COLUNA DA TERÇA 



(publicada ontem, no Lance!)

CAMPEÃO DE NOVO

1 – Movimentos iniciais previsíveis: Santos mais empolgado e ousado, por estar em casa e obrigado a construir o caminho para o título. Palmeiras preparado para suportar e reagir.

2 – O Palmeiras equilibrou a balança quando Valdivia passou a se envolver mais no jogo e menos nas provocações que hoje em dia marcam quase todas as bolas divididas em clássicos. 

3 – Quatro cartões amarelos em menos de meia hora de jogo. O futebol é um esporte de contato natural e de contatos propositais. Aí está uma das origens do espetáculo teatral com o qual somos brindados a cada rodada.

4 – Robinho deu um gol para um zagueiro marcar. Discreto toque lateral para oferecer a honra a David Braz, prova de que o jogo é feito de gestos simples. A participação de Robinho eliminou a possibilidade de defesa do lance, foi 80% do gol.

5 – O capitão santista também fez parte do segundo gol ao desviar a bola para Ricardo Oliveira. O que houve depois teve a bênção da sorte e o carimbo da capacidade do artilheiro. A disputa com Vitor Hugo teve o efeito de um drible, pois a bola bateu em Ricardo e se ofereceu mais à frente, limpa. A calma diante do goleiro é própria dos melhores goleadores.

 Dudu foi o único agressor na briga por posição com Geuvânio, que gerou cartões vermelhos antes de uma cobrança de falta no ataque do Palmeiras. Não se compreende a expulsão do santista. O empurrão proposital no árbitro certamente agravará a situação do atacante do Palmeiras.

 Ao derrotar clubes rivais na concorrência pelos serviços de Dudu, o Palmeiras sabia que estava adquirindo um jogador de temperamento problemático.

 Vladimir manteve o placar em 2 x 0 com duas defesas que merecem elogios, especialmente ao negar a Zé Roberto o que seria um belo gol de fora da área. Mas o goleiro santista não conseguiu evitar que o toque de Lucas ultrapassasse a linha, no lance que recolocou o título em disputa.

9 – Magistral lançamento de Valdivia.

10 – O gol palmeirense frustrou os planos do Santos de aguardar o contragolpe para encerrar o debate. Até Victor Ramos ser expulso e deixar o Palmeiras em desvantagem numérica com quinze minutos por jogar.

11 – Neste período, a arbitragem salvou a própria atuação ao não validar um gol (do Palmeiras) em impedimento, aos 43 minutos do segundo tempo. E Fernando Prass salvou seu time ao evitar mais um gol de Ricardo Oliveira na Vila Belmiro.

12 – Faltou dizer: Robinho foi substituído nos minutos finais de uma decisão que tomava o rumo dos pênaltis.

13  Nas cobranças, faltou ao Palmeiras a execução perfeita das semifinais. A perfeição ficou ao lado do Santos, que teve a contribuição de um goleiro que não se incomodou com o peso da camisa e ainda guardou o talentoso Lucas Lima para o pênalti decisivo. 

14 – O que aconteceu no segundo tempo do jogo de ida permanecerá como um comentário obrigatório sempre que se lembrar dessa final. O Palmeiras esteve a um pênalti de desequilibrar o confronto, mas permitiu que o Santos escapasse de uma missão desesperada na partida de volta. 

15 – Robinho comemorou um título pela primeira vez jogando na Vila Belmiro; Ricardo Oliveira recuperou seus melhores momentos; Geuvânio e Lucas Lima sentiram um gosto que será frequente em suas carreiras; Vladimir literalmente defendeu a chance que recebeu com aparições cruciais. Marcas do Santos campeão paulista, frase que seria interpretada como exagero no início do ano, e que, ao final do torneio, só pode ser lida com merecimento e aplausos.



  • Marcelinho

    André,

    Quais jogadores de Palmeiras ou Santos você acredita que teriam condições (hoje) de atuar em grande nível na Europa (nos principais clubes)?

    Explico a pergunta. O nível vem caindo, André. Em 2002, ano em que o Brasil venceu a última Copa do Mundo, tivemos a seguinte final Estadual (que na época foi o Rio-SP):

    Corinthians: Dida, Rogério, Fábio Luciano, Ânderson, Kléber; Fabrício, Vampeta, Ricardinho; Deivid, Leandro (Renato), Gil (Fabinho).

    São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Reginaldo, Jean, Gustavo Nery; Fábio Simplício (Júlio Baptista), Maldonado, Adriano (Souza), Lúcio Flávio (Rafael); Kaká, Reinaldo.

    Obs.: 6 jogadores estavam no time pentacampeão.

    • Edison

      sei que a pergunta não foi para mim, mas vou responder mesmo assim. na minha modéstia opinião, hoje, nenhum dos jogadores que disputaram a final teriam condições de atuar na europa.
      quem pode vir a atuar na europa em alto nível, pois são novos e podem evoluir, acho que o Gabriel (Palmeiras) Lucas Lima e Geuvanio (Santos). os veteranos já deram o que tinham que dar e os demais não vejo potencial.

  • Ricardo Trevisan

    Parabéns pelo texto e ao Santos pelo título. Aproveito pra parabenizar o Esporte Clube Água Santa, time de várzea até 3 anos atrás, que conseguiu 3 acessos consecutivos, e agora disputará a série A1 do Paulista 2016. Orgulho por ser o time de onde eu moro, o time da vila.

  • Joao CWB

    E sobre o Operário André, nada?

    Abraço.

    • Ricardo Trevisan

      Pela primeira vez em 103 anos de história, o Operário conquistou o título do Campeonato Paranaense e um jogador não comemora seu gol por ter jogado no adversário. É de uma insensatez sem tamanho, também deveria abrir mão de estar na foto dos campeões, fazendo o serviço completo de desrespeito à sua torcida e ao clube que paga seu salário.

    • Nilton

      Joao CWB, se você prestar atenção este post e a maioria dos outros post anteriores são apenas republicação das colunas do jornal Lance, e neste jornal o André é contratado, especialmente, para falar dos times de São Paulo.

      Sinto saudade da época em que o Andre sempre fazia postagem própria para o blog sobre o que acontecia no esporte como um todo e no mundo todo.

      Não sei se é por força de contrato que ele parou ou por não ter tempo ou por não ter mais a mesma paciência de ficar aguentando os troll.

  • Juliano

    Excelente!

    Robson joga muito no Santos, joga pouco na Europa. Futebol daqui está nivelado por baixo.

    6- Ah, bom! Porque no jogo de ida, a falta dupla foi anotada como se fosse só do santista, com atraso, dentro da área e com expulsão. Agora, a falta simples foi anotada como falta dupla e dupla expulsão. Vai entender. Estes são os apitadores do Brasil…

    9- Sensacional passe. Valdivia poderia ter se concentrado em fazer passes assim a carreira toda, mas ele é mais chegado em polêmicas.

    11- Prass se agigantou, tem muito mérito, mas R. Oliveira não poderia ter perdido este gol. Romário, Neymar ou Ronaldo não perderiam. Talvez nem Robson. R. Oliveira perdeu como Damião costuma perder. Mas ainda está no lucro, pra cada um perdido, um feito, a conta com Damião no Santos seria de 2 perdidos.

    12- Com tão pouco para jogar no relógio e a disputa de penaltis se fazendo clara, não vi sentido em tirar Robson. Uma perna quebrada poderia explicar, fora isso, nada.

    13- D. Braz, G. Henrique e V. Ferraz. Jogadores da linha de defesa do Santos foram lá e confirmaram suas cobranças. L. Lima (quanto nome composto…) merecia fechar, está se tornando um grande jogador.

    SE, e apenas SE o Santos conseguir manter 80% deste time, ficará na metade de cima do Brasileirão. Mas não acredito, para manter Robson, vão mandar Gabriel, artilheiro do time em 2014, extremamente jovem e muito promissor, como moeda de troca. Manter Robson é ótimo, mas se desfazer de Gabriel é péssimo. Estranho o banco que ele vem amargando nestes últimos meses.

    Falando em Gabriel, quanta prata-da-casa em campo no título, hein: Robson e Renato (velhos sim, mas da casa), Vladimir (fundamental), G. Henrique (belo futuro), Geuvânio (fundamental), entre outros… não era pra um time com essa capacidade de formação de bons jogadores se encontrar em tamanha draga financeira. Bom pra Dolly, que pôde patrocinar o time campeão. Mais um pouquinho e o Santos se tornará o Botafogo do litoral…

    Abraço!!

    • edison

      12 – Robinho pipocou. simples assim. nada surpreendente.

      • Juliano

        edison:

        Gostaria de lembrá-lo que, em 2002, com 18 anos, Robinho bateu o penalti após as famosas pedaladas para fazer 1 a 0 com o estádio lotado em uma final de campeonato brasileiro. E assim se iniciou a história. Diferente de você, não acredito que ele tenha pipocado em um final de campeonato paulista jogando em casa com um estádio e torcida muito menores, e agora com 31 anos de idade.

        Mas cada um pensa e fala o que quiser, né?

        Abraço!

  • José Henrique

    Nota 10 para Modesto Roma Jr. :”Presidente do Santos, Modesto Roma Júnior apoia a medida por acreditar que os clubes ficarão mais fortalecidos a partir de agora, já que poderão negociar jogadores e receber 100% do lucro. Por outro lado, não é mais possível obter empréstimos de agentes e fundos negociando em troca parte dos percentuais de jovens jogadores.

    – Até o momento que as melancias se ajustarem na carroça, vai haver problema. Mas com o andar da carroça, as melancias se assentam. (A preocupação) É porque ainda acham que empresário tem que financiar clube. O clube tem de ter uma gestão responsável e não ser financiado por empresário – afirmou.”

    • RENATO77

      Acho quase impossível impedir a ação de investidores no futebol. Pelo menos indiretamente é bem difícil. Existem inúmeras maneiras “contábeis” disso ocorrer sem que a nova lei seja desobedecida, só terá que ser “contornada”.
      Abraço.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo