CAMISA 12 



(publicada ontem, no Lance!)

F(utebol) B(em) I(nvestigado)

Imagine-se um cartolão do futebol sul-americano, que sempre tratou o jogo como propriedade particular. Algo como a sua própria máquina de imprimir dólares. Você está hospedado em um hotel cinco estrelas suíço, onde os funcionários o tratam como um chefe de estado. O cheiro e os sons do poder alimentam a sensação de que será sempre assim, pois, afinal, sempre foi.

Até que no raiar de uma manhã de quarta-feira, ao olhar para o criado-mudo para checar que horas são, você se dá conta de que o barulho que o despertou é alguém batendo na porta do quarto. Quem ousa incomodar tão cedo um dos donos do futebol? Irritado, você resmunga alguma coisa. A resposta é suficiente para acordá-lo de vez: é a polícia, trazendo um dia que você jamais imaginou que viveria.

O telefone do quarto toca. É a funcionária da recepção, a mesma que diariamente elogia o penteado de sua mulher. Dessa vez a mensagem tem outro tom: “senhor, estou ligando para dizer que precisamos que abra a porta, ou teremos de derrubá-la”. E assim, sem aviso, você se percebe na cena final de filmes sobre mafiosos, aquela que representa o encerramento de um modo de viver, quando só resta perguntar: “posso me vestir?”.

Os educados policiais suíços explicam o que está acontecendo. Trabalham em cooperação com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em uma operação coordenada pelo FBI. Há provas, muitas provas contra você, e um mandado de prisão. Seus advogados não podem ajudá-lo agora. Seus amigos não são mais seus amigos. Seu estilo de vida de ordens, excessos e gargalhadas sofreu uma abrupta interrupção. Você terá de ir com eles.

Um carro no subsolo, uma saída discreta, um lençol para evitar a imprensa. São os únicos favores que o estafe que sempre o mimou com delicadas surpresas pode oferecer agora. Eles o querem longe o quanto antes, evitam o contato visual. Você se sente como um fantasma. Em certo aspecto, é no que você se transformou.

AÇÃO

A Polícia Federal esteve ontem à noite nas sedes da Klefer e da CBF, no Rio de Janeiro, com mandados de busca e apreensão de documentos. O envolvimento de dirigentes e empresários brasileiros em crimes descritos no relatório do Departamento de Justiça dos EUA é tão escancarado que as nossas autoridades não podem deixar de agir. Que seja apenas o começo.

COMÉDIA

As notas oficiais divulgadas pela CBF são tão bizarras que sugerem que a comunicação da entidade foi sequestrada por um humorista. A confederação afastou José Maria Marin depois que a FIFA o baniu, e quer se distanciar do cartola preso como se ele vivesse em um passado distante. Seria interessante que alguém no edifício Marin lesse o relatório da investigação.



  • Tarso Holanda

    André, cansei de elogiar seus posts. Estou à espera do livro. Ficção ou não. Tanto faz!

    • Klaus

      Faço eco! Não é pressão, nem desespero: o livro seria apenas o golaço em final de UCL, o título mundial em casa, a chance materializada da reverência.

      Eita porra, ficou bonito isso. Pense com carinho. 🙂

      Um abraço!

  • Grisalho

    O que me chama a atenção de tudo isso é que a amizade entre Marco Polo Del Nero e Marin…comovente. No dia que Marin foi preso, Del Nero disse que não tiraria conclusões precipitadas…ou algo assim. Amigo…não muito, mas pelo menos deu o direito da dúvida a Marin. No dia seguinte, o nome do Marin foi sumariamente RETIRADO da fachada da CBF…Ai sim, Del Nero mostrou que é AMIGO do Marin. Daqueles que podemos confiar, que não foge da raia….Quem precisa de inimigos??

    • Ricardo

      Amigos, amigos. Negócios à parte.

  • Juliano

    Um deleite, em todos os sentidos. Que isso tudo avance até as últimas instâncias.

    Romário deu duras declarações na Câmara, e em determinado momento disse: “uma pena que não foi a polícia brasileira que prendeu, mas alguém iria ter de prendê-lo um dia, parabéns ao FBI e à polícia suíça”. Discordo. Se fosse preso pela nossa polícia, estaria solto horas depois, com pagamento de fianças, com habeas corpus, o que fosse. E da detenção ao julgamento passariam anos, como no “mensalão”, mal comparando. Ainda que peixes grandes foram presos naquele caso, hoje vemos os Josés Genoino e Dirceu soltos, como se nunca houvessem cometido crime algum. Por essas e outras imagino que por aqui continuaria na mesma impunidade de sempre.

    Agora, isso tudo muda, como bem observado na notinha AÇÃO. É uma vergonha gigantesca, não terão como não agir. Que façam a limpa – apesar de ter motivos para duvidar e temer a impunidade novamente.

    Marin está sozinho, nem advogado a CBF disponibilizou a ele. Só tem sua mulher e a Conmebol nesse momento. Unidos no roubo, desunidos na fuga. Momento oportuno para mudar o nome do prédio da CBF – e que não seja para Del Nero ou Teixeira.

    Queria entender o que leva um senhor gagá que já passou dos 80 continuar na vida do crime. Não viverá o suficiente para usufruir tudo o que sua ganância captura. Talvez seja questão de vício, pois precisava roubar uma medalha (??) da Copinha (???) ou a energia elétrica do vizinho?? Questão de hábito. O mesmo para João Havelange, que institucionalizou a corrupção na FIFA. Teixeira e Del Nero, outros velhos babões. No caso destes repugnantes senhores o crime já compensou, pois passaram a maior parte de sua vida ativa gozando de luxo e prazeres às custas de seus crimes. Que bom que não acaba aqui.

    AK, como palpite, qual a chance da FIFA chegar no Blatter e fazer o mesmo??
    Não tenho muita confiança na investigação da PF, já que no fim dos anos 90 e início dos 2000 nada aconteceu após a CPI CBF-Nike e há alguns anos ele vive no luxo de Boca Ratón…

    Que pena o Figo ter retirado a candidatura… faltou timing.. vai que…

    Abraço!!

    • José Henrique

      O que seria de nós leitores do blog sem a sua participação sempre abrilhantando os textos do André?
      Acréscimos realmente significativos, que valorizam sobremaneira os temas discutidos.

      • Juliano

        De fato, Jose Sapiente, acho mesmo que eu deveria comentar menos, como faço durante alguns períodos, e em outros comento mais. E novamente é fato que não são acréscimos significativos, muitas vezes longe disso, em outras são pequenos desabafos, como neste caso onde imagino que todo brasileiro deva estar vibrando. Ao menos eu me limito a comentar somente o que está sendo debatido, e não posto devaneios de uma mente perturbada e enviesada no “meu-clubecentrismo do coração” de alguém que tem uma relação miserável com o esporte bretão. Ao menos, este ridículo eu não passo. Isso eu deixo para você. Passar bem.

        • José Henrique

          Não entendi. Qual devaneio meu especificamente você se refere?

    • Matheus Brito

      Li umas mensagens do Antero Greco no Twitter que faziam a mesma pergunta: Por que uma pessoa assim, perto do fim da vida, continua a querer acumular dinheiro sabendo que não irá usufruir do mesmo. Um absurdo sem tamanho.

  • José Henrique

    Lembro muito bem quem boicotou e esvaziou a Cpi do futebol em um passado não muito distante. Aliás todo mundo sabe, mas foram seletivamente “esquecidos”. Espero que agora não durmam muito bem.

  • Eduardo Pieroni

    Não deveriam colocar um novo nome ao prédio da CBF , e sim uma frase..

    Seus trouxas vocês acreditam no futebol !

    Só vou em campeonato do meu filho na escola agora

    que nojo

  • Matheus Brito

    Vou repetir aqui a frase que disse no Twitter: Uma manhã de quarta feira iniciando assim é tão revigorante que eu quase volto a acreditar na humanidade.
    Que cheguem no Eurico, FBI, não esqueçam dele.

  • RENATO77

    “comemore com moderação”.
    http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2015/05/29/especialista-alerta-sobre-reais-interesses-dos-eua-em-operacao.htm
    Interessante. Antes de tudo, “bizinis”. Não há moralidade, há interesses.
    Abraço.

    • José Henrique

      Renato. Já pensou, diante das sanções econômicas que os EUA atualmente vem impondo à Rússia, as empresas americanas Nike e outras, TVS, etc, transferindo recursos de patrocínio para o Puttin?
      Tem razão. comemoremos com moderação mesmo. Acostumados é a intervenção americana quando os seus cidadãos estão em risco, no caso parece que o risco é ao capital de suas empresas.

  • José Henrique

    O jogo de interesses muitas vezes ultrapassa nossas imaginações. É sabido que a Inglaterra joga suas fichas todas para sediar uma copa. Não esconde a sua insatisfação quando é preterida. O que esse país através de jornalistas difamou a copa no Brasil foi uma grandeza. Até cartilha absurda publicou.(quem pagou essas cartilhas, e porquê?). No entanto é um país que abriu seus clubes para o capital aos bilionários russos oriundos da extinta URSS. Se, o Fbi, quer mesmo acabar com isso tudo, pode se aventurar no país de seus aliados ingleses. Só que, o assunto que é tratado como uma chacota, por envolver países de segundo mundo como nós Sul americanos, talvez não tenha a mesma repercussão jocosa ante a poderosa Rússia. É daí, bom e daí talvez depois do riso venha o choro do mundo todo. Tomara que essa teoria conspiratória, seja apenas mais uma afinal.

  • Alisson Sbrana

    Brilhante.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo