CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

FCB x FCB

Está marcado para a próxima quarta-feira um dos jogos de futebol mais atraentes dos últimos tempos: Barcelona e Bayern de Munique se encontrarão no Camp Nou, na primeira perna das semifinais da Liga dos Campeões da UEFA. O Barcelona dos atacantes contra o Bayern da posse, a volta de Pep Guardiola à Catalunha como adversário, o teste que determinará a avaliação da temporada de ambos os times.

Não há nada que possa corromper um confronto como esse, exceto, talvez, as peças que o futebol prega em si mesmo. Nesse caso, a noite de anteontem deslocou o pêndulo das forças para o lado catalão, o que não garante coisa alguma mas apresenta argumentos mais do que respeitáveis. No balanço das peças disponíveis, o Barcelona saliva e o Bayern coça a cabeça.

Seria um equívoco comparar o treino de luxo do time de Messi contra o Getafe com o que os bávaros enfrentaram ao receber o Borussia Dortmund. Não convém nem mesmo lembrar que o jogo do Campeonato Espanhol terminou em 6 x 0 e a semifinal da Copa da Alemanha, em 1 x 1 (e vitória do Dortmund nos pênaltis). O ponto é o estado em que cada time despertou na manhã de quarta-feira.

Enquanto o Barcelona, livre de lesões, sorri com a chegada dos jogos mais importantes do ano, o Bayern perde jogadores como se o que resta do calendário não tivesse importância. Robben teve um problema muscular e não jogará mais nesta temporada, Lewandowski sofreu fraturas no rosto e é questionável para a próxima semana. Eles se juntam a Ribéry e Alaba na lista de titulares machucados.

No passeio contra o Getafe, em que só gols bonitos foram permitidos, o Barcelona exibiu um inegável mérito do técnico Luis Enrique: o rodízio de jogadores produziu um time saudável no momento mais valioso. A equipe tem mesclado seu tradicional jogo de controle, administrado pelos meiocampistas, com um futebodireto em que mandam os três atacantes sul-americanos. Uma combinação que assusta qualquer oponente, ainda mais os desfalcados.

MACHUCADO

As lesões reduziram as opções ofensivas do Bayern, que perdeu a configuração com dois pontas abertos e pode ficar sem uma referência de jogada aérea. O dilema que se apresenta é bem mais complexo do que o oferecido pelo Porto, na fase anterior. A favor dos alemães só o fato de já terem liquidado a Bundesliga, enquanto o Barcelona tem de correr no Espanhol.

REVANCHE

No confronto das semifinais em 2013, vencido pelo Bayern pelo placar combinado de 7 x 0, quem estava ferido era o Barcelona. Messi, Busquets, Puyol e Mascherano não puderam contribuir como gostariam. A história se repetirá com os problemas transferidos para o outro lado, o que é uma pena para quem gostaria de ver os dois times com o que têm de melhor.



  • João Henrique Levada

    O Bayern começará a disputa com o pé esquerdo. E não será o do Robben.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo