CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

SORRIDENTE

O sujeito liga para a mulher e diz que não vai jantar em casa. A cerveja com os amigos falou mais alto, de novo. De novo?! Ela ouve a notícia como um ataque à família, ao relacionamento, ao matrimônio. E como ele não perguntou, simplesmente avisou, responde com uma ameaça embutida: “faça como quiser”. Na hora do jantar, o sujeito está em casa, óbvio.

Você já esteve lá, não minta. Dunga provavelmente também. Uma resposta do técnico da Seleção Brasileira, na entrevista coletiva de ontem, teve exatamente o mesmo tom da mulher que avisa o marido que “é melhor voltar para casa”, com outras palavras. Foi quando perguntaram a respeito de clubes poderem solicitar que seus jogadores não sejam convocados.

Dunga disse algo na linha de “é só mandar uma carta para a CBF, e não convocamos”, acrescentando que a entidade que ele representa é “democrática” (??) quanto a isso. Ficou escancarada a mensagem subliminar de que aqueles que fizerem o pedido devem pensar bem antes, e não reclamar depois. Um conceito gêmeo do “faça como quiser” da mulher irritada.

Dunga sabe que a maioria dos clubes não enviará a carta. Falta coragem para desagradar a CBF, por motivos que vão de valores recebíveis a temores inconfessáveis. E sobram razões para celebrar as convocações, apesar do prejuízo técnico em campo que resulta da estupidez do calendário. Jogador “de seleção” vale mais e mantém as engrenagens em funcionamento.

Dunga também sabe que a CBF não é “democrática” em nenhum aspecto e que mandar a carta não garante nada. Corinthians e Cruzeiro afirmam ter feito o pedido de não convocação de seus atletas para os amistosos de outubro. Cada um teve dois jogadores incluídos na lista anunciada ontem, desfalques para dois jogos do Campeonato Brasileiro e um da Copa do Brasil.

Os clubes brasileiros são como o sujeito que reclama da mulher e diz que prefere ir para o bar. Mas na hora do jantar está sempre em casa, sorridente.

MUITO OURO

Também na coletiva de ontem, o coordenador Gilmar Rinaldi voltou a evocar o “sonho do ouro olímpico” ao falar sobre o projeto de trabalho das seleções. Rinaldi parece mesmo acreditar que ganhar a medalha de ouro no futebol nos Jogos de 2016 será um evento transcedental. Não surpreende que Marco Polo Marin (o ex, atual e futuro) concorde com ele.

BANDEIRAS

O incêndio no São Paulo nos apresentou algumas opiniões de Juvenal Juvêncio sobre o futebol no Brasil. Na entrevista à Fox Sports, o ex-presidente são-paulino defendeu a liga de clubes, a interferência do governo no futebol, os campeonatos nas mãos dos clubes e só a Seleção nas da CBF. Uma pena que Juvêncio não tenha trabalhado por essas ideias quando podia.



  • Paulo Pinheiro

    Ia dizer exatamente isso, André. De repente o JuJu virou um defensor da ética no futebol, rsrs. O mesmo cara que foi lá e “sequestrou” a taça das bolinhas. Só falta virar presidente do Bom Senso F.C.

    Só não entendi seu comentário sobre o ouro olímpico. Em minha opinião é, sim, uma questão de honra obtê-lo. Somos o maior vencedor de copas do mundo e não temos uma mísera medalha de ouro. Você não acha que isso faz falta? Não provoca perguntas? Não acha que será um marco importante a ser alcançado e representará um momento a ser comemorado?

    AK: Sobre o “sonho do ouro…”: http://blogs.lancenet.com.br/andrekfouri/2014/08/22/camisa-12-205/
    Um abraço.

    • Rodrigo J.

      Sequestrou o quê?

      Único tricampeão seguido, e se o Flamengo não correu atrás do seu direito e deixou o Sport ser declarado campeão….

      E tem mais…a “primeira divisão” de 87 não teve 6 dos 10 primeiros colocados em 86.

      Juvenal tentou liderar o clube dos 13, criar liga dos clubes, e negociação coletiva de TV. Foi um dos únicos que combateu Ricardo Teixeira, mas a gente sabe o fim da história, um certo presidente de um certo clube que só tem negócios obscuros com o governo sabotou tudo, implodiu o clube dos 13, e já está falando em liderar a criação de uma liga.

      Instável e obscuro, combinação boa…

      • José Henrique

        Machucou fundo em vocês a divisão de quotas de TV com a justiça, de a cada um de acordo com seu valor de exposição, não é?
        Estava muito confortável durante décadas mamando na audiência dos outros né?
        E, o pior vocês querem a divisão igual até a página 2, ou seja até o terceiro nome.
        Como dizem aqui na roça: “Mamar na vaca ocêis num qué né?”

        • Rafael

          Vc não enxerga que essa divisão émruim para todos? E que, se continuar, isso aqui vai virar Fla vs Corinthians?
          E que isso é ruim para todos, exceto flamengo e Corinthians obviamente.
          Quanto a mamar nas tetas, quem mama é clube com patrocínio Estatal. Alguns a mais de 20 anos, diga-se.
          Abs.

          • José Henrique

            20 anos, é quase o tempo que vocês mandaram no finado C-13.
            E quanto a patrocínio estatal, acho melhor você não voltar muito no tempo ou na história, pois se envergonhará muito mais dos seus patrocinadores, com certeza absoluta.

            • Rafael

              Amigo,
              Você se enganou feio. Eu não torço pro São Paulo.
              Meu comentário não é clubista.
              Quero uma liga independente e forte, e isso não vai acontecer nunca com essa divisão esdrúxula.
              E sim, empresa pública patrocinar clube de futebol é uma aberração.
              Abs.

              • José Henrique

                Bom, então resta a você uma explicação. Você concordava então com a divisão anterior, onde Flamengo Corinthians e São Paulo, recebiam quotas iguais é bem acima dos demais, inclusive o seu, que não sabemos qual é?

                • Rafael

                  O meu time é irrelevante para a discussão.
                  Levo em consideração o futebol Brasileiro ao formular minha opinião.
                  Os clubes tem que formar uma liga e comercializar essa liga como produto.
                  Para ela ser atrativa é fundamental o equilíbrio entre seus participantes.
                  Esse modelo Espanhol é a longo prazo ruim até para Flamengo e Corinthians.
                  Essa Crise interminável, por exemplo, de Vasco e Palmeiras, é no fundo muito ruim para Corinthias e Flamengo.

                  • José Henrique

                    Tudo bem. Até concordo, porém durante décadas na gestão Fabio KoffxSpfc, nunca se falou sobre liga e outros assuntos.
                    Precisou o Corinthians se rebelar, cansado de sustentar “outro” clube (que não é o seu então), com quotas idênticas, embora com muito menor apelo publicitário, para que as discussões passassem a jogar sobre as costas dele, toda a responsabilidade pelas mazelas da estrutura até então vigente, e “tolerada” cinicamente por muitos defensores da igualdade até a coluna 3.
                    Um discurso com atraso, em função da explosão de um C13 sob domínio de uma oligarquia superada, que não cola.
                    Se culpa cabe a alguém, que se aponte então outros culpados, os verdadeiros, e não aquele que sozinho, peitou uma estrutura, e foi seguido por todos, com vantagens significativas para os mesmos, ao defender seus interesses legítimos, qual fosse o de receber, segundo seus méritos.
                    Em se tratando de “share” e como felizmente no Brasil ainda vivemos no capitalismo, isso se chama lei de mercado.
                    Revogar, por interesses clubisticos é golpe.

                    • Rafael

                      Pois então os outros clubes do c13 devem sair do campeonato. Deixa o Corinthians e o flamengo jogando um contra o outro e vamos ver quanto tempo dura.
                      Essa situação esdrúxula não tem nada a ver com capitalismo. Faça-se uma liga nos moldes da NFL. Do esporte mais popular do pais mais capitalista do mundo.
                      Vai todo mundo ganhar os tubos com televisão. E Corinthians e flamengo sempre faturarão muito mais. Terão mais ST, venderão mais camisas, bandeiras, bonés e tudo aquilo que se vende em um marketing esportivo capitalista e rico.
                      O resto é dividir miséria. Clubes enfraquecidos perdendo jogadores pro leste Europeu.
                      Gol da Alemanha!

                  • José Henrique

                    Então tá. Vamos então fazer um campeonato apenas com Corinthians São Paulo e Flamengo, que ai você fica contente…de novo.!

                    • Rafael

                      São Paulo???

        • RENATO77

          J.Henrique, o que tem de “socialista” no futebol depois dessa negociação com a TV é uma enormidade…
          Abraço.

          • Rafael

            Não tem nada a ver com socialismo.
            Muito pelo contrário.
            Liga com 2 fortes e o resto fraco será desequilibrada. Desvaloriza o produto. O produto não é Corinthians, Flamengo, ou Palmeiras ou Bangu mas sim a liga.
            Isso é óbvio.
            Por que razão é feito assim na NFL? Já viu os números do Superbowl? E a alternância de campeões?
            Vai ver que os donos de franquias da NFL tem um forte viés socialista também, deve ser isso…
            Enquanto não se pensar no negócio sem clubismo, não se avança.

      • Rodrigo – CPQ

        Rodrigo J, em 1987 aconteceu o que acontece (e muito) em todas as áreas no Brasil: a busca de subterfúgios para fazer valer pontos obscuros em leis, regulamentos e afins. Foi assim em 1987 (menos por pontos obscuros no regulamento da competição e mais por atos fortuitos de pessoas do naipe do Eurico Miranda), foi assim no rebaixamento do São Paulo em 1990, foi assim com o Fluminense e por aí vai.

        A verdade é uma só: Juvenal Juvêncio falou em negociação coletiva porque isso seria interessante para o clube dele. Esses caras não agem movidos por altruísmo, de maneira nenhuma. Nem Juvenal, nem Andrés e mais quantos você quiser colocar na lista. Você acha mesmo que se o São Paulo recebesse verbas iguais a Flamengo e Corinthians ele lutaria por negociação coletiva? É pra se pensar…

        Em tempo: sou corinthiano, mas sempre achei mais saudável para o futebol no Brasil todos os clubes receberem a mesma cota de TV. “Ah, mas passa mais jogos do Corinthians”. Oras, então que o Corinthians cobre mais de seu patrocinador, que terá sua marca exibida mais vezes na TV. Pensamento simplista, eu sei. Mas acho que deveria ser mais ou menos por aí…

        • José Henrique

          Patrocinador paga a TV para sua marca ser exibida. Se a TV, passar “Junqueira FC x Ananás E.C”, evidente que ele não compra. Trata-se de um simplismo sim, “Market Share”.
          Para aniquilar com isso, como querem os “socialistas”até a página 3, vamos então derrubar o capitalismo.

      • Paulo Pinheiro

        Rodrigo J.

        Tanto “sequestrou” que a Justiça num primeiro momento mandou devolver. Ele sabia que isso aconteceria. Fez aquilo pra fazer campanha pra (mais uma) reeleição, posando com a Taça ao lado do Rogério Ceni. E conseguiu.
        O SPFC assinou com todos os representantes do Clube dos 13 que o campeão brasileiro daquele ano era o campeão da Copa União (no caso o Flamengo), então independente da posição do Judiciário ou do suposto imobilismo do próprio Flamengo era uma questão de HONRA manter a palavra acordada e jamais ir buscar aquela taça.
        Tomá-la pra si representou uma traição direta ao Clube dos 13 que o JuJu “tentou liderar”. E com requintes de crueldade: o jurídico do clube contava com ninguém menos que o Aidar: primeiro presidente do C13 e que era um baluarte na luta pelo reconhecimento do título de 1987. E agora com o bordão “o campeão é o Sport”.
        Mas isso tem uma explicação: as benesses da CBF, que fazia convocações inacreditáveis como Mineiro, Josué e outros perebas pra valorizar seus passes e vender a peso de ouro para o exterior, fora os títulos insuspeitados desse tricampeonato brasileiro (todos enxergavam os seguidos benefícios da arbitragem).
        Os títulos pararam justamente quando o JuJu rachou com a CBF por um motivo inesperado: o veto ao Morumbi como sede da Copa do Mundo.

    • Ricardo

      Marco importante seria a reformulação estrutural do futebol no Brasil, o planejamento e elaboração de uma equipe com a camisa da seleção Brasileira, recuperar o prestígio de se jogar bem e bonito, como gostamos. Isso seria um marco importante, isso faz falta e provoca perguntas.

    • Paulo Pinheiro

      Eu li, André, mas… sei lá. A mim incomoda a falta do ouro olímpico. Afinal, que “país do futebol” é esse que já teve tantos craques brigando por uma medalha de ouro e jamais conseguindo? Acho que é SIM um título a ser comemorado e MUITO.

      Só minha opinião. Abraço.

  • Luiz

    Sobre a Liga de Clubes, que serviria de base pro resto, ele tentou, né? Mas a maioria não seguiu…

  • José Henrique

    Dunga deu a senha. Acho que é a oportunidade de Corinthians e Cruzeiro mostrarem prá dupla “dona da CBF” quem é quem.
    Agora, patético seria a imprensa ficar contra os dirigentes caso acatem a sugestão de Dunga.
    Pois o discurso da crítica até então…..!
    Porém, acho que não seria nada difícil isso acontecer, já que o time da preferência de alguns não está com o mesmo problema.

  • Emerson Cruz

    O velho mundo cebeefiano de ameaças veladas e cartolas hipócritas.

  • José Henrique

    André. A CBF manda aos clubes correspondência solicitando contribuição percentual sobre os salários que pagam aos seus jogadores, destinada a associação de atletas.
    É justo evidente.
    Porem na mesma nota, lembra que os clubes devem destinar 0,8% do valor de venda definitiva de seus jogadores negociados, percentual sobre o valor total, independente da parte econômica que cabe ao clube.
    É brincadeira? Até nessa eles ficam constrangidos de cobrar os empresários e investidores donos dos direitos econômicos.
    Um absurdo. No caso de um jogador 100% “alugado”, se vendido o clube recolhe, e o “investidor”, …..dá risada.
    Fim da picada essa nossa entidade.

  • RENATO77

    “…responde com uma ameaça embutida: “faça como quiser”. Na hora do jantar, o sujeito está em casa, óbvio.”
    Rachei.
    Abraço.

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo