O MONEYBALL NO FUTEBOL HOLANDÊS



O AZ Alkmaar anunciou nesta terça-feira a contratação de Billy Beane como “consultor de alta performance e inovação”. Beane é o gerente geral do Oakland Athletics, clube da Major League Baseball, que inspirou o livro “Moneyball” e o filme estrelado por Brad Pitt.

O interesse de Beane pelo futebol é antigo e conhecido por quem está familiarizado com sua história. Ele se apaixonou pela Premier League inglesa em 2003 (curiosamente o ano em que “Moneyball” foi lançado), quando levou sua mulher para passar o aniversário dela em Londres.

Desde então, acompanha o futebol inglês com a atenção de um fã, gravando jogos quando não pode assisti-los ao vivo. Não por acaso, admira a maneira como o Arsenal é administrado e dirigido por Arsène Wenger, com quem mantém contato ocasionalmente. 

Em conversa com o jornal “The Guardian”, no ano passado, Beane disse que adoraria trabalhar como executivo para um clube da Premier League após o final de seu contrato com o Oakland A’s, em 2019. Apesar da presença de empresários americanos como donos de clubes ingleses, que por motivos óbvios gostariam de aplicar as formas de detectar valor com as quais Beane revolucionou o beisebol nos Estados Unidos, a notícia de hoje mostra que é o futebol holandês quem verá o início dessa transição.

E não é nenhuma supresa que o AZ Alkmaar seja o clube em que esse processo começará. O quadro de profissionais que comanda o AZ é formado por ex-atletas de diferentes modalidades, em um ambiente que estimula o pensamento criativo como forma de diminuir as distâncias de orçamento. O clube investe em análise de dados e estatísticas de desempenho, de maneira semelhante à retratada em “Moneyball”. 

Esse tipo de gestão começou com Toon Gerbrands, que atuou como executivo no clube de Alkmaar de 2002 a 2014, quando foi contratado pelo PSV Eindhoven. Gerbrands foi jogador e técnico de vôlei. Foi ele o treinador que conduziu a seleção holandesa ao título europeu em 1997. 

O atual diretor geral do AZ é Robert Eenhoorn, que construiu sua carreira como jogador de beisebol. Entre 1994 e 1997, Eenhoorn jogou no New York Yankees e no Anaheim Angels. Sua passagem pelos Yankees deixou uma informação histórica: ele foi o último jogador a ser escalado como shortstop antes da estreia de Derek Jeter. Jeter, como se sabe, ocupou a posição de 1995 até se aposentar ao final da última temporada. Eenhoorn retornou a seu país para ser jogador e técnico da seleção holandesa de beisebol, classificando o time para os Jogos Olímpicos de 2004 e 2008. Ele começou a trabalhar no AZ no ano passado.

O americano Earnie Stewart, atual diretor técnico do AZ, foi jogador profissional de futebol na Holanda (onde nasceu, filho de um oficial da força aérea dos EUA e sua mulher holandesa) e depois na MLS. Stewart disputou a Copa do Mundo de 1994 pela seleção americana, marcando o gol da vitória sobre a Colômbia, na fase de grupos.

Teun de Nooijer, ídolo da seleção holandesa de hóquei na grama, trabalha no AZ Alkmaar como manager. Considerado o Pelé de seu esporte, ele tem quatro medalhas olímpicas no currículo: ouro em 1996 e 2000, prata em 2004 e 2012. O AZ o contratou após sua aposentadoria no hóquei, em 2014, para colaborar com o desenvolvimento de jovens jogadores.

Billy Beane prestará sua consultoria sem sair de casa, nos EUA, mas fará visitas frequentes a Alkmaar. O clima de trabalho no AZ promete alimentar ainda mais sua paixão pelo futebol.

(O blog agradece ao jornalista Joost de Jong por algumas informações contidas neste post)



  • Danilo Pimentel

    interessante a relação de Beane e Wenger, sempre vi semelhanças. No mais, ainda acho sua crítica ao filme no bom e velho MAIS GELO injusta. Gostei do livro e do filme. Abraço

  • Ricardo Trevisan

    Mas lembre-se, de acordo com o guru José Maria Del Nero ou Marco Polo Marin, como queira, o Brasil ainda é o país do futebol e conta com o respeito dos rivais. Onde vamos parar?

    AK: Na verdade, seria até bom se parássemos. Estamos andando para trás. Um abraço.

  • Grande André!

    É por posts como este que eu sempre acompanho este espaço. Interessantíssimo. Veremos nos próximos anos quais os resultados que o trabalho trará. Se o AZ chegar à Champions, por exemplo, já será um ótimo indicador.

    Abs!

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo