CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

PRÉ-TEMPORADA

1 – O plano era poupar Neymar da virilidade de um time que não alivia nas divididas, e brindar o público gaúcho com a entrada do astro quando os hondurenhos estivessem desgastados. A Seleção Brasileira teve de se virar sem seu principal jogador, uma situação indesejável, mas para a qual precisa estar preparada.

2 – As jogadas ensaiadas do Brasil em cobranças de faltas perto da área só não surpreenderam mais do que a postura de Honduras, marcando alto e dificultando a saída da Seleção desde o campo de defesa. O último amistoso antes de uma competição costuma servir para animar, estimular. Mas por cerca de vinte e cinco minutos, as sensações foram bem diferentes.

3 – A “ola” chegou ao Beira-Rio aos 28 minutos. Filipe Luis fez uma falta violenta aos 30. A torcida pediu Neymar enquanto o meia hondurenho Boniek García recebia atendimento, mas a solicitação logo foi substituída por comemoração. O Brasil aproveitou a superioridade numérica para acelerar e construir o gol de Firmino, aos 32.

4 – O ataque ao espaço é uma das virtudes da Seleção de Dunga. Com um jogador a mais, a tarefa fica consideravelmente mais simples.

5 – Neymar surgiu depois do intervalo, quando a chuva apertou em Porto Alegre. Foi recebido com duas faltas de boas-vindas. Mas a cada vez que um jogador caía no gramado com cara de sofrimento, era alguém vestido de branco. A Seleção não pecou por timidez.

6 – Após duas finalizações no início, Honduras não viu a bola no segundo tempo. O Brasil tentou se mostrar incomodado pelo placar econômico. Deveria ter aumentado a vantagem, mas não mereceu o esboço de vaia que se ouviu nos últimos minutos e após o apito final.

7 – A satisfação da noite foi não ter perdido nenhum jogador por lesão. A Copa América só começa no domingo, com o primeiro jogo oficial depois da Copa do Mundo, que encerra a pré-temporada de Dunga.

CALMARIA

Dunga considera as Eliminatórias para a Copa de 2018 (seja onde for) a prioridade de seu trabalho. Além de uma obviedade, é possível que a declaração tenha o propósito de aliviar a pressão sobre os jogadores que estarão na Copa America. A crise na FIFA ajuda. Na lista de preocupações atuais de Marco Polo Del Nero, os resultados da Seleção mal aparecem.

SELEÇÃO

Mascherano, Pastore, Di Maria, Aguero, Lavezzi, Tevez, Higuaín, Messi. Nos nomes, nenhum time desta Copa América tem tanto potencial quanto a Argentina. E nenhum outro elenco tem tantas opções para fazer um time. Como jamais lhes falta compromisso com a camisa, é correto dar aos vice-campeões mundiais o rótulo de favoritos nos gramados chilenos.



  • Matheus Brito

    Quando a “ola” chega…. enfim, que joguinho chato. discordo de você com relação às vaias. Neymar por exemplo, que é o melhor jogador Brasileiro desde os Ronaldos, entrou sem compromisso com o jogo, entrou mais buscando as firulas, e acho que foi isso o fez ser alvo das vaias.

    Argentina: Esse time tem um potencial monstruoso e já mostrou na Copa que sua maior deficiência, a defesa, tem jeito. Na Copa eles tinham um ataque vindo de lesões e de uma temporada não tão boa. Messi e Aguero estavam muito longe de sua melhor forma, e ainda perderam Di Maria, além das inexplicáveis ausências de Tevez e Pastore. É time pra fazer bonito.
    AK, faz quanto tempo que não vemos tantos times fortes numa Copa América? Se o Suarez estivesse aí eu colocaria 6 seleções como candidatas ao Título: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Uruguai e México. Usando um termo muito utilizado nos últimos anos, essa pode ser a “Copa das Copas” América.

  • Juliano

    Li aqui neste diário que Neymar não concentrou com a seleção (mesmo tendo chegado antes da delegação à Porto Alegre), e o pós-jogo foi no Radisson com direito a festinha, além de não ter cumprimentado a torcida ao final do jogo. Ser diferente dentro do campo, fruto do seu talento e dedicação, não lhe dá o direito de ser diferente fora de campo. Agora, se a CBF e o ‘sargentinho’ Dunga permitiram, só evidencia o tamanho da bagunça que é a CBF mesmo com assuntos menores. Que se apresentasse depois, que não jogasse quarta-feira (compreensível pelo final da temporada europeia e da final disputada no ultimo sábado) mas que, depois de apresentado, não tenha regalias e permaneça junto ao grupo.

    Uma lástima o corte de Danilo, prestes a começar a competição. Imagine o que passa na cabeça do jogador, diante do time B do México… isso ajuda a compreender o desinteresse na partida de quarta-feira.

    Outra lástima é a punição “exemplar” da dona FIFA que tratou Suarez como criminoso e suspenso que ainda está não disputará a competição. Além do atleta e sua seleção, aqueles que gostam acabam punidos juntos. É, FIFA, está tudo invertido…

    E se essa Argentina “der liga”, vai ser boa de assistir. Lionel estará em muito boa companhia, finalmente. No papel nenhuma seleção da América é páreo, e se o Brasil cruzar seu caminho é bom cuidar pra não fazer outro vexame.

    Abraço!

  • Bom, toda Copa América e copa do mundo é isso. Argentina favorita, Argentina isso, Argentina aquilo, Argentina “assume” que é favorita, etc. Na copa do mundo de 2002, eram tantos astros que quase entregaram a “Taça” antecipadamente aos Argentinos. Em campo, as “estrelas” caíram na primeira fase. Copa América de 2007 foi a mesma história. Só se falava em Argentina, o Brasil vinha de um grande fiasco na Copa do Mundo com a seleção mais “apática” que eu já vi (até aquela copa). E ganhamos a Copa América com um sonoro 3X0 na “Argentina”. Era a primeira competição oficial da “primeira Era Dunga”. Não podemos saber o que vai acontecer, mas esse filme de ARGENTINA FAVORITA eu vejo há muito tempo.

    • Matheus Brito

      Tem razão, eles insistiram em perder para o Brasil em períodos onde eram muito favoritos, mas essa seleção tem algo diferente, tem Messi.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo