COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

IMPÉRIO DA BOLA

A FIFA avisou ao mundo do futebol que se prepare para uma Copa realizada nos dois últimos meses do ano. O fato de o evento acontecer apenas em 2022 serve à entidade comandada por Joseph Blatter de duas maneiras: há tempo suficiente para que providências sejam tomadas e todos se acostumem à ideia; e também há tempo para que se mude de ideia e o Mundial aconteça em outro lugar daqui a sete anos.

Porque a FIFA, se alguém ainda não percebeu, pode fazer o que bem entender não só com a Copa do Mundo – sua lucrativa festa quadrienal – mas com o que conhecemos como futebol profissional, seja onde for. A simples divulgação de que um grupo de estudos concluiu que, surpresa!, o clima no Catar na metade do ano é incompatível com a prática esportiva ao ar livre já é umrecado claro de que os tentáculos da “casa do futebol” não conhecem limites.

Pode parecer exagero se preocupar com algo que está tão distante (qual é a chance de você saber como será o seu final de ano em 2022?), mas a questão principal não é essa. O ponto é a FIFA fazer todos os esforços possíveis para realizar a Copa no Catar de alguma forma, e absolutamente nenhum esforço para corrigir o erro que cometeu ao escolher uma sede inviável. Não é preciso encomendar uma investigação para concluir que o processo de votação foi, com todo o respeito, “falho”.

Ademais, um Mundial em novembro e dezembro é uma aberração que dará razão aos espertos que vivem repetindo que “ano de Copa do Mundo é atípico”. Os calendários terão de se adaptar e ajustar suas competições à janela de realização do torneio, com todas as implicações que ela impõe. No que diz respeito à liberação de jogadores, por exemplo, pouco adianta o pedido de compensação financeira do bloco dos maiores clubes europeus e da Premier League inglesa. É possível que a dinheirama do Catar até seja usada para produzir sorrisos cínicos, mas o fato é que a FIFA não tem obrigação nenhuma de pagar ninguém.

Os estatutos que governam o futebol neste planeta são claros na proteção à Copa do Mundo, independentemente do período. De modo que a FIFA pode proibir que clubes utilizem seus jogadores, ou chegar ao extremo de punir as ligas que ousem erguer a voz. Os principais campeonatos europeus, que estão na metade quando o ano chega ao fim, terão de se reprogramar. No Brasil, a solução mais razoável seria antecipar o Campeonato Brasileiro, o que pode significar a saudável medida de diminuir os comoventes estaduais.

A aprovação para a Copa do Mundo acontecer no final de 2022 será submetida ao Comitê Executivo da FIFA, que se reunirá no mês que vem, em Zurique. O plano járecebeu o apoio público da UEFA, da CAF e da CONCACAF. A Confederação de Futebol da Ásia (AFC) pode ser adicionada à lista, uma vez que seu presidente, o xeique Salman Al-Khalifa, foi o dirigente que supervisionou o estudo sobre o calor no Catar. Neste momento, o único inconveniente no caminho é a investigação do FBI que tem Chuck Blazer, um gigante arquivo ambulante, como fonte primária.  

SEM GARANTIAS

A vitória do Botafogo no clássico contra o Flamengo renova os motivos pelos quais jamais cansaremos de ver futebol. Distâncias de orçamento e expectativa foram encurtadas no gramado do Maracanã, especialmente em um segundo tempo em que o time de Renê Simões mereceu vencer. Mesmo com um gol que não aconteceria se Paulo Victor tivesse voado para a bola.

CRESCENDO

Se ainda não viu, procure online o gol de Philippe Coutinho, na vitória do Liverpool (2 x 1) sobre o Manchester City. Não há possibilidade de ser tempo perdido. O gol decisivo não resumiu a atuação do jovem meia brasileiro, que roubou a bola que originou o primeiro gol do Liverpool e jogou com a personalidade de quem quer desequilibrar. Sempre foi possível ver em Philippe o potencial para ser um jogador de destaque mundial. Hoje essa qualidade aparece com frequência muito maior.



  • Alejjandro

    Olá André! Belo texto como sempre.

    Mas eu me toquei agora de uma questão: se “calor” é uma prerrogativa para não praticarmos (ou fazermos competições de) futebol, então países de “tradição média” no futebol nunca poderão ter a oportunidade de realizar um evento desse.

    Pegando só o que eu chamo de “região da linha do Equador” (+ou- 15º pra cima/baixo da linha): Equador, Colômbia, Nigéria, Camarões e Costa do Marfim. O próprio Brasil tem mais da metade do território nessa região, e Austrália e México estão “ao lado”.

    Pra comparar: “calor” é algo diferente de “altitude”; pode-se criar estádios climatizados ou mudar horários (OU DATAS) de partidas para que sejam disputadas com a devida “segurança” à saúde dos jogadores (e dos torcedores, porque não), além de adotar outras medidas (a parada técnica talvez seja a grande sacada).

    Além disso: TODO MUNDO reclama que jogos da Copa (ou corridas de F1, para exemplificar outro “esporte” – se o Juca ler esse comentário…) têm que ocorrer em um horário bom para o “público europeu”; os eventos precisam ocorrer necessariamente em países bons para os europeus, com horários e datas bons para os europeus, tudo no padrão europeu?

    Então não acho errado mudarmos a data da Copa (de QUALQUER Copa). Sei que precisaremos adequar os campeonatos à nova data deste evento, mas todos os países fazem isso todos os anos quando definem seus calendários de competições, certo? Não acho que vá causar grandes impactos nas competições, e pode ser até bom, pois gerará uma “pré-temporada” bem no meio da temporada européia (aí quem se ferra somos nozes :-P).

    [ESCLARECENDO: não estou defendendo que a Copa seja “NO CATAR” – o fato de ter tido corrupção na eleição, ao meu ver, já invalidaria a escolha e uma nova eleição deveria ter sido marcada]

    Podemos discutir?

    Abraço!

    AK: Evidente que é “melhor” que o torneio aconteça em uma época mais propícia. Mas, como você mesmo disse, a questão principal aqui não é o “quando”, mas o “onde” e o “por que”. Um abraço.

    • Juliano

      AK, com todo respeito, se a questão é (e eu concordo que seja) o “onde” e o “por que”, então a ênfase deveria ser na investigação do processo de votação que foi apenas respeitosamente mencionado como “falho”, e não no clima/calendário.

      Gostaria de estar enganado, mas se as confederações já apoiam o plano, UEFA inclusive, não há mais pra onde correr. Como o texto diz, a FIFA faz o que bem entende com o futebol… mundo sem esperança.

      Qual a chance da investigação do FBI azedar os planos da FIFA e seus aspones? É uma chance real?

      Abraço!!

    • Matheus Brito

      Apenas um detalhe na questão do “calor” que você levantou. Nesses países citados, fazendo uma pesquisa rápida e nada científica (apenas google) vi em nenhum deles a temperatura chega nos 50º do Catar. A questão não é só o Calor pois eu assisti aqui em Fortaleza o jogaço entre Holanda e México num sol de rachar, com uma temperatura próxima aos 37º e teve jogo. Com parada técnica até 40º tem jogo, como teve em 94 nos USA. Com 50º é quase humanamente impossível.
      A Copa no fim do ano vai ser muito boa para o futebol Brasileiro pois vai forçar a diminuição desses falidos estaduais. Mas vai ser uma atrocidade com as ligas europeias.

  • Leandro Azevedo

    Aqui nos EUA o comentario sobre a mudança na data é sobre a grana paga pela FOX para adquirir os direitos e o mundial coincidir com a temporada da NFL, que eles também pagam uma fortuna para televisionar.

    Muitos acham que essa pressão vai fazer com que a FIFA mude a data.

    AK: A mesma emissora passou a ser detentora dos direitos da Copa de 2026, que ainda nem tem sede definida. Um abraço.

    • Leandro Azevedo

      E ao que parece sem um processo de bidding, o que reforça o pensamento de muitos de uma “compensada” pelo que pode acontecer no Catar.

      • Rafael

        Tem um papo ai que a Copa poderia ser transferida aqui para o EUA. Isso sim e’ que seria bom.

  • José Henrique

    Se a Fifa conseguir realmente banir esses empresários donos de direitos “econômicos”, ricos, graças a odiosa Lei Pelé, até que dá para tolerar algumas maldades.
    O que espanta, é aqui no Brasil, o tal de bom senso, não mover uma palha nessa direção, e se omitir na questão fundamental, que criou empresários ricos, e clubes pobres.
    Mesmo essa tal de lei RFE, em discussão, passa em branco nessa parada contra os investidores, e não se lê uma crítica aos tais privilegiados. É um escárnio aos torcedores essa blindagem.

  • Matheus Brito

    AK,

    Sobre a Copa,
    Fico imaginando o que estão pensando os caras que receberam propina pra votar no Catar. Já pensou se a FIFA tira a Copa de lá. O comprador pagou por algo que não recebeu e o vendedor recebeu por algo que não entregou, fora todos os investimentos que o Catar (organizadamente) já deve ter feito. Alguém pode vir a tomar um prejuízo que reles mortais como eu não conseguem imaginar. Sinceramente, seria bem feito.

    Sobre o Coutinho,
    lembro ano passado quando os ingleses criticaram o Felipão por abrir mão de um meia organizador como ele. Eles não entendiam isso. E olha que ele não tinha ainda o destaque que tem hoje. Mas uma coisa me chama atenção, qual a distância da sede do Barcelona para a sede do Espanyol? Como nem Real nem Barça viram o potencial dele quando estava “evoluindo” lá na Espanha?

  • José Henrique

    André. Não é a FIFA, mas a FPF, que faz uma coisa dessas:

    Dom 22/03 – Capivariano x Corinthians – Capivari
    Ter 24/03 – Corinthians x Portuguesa – Arena
    Qui 26/03 – Corinthians x Penapolense – Arena
    Dom 29/03 – Bragantino x Corinthians – Bragança

    04 jogos em 7 dias. O que é isso??????
    E o Mauro Cesar fala que as tabelas são feitas para beneficiar o corinthians.

    • Matheus Brito

      Que as tabelas são feitas de forma a beneficiar os grandes isso é chover no molhado. Besteira você pensar o contrário. O que você precisa pensar é no por quê do Corinthians aceitar essa tabela. Não sei como funciona no paulista, mas no carioca é feito um arbitral no ano anterior para definir as regras do campeonato do ano seguinte. Definir como será a tabela e tudo o mais. Os clubes definem, assinam, aceitam, concordam e depois reclamam de tudo o que foi definido, assinado, aceito e concordado. Que chorem às pitangas.

      • Rafael

        O Botafogo por exemplo está fazendo auncio de secador de cabelo na camisa. Tem dinheiro ou alguma força pra peitar federação?

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo