CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

TRANQUILO

1 – O público no Morumbi não era digno de jogo importante de Libertadores, porque a diretoria do São Paulo conseguiu sabotar a própria obrigação. Fez o possível para que o torcedor não fosse ao estádio. Coisa de profissionais.

2 – Mas o futebol de alto nível apareceu bem cedo, deixando quem não pôde ir ao jogo ainda mais irritado. Michel Bastos contribuiu com a inteligência, Reinaldo com o esforço e Alexandre Pato com a técnica que poucos têm. Até os uruguaios disseram: golazo.

3 – Um gol logo aos aos três minutos é como um drink antes do jantar. Relaxa e anima, ao mesmo tempo. Tudo o que o Danúbio planejou teve de ser apagado e reescrito. Um cenário interessante para o São Paulo.

 O segundo gol por pouco não saiu em jogada avícola, à altura da meia hora de jogo. Ganso para Pato, pelo alto. A finalização foi defeituosa como o domínio de Michel Bastos, mais tarde, ao receber de Luis Fabiano em condições de marcar.

 O incômodo da vantagem simples contra um time inferior não chegaria ao intervalo. Como se fosse invisível, Pato cabeceou sem marcação, no chão e no canto. O segundo tempo seria dedicado a construir saldo de gols, sempre conveniente na Libertadores.

 Os passes errados comprometeram qualquer chance de aumentar o placar (Ganso pouco envolvido, uma das razões), e convidaram o Danúbio a ter ideias no Morumbi. González coroou sua péssima noite com um gol de cabeça desperdiçado, diante de Rogério. Ao economizar o interesse no jogo, São Paulo testava a paciência da sorte. 

7 – Um gol em chute de Reinaldo, desviado, e um uruguaio expulso antes dos trinta minutos deixaram o São Paulo em situação ideal para um esforço final. Cafu garantiu o 4 x 0 e o saldo positivo de dois gols. Em números, uma noite completa.

8 – Os dias serão mais calmos a partir desta quinta-feira, com a recuperação no torneio sul-americano e Muricy reforçado pelo resultado e pela voz do torcedor. É mais fácil evoluir assim.

ZERADO

Complicou, e muito, a situação do Atlético Mineiro na Libertadores. Restam doze pontos disponíveis e o desempenho terá de ser espetacular para pensar em classificação. Este é um problema. Outro, ainda mais sério, é o nível de jogo do time que brilhou no segundo semestre do ano passado. Até o Independência, que joga tanto a favor, reclamou ontem.  

ILUMINADO

Sim, Messi perdeu cinco dos últimos dez pênaltis que bateu. Dar maior importância a esse número do que à partida esplêndida que o argentino fez contra o Mancheser City é uma forma triste de ver futebol. Messi jogou como um legítimo camisa 10, organizando seu time, como se ainda precisasse exibir novas qualidades. O Barcelona fez um primeiro tempo mágico.



  • Joao Henrique Levada

    Oi Dezinho. Bom dia.

    Seu pai falou tão bem do Barcelona contra os Citizens, que fiquei super curioso pra ver o jogo.

    Se tiver algum link pra compartilhar com este pobre mortal, agradeço imensamente.

    (Pode ser por e-mail mesmo).

    Tenha um ótimo final de semana.

    • Joao Henrique Levada

      Mas espere… não foi seu pai quem me deixou curioso pra ver o jogo.

      Você é o culpado.

      Desculpe o ato falho.

      Abraços.

  • Massara

    “Um gol logo aos três minutos é como um drink antes do jantar. Relaxa e anima, ao mesmo tempo.” Vale muito a pena passar por aqui. Abraço!

  • Caio

    Hahaha, “jogada avícola” !!!!!!

    The zoeira never ends!!!

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo