CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

SILÊNCIO. MENOTTI FALANDO.

Abaixo, a tradução de quatro parágrafos da coluna escrita por César Luis Menotti para o diário argentino “Página/12” (o texto está aqui, na íntegra). É uma aula:

“Para o futebol alemão, é uma honra ter conseguido este título, porque é o produto de uma ideia que foi desenvolvida com o tempo. Uma ideia que se fez forte em sua concepção e suas convicções, apesar de não ter ido bem em algumas instâncias anteriores, porque o futebol é um jogo e às vezes não ganha o melhor.”

“Mas a Alemanha é uma equipe muito generosa em seu jogo, uma equipe que baseia seu potencial na manutenção da bola. A posse não é uma estratégia, mas o lugar desde onde se geram situações na zona de definição. A Alemanha entende o futebol como um compromisso com seu público, com o cenário, com o espetáculo, com a bola como base cultural de seus movimentos, e isso é o que é preciso destacar. Algo que tínhamos nós, os sul-americanos. Isto é algo que eles seguramente estão herdando, daquele Brasil de 70, daqueles futebolistas argentinos que passearam pelo mundo com qualidade, técnica e manejo da bola. Tudo isso está neste novo cenário para o futebol alemão.”

“(…) quero dizer umas palavras sobre o que aconteceu com a seleção brasileira. Eu venho insistindo há muitos anos que o Brasil estava ‘desculturizando’ seu jogo. No dia em que o Brasil não encontrou os resultados que sua grande equipe merecia, como aconteceu em 82 e 86, começou a jogar para outra coisa. Me dói muito, porque o futebol brasileiro nos deleitou historicamente com seus grandes jogadores.”

“Felizmente, a equipe alemã campeã do mundo deixou profundos e sérios ensinamentos para o mundo do futebol. Não é verdade que somente ganham os que defendem ou os que lutam ou os que goleiam. Cada um joga como quer, mas também são campeões do mundo os que sabem jogar muito bem o futebol como equipe.”

Nada a acrescentar. Apenas a agradecer.

SOFÁ

É um equívoco tratar a escolha do próximo técnico da Seleção Brasileira como a solução para o problema simbolizado pelo “epitáfio do Mineirão”. Independentemente do nome e do passaporte do novo treinador, ou do novo coordenador técnico, nada mudará enquanto a Seleção for apenas uma máquina de fazer dinheiro para a CBF. Simulação de eficiência, nada mais.

AGENDA

O comando da CBF deveria investir tempo e dinheiro – ambos abundantemente disponíveis – na elaboração de um plano de recuperação do futebol no Brasil. A edição de ontem deste diário levantou pontos importantes a serem considerados. Há gente técnica com preparo, conhecimento e disposição para ajudar. Os dinossauros sabem quem são essas pessoas.



  • José Henrique

    Muito bem colocado. Só faltou colocar que é uma máquina de fazer dinheiro para “outros” também, com a confirmação que se pode ler hoje nesta notícia:

    http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/bastidores-fc/post/empresarios-e-dirigentes-reclamam-da-nomeacao-de-gilmar-para-cargo-na-cbf.html

    Quer dizer, falta mais alguma coisa para sabermos onde está o problema real do futebol?
    Depois dessa, se a mídia não pegar duro nesse pessoal “donos” dos jogadores, inclusive na seleção brasileira, podemos concluir que o futebol está realmente morrendo, e ninguém para socorrê-lo.

  • Menotti está correto. Abandonamos nosso jeito de jogar, em razão de tristes derrotas. Ganahmos duas copas com futebol “pragmático”, mas sucumbimos feio em 2006, 2010, e agora, vexame em casa. Nas duas copas anteriores, o Brasil estava simplesmente apático, não conseguiu jogar de forma convincente, sendo eliminado por França e Holanda, respectivamente. Apatia, falta de motivação, erro de escalação, tudo isso junto. Tudo isso acumulado em três copas do mundo, e pronto, 7X1 para Alemanha.
    Ainda bem que não sou o único que tem como referência de futebol brasileiro bonito (arte) a seleção de 1982. E era eficiente. Mas como disse o Sr. Menotti, nem sempre vence o melhor. Nenhum time ou seleção jogou futebol com aquela qualidade.

  • Washington Luiz Félix Santos

    A transformação que ocorreu no futebol Brasileiro após as derrotas de 82 e 86, influenciou não apenas o Futebol Brasileiro, mas também a cronica esportiva. Atualmente analisa-se os jogos, jogadores e clubes apenas pelos resultados. Os cronistas demonstram pouca personalidade e muito fanatismo. É comum ouvirmos elogios rasgados a times que só sabem jogar na retranca e a jogadores que possuem baixo nível técnico mas excelente condição física. É necessário que reafirmar que jogar na defesa não é a única maneira de ganhar títulos. O Brasil só voltará a ter grandes jogadores de armação, quando a seleção voltar a valorizar a posse de bola.

    • Rodrigo – CPQ

      Isso é fato. A critica é muito mais pesada quando a defesa é muito vazada do que quando o ataque é inoperante. Mas isso não é apenas na crônica esportiva. A própria torcida anda agindo dessa maneira, também…

  • Felipe

    André,

    Acompanho o blog faz algum tempo. Porém, não havia feito comentário. Gosto muito de seus comentários e da sensatez que sempre permearam sua forma de fazer jornalista. Pois bem, há mais ou menos 1 ano atrás, estava eu aguardando para entrar na sala de embarque no aeroporto de guarulhos em SP, quando vi uma delegação de um grande time aguardando também. Por sinal, era do meu time de coração. Porém, era formada por garotos, de no máximo, 16/17 anos. Cada qual com seu agasalho. estava sentado quando alguns deles se aproximaram. Com a delegação, além da comissão, devidamente identificada, havia também um grupo pequeno, de quatro ou cinco senhores, engravatados, pastas à mão, conversando com os garotos. Não pude deixar de escutar algumas coisas.
    O primeiro dizia para o garoto: ‘Pois escuta o que eu te falo, este torneio é sua chance de mostrar, vai haver vários olheiros de times do exterior. Indo bem, você tem garantia de um novo contrato aqui, ou chance de ir para fora. E larga mão de escutar o treinador, você é estrela deste time, você não pode jogar recuado, não volta não. Joga lá na frente’.
    Mesmo discurso com outras palavras para vários garotos. Essa história me passou despercebida até o dia do jogo com a Alemanha. Vendo a forma de jogar daquele equipe, me ficou claro o tamanho do nosso erro formando aqueles meninos. Todos de Fone de Ouvido, smartphone na mão, cortes de cabelo de estrelas de rock. Isso tudo com 16 anos.
    Não estamos formando jogadores. Nem homens. Estamos formando meninos mimados que acham que são estrelas de cinema. Que podem tudo, que não precisam escutar ninguém. Não adianta somente mudar técnico, comissão, diretor na CBF. O futebol brasileiro tem que mudar. Da categoria mirim até a profissional. De cima até embaixo. E isso leva tempo. Muito tempo. Como mudar um país pela educação. Meu receio é saber quando conseguiremos começar.

    Abs

    • Homem Sábio

      Que horrível.
      Se eu escutasse essa história pessoalmente, jurava que vomitaria em cima dos sapatos brilhantes dos ditos “empresários”.
      E pensar que é o técnico que às vezes é taxado de ruim e pragmático. Mas na verdade é o garoto que está com o lado direito do cérebro no empresário e o lado esquerdo no dinheiro.

    • Juliano

      Felipe, Dorival Jr é outro que bate nessa mesma tecla, da educação, da formação de cidadãos, homens. Estamos mesmo, há muito tempo, em meio à formação de “monstros”, tudo em nome do dinheiro.

      Além disso, há muito tempo o “talento” diminuiu por aqui. Talento sozinho não faz nada. Neymar tem talento, mas é o último a sair após cada treino. Está sempre fazendo mais. Talento sem trabalho é desperdício. No domingo ele irá tocar no assunto que, aqui, esses jogadores treinam de corpo mole. Finalmente Neymar está começando a dar entrevistas relevantes.

      Na tv vemos Champions League, um deleite de futebol, e não conseguimos assistir a Libertadores. Há um abismo de diferenças técnicas e táticas. Ninguém duvida que a educação, o banco de escola, na Europa, é melhor do que na América do Sul. A relação que eu faço é que não basta ter talento, tem que ter desenvolvimento cognitivo. Deveria ser obrigatório em qualquer divisão de base que os jogadores estudassem. Educação formal, esporte, raciocínio lógico, são estudos que não tenho dúvida que contribuiriam para seu desenvolvimento enquanto profissional atleta de futebol e como cidadãos (se tudo der errado). O modelo estadunidense é muito interessante, com a NCAA e as ligas profissionais.

      Enfim, compartilho do seu receio.

      Abraço!

  • Anna

    Futebol é coletivo e a Alemanha provou isso. Grande abraço e bom final de semana, Anna.

  • lm_rj

    Andre, Gilmar rinaldi coordenador tecnico da CBF.
    A raposa tomando conta do galinheiro.

    Pior q isso so se nomeassem o pioneiro empresario do futebol tupiniquim, o uruguaio juan figger

    Fui

  • Lee

    Eu ainda acho que os clubes estão virando reféns desses jogadorezinhos mimados. qualquer meia boca ja começa ganhando 50 mil, pinta o cabelo, compra relogio de marca, cordao de ouro, brinco de diamante e vai pra farra achando que é o cara. A mídia os colocam também como craques, vide o ganso, lucas, pato, leandro damiao, oscar e por aí nós vamos. Lá fora eles também sao vendidos como craques, mas é nítido o comprometimento diantes as difíceis competições.

    Podem mudar tudo, mas se não colocarem esses muleques nos devidos lugares e isso é papel dos presidentes dos clubes, nao vai adiantar de nada. Se colocar o maior administrador de pessoas na seleção, nao vai mudar. Podem trocar todos os dirigentes, da base à principal que nao vai mudar e isso é nítido, mas querem por que querem achar que esses corruptos sao a causa maior, quando na verdade….a podridão tá na educação e nos conceitos básicos que os nossos jovens não têm. Eles não estão nem aí pra hora do Brasil…

  • Lee

    http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2013/01/marcos-junior-critica-atitude-de-parte-da-sub-20-pareciam-estar-de-ferias.html

    Pra completar o que disse no post anterior. Esse marco junior é um fanfarrao também, mas ele meteu na lata e isso o que acontece..e ninguém quer ver.

    • Carlo

      So de um jogador do nivel do Marcos Junior estar convocado pra selecao da base, a gente ja ve o tamanho do buraco.

  • Eddie The Head

    Fugindo do assunto,o que você achou da entrevista que Andrews Jenning deu ao Lance! sobre a máfia da FIFA,ingressos,etc? Ele fala sobre Blatter,Nigéria,contratos de publicidade e outras coisas.

    O cara é uma bomba ambulante.

  • Carlos

    Os dinossauros sabem. Mas eles não mudarão nada, não querem ser extintos.

  • jneto

    A CBF so ira comecar a pensar em mudar se nao conseguirmos classificar para 2018
    Mesmo assim, irao arrumar Desculpas e nao ira mudar muita coisa não

  • Gustavo Xavier de Almeida

    A.K. boa noite…2 perguntas:
    a) é possível eu conseguir os DVDs dos jogos da COPA DO MUNDO 2014 na ESPN ou qualquer outro meio de comunicação????
    b) estou para estrear um blog num site de noticias, farei a parte esportiva e quero colocar uma entrevista rápida com você na segunda edição, existe essa possibilidade???

    abraço

    AK: a) Não.
    b) Sim. Pode mandar as perguntas por email? Um abraço.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo