CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

CORAGEM É TUDO

1 – Antes que fosse possível dizer qualquer coisa a respeito do jogo, Paolo Guerrero alterou novamente o placar do confronto entre Corinthians e Atlético Mineiro. Um gol e meio na Arena Corinthians, outro gol no Mineirão. Fator de desequilíbrio.

2 – O replay confirmou: méritos de Guerrero à parte, Jemerson tem obrigação de fazer melhor o papel dele no lance.

3 – O gol corintiano eliminou a possibilidade de uma decisão por pênaltis, diminuindo ainda mais as chances do Atlético. No lugar de fazer dois gols, os mineiros agora precisavam do dobro. O “eu acredito” ainda não tinha se deparado com uma missão tão difícil.

4 – O empate saiu quando o Atlético era só pressão e o Corinthians tentava jogar longe da própria área. Luan cabeceou como se fosse invisível, o que dá a medida da colaboração da defesa paulista.

5 – E Guilherme – inexplicavelmente solto e fonte dos melhores momentos de seu time – virou o placar com um chute desviado. Meia hora de jogo, e o Atlético voltou a precisar de “só” dois gols.

6 – No primeiro minuto do segundo tempo, Cássio tomou de Maicosuel o gol que provavelmente levaria à classificação atleticana. Lindo passe de Diego Tardelli, ativo como se não tivesse cruzado o mundo para jogar no Mineirão.

7 – Quando parecia que a marcação do Corinthians tinha se acertado e o passar do tempo jogava a favor, Guilherme surgiu livre na área para fazer o terceiro. Aos 29 minutos, o tamanho do trabalho do Atlético se mostrava drasticamente reduzido.

8 – E a noção de que o Corinthians – um time que crê saber se proteger – jamais levaria quatro gols estava por um fio. Ou por mais uma falha em uma noite sofrível no aspecto defensivo.

9 – Falha que veio em um escanteio e permitiu um toque desajeitado de Edcarlos, bola que assumiu uma trajetória estranha até a rede de Cássio. Absolutamente merecida passagem do Atlético às semifinais, mais um tributo à importância da coragem no futebol.

10 – Mano vai dançar?

É MUITO GOL

Os quarenta gols de Neymar pelo Brasil não devem ser subestimados porque ele vive na era da Seleção garota de programas, que joga com mais frequência, onde pagarem. Outros atacantes são contemporâneos dele e não têm quarenta gols. É ridículo “culpar” Neymar por circunstâncias que fogem ao controle dele. E não se trata de comparar carreiras ou importância.

OVNI

A aparição do drone que provocou a interrupção de Sérvia x Albânia, pelas Eliminatórias da Euro 2016, vai gerar uma epidemia de eventos semelhantes, não só em jogos de futebol. A Liga Inglesa já demonstrou preocupação com a possibilidade de objetos voadores aparecerem sobre os estádios do país. Não falta gente desmiolada com vontade de imitar o que houve em Belgrado.



  • Charles.

    Como foi bom assistir aos jogos do Galo e do Peixe !

  • Joao

    Andre,

    Sobre os gols de Neymar na seleção é muito mérito dele, obviamente, atingir tal marca com apenas 22 anos.

    Porém lembro que Ronaldo e Romário, 2 artilheiros do top 5 da Seleção, também jogaram já numa era de amistosos caça-niqueis, talvez um pouco menos. O que acontece é que ambos tiveram muitas contusões em suas carreiras, e nem sempre participaram dos amistosos. No caso do Romario, na fase pré-Copa de 94 ele nem era convocado pelo Parreira… Já o Neymar é pau pra toda obra, se machucou gravemente na Copa mas já está ai arrebentando. Nao tem tempo ruim pro menino. E tambem é figurinha carimbada em todas as convocações, sejam para amistosos ou competições oficiais.

    Abraço,

  • Gustavo

    André,

    acha que 2014 foi suficiente para avaliar negativamente o Mano e dispensá-lo?

    Ou que seria imediatismo demiti-lo, especialmente diante da campanha até razoável do Corinthians nesse ano?

    Tenho pra mim que o Corinthians tem ido muito bem, para uma equipe quase toda reformulada no primeiro semestre.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo