COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

PROCURA

1 – Não foi necessário esperar muito para perceber que o Grêmio foi a Itaquera para esperar. Esperar para ver o que o Corinthians faria, um erro que pudesse ser aproveitado ou algo imprevisto que o jogo de futebol com frequência proporciona a equipes passivas. Dá-se a isso, com certa pompa, o nome de “futebol reativo”. Mas é obrigatório ter virtudes para obter sucesso jogando assim.

2 – O Corinthians tratou de buscar o jogo e o resultado, comportamento de um time que está em casa e sabe o que uma vitória significaria em termos de acesso à Copa Libertadores. Amplo domínio dos movimentos e das oportunidades, especialmente com Guerrero, o jogador que transforma o Corinthians em uma equipe perigosa na maioria das jogadas de ataque das quais participa.

3 – O problema do Corinthians no primeiro tempo foi que a trave e Marcelo Grohe combinaram para evitar gols do atacante peruano. O problema do Grêmio foi que o Corinthians lhe ofereceu pouco e o jogo não lhe ofereceu nada. Times que esperam abdicam da condição de decidir a própria sorte. Vivem próximos do arrependimento.

4 – Luiz Felipe Scolari resolveu interferir no caráter de seu time ao fazer Giuliano entrar no jogo na volta do intervalo. Os primeiros minutos afastaram a ideia de risco moderado, apenas com um jogador mais incisivo. Em pouco tempo, o Grêmio jogou mais do que tinha feito em toda a noite. Passou a discutir a posse e ocupar o campo ofensivo, como fazem os times que querem algo.

5 – Mano Menezes acionou Luciano, o reserva de alto impacto. A via do contra-ataque se apresentava sedutora, com campo para correr e menos gremistas posicionados atrás da bola. A mudança dependia da bola roubada nas intermediárias, o que não aconteceu porque o Grêmio cuidou bem dela.

6 – Quando o jogo entrava no território dos gols praticamente definitivos, da cabeça de Felipe saiu a segunda bola na trave de Marcelo Grohe. Sinal de má sorte para o Corinthians, ainda que o empate não fosse de todo ruim.

7 – Na sequência, Jádson, que tinha entrado para oxigenar a articulação, serviu Luciano na área com liberdade total. Bom passe para a boca do gol. Guerrero não dominou como gostaria, teve que recuar para girar e armar o chute, que saiu com defeito na direção e na potência. Talvez exatamente por isso a bola tenha encontrado seu caminho entre pernas gremistas para desviar, perder força, e mesmo assim entrar.

8 – Onde estaria o Corinthians sem seu camisa 9?

9 – O merecimento pela vitória não se discute, porque o Corinthians a procurou por mais tempo e com mais afinco. A vaga no torneio sul-americano, objetivo mínimo para o time que Mano Menezes tem, está muito próxima.

10 – Pela segunda rodada seguida, o Grêmio preferiu transferir a derrota para a arbitragem. O apito não foi decisivo para os resultados nos jogos contra o Cruzeiro e contra o Corinthians. Em ambos, o time de Scolari foi superado em campo. Por isso a Libertadores 2015 ficou distante.

BICAMPEÃO

Para conquistar o Campeonato Brasileiro duas vezes seguidas, é preciso ter muito mais do que um time capaz. É preciso ter um comando competente e atento, que saiba cultivar o desejo pela vitória. É preciso ter jogadores que não se satisfaçam com o que têm ou são. E é preciso jogar mais do que a concorrência. O Cruzeiro teve tudo isso, e, ainda, o mérito indiscutível de praticar um futebol de ataque, que não especula, que prefere ter sempre as rédeas do próprio destino. Em mais uma prova de que este jogo devolve o que cada um lhe dá, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro foram premiados com os gols no jogo que confirmou o título. Os melhores do time, brilhando no momento da conquista. Futebol para a frente, coragem, caráter. O Campeonato Brasileiro permanece em ótimas mãos. Parabéns ao Cruzeiro e aos cruzeirenses.



  • Anna

    Cruzeiro mereceu ser bicampeão e Marcelo Oliveira tem um grande papel nisso. Paolo Guerrero é o melhor 9 do campeonato. Um campeonato com estrelas estrangeiras: Paolo, Marcelo Moreno, Conca, mesmo que tenha caído nas últimas rodadas, Valdívia, porque o Palmeiras depende dele. Grande abraço, Anna.

  • José Henrique

    André. O que Luiz Felipe falou após o jogo, de que tudo está arranjado para que não fique nenhum time gaúcho, etc, e que interessa time paulista, é da mais alta gravidade.
    O STJD, pediu a fita do jogo, e certamente tomará conhecimento das declarações dele, colocando em dúvida os julgadores, citando inclusive o caso Petros, tentando pressionar o tribunal de modo covarde e vergonhoso.
    O STJD, tem aí uma grande oportunidade de chamar o cidadão para que ele explique de onde vem a certeza dele da existência de esquemas.
    Está mais do que na hora, de acabarem com aleivosias a vontade na base do “achismo”, que é o que certamente ele dirá frente a frente com uma corte.
    Depois do 7×1, Felipão é capaz de achar que aquilo foi um complô também.
    Ofendeu não só o Corinthians, o Mano, os jogadores, os mineiros, e os paulistas também.
    Fim da picada. Não sabem perder. Deram um chute a gol em 90 minutos, e o problema é complô. E o gol do Inter aos 94 minutos, contra o Galo, foi muito bem ensaiado.

  • José Henrique

    Nota de hoje no Lance:
    “Intrusos
    A diretoria do Corinthians já tem ciência de que os responsáveis por acender os sinalizadores durante a partida contra o Grêmio são de torcidas organizadas. E que o fato de não estarem no Setor Norte, destinado às torcidas, foi apenas para despistar.”
    Quer dizer, possivelmente, para agirem assim, estavam sob orientação de alguém, que pode inclusive ter pago para isso.
    Talvez alguém interessado em melar, para alcançar uma vaguinha em certo torneio.
    Não dá pra entender porque torcedores que se dizem apaixonados pelo clube, deixem a companhia de seus iguais organizados,que sabem da proibição, e das consequências de uso de sinalizadores, e se infiltrem dessa forma, que não por motivos muito suspeitos.
    O STJD, deveria ouvir esses “torcedores?”.

  • Vaz

    Como sempre, o jogo se ganha ou se perde em 90 minutos e um campeonato em 38 jogos.Talvez se estivéssemos no tal mata-mata e é por esta razão que sou contra ele, sua reclamação poderia até fazer sentido no calor da derrota e perda de um título agora friamente falar a quantidade de asneiras para agradar alienados que vem com o discursinho barato do “falou a verdade”. Que verdade Felipão?
    Felipão vem durante muito tempo utilizando-se da prática de ridicularizar adversários, ironias, piadinhas e principalmente culpar os outros (leia-se Juízes) quando seus times não terminam como pretendia.
    Acontece que de tanto repetir a fórmula, cansou, encheu, não vejo no técnico nenhuma evolução e sim a repetição das fórmulas manjadas do grande Palmeiras onde foi campeão e da seleção de 2002 quando ironizava adversários que reclamavam de possíveis erros de arbitragem, gramado e outras pérolas para justificar a derrota. O futebol mudou, evolui assim como o mundo mas parece que o cidadão optou por regredir e já a algum tempo principalmente na sua segunda passagem pelo Palmeiras, aderiu a aquilo que ironizava nos adversários; a choradeira para encobrir a incompetência e a irrelevância. Parece que o técnico não amadurece ao contrário se abriga nas insinuações para esconder a falta de competência que já teve no passado e atira para todo o lado.
    Em uma democracia o direito a opinião é sagrado agora acusar, insinuar, implica em provas. Prove Felipão caso contrário este sujeito deve pegar uma pena de no mínimo 6 meses já que não dá mais para engolir acusações com intuito de jogar para a torcida.
    O que mais me estarreceu é quando você fala que este país não é uma democracia porque entre outras pérolas das besteirada que vomitou na frente da TV afirma que não se pode falar da cor de alguém numa clara referência ao que aconteceu com alguns idiotas torcedores em relação ao goleiro Aranha sugerindo que aquilo foi apenas opinião. Opinião Felipão? É racismo, intolerância e mediocridade. É de uma insensibilidade e falta de caráter de assustar?
    Ok Felipão, seu time pode até ter sido prejudicado, mas me explique uma coisa: se era esquema armado para favorecer Corinthians e São Paulo, então porque a bola cruzada no gol corintiano que saiu fora de campo foi anulado? Não seria mais fácil dar o gol do que ficar aguardando uma insuspeita cobrança de lateral (na qual o Sr. afirma que a bola era do Grêmio) que resultaria na sequência em gol com – atenção Sr Felipe Scolari – 3 defensores mais goleiro a frente de Guerreiro em uma bola mascada para então fazer o esquema funcionar? É muito delírio.
    O que o Sr fez durante mais de 20 jogos do brasileiro sem contar com Copa do Brasil para que seu time tenha caído fora da segunda e não esteja colado no Cruzeiro como já esteve e terminando desta forma indigna para a história do Grêmio? Tudo foi armação? Como explicar então que o Inter está com uma das mãos na quarta colocação (e até a terceira) e jogar a Libertadores? É muita asneira para um técnico que já foi importante mais hoje parece optou pela fantasia a cada dia desde as manobras para assumir a seleção junto com estes que hoje você mesmo acusa por não interessar mais, mas que para puxar o tapete do Mano Menezes serviam.
    Enquanto eram amiguinhos e o sustentavam na seleção com aquele ar de Rainha da Inglaterra montando um time ( aí sim) de cabritinhos que choravam copiosamente em campo a cada jogo da seleção nos envergonhando e depois dos 7 ainda levou mais 3 estava tudo bem.
    Só falta você falar que a perda da Copa foi por causa do Blatter, Árbitros, CBF, complôs mundiais, do aquecimento global e da Globo e por aí vai. E pior é que tem gente que acredita. O técnico era você que teve carta branca para fazer e desfazer e foi derrotado de forma humilhante e só não foi pior por principalmente Neymar, senão tínhamos caído já nas oitavas.
    Que a CBF é um lixo, cartolagem uma vergonha já sabemos mas aderir aos seus métodos….
    Faça um favor ao país e a sua história, aposente-se, respeite o pouco do nome que ainda resta e não saia pela porta dos fundos como uma piada velha e sem graça.

    • Adriano

      Que desagradável um comentário desse tamanho…pelo amor de Deus tenha um pouquinho de bom senso!
      Deixe um comentário é ≠ de Deixe uma coluna.

  • José Henrique

    André. As vezes penso que a defesa dos pontos corridos, nada tem a ver com “justiça técnica”.
    Este campeonato por exemplo, o Cruzeiro, a bem da verdade foi “premiado” pela instabilidade dos principais concorrentes, muito mais do que por seus méritos.
    Foi muito mal contra Corinthians, Atlético, São Paulo, por exemplo.
    As vezes penso também, que o campeonato com as emoções de finais, como antigamente, não voltam por outros interesses, que não sabemos porque.
    Porque a Globo, maior interessada, já que compra os direitos dos jogos, não opta pela volta do mata-mata?
    Interessante, que defensores dos pontos corridos, copiando os europeus, não copiem por exemplo, o sistema argentino para rebaixamento de equipes, que protege exatamente a irregularidade eventual dos grandes clubes?
    Afinal, se a competição, por pontos corridos, serve para premiar a “regularidade”, e nem sempre o melhor time, o rebaixamento deveria proteger, e não punir, um mau ano eventual de equipes que investem muito no futebol.
    Não dá para se falar em “justiça” no futebol infelizmente, quando um time domina e ataca outra por 70% do tempo, e perde por um lance infeliz.
    Me desculpem os defensores dos pontos corridos, mas, os argumentos parece que se esgotaram, e isso, sem considerar o fracasso financeiro do sistema já constatado.
    Com certeza teríamos a volta do mata-mata se os defensores dos pontos corridos, abrissem apenas um pouquinho mais a sua visão para outros aspectos importantes para sobrevivência e crescimento dos clubes brasileiros.
    Enquanto formadores de opinião, permanecerem fechados em cima de um único argumento, desconsiderando todos outros, infelizmente, o futebol vai a cada dia piorar mais.
    Ver um Palmeiras, rebaixado, depois de todos os investimentos e esforços que fez, na iminência de um rebaixamento por uma partida infeliz (contra o São Paulo, por exemplo, merecia vencer), me desculpe, até para mim que sou Corinthiano, e rival do verdão, isso nunca representará “justiça”.

    • RENATO77

      O princípio do modelo de pontos corridos é o da igualdade de condições em TODAS as rodadas e e partidas. Sem troca de estádios(venda de mando), sem venda dos principais jogadores durante o campeonato, sem a influência ridicula do STJD e sem “entregadas”. Esse ano já houve “entrega” já na rodada 34, com o SFC dormindo frente ao Cruzeiro. Só pra ficar nesse exemplo.
      No Brasil, perde quase todo os aspectos positivos, ficam só os negativos.
      É como decidir quem é o melhor tenista masculino em dois jogos: Djokovic(1) x John Isner(19) e Federer(2) x Fabio Fognini…
      O argumento que realmente favoreceu os que gostam dos mata matas, foi a inclusão dos times que disputam a libertadores na CB, isso elevou bastante o nível dessa competição.
      Abraço.

      AK: De acordo quanto aos aspectos mencionados, que desequilibram a balança na qual o formato se baseia. Mas é preciso lembrar que, se falarmos em um campeonato em que há playoff após uma fase de classificação em pontos corridos, tal fase terá sido “prejudicada” pelos mesmos aspectos. Um abraço.

      • José Henrique

        Negar que playoffs trazem mais emoção, público, receitas, infelizmente não se sustenta mais, sob qualquer aspecto que se queira discutir.Como vimos, o próprio conceito de “justiça” tão advogado para os pontos corridos, já estão abalados, ao se admitir que “uma fase de classificação em pontos corridos” prévia aos playoffs estaria prejudicada também.
        Então, se as fases de pontos corridos, já estão contaminadas, tanto em um como em outro modo de disputa, porque não se tenta diminuir os campeonatos de pontos corridos.?
        Não dá pra entender mesmo.

        • RENATO77

          Isso não acabará nunca…rsrsrsrsrsrs…
          Abraço!

MaisRecentes

Coleta



Continue Lendo

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo