COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

ATUALIZAÇÃO: Como você deve saber, muita coisa aconteceu desde a publicação do texto abaixo no jornal e, agora, no blog. Thiago Silva conversou com Dunga e Neymar, disse que foi mal interpretado “pela imprensa” e que sua consciência está tranquila.

Não foi a primeira vez que um jogador deu uma declaração que gerou manchetes, percebeu a repercussão e deu um passo atrás apelando a problemas de interpretação. É típico de quem se arrepende e prefere tentar desdizer o que disse ao invés de se desculpar. No domingo, as palavras de Thiago foram absolutamente claras quanto à mágoa por ter perdido a faixa de capitão sem uma conversa e sobre a sensação de terem lhe tomado algo que lhe pertencia. A volta atrás não fica bem para um ex-capitão da Seleção Brasileira.

Thiago disse ontem que “teve a humildade” de procurar Dunga e Neymar para esclarecer o assunto. Teve a iniciativa, portanto, de fazer exatamente aquilo que, um dia antes, afirmou que não cabia a ele. Parece mais um gesto de controle de danos do que propriamente de humildade, o que compromete sua posição de líder interna e externamente. Como se verá abaixo, a Copa do Mundo já havia oferecido motivos para questionar sua capacidade de liderança.

É sempre saudável quando uma declaração sincera surge neste mundo pasteurizado de posturas protocolares, inofensivas. Pelo mesmo motivo, é decepcionante quando a personalidade que sobrou no início da conversa, fraqueja na hora de sustentá-la.

Ao final, uma aproximação de Dunga teria resolvido a questão antes mesmo de seu nascimento. Antecipar situações dessa natureza faz parte do trabalho diário de qualquer administrador de pessoas, um aspecto essencial da rotina de um técnico. Só conversas honestas resolvem problemas e diferenças de visão, ainda que haja quem prefira o silêncio que esconde feridas, sem curá-las.

______

FERIDA

Está aberta a primeira crise da nova administração da Seleção Brasileira. Três dias antes do último amistoso do ano, por causa da braçadeira de capitão. O problema que a precipitação do comando quase criou no episódio do corte de Maicon, em setembro, instalou-se agora com Thiago Silva, por mais uma demonstração de inabilidade da comissão técnica.

Com Maicon – que descumpriu regras internas, falha grave – bastava manter a discrição e não mais convocá-lo. O recado ao grupo seria o mesmo e todos os boatos maldosos gerados à época teriam sido evitados. Os danos foram mínimos porque o lateral veterano saiu calado e, por sua idade, não está incluído nos planos para o futuro. Thiago? Thiago pode chegar a mais uma Copa em alto nível e até outro dia tinha as palavras “melhor zagueiro do mundo” acopladas a seu nome. E o principal: o ex-capitão da Seleção tornou a situação pública, durante viagem à Europa.

Novamente, a questão não é a decisão tomada, mas como. A escolha do capitão de um time de futebol é prerrogativa do técnico, com base nas dinâmicas que observa e na hierarquia que pretende estabelecer. É por isso que as opções devem ficar claras para todos, principalmente para os envolvidos. Thiago Silva foi o capitão da Seleção Brasileira por três anos, incluindo uma Copa do Mundo em casa. Dunga não tem a menor obrigação de manter a faixa em seu braço, mas não há o que justifique fazer a mudança sem conversar com o zagueiro.

Dunga usou a braçadeira em duas Copas do Mundo, sabe exatamente o que o adereço significa. Mais: por seu conhecido perfil, sabemos como ele valoriza o papel de liderança que cabe ao capitão. Por essa ótica, as “falhas” de Thiago Silva durante o Mundial certamente incomodaram mais ao atual técnico da Seleção. Enquanto muitos observadores podem ter achado inapropriado o choro de Thiago antes da estreia, ou a recusa a bater e assistir aos pênaltis contra o Chile, Dunga enxergou tais atitudes como traições aos mandamentos da irmandade dos capitães.

Do ponto de vista estritamente técnico, Thiago Silva não fez uma Copa pior do que seu companheiro de zaga, David Luiz. Mas a imagem de um líder sentado na bola, de costas para a área em que o Brasil tentava evitar a eliminação precoce aparece mais rápido na busca. Ter ficado fora do jogo contra a Alemanha por um cartão amarelo tolo também não ajuda. É perfeitamente compreensível a preferência de Dunga por Neymar, cuja compostura sugere um jogador mais maduro e experiente do que a idade indica.

A exposição pública de um assunto de grupo agrava a posição do zagueiro do PSG no ambiente da Seleção. Thiago não nasceu ontem, sabe que não recuperará seu lugar no time ou a faixa de capitão pela via da reclamação externa. Ao contrário, o risco é perder ainda mais espaço. Mas sua reação poderia ter sido prevenida por Dunga com uma conversa rápida e explicativa.

Difícil entender por que a comissão técnica permitiu um problema como esse, no apagar do ano. A não ser que, assim como Maicon, Thiago Silva esteja descartado.

TRÊS TOQUES

FUTURO

Em esportes coletivos, quase tudo é uma questão de concorrência. Se a oferta na posição é pobre, até os maiores pecados podem ser perdoados.

FALTA POUCO

Xeque-mate no Campeonato Brasileiro. Balde de gelo na concorrência, gelo no chope da torcida do Cruzeiro. Demonstração de coragem e controle após a derrota no jogo de ida da Copa do Brasil e um primeiro tempo irreconhecível na Vila Belmiro. O desinteresse do Santos deve ser considerado, mas o líder não tem nada com isso. O bicampeonato passa a ser questão de dia e local.

RESGATE

O gol que preservou as chances de classificação do Corinthians à Copa Libertadores foi produto de um passe (de pé direito, o “ruim”) de Danilo e um cabeceio de Renato Augusto. No caso do primeiro, mais uma contribuição de técnica e visão. No caso do segundo, a celebração da sequência sem lesões. A reunião resgatou o time de um péssimo empate.



  • Roberto

    André, chamar de crise as declarações magoadas do Thiago Silva não me parece apropriado. Crise normalmente se desencadeia em diversas consequências negativas, correções de curso, desespero. Não vimos nada disso. A nave permanece no curso em que estava antes, sem alterações, sem abalos, tudo igual. A verdade é que as declarações dele foram covardes e bem pouco inteligentes (não consigo entender que valor ele possa ter visto nisso). Se ele valoriza o grupo, como um capitão deve valorizar, acima do seu ego e de seus interesses, deveria ter tentado resolver isso internamente e não ter jogado isso no ventilador como uma criança mimada. Dunga poderia ter evitado isso? Claro que sim. A pergunta é se é responsabilidade dele fazer isso.

    Eu acredito muito no princípio de que tudo o que acontece de errado comigo é culpa minha. É uma crença que te faz buscar soluções que saem apenas daquilo que está 100% sobre seu controle. Te faz ver como os outros podem afetar sua vida e seus resultados. Te faz se mover antes, prevenir problemas e não apenas reclamar que “ou outros” não fizeram sua parte. Acho q o Thiago deveria começar a pensar nas próprias atitudes e não nas dos outros. Acho q vai tirar mais daí. E vai crescer como profissional e como pessoa. Pq outra copa vem aí. E vamos precisar de todo o talento disponível, dado que estrutura pelo jeito não vai existir.

    Grande abraço André, e parabéns novamente por esse espaço.

    AK: Um ex-capitão questionando o técnico da Seleção Brasileira, em público? Crise, acredite. Um abraço.

  • Anna

    Adoro Thiago Silva, mas ele fez muito barulho por nada. Não vi nada demais em ele chorar e não querer bater pênalti, mas o cartão amarelo bobo que o tirou dos 7 a 1 não desce até hoje. Ele recuou em relação ao que disse porque sabe que poderia ficar fora da seleção com Dunga. E eu concordo com o Juca, quero ver Thiago e Miranda, titulares. Grande abraço a todos, Anna.

  • Marcel de Souza

    Bom dia André! Há muito tempo não comento aqui, porém continuo sendo leitor assíduo dos seus texto que gosto muito.

    Não entendi a posição do Thiago em cobrar publicamente o Dunga e, o pior, envolver o Neymar na situação. Ele achava que teria algum resultado prático a seu favor? Achou que o Dunga iria gostar da “personalidade”? Pra mim ele foi ingênuo ou mal assessorado. A “volta atrás” acabou sendo a cereja do bolo.

    De todo modo, o Miranda já merecia ter ido pra Copa e sem jogando bem com o David Luiz. O Thiago não pensou que poderia estar desrespeitando um colega que conquistou o lugar por direito? Não sei, prevejo um período de geladeira pro ex-capitão.

    Abraço!!

  • Bethiol

    Não concordo com a sua colocação. O Dunga não tinha que explicar nada ao Thiago, pois está começando um trabalho. Além do mais sou contra lugar cativo na seleção.
    Se o fato ocorresse com o Felipão ou Parreira (se os mesmos continuassem com a seleção), concordo que o Thiago deveria ser avisado.
    Além disso na minha opinião a fama do Thiago é muito exagerada.

    AK: É justamente por estar começando um trabalho que a conversa é necessária.

    • Oliveira

      Concordo com o Berthiol. O Dunga está iniciando um trabalho. Ele poderia não convocar nenhum dos jogadores que estava no grupo da copa sem necessidade de explicar os motivos aos atletas. O Thiago não era capitão dele. Caso ele queira tirar a braçadeira do Neymar, aí sim deverá conversar com ele.
      Tenho acompanhado seus textos, mas percebo que você está sistematicamente atacando o Dunga. Que rancor é este rapaz? O que o Dunga fez de tão grave à você? Tenha um pouco de humildade e reconheça que ele está fazendo um excelente trabalho.
      Abs.

      AK: Pelo visto, acompanhar não garante compreender. Um abraço.

      • Ricardo Trevisan

        Acho que o conceito de excelente trabalho vem mudando conforme a gestão Teixeira/Marin/Nero se enraíza em nosso esporte. Hoje, alguns resultados positivos em amistosos prostituídos já devem ser considerados com humildade por quem admira o verdadeiro jogo. E ‘vamo’ que é Brasil!!!

      • Esio

        E, o fato de você ter um espaço para colocar suas opiniões não garante que seja o dono da verdade. Abs.

        AK: É isso que estamos debatendo?

        • Ricardo Trevisan

          Essa foi sensacional…!

          • Leandro

            Ricardo Trevisan, você deve ser amigo pessoal do André Kfouri.
            Você não consegue enxergar um palmo a frente do nariz. Isto é patético…

            AK: Que brilhante. Vejam o nível: desqualifica uma opinião porque ela é diferente da dele. E como se julga um sábio, quem pensa de outra forma só pode ter um motivo “escuso”.

  • Charles

    Torço para o time da “grobo” não se classificar!

    • José Henrique

      Eu já torço para os times do “convênio”. ” do stjd” , time do Marin, times dos separatistas, time das entregadas, nunca mais ganharem nada.

  • Juliano

    AK, perfeitas observações, tanto na coluna quanto na atualização.

    De fato caberia a Dunga conversar com o Thiaguinho mimadinho, mesmo que eu concorde que ele não seja obrigado – e conhecemos o “estilo” Dunga de ser. Mas também não custava uma conversa, seria o ideal.

    Duro foi ler um grandalhão desses lamentando Neymar não ter falado com ele. Ah é? Ele queria que Neymar dissesse o que? Até outro dia Thiaguinho nem convocado por Dunga tinha sido. Agora foi, e era reserva do Miranda. Novo trabalho, comece de novo, degrau por degrau. De uma infantilidade sem tamanho as declarações do zagueiro, jogou no ventilador e apontou a arma pro atual líder e cerne da seleção, Neymar. Não achei “coisa de homem”, e que ficou comprovado depois que recuou (certamente orientado) e resolveu culpar a imprensa. Falou, assume, ora essa!

    No fim, fiquei pasmo, porque parece ter funcionado o xororô público. Também tinha a impressão que após a desastrada declaração em algum momento ele seria descartado. Mas voltou atrás, Miranda se machucou e, ele não só entrou em campo como no final, Neymar, veja só, o presenteou com a braçadeira que ele provou não merecer (na Copa e na recente declaração, não demonstra posição de um líder, pelo menos aos meus olhos). Mimaram a criança, devolveram-lhe a chupeta. Queria saber se Neymar o fez por conta e risco, ou se havia orientação vindo de cima (Dunga). O que acha, AK?

    Abraço!

  • Rafael

    Adoro o Thiago Silva.
    Acho um monumental zagueiro e é excelente caráter.
    Pra mim o que falta é formação escolar ao jogador brasileiro. Para de estudar muito cedo. Além disso, sempre treinam muito e a parte escolar é sempre negligenciada.
    São absurdamente desarticulados e entao de vez em quando escutamos um desatino desses.

  • Julio

    Pra mim esses amistosos e nada é quase a mesma coisa. Valem pra observar um Firmino da vida, ja estou ficando resignado em conhecer os jogadores da seleção na seleção…. um outro triste sinal dos tempos.
    O que me irrita nesse grupo são os selfies de lingua de fora. As brincadeirinhas.. Depois de tomar de 7 a 1 numa Copa no Brasil, a CBF não deveria marcar mais jogos esse ano. Mas sendo a CBF, marcou. Aí eu vejo os jogadores felizes da vida, como se nada tivesse acontecido. O marqueteiro do david Luis segue jogando na posição errada – ele rende mais na cabeça de área. Já o Thiago Silva, está preocupado em ser o capitão.
    Deveriam estar é com vergonha do maior papelão protagonizado pela seleção.
    Ganhem a proxima Copa e depois voltem a tirar selfie todo dia de lingua pra fora igual a criança de 10 anos.

  • Vaz

    Depois do disse não disse de Thiago Silva onde afirmou que nem Neymar nem a Comissão conversaram com ele e depois disse que conversou com Neymar quando ficou claro que a coisa foi no bate boca, fica difícil saber se houve ou não conversa com o treinador. Começo a achar que houve mas ao que parece o cidadão em questão não concordou e saiu tirando satisfações. Não acredito também que a seleção seja uma Casa Grande e Senzala onde jogadores somente falam com o capataz e o treinador que é o senhor de engenho não se habilita a conversar com a Senzala.
    Desde o episódio Maicon que também preferiu ficar no disse não disse o que todos ouviram, é preciso separar claramente o que é problema de uma comissão técnica e o que parece ser um vício que jogadores vem adotando a anos que é de culpar o técnico, imprensa (o saco de pancadas de sempre) e dirigentes enquanto os mesmos parecem monges budistas.
    O histórico de chororôs do Thiago demonstram antes de tudo um desequilíbrio emocional que leva a atitudes intempestivas como contra o jogo contra a Colômbia onde acabou fora do jogo contra a Alemanha por puro descontrole. Mudaria os 7 x 1? Claro que não mais talvez o estrago fosse menor.
    Antes que receba ironias afirmo que não concordo com os métodos ditatoriais de Dunga mas não parece que enfrentamos uma rebelião de jogadores pois estes quando não vão com a cara do chefe o derrubam com péssimos resultados. Luxa, Leão, Mano entre outros que o digam.

  • José Henrique

    Considero atitudes absolutamente infantis.
    Adultos tem comportamento diferente.

  • José Henrique

    André. Viu como o Corinthians Casuals está tratando o jogo com o Timão:
    contando o tempo:

    http://www.casuals39.com/pages/corinthian-casuals-fc-x-sc-corinthians-paulista

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo