CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

ASQUEROSO

Não esqueçamos que o Grêmio perdeu em casa por 2 x 0, em um torneio disputado em dupla eliminatória com saldo de gols. A sequência na Copa do Brasil dependia de um resultado improvável na Vila Belmiro, de modo que dizer que o STJD “tirou o Grêmio” da competição com sua mão pesada é um pouco de exagero.

Jamais saberemos qual seria a decisão do tribunal se o placar do jogo de ida tivesse sido o inverso, mas esse é um aspecto menor agora. Se a pena imposta pelos auditores servir para alterar o ambiente nos jogos em casa do time gaúcho, teremos avançado. Outros jogadores negros não sofrerão abuso semelhante ao imposto a Aranha, e os iluminados – julgam-se “dirigentes” – que falaram em encenação do goleiro santista vociferarão nos camarotes. Que tomem cuidado.

A responsabilização do clube por objetos atirados no campo por “torcedores” irresponsáveis cabe como exemplo. Os casos diminuíram justamente porque a coletividade vigia o tolo que não se comporta. Voltará a acontecer? Claro que sim. Não há lei ou pena que impeçam a recorrência de uma infração. Os clubes aprenderam a se mobilizar para identificar os infratores, medida que deve ser tomada com relação a quem chama jogadores adversários de macaco. Se o clube agir, no ato, terá argumentos para não ser punido.

O problema é que o currículo do STJD é tão controverso que até quem se sente representado por uma decisão revisita os próprios conceitos. Mas no caso em questão, é importante lembrar que as manifestações que vimos na última quinta-feira são frequentes em setores da torcida do Grêmio. As tentativas despudoradas de descaracterizar a ofensa racista evidente não fazem deste um episódio isolado ou sem importância. Não aconteceu onde aconteceu por acaso.

Que seja punido dessa maneira, para que as regras de convivência sejam respeitadas. Que diminua até se tornar raro. Que não seja aceito em lugar nenhum. Porque é asqueroso.

ENTENDIDOS

Não se deve subestimar as redes antissociais. Nunca. Ontem tivemos mais um exemplo de sabedoria. Houve quem quisesse “reler” o 1 x 7 à luz de um amistoso pós-Copa entre Alemanha e Argentina. A goleada dos vice-campeões do mundo foi a senha para a exposição de sentimentos reprimidos dos defensores do “foi apenas um apagão”. E eles juram que estavam falando sério.

ESCONDIDOS

Enderson Moreira no Santos, Dorival Júnior no Palmeiras. E a ciranda continua. Enderson, estudioso e da nova geração, pode extrair o melhor do elenco santista. Dorival, no clube que está em seu DNA, pode evitar uma tragédia no centenário. Mas no carrossel das contratações não existe plano, ideia ou visão. Existe apenas torcida e esperança. Dirigentes de arquibancada.



  • Ricardo

    Por falar nos entendidos, a seleção olímpica parece estar sendo preparada como se o Brasil estivesse em dívida, e o Ouro fosse (a)pagar tudo. Gol da Alemanha.

  • Marcelinho

    André,

    Sabe o que realmente me assustou nesse julgamento do STJD? É o fato de parecer que a decisão pela exclusão do Grêmio mais pareceu uma “oportunidade” para o Tribunal mostrar seu “lado humano”, etc..

    Como vc disse, se o julgamento servir para acabar com atos racistas no estádio, terá sido excelente.

    Mas porque o Tribunal não julgou o “lado humano/esportivo”, após a mesma pressão da mídia, no caso da Portuguesa?

  • RENATO77

    Tenho sérias dúvidas sobre a pena aplicada ao Gremio. Tanto pela eficiência como pela justiça. A exclusão do torneio devido ao comportamento de não mais de 20 ou 30 pessoas me parece exagerada.
    Infelizmente a boçalidade é cultural nos estádios de futebol, se esse for o caminho para o fim dessa “doença”…tomara que o remédio amargo dê resultado. E que vá além do racismo, que a boa educação se espalhe e não vejamos mais episódios como o do xingamento da presidente, a música que comemorava a morte do Fernandão ou até mesmo o côro de “assassinos” contra o time de Tite em 2013.
    Mas…sinceramente achei a pena exagerada e abre um precedente perigoso quando a maioria da sociedade aprova a medida, dando “mais poder” ao stjd avalizando essa decisão.
    Abraço.

  • Luciano

    André,
    Só uma dúvida. Caso isso se repita novamente no Campeonato Brasileiro, o clube seria excluído da competição com queda para segunda? Ou temos 2 pesos e 2 medidas em competições?

    AK: No Campeonato Brasileiro, pelo que diz o CBJD, a pena é perda de pontos.

  • Ricardo123

    Sou Gremista, condeno o Racismo mas ainda acho um exagero o que estão fazendo com o Grêmio. A torcida do Corinthians foi na Bolívia, MATOU uma criança de 14 anos com um sinalizador e qual foi a penalidade? 3 jogos sem torcida? Não lembro de ver você AK defendendo uma punição severa ao Corinthians… Também este não foi o primeiro caso de racismo. mas e somente o segundo a ser punido… O primeiro foi o Esportivo no Gauchão 2014. Em resumo, se a palavra “MACACO” parte da boca de um gaúcho, é racismo, os demais são apenas xingamentos. Porque então não punir o Corinthians pela morte do menino, porque não punir outros casos de racismo, será que outros serão punidos?

    AK: Típica memória seletiva de torcedor. À época, escrevi – aqui e no jornal – que o Corinthians deveria ser excluído da Libertadores. Lamentavelmente você não leu.

    • Alisson Sbrana

      Lamentável mesmo.

      Eu li as críticas do AK sobre o Corinthians.

      Acho interessante o torcedor comentarista ter coragem de se pronunciar num debate público sem nem ao menos pesquisar sobre o que vai falar (digitar). Se conhecesse o blog, teria certeza do retorno em negrito. Talvez conheça e o fez por isso.

      Triplamente lamentável é o torcedor do grêmio não se envergonhar com a situação, não conseguir se colocar no lugar do outro, a não ser para comparar penas (mesmo em casos e competições diferentes). É um ato tão “asqueroso” (usando a boa palavra do AK) que me admira ver os impassíveis do lado dos agressores. Os negros do lado do coro animalesco. A menina loira do lado da que soletra a ofensa racista. Eles que não se mexem. Não saem de perto. Não franzem a testa. Nem olham com estranhamento, com constrangimento. Parecem (repito: parecem, no sentido de “dão a entender” ou “podem ser interpretados como”) não reprovar o comportamento, tolerar, “achar” normal. Já escreveu AK aqui sobre o ambiente permissivo. Punir o clube, dessa maneira aguda, pode ser o começo da “educação”. Os que amam o grêmio, como disse a tal, provavelmente irão se constranger numa próxima vez, mesmo que pelos motivos errados. Quem sabe seus filhos se constranjam pelos certos.

      Abraço.

  • Juliano

    AK, apenas para saber (não encontrei), o Grêmio recorreu da decisão?

    Concordo que se o placar do jogo e a chance do Grêmio em seguir adiante na competição fosse maior, a decisão do STJD poderia sim ser diferente. Acredito que o Grêmio ainda esteja “no lucro”.

    Hoje vi na televisão local a mocinha esperneando desculpas e que não é racista, assume que xingou mas que não foi um xingamento racista. Seu advogado foi na mesma linha e lembrou que ela ainda nao foi indiciada (????). Como bem observou um colega, no calor da fala dela, tumultuada e rodeada de microfones, ela pediu desculpas mais vezes ao Grêmio do que ao Aranha. Depois assumiram a linha de querer um encontro com o goleiro para o pedido de desculpas. Estratégia conhecida. Colocam o goleiro contra a parede para ceder ao “ato nobre do perdão” enquanto ela agora se posiciona como vítima, principalmente pelo linchamento moral que passou e está passando. Não duvido o Fantástico promover o encontro dos dois nos próximos domingos…

    Patricia diz que o xingamento não foi pra ofender e não foi racista. Ah não? Fosse um jogador branco à frente dela, ela o chamaria de macaco? Certamente não… escolheria outro, provavelmente ofenderia a mãe ou algo parecido, mas sendo o jogador negro ela escolheu “macaco”. É racista e é pra ofender, não tem como negar isso.

    Achei a troca Oswaldo – Enderson bastante ‘repentina’. Apesar dos resultados ruins, não se ouvia ou se lia, ao menos nos melhores portais, sobre a vontade de troca de comando por parte da diretoria. Fui pego de surpresa. Mesmo não sendo o melhor caminho, só posso torcer para que funcione.

    • Carlos Futino

      Juliano, é justamente a parte do “não foi racista” é o que mais me assusta. E me assusta justamente pela possibilidade de ser sincera (o que é diferente de ser verdade).
      Me parece que uma parte da sociedade brasileira já interiorizou tanto o racismo que não para pra pensar que chamar um homem negro de “macaco”. Não ocorre que a ligação que a mente dela fez do homem a sua frente com o animal é racista.

  • José Henrique

    André. Discordo. Punições a clubes por mau comportamento de alguns indivíduos tem efeito absolutamente inócuo.
    Pretender que os clubes controlem o imponderável é simplesmente um absurdo.
    Com essas decisões, o STJD, está prejudicando o futebol, e injustiças só aumentam a violência e a indignação de torcedores.
    Achar que punições a clubes tenham efeito profilático, é insensatez total.
    E, pior aí da quando o tribunal usa pesos diferentes para julgar casos semelhantes.
    Está tudo errado. Acho que a imprensa de um modo geral deveria puxar a corda ao lado dos clubes.

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo