MAURO SILVA ESCLARECE



No Lance! desta quarta-feira, 06/8/2014:

A propósito da coluna (post abaixo) que publiquei na edição de segunda-feira deste diário, estive com Mauro Silva no final da tarde de ontem. O tetracampeão do mundo em 1994 quis esclarecer o aparente conflito entre seus negócios e o convite de Dunga para um trabalho temporário nos próximos amistosos da Seleção Brasileira.

“Não faço representação de jogadores e nunca participei de negociações desse tipo”, disse Mauro, ao exibir a documentação das empresas das quais é sócio, uma no Brasil e outra na Espanha, ambas com atuação no mercado imobiliário. “Além dessas empresas, faço palestras e sou membro da associação Atletas Pelo Brasil. Não quero deixar dúvidas sobre as minhas atividades”, concluiu.

Perguntei a respeito da Mauro Silva Sport & Business Plan, que se apresenta em seu site, entre outras atuações, como prestadora de assessoria em “intermediação de direitos federativos” de jogadores de futebol. Mauro explicou que o objetivo neste caso é assessorar jogadores que estejam sendo negociados, com aconselhamento financeiro e fiscal. Uma área na qual cogitou atuar logo após encerrar a carreira, ideia que até hoje não se concretizou. Ele admite que o texto disponibilizado no site que leva seu nome sugere outra interpretação.

Mauro Silva concorda com a posição deste colunista, que entende que o trabalho – legítimo, frise-se – de agente de jogadores é incompatível com qualquer outra função ligada ao futebol. Este colunista concorda com a posição de Mauro, que entende que as atividades que ele afirma manter não o impedem de colaborar com a comissão técnica da Seleção Brasileira nos amistosos de setembro. “Vou atender o chamado do Gilmar (Rinaldi, coordenador da CBF) e do Dunga”, disse Mauro.

Como está escrito na coluna que motivou nossa conversa, Mauro Silva é dono de uma trajetória profissional honrada. Não há motivo para duvidar de sua palavra.



  • José Henrique

    Como honradas eram e são as trajetórias profissionais de Bebeto e Ronaldo. No entanto sofreram as piores ofensas e dúvidas, embora nem remunerados fossem para suas atribuições.

  • André

    André,

    Intermediação é uma palavra de significado muito claro. Em que pese a credibilidade do jogador, é inverossímil a desculpa de erro na apresentação de serviço tão profissional. Ademais, o que havia de especial nessa justificativa que não podia ser dada logo quando começaram os questionamentos? Note ainda que somente depois de ser indagado sobre a empresa específica é que ele falou no tal do trabalho de aconselhamento. Fica a impressão de que se vc não tivesse questionado, a aguardada explicação se limitaria aos negócios imobiliários.

    Particularmente, entendo que a incompatibilidade ficou caracterizada, ainda que por culpa de um suposto erro de comunicação. Em desculpas esfarrapadas os tetracampeões vão muito bem.

    Abraço

    • José Henrique

      Tudo bem, daqui prá frente tratar os sanguessugas como “intermediários “.

  • Anna

    Boa, André! Grande abraço, Anna.

  • José A. Matelli

    As editorias de política e de economia dos jornalõezinhos e revistonazinhas semanais precisam urgentemente de gente do calibre e do senso de jornalismo profissional do André. Obrigado pela aula.

    • Joao CWB

      As editorias de esporte também.

      O que tem de blogueiro esportivo fazendo proselitismo político e usando de extrema parcialidade para também comentar política é brincadeira.

      Não que eu ache que os blogs esportivos devam tratar apenas de esporte, pelo contrário. E ultimamente, praticamente apenas o blog do André tem dado gosto de ler.

      Abraço

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo