de 20 milhões de reais dos últimos três presidentes da CBF. A entidade afirma que Del Nero, Ricardo Teixeira e José Maria Marin “grosseiramente abusaram de seus cargos de confiança para enriquecimento”, e quer de volta o que pagou a eles em salários, bônus e benefícios.

Del Nero deve explicações a você. Del Nero deve dinheiro à Fifa. Del Nero deve estar preocupado.

PARA FRENTE

Esplêndido e inesquecível Bayern x Juventus, pela Liga dos Campeões da Uefa. Perdendo por 2 x 0, o time menos alemão da história do Bayern empatou como germânicos e, na prorrogação, venceu como latinos. Jogando sem zagueiros a partir do segundo tempo, fez quatro gols na melhor equipe italiana, perita em se defender. O futebol ultraofensivo prevaleceu.

SOBRE ONTEM

São Paulo muito mal, Corinthians bem, Atlético Mineiro muito bem. O placar foi o mesmo, mas quem viu o São Paulo contra o River Plate não reconheceu o time contra o Trujillanos. O Corinthians não brilhou na vitória sobre o Cerro Porteño, mas foi sério e não correu riscos. O Atlético fez um primeiro tempo fortíssimo diante do Colo Colo, e venceu com sobra.



  • José Henrique

    E como eu previ aqui no blog, não se vê nenhuma faixa “Não vai ter olimpíadas”, e tampouco há queixas exaltadas sobre hospitais no Rio de Janeiro. Dá prá perceber claramente o oportunismo seletivo em relação a Copa. Uma triste constatação.

MaisRecentes

Futilidade



Continue Lendo

Incoerente



Continue Lendo

Sozinho



Continue Lendo