PRESENÇA



Um rápido comentário sobre a vitória do Corinthians (2 x 1 no Danubio: Guerrero, Felipe e Barreto) no Uruguai. 

Foi precisamente no momento mais complicado do jogo que o time de Tite elevou seu nível e se impôs na casa de um adversário, sim, bastante inferior. 

O Danubio era mais perigoso no início do segundo tempo, com a típica agressividade de mandante que dura alguns minutos. O pênalti em Elias deu ao Corinthians a chance de ficar em vantagem quando era mais pressionado. Renato Augusto bateu porque o primeiro cobrador, Fábio Santos, não estava em campo. 

Nesta situação, a decisão sobre o batedor normalmente é de Tite. Dois ou três jogadores estão preparados para a tarefa, à espera de uma ordem do técnico. Apesar das condições abaixo das ideais de Renato Augusto, a opção por ele foi correta pois a lesão no tendão não compromete a estabilidade ou o movimento do chute. Renato, simplesmente, errou. 

Paolo Guerrero poderia ter batido e aberto o placar, como se deu sete minutos após o pênalti, em jogada com Fágner pelo lado direito. 

O que Fábio Santos não pôde fazer por estar em recuperação de cirurgia, Guerrero fez no jogo em que voltou de suspensão. Mas o mais importante foi a postura do Corinthians logo depois que a bola chutada por Renato Augusto passou por cima do travessão: em vez de entrar em modo de proteção de um empate que não seria de todo ruim, intensificou a procura da vitória que manteve a campanha perfeita na fase de grupos da Copa Libertadores. 

Não se pode perder de vista, porém, que o Danubio é  um time frágil e o Corinthians que venceu o São Paulo na abertura do torneio ainda não voltou a se apresentar. 



  • José Henrique

    André. Estamos cansados de saber que na Libertadores quando se joga fora, não tem essa de time frágil. Vale tudo. As entradas que deram no Guerrero foram para quebrar.

  • RENATO77

    Embora Tite aparentemente tenha conseguido avanços, o time continua baixando a intensidade quando o confronto é contra equipes mais fracas. Vide o BR14.
    É dar sopa pro azar.
    Golaço do uruguaio.
    Pancadas além da conta em Guerreiro, e a arbitragem na Conmebol confirma a regra de tentar equilibrar a disputa no apito.
    Reitero que houve avanços, mas é bastante cedo pra apontar o SCCP como principal candidato a qualquer título na temporada. Tem elenco, treinador e estrutura. Não é tudo e outros 4, pelo menos, tem a mesma condição.
    Abraço.

  • lm_rj

    Andre, muito se tem falado aqui no rj sobre Fla e Flu revitalizarem seus estadios (gavea e laranjeiras, p/ 18mil/20 mil lugares).
    o maraca acabou, não existe mais, quem conheceu sabe, quem não conheceu, só através de fotos. Aquilo que construíram no lugar é uma excrescência, uma aberração. Se Fla e Flu revitalizarem seus estadios seguindo a tendencia atual do futebol brasileiro… Bye Bye maraca, talvez nem em classicos (porque o engenhao comporta classicos muito bem diga se de passagem), vai se tornar um mico na mão da odebrecht e do eike, o famoso midas ao contrario.

  • Renato Rocha

    Ao lm_rj

    Que carência a sua, hein amigo?!?

    E que recalque do “Maraca, hein.. mermão”?!

    André. .. vejo o Corinthians muito concentrado. . Muito centrado… muito próximo do Corinthians de 2012… mas ainda falta ser mais incisivo perto da área. .. fazemos bem as triangulações na intermediária do adversário…. mas vejo deficiência nas conclusões a gol. ..
    Quanto ao Guerrero, não podemos pagar o quê ele está pedindo. … mas merece!

  • Corinthians é favoritaço a vencer a Libertadores. Grande abraço, Anna.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo