COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

BÁRBAROS – 2

O texto que ocupou este espaço, no sábado, terminou com a notícia da prisão de três criminosos que se passavam por “ultras” do Real Madrid. O material sobre o assunto não cabia em apenas uma coluna, por isso seguimos hoje com outro exemplo de atuação de autoridades espanholas no combate à violência no futebol.

Na Espanha há uma lei contra “a Violência, o Racismo, a Xenofobia e a Intolerância no Esporte”. Em cumprimento a esse regulamento, uma operação conseguiu punir um “torcedor” do Atlético de Madrid por ter comemorado a morte de um “rival”, do Deportivo La Coruña, em uma mensagem publicada no Twitter. O cretino em questão foi multado em 60 mil euros e proibido de entrar em recintos esportivos por cinco anos.

Em 30 de novembro do ano passado, antes de um jogo entre os dois clubes, em Madri, facções radicais de ambos os lados se envolveram em uma batalha nos arredores do estádio Vicente Calderón. Um torcedor do La Coruña morreu após ter sido atirado no Rio Manzanares. O episódio deflagrou a Operação Neptuno, que, por intermédio da análise de imagens, de escutas telefônicas e da geolocalização dos telefones celulares dos envolvidos, levou à prisão de mais de sessenta pessoas. Destas, quatro foram identificadas como os autores do assassinato.

O “ultra” punido na semana passada expressou em seu perfil no Twitter a “mais absoluta e sincera alegria pela morte do (torcedor) do Depor. Um filho da puta que não criará mais problemas. Tomara que morram mais”. Uma mensagem que lhe saiu cara não apenas no aspecto financeiro, e que certamente servirá como um recado preventivo aos que pretenderem publicar conteúdo “ofensivo e ameaçador, em meios de comunicação de caráter impresso, audiovisual ou por internet”.

Aqui no Brasil, casos semelhantes são frequentes nas mídias antissociais ou nos espaços para comentários de portais eletrônicos de notícias, especialmente quando o assunto é política ou futebol. Os perfis virtuais oferecem não só a segurança do anonimato, mas a coragem que resulta da dificuldade de identificação. Os valentes da internet não se incomodam com a propagação da própria miséria. Ao contrário, a consideram um troféu a ser exibido entre aqueles com quem dividem um mundo carregado de ódio, intolerância e desrespeito.

São conhecidas as gravações de telefonemas ou mensagens trocadas por “torcedores organizados” de clubes rivais, marcando batalhas em dias de jogos ou festejando o saldo de encontros violentos. Mas um exercício bem mais simples revela como é vasto o campo para uma atuação inspirada na Justiça da Espanha, mesmo que o alvo não seja os “ultras” brasileiros. Eis um exemplo: no campo de busca do Twitter, escreva as palavras “morra juvenal juvêncio” e torça para que haja um banheiro nas proximidades.

A falta de humanidade demonstrada por são-paulinos com o ex-presidente que enfrenta uma doença cruel é enojante. Mas não estão sozinhos. Faça a busca usando os nomes de outros dirigentes e os resultados também provocarão náusea. A oferta de imbecilidade continuará generosa enquanto não for tratada com a medicação adequada.

AGENDA

O meio de semana trará uma rodada crucial para três clubes brasileiros na Copa Libertadores. São Paulo, Atlético Mineiro e Internacional estão na mesma situação: perderam na estreia como visitantes e receberão, em casa, os times que foram derrotados como mandantes na primeira rodada. Qualquer projeção de classificação na fase de grupos considera obrigatória uma vitória nesta semana, em jogos que – ao contrário do que se vê nos Estaduais – certamente mobilizarão as torcidas em direção ao Morumbi, ao Independência e ao Beira-Rio.

POSSE

Os raros leitores desta coluna são testemunhas de quantas vezes Paulo Henrique Ganso recebeu elogios aqui. Mesmo em épocas em que as críticas a ele eram mais numerosas. A balança pende para os dois lados: livre de lesões e reestabelecido como jogador diferente que é, Ganso precisa se estabelecer em seu time como referência.



  • sandrofla

    Se as autoridades realmente se interessarem em buscar os criminosos escondidos atrás dos teclados e das camisas de organizadas eles conseguem…temos tecnologia para isso.

  • Edson

    acredito que o Ganso logo logo irá se estabelecer no seu lugar de direito, ou seja, no banco de reservas. isso se o Muricy tiver peito para tanto.
    Infelizmente o Ganso é um ex-jogador em atividade, e não chegou nem nos trinta anos ainda.

    • Fabio

      Mal chegou aos 25, pelo potencial que tem deveria ser o craque de um dos grandes na Europa e não ser contestado como titular do SPFC.
      Philippe Coutinho, Oscar, Willian só para citar três, pareciam ter muito menos potencial que PH Ganso são protagonistas em suas equipes hoje em dia

    • Matheus Brito

      Sinceramente, ele é o maior exemplo de que esse tipo de jogador precisa ir pra Europa. Lá ele aprenderia a ser mais participativo, do contrário viraria terceira ou quarta opção.

  • Juliano Bernardo

    “…livre de lesões e reestabelecido como jogador diferente que é, Ganso precisa se estabelecer em seu time como referência.”

    Tecnicamente PH Gan$o está milímetros abaixo de Zinedine Zidane. Mas seu caráter ombreia-se com o de Jorgito Valdívia. Bom caráter é o combustível de uma vida honrada. E a honra é a única medida válida do sucesso.

    AK: Me parece uma comparação equivocada. É preciso ter muito cuidado, e muitas informações, para falar sobre o caráter de alguém. Um abraço.

    • Teobaldo

      Sem nenhum juízo de valor à citação do Juliano Bernardo, pensei exatamente o que você escreveu, AK. É curioso como essa forma de expressão em relação a diversas pessoas, independente do campo de atuação (esporte e política, com maior intensidade, penso eu), proliferam nas redes sociais. Acho que tal fato está ligado, na maioria das vezes, a um sentimento (errado) que as pessoas têm de que não podem ser identificadas, que ficarão anônimas. Um abraço!

      • Rodrigo – CPQ

        Teobaldo, em outro tópico discordei de você. Aqui, assino embaixo. Vale também para o que foi dito pelo AK. Acrescento apenas que isso ocorre nas mais diversas esferas da “Internetologia”. []s

        • Teobaldo

          Você discordou de mim, mas eu estava certo e você, errado (Rssssss). Um abraço!

  • lm_rj

    Andre, legal a prisão de vandalos tricolores e vascainos antes do jogo Flu x Vasco no engenhao. Que sirva de exemplo.
    Agora, só uma pergunta: os flamenguistas que invadiram o vestiario (!!) do Macaé e agrediram (!!) o ex goleiro do Flu, Ricardo Berna, estes serão presos quando?
    Abrs e parabens pelo blog

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo