COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

GPS

O trabalho de jornalistas nos estádios de Copa do Mundo é sempre igual. As coletivas oficiais e os treinos, na véspera. No dia seguinte, o jogo, as entrevistas, a repercussão. O cenário acompanha a dinâmica. A FIFA não padroniza apenas a imagem que converte todos os gramados em um. Por dentro, os estádios também são iguais.

Não faz diferença se você está em Manaus, Berlim, Cidade do Cabo ou Saturno. No momento em que atravessa o detector de metal e sua credencial é conferida pelo código de barras, você entra em um território chamado Copa do Mundo. As aparências, os sons, o cheiro e as sensações são tão semelhantes que confundem até os observadores mais atentos. Some-se isto ao fato de não estarmos acostumados a um Mundial realizado no Brasil, e o que resulta é um estranho estado de desorientação.

Jornalistas brasileiros têm sido frequentemente abordados em outras línguas por voluntários que trabalham nos estádios. Situação curiosa. Se o voluntário não identifica logo um traço de brasilidade na pessoa que se aproxima com cara de interrogação, decide que é melhor falar em inglês. Os diálogos duram até os dois lados perceberem o engano, rirem da própria ingenuidade e recomeçarem a conversa em nossa língua mãe.

Aqueles que cobrem seleções que não a brasileira estão mais expostos ao fenômeno, imersos em ambientes dominados por outros idiomas. A cobertura da Espanha, concentrada em Curitiba, apresentou momentos de surrealismo na semana passada. Dois tradutores foram substituídos pela Real Federação Espanhola de Futebol por não fazer o que se pediu a eles. O primeiro não compreendia o que os jogadores diziam. A segunda não identificava termos futebolísticos. Durante uma entrevista de Diego Costa, o atacante nascido em Sergipe respondeu em português a um jornalista brasileiro e o tradutor não soube o que fazer. A sala, como se fosse uma embaixada do país ibérico, foi preenchida por risos nervosos.

Há relatos de colegas que, por conta das viagens constantes, esquecem de que estão no lugar em que vivem e, ao final do dia, se pegam pensando em como ir para o hotel. Efeitos da novidade representada por um evento que sempre aconteceu longe daqui, e que agora se desenrola em nossos estádios, nossas cidades, nosso país.

Um evento que está bonito dentro dos estádios, como se esperava, e ótimo dentro das quatro linhas. Há problemas, claro, como a ausência de comida nos bares da Fonte Nova (sem o devido aviso, o que pouparia a reação irritada de quem, após a longa fila, descobriu que só poderia contar com refigerantes para matar a fome) antes de Espanha x Holanda. Mas a exibição dos holandeses – os que estavam de azul, em campo, e os que coloriram o magnífico estádio baiano de laranja – saciou quem tinha desejo por bom futebol.

As imagens padrão FIFA da televisão enganam. Nossos estádios não parecem nossos. Mas são, e essa é a parte boa da história nos centros onde existe futebol para ocupá-los quando a festa acabar. Tudo está acontecendo aqui, por mais estranho que seja.

VIAGEM

Daley Blind para Robin Van Persie, contra a Espanha. Andrea Pirlo, sem tocar, para Claudio Marchisio, contra a Inglaterra. Dois lances majestosos, que evocam uma época em que o futebol reservava um lugar de honra para aqueles que também sabem jogá-lo com a cabeça. Dois momentos de brilho nesta Copa que se inicia.

MAESTRO

Sobre Pirlo: costuma-se chamá-lo de inoxidável e vê-lo como alguém aperfeiçoado pelo passar dos anos. Seria maravilhoso se o processo continuasse sem que o tempo impusesse o final. Estamos acompanhando os últimos jogos de Pirlo com a camisa da Itália, e isso não deixa de ser triste. É impossível vê-lo jogar sem pensar na falta que ele fará.

EQUÍVOCO

Patriotas fervorosos, que defendem o Brasil a todo custo e sacrificam as próprias vidas belo bem da nação, transformaram Diego Costa em traidor. Curioso como pessoas tão erradas conseguem se convencer de que estão certas.



  • José Henrique

    Gostei do seu relato André. Passou a sensação exata de como está se sentindo um jornalista brasileiro, acostumado a cobrir copa em outros países, até mesmo surpreso com as descobertas.
    Vendo o que está acontecendo no mundo, as imagens dos torcedores pintados com as cores dos seus paises, uma mobilização mundial, emocionante mesmo, não dá prá entender porque recriminamos tantos os gastos com o evento no Brasil.
    Há muita desinformação, e por azar temos eleições, e a mistura de interesses acontece inevitavelmente.
    Uma pena, o que deveria nos encher de orgulho, passa a contar com alguma frustração, quando se vê manifestantes (poucos é verdade) queimando pneus, quebrando vitrines, incendiando veículos, em contraste com o grande colorido das bandeiras e fantasias do povo apaixonado pelo futebol, e pela seleção.
    E, aborrece ainda mais, esse equívoco absurdo com Diego Costa.
    A gente fica se perguntando quem foi o calhorda que, por ter algum poder de formar opiniões, acendeu o pavio desse movimento de gado absurdo.
    Sim, essas manifestações tem todo o jeito de movimento de manada, e comprova que apesar do avanço da informação, o quanto as vezes ela é danosa e perigosa como uma metralhadora na mão de um chipanzé.
    O brasileiro precisa aprender a selecionar o que lê e o que ouve, para deixar de transformar em verdades tudo o que está tão errado.
    Seu último parágrafo foi exemplar. Uma foto do comportamento bovino que hoje infelizmente dirige muitos jovens, e outros nem tão jovens ainda.

    • Nilton

      José Henrique, com relação a “Há muita desinformação”, o que acontece é que prometeram muito em 2007, e depois a população foi vendo que os principais prontos não foram cumpridos sendo as principais:

      + de 90% das obras feitas pela Iniciativa Privada, e o que acabamos vendo que os Estádios foram todos financiados com recursos do Tesouro e sendo que 9 Estádios vão ser totalmente pagos com “impostos”, sendo que as Arenas do RS, PR e SP vai ser pagas com recursos privados mas com muitos incentivos fiscais (mas tem muita gente duvidando da capacidade de pagamento principalmente em relação a Arena Corinthians);

      O Orçamento da Copa foi beeeeemmmmm menor que o valor executados;

      As obras que mais interessa a população sofreram grandes atrasos e muitas somente vai ficar pronto entre final 2014 a 2015 fora os superfaturamento, fora as que foram abandonadas;

      Há também as injustiças feitas contra a população que estava “no caminho da copa” (no blog do Juca tem muitos exemplos);

      A muita suspeita de superfaturamento nas obras;

      Sempre comentei com os amigos que se a Copa resolvesse o problema do transporte publico de Cuiabá, todos os centavos investidos na Arena Pantanal teria valido apena, mesmo ela sendo um elefante branco, e o que temos é que o governo apressou o passo para que a estação do Aeroporto se tornasse apresentável, mas não funcional (e é aparte mais adiantada do VLT)

      E o que é bom salientar é que em 2013, a população que foi a rua estava cobrando o Governo por melhor qualidade de serviços públicos (em especial Transporte Publico, saúde, Educação e segurança). Hoje o que temos são Organizações Sociais e Sindicais e alguns bandidos profissionais aproveitando a copa para pressionar o Governo (tanto Federal, Estadual e Municipal).

      O brasileiro sempre foi a favor a Copa mas contra como ela foi feita e vai continuar “sendo feita” até 2015.

      Com relação ao “comportamento bovino” isto somente se resolve com educação e o último grande avanço que tivemos foi a criação do FUNDEF em 1996 e implantado em Janeiro de 1998.

      Hoje a classe dos professores é uma das que mais sofre com problema de depressão e Estresse.

      • José Henrique

        É…muitas suspeitas e só. E desinformação há muita sim. Na verdade o grande azar nosso foi essa copa coincidir com as eleições. Uma pena, porque é um evento maravilhoso, e eu particularmente acho que mesmo com os gastos informados, teremos um grande retorno.
        Informações que não chegam por exemplo, qual o retorno que a copa trará para os estados?
        Quanto a Arena Corinthians, (a mais criticada evidentemente porque é o Corinthians), os 420 milhões já conta com a maior desinformação. Você mesmo coloca “impostos” entre aspas.
        Quais impostos vc. se refere? Se a Arena não fosse construida então esses “impostos” entrariam nos cofres do erário?
        Evidente que essa é a maior desinformação, que inclusive ofende a inteligência de quem sabe o que é “incentivo”, e o que é “isenção” de impostos.
        O Corinthians não constrói a Arena, e os “impostos” aparecem de uma nuvem?
        Quanto aos aeroportos, uma informação que não aparece por exemplo, é o retorno estimado em 12 vezes o valor investido, porém se alguém se atrever a dizer isso, será taxado com algum adjetivo nada delicado.
        Hoje infelizmente, é politicamente “incorreto” defender a copa.
        O que é absolutamente lamentável.

        • Nilton

          Você interpretou mau o termo “imposto”, ou eu não me expressei bem:
          O “imposto” que falei são referente as 09 Arenas de propriedades dos Estados (em especial RJ, DF – As reformas mais caras e MT, AM, RN, os famosos Elefantes Brancos), e não tem nada a haver com a operação que foi montado entre União, Estado, Prefeitura, Construtora, Ex-presidente e Corinthians para viabilizar a realização da Copa em São Paulo.

          Com relação aos incentivos e isenção de impostos, não há o que questionar são validos e necessários, porém o Ministério Publico anda batendo duro em cima deles, aparentemente questiona se a Arena esta sendo feita conforme foi combinado. Um dos pontos questionados é que a Construtora/Corinthians estaria pedindo o incentivos em cima do valor total da Obra sendo que a base de calculo, do incentivo, deveria ser somente sobre a “mão de obra” (Valor da obra menos o material usado) Ps. somente li uma notícia sobre este tema e não vi mais nada.

          Com relação aos Aeroportos, o problema é antigo sendo que os aeroportos (antes de 2013) em sua maioria não tinha condição de atender nem a demanda interna imagina os turistas “duma” Copa do Mundo.

          E este problema somente foi agravado porque o Governo Federal, não tinha $$$ para investir nas melhorias e também não queria passar para a iniciativa privada (por ter transformado a palavra privatização em um “palavrão”) , com a copa chegando teve que se apressar e deu no que deu. A grande vantagem é que depois da Copa vamos ter Aeroportos para atender a necessidade internas a contento (fora “do Padrão FIFA” de qualidade).

          A copa vai ser bom para o Brasil principalmente em termo de mobilidade urbana, e aeroportos?????, acredito que sim, mas o motivo de ser bom é que nunca houve grandes investimentos nestas áreas.

          No Geral acho que vamos acabar empatado este jogo chamado “Copa do Mundo”, mas me prometeram que iriamos sair ganhando de goleada fora o baile estilo “Copa de 70”.

          A questão principal é o ponto de comparação:
          Se pegamos o que vamos ter depois da Copa com o que tínhamos em 2007, temos várias vitórias;
          Se pegamos o que vamos ter depois da Copa com o que foi prometido em 2007, temos o gosto amargo que perdemos algo no caminho.

          • Juliano

            José, começo o comentário lhe informando (apesar de saber que vc vai negar essa informação depois) que não sou contra a Copa. A copa acontece, não como prometido em 2007 (e o Nilton já pontuou bastante coisa), e está aí. Sou contra tudo o que foi prometido e não foi entregue, mesmo com tanta manobra como obras emergenciais sem licitação. O que está errado, está errado! Sou contra o que está errado!

            Dentro de campo a Copa está muito boa, obrigado! Apesar de temer que uma vitória da seleção influencie demais nas eleições de outubro, vá lá, estou torcendo pela seleção do nosso país! Em termos esportivos, sou torcedor e entusiasta. No que está errado, sou crítico e não tapo meus olhos nem o sol com a peneira.

            Citar o que está funcionando é bobagem. As coisas são PREVISTAS para funcionar, o que não funciona é que não está previsto. Tudo funcionar é o que DEVE acontecer, é a regra, não a exceção. Comemorar isso é pura ingenuidade, afinal, não foi investido pouco do seu, do meu, do nosso dinheiro nisso tudo. Não seja ingênuo.

            Como gosto de fazer, aproveito para referenciar as informações, porque não sou leviano e não invento coisas. Se a moderação permitir, mais uma vez coloco um link de um excelente jornalista, entusiasta do esporte e do futebol, um profissional com credibilidade como poucos tem. Sugiro a leitura: http://blogdojuca.uol.com.br/2014/06/o-padrao-baka-e-imbativel/

            O texto tem data de hoje, 18/06/14.

            Não é politicamente incorreto defender a copa. Saiba discernir as coisas. Estou curtindo a copa, e muito! Mas não fecho meus olhos para tudo o que está errado acerca dela. Isso não faz de mim um mau brasileiro, e tapar o sol com a peneira não faz de ti um bom brasileiro. A palavra é: discernimento.

            AK, desculpe qualquer inconveniente.

            Abraços!

            • José Henrique

              Acho que você vive tentando me contrapor ao pai do André. Acho que o Juca tem a opinião dele, você tem a sua e eu tenho a minha.
              Devemos respeitar as opiniões alheias, e não desqualificá-las a priori chamando quem não compartilha de suas ideias de ingênuo. Acho que Juca, como democrata deve respeitar as opiniões diferentes das dele.
              Eu falo por mim, são as minhas convicções, não me baseio por opiniões de terceiros. Para mim, vale a sua opinião que respeito, e como é para citar links e outras opiniões, informo que respeito tanto a dos letrados, como a do video abaixo, tão brasileiro, ou mais do que você. Se tiver discernimento, muito bem, se não tiver, não vou responder com nenhuma qualificação pejorativa a você. Somos diferentes, o que é muito bom.
              https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0Sq70dWIQdY

              • Juliano

                José, uma coisa é respeitar opinião diferente, outra coisa é fechar os olhos para o que está errado, tentando tapar o sol com a peneira. Isso eu não faço. Fique à vontade para continuar fazendo, vou continuar achando ingenuidade, lamento que isso te ofenda tanto. Uma coisa é contrapor opiniões, outra é negar FATOS. Opiniões diferentes devem sim serem respeitadas, mas FATOS são FATOS e devem sempre vir à luz para que todos tenham acesso à informação completa (e não apenas o “lado bom”).

                A respeito da catadora, nota-se que é uma pessoa evoluída, pela serenidade, pela felicidade. É uma pessoa que fica feliz pelos outros, mesmo não sendo convidada para a festa. Infelizmente não foi oferecida a ela instrução suficiente para entender dos meandros que envolvem todo o evento. Imagino ainda que ela não tem acesso à informação ao que está errado, conforme os vários exemplos exaustivamente citados. Infelizmente ela é a eleitora ideal para qualquer governo que esteja no poder, na situação. Qualquer. Mas, novamente, não deixo de admirar a serenidade e o modo como ela leva a vida (e não a desqualifico, como você tentará me acusar de fazê-lo). Capaz de realizar uma Copa o Brasil já é e desde 1950. Comparar com a África do Sul é equívoco.

                Eu também falo por mim, e para isso busco informação. Informação consistente e de credibilidade. O que eu compartilho não são apenas opiniões como você afirmou, o principal são os FATOS que são RELATADOS (ou você imagina que nada disso existe e é invenção do jornalista?). É nisso que me baseio, além do que o que está relatado por um jornalista que já cobriu diversas copas (portanto, tem como comparar) tem mais credibilidade do que “eu” ter relatado.

                Em momento algum disse que um letrado é mais brasileiro que um não-letrado. Isso é confusão da sua parte, o que é bastante costumeiro.

                Em suma, discorde à vontade das opiniões que quiser. Mas, por favor, não negue fatos, não feche os olhos, não tape o sol com a peneira.

                • José Henrique

                  Juliano, não sei se você percebeu, mas eu penso diferente de você, entendeu?
                  Ao contrário de você, que “não fecha seus olhos para tudo o que está errado acerca dela(copa) e que não faz de você um mau brasileiro”, eu já “tapo o sol com a peneira, o que não faz de mim um bom brasileiro”.
                  Não sei de sua vida, ou seus relacionamentos, mas se você, a priori faz esse julgamento das pessoas ao seu redor, lamento dizer que, se tiver algum posto de liderança, de colaboradores você terá resultados por apenas algumas semanas, dependendo da necessidade de emprego de cada um.
                  Eu aprendi ao longo de minha vida, a olhar o lado bom das pessoas, e reduzir a importância de seus eventuais defeitos, estes, comuns a todos os seres humanos, por natureza.
                  Não tivesse aprendido essa lição, talvez não tivesse obtido sucesso algum na minha vida profissional, e descartado colaboradores com grandes qualidades e pequenos defeitos, e desperdiçado essas qualidades que me foram disponibilizadas, ajudando-me a superar obstáculos e atingir metas materiais, e com o mesmo discernimento, aplicar iguais conceitos em minha vida particular, com ótimos resultados, o que me faz muito parecido com a descrição inicial que você fez da senhora catadora de reciclados, graças a Deus. (sou cristão).
                  Evidente que existem pessoas que tem ótimas qualidades para o papel crítico, se dão bem em diversas profissões, onde o que predomina é o bom uso da palavra, tem discernimento, boa conversa, e consigam até serem influentes. São aqueles ótimos que dizem com total convicção: “Esse gol até minha avó faria”. Entende? (po estou parecendo até seu idolo Pelé, com tando entende)
                  Apesar de altamente qualificadas, informadas, inteligentes, não são bons gestores, ou seja, não tem poder de decisão, não sabem, projetar, dirigir, e controlar, resumindo não são bons administradores, e não colocam suas assinaturas como RESPONSÁVEIS pelos resultados.
                  E preferem a posição que ocupam, para não correr riscos, pois é evidente que só erra quem “faz”, ou administra.
                  Portanto meu caro colega, eu admito que erros existem, e, em 100% das vezes são cometidos por quem tem a capacidade de assumir e executar alguma coisa real ou tangível.
                  E, como eu aprendi na minha vida, a compreender isso, compreendo e tolero os erros de pessoas que encaram “As coisas são PREVISTAS para funcionar”, e entendo também, que tudo o que é PREVISTO, está sujeito a IMPREVISTOS.
                  E, como já PREDISSERAM, que nada iria funcionar, e não é bem isso o que está acontecendo, tenho uma última esperança, que é a de que os que estão PREVENDO, como o Nilton, de que o meu Corinthians não vai pagar a conta do nosso sonhado estádio, estejam igualmente EQUIVOCADOS.
                  São por esses prejulgamentos, ou meras ilações que eu me manifesto.
                  Por essas e outras, que também não deixo passar em branco, meu caro amigo Juliano, mas você como tem grande discernimento, já deve ter sacado isso.
                  Uma pergunta, o Corinthians não vai pagar, você considera como FATO, ou indicio?

                  • Juliano

                    Sabe qual é o problema dessa discussão? Voce leva para o pessoal, fica imaginando coisas a meu respeito, inclusive no campo profissional, e dissertando sobre seu comportamento. Não há a menor necessidade disso, e não é isso que está sendo discutido, não tenho o menor interesse nisso.

                    O outro problema é você colocar os times no meio. Em momento algum mencionei qualquer time, apenas me apoio em FATOS RELATADOS por quem considero expert no assunto. É só isso, não tem porque sair disso e ir pro pessoal e citar times, não faça isso, é feio. Assim sendo, sua pergunta é descabida, não é algo que me preocupa (por mais que você deseje que eu odeie o seu time, eu não odeio e sei do seu tamanho e importancia pro esporte bretão). Além disso, sua pergunta em nada tem a ver com os FATOS RELATADOS (e referenciados) a respeito DA COPA (que acontece em DOZE sedes, portanto, não tem nada a ver com time nenhum, mais uma vez). Não vou ficar falando de time, não caio nessa.

                    Colega, não confunda ERROS da ORGANIZAÇÃO (COL e afins) com “ver o lado bom das pessoas” (pessoal). Mais uma vez, sua confusão a respeito do que está em discussão atrapalha. Acredito que você não tenha lido o relato que sugeri, não é possível. Vou transcrever:

                    “E não se trata de procurar pelo em ovo (…)

                    Mas a telefonia está lamentável, a mobilidade, que o ministro do Esporte não percebe porque anda de carro oficial com batedores, está complicada, faltam comida e bebida nos bares e restaurantes dos estádios, ontem havia elevadores que não funcionavam no Castelão, os aeroportos estão dando conta do recado porque a lotação dos voos está muito abaixo do esperado, a segurança nos estádios está nas mãos do acaso, basta ver o que aconteceu hoje, e de novo, no Maracanã, enfim, o torcedor está recebendo tratamento Padrão Baka, de bacalhau.

                    Coisas que nem na África do Sul aconteceram em tal intensidade (…)”

                    Você não acha isso grave? O que isso tem a ver com olhar para o lado bom das pessoas? O que isso tem a ver com o modo que você leva a vida ou com o modo que voce IMAGINA que eu levo a vida? O que isso tem a ver com time A, B ou C?

                    Não venha falar em “julgamentos que eu faço” e etc. Não tente me pintar como “mau” porque acredito no que está RELATADO a respeito dos problemas da organização da Copa. Não entre no campo pessoal. Não faça confusão.

                    Esse “predisseram que não iria funcionar” é muito superficial. Eu acredito sempre que as coisas são feitas para funcionar, do contrário nem deveriam ser feitas. Não é possível fazer algo para não funcionar. Como imprevistos podem acontecer, TESTES deveriam ter sido realizados, onde tudo bem se ocorressem problemas, daria tempo para arrumar. Com muita coisa entregue fora do prazo, não houve este tempo.

                    Se não for pra falar estritamente do que o Nilton primeiramente, depois eu propusemos, não se dê ao trabalho de continuar essa discussão atacando o pessoal, fazendo confusão e colocando times no meio.

                  • Juliano

                    Moderação, desculpe, mas é relevante:
                    “Há muita desinformação”. De fato, há, pois não é todo mundo que tem peito de informar o que acontece de ruim. Admiro quem o faz, e peço a permissão pra mais um link, fresquinho, com data de hoje: http://blogdojuca.uol.com.br/2014/06/60679/

                    1- Nenhum time foi mencionado
                    2- Não é nada pessoal (nem com você, nem comigo, nem com ninguém, mas com o COL e seus responsáveis).

                    Informação. Credibilidade. Exercício da cidadania. Democracia. Brasileiro, sim, e muito!, como você, como eu, como a catadora. Sem desvirtuar, ok?

                    • José Henrique

                      E você acha que essa gente que você citou no link do Juca, são meus heróis?
                      Você tirou isso de onde? E mais, eu concordo com quase tudo que o Juca diz, veja bem, “quase”. Acho que ele não tem, e nem quer, ser considerado possuidor de poderes e conhecimentos divinos e inquestionáveis.
                      Eu não vou colocar aqui links, para reforçar a minha visão sobre a copa, mas vou repetir pela enésima vez, acho que apesar de “APESAR DE”, a copa é um sucesso, queira o senhor ou não. Como gosta de fatos, basta ligar a TV, e ver o povo.
                      Quanto a esse assunto do link, se isso lhe servir de consolo concordo integralmente com o Juca nas criticas a essas pessoas.
                      Agora, se quiser ver coisas contra a Copa, basta ver os videos anexo, aliás, a tese defendida pelo Juca, está muito bem exemplificada neles.
                      Um adendo, para você parar de tentar me indispor com o pai do André, apesar de dizer que o admiro, e leio. Fui frequentador do blog dele por anos com muitas participações, e só deixei de fazê-lo, por motivos que não interessa, e que expliquei ao Rafael Belattini que modera o blog do Juca.(mas leio tudo, o senhor não precisa ficar colando.) É o oposto das considerações que o senhor teceu sobre a “pouca informada” catadora de reciclados ok?

                      http://tvuol.uol.com.br/video/para-juca-e-sakamoto-copa-foi-feita-para-torcida-elitista-e-intolerante-04024C18376CDC815326

                      https://www.youtube.com/watch?v=0Zkp1C9ucrc

                      E para finalizar, eu acho uma grande bobagem, a pretensão de que os estádios devessem ser construidos por empresários, retirando recursos de suas empresas e negócios para entregá-los a governos estaduais, ou municipais.(a troco de que?)

                      E mais, pretender ainda ingressos a 10,00 com meia entrada para estudantes, e que os estádios abrigassem todo o “povo” brasileiro.
                      Simplesmente irracional. Copa para todos, é utopia.
                      Afinal, o que eu pelo menos entendo, estamos em um pais capitalista….ainda…!
                      E o senhor me proporcionou a oportunidade de mostrar as duas faces de como as pessoas veem essa copa. Eu fico com a catadora, e o senhor?
                      Muito obrigado.

          • José Henrique

            Quanto aos aeroportos, nem vou responder de tão ridículo que foram as previsões de profetas do apocalipse. Nada indicava caos no setor. No carnaval e na visita do Papa, vieram 4 vezes mais do que na copa, e ninguém morreu.
            E parece que o caos realmente aconteceu e estamos passando mesmo muita vergonha:
            http://oglobo.globo.com/economia/infraestrutura/indice-de-atrasos-de-voos-na-copa-ate-agora-menor-que-media-internacional-12882036

            • RENATO77

              Discernimento não se aprende no banco da escola.
              Abraço.

            • Juliano

              Pela impossibilidade de responder acima, respondo por aqui:

              – Eu disse que a Copa não é um sucesso? Eu disse que torço para que a Copa não seja um sucesso? Eu disse que Juca o faz? Pelo contrário, se conseguir ler, eu disse que sou entusiasta sim, apenas não ignoro os erros. Sabe por que? Porque foi colocado muito dinheiro público pra que isso funcionasse direito, e não funciona. Foi colocado mais dinheiro do que o previsto. Dinheiro seu, meu, da catadora, de todo cidadão brasileiro. Portanto, é possível sim curtir a copa (como faço) e obter informação do que deveria mas não funciona (apesar do derramamento de dinheiro). Não sou Joana Havelange que quer que esqueçamos “o que foi roubado já foi”, nem o Pelé. Não torço contra a Copa, mas que onde houver ERRO isso fique evidenciado para que quem errou com o nosso dinheiro seja responsabilizado. É difícil entender isso?

              – Pra curtir a Copa não precisa estar alheio a tudo isso que citei. Também olho a alegria do povo e o que está sendo um sucesso, e que bom, não era pra ser assim? Claro que era! Que bom, José!

              – “Possuidor de poderes bla bla bla” ???? Você viaja demais, eu apenas utilizei uma FONTE de INFORMAÇÃO, quem falou em poder divino e dono da verdade? É INFORMAÇÃO, é RELATO. Só isso!! Usei esta fonte pela credibilidade, mas poderia ser outra.

              – Te jogar contra alguém??? De novo esse papinho pessoal? Voce cansa! Nem te conheço, você não me conhece, não conhecemos os blogueiros pessoalmente. Você viaja demais!! Que bobagem é essa? Que mundo você vive?

              – Voce acha bobagem “empresários construírem estádios e entregarem pro estado”. Nossa, superou! Primeiro, quem disse que não haveria dinheiro público na realização do mundial (90% seria da iniciativa privada) foi o presidente da república na época. Depois não se cumpriu isso, absolutamente! Voce acha certo então gastar mais de 1 bilhão na reforma do Maracanã (dinheiro público) e entregar para consórcios (iniciativa privada, em acordos pra lá de estranhos). Jura que você concorda com isso?

              Resumindo: VAMOS CURTIR A COPA? SIM! VAMOS! É um sucesso? SIM, É!
              Porém: EXISTEM ERROS? SIM! VAMOS FECHAR OS OLHOS? NÃO!

              Isso não deveria ser tão difícil…

  • Eduardo Mion

    André,
    quanto ao processo de envelhecimento, podemos dizer que o Xavi está sentindo mais o peso dos anos que o Pirlo, infelizmente para espanhóis e felizmente para italianos.

    Abraço

  • Marcelo

    André, na minha opinião o caso do Diego Costa não se trata de traição, é mais uma questão de principio. Uma seleção nacional não deveria representar uma nação? E o Diego Costa é espanhol aonde?

    Não sou contra a naturalização de pessoas que vão muito jovens para outros países e de fato se sentem daquele povo, mas no caso do Diego foi algo com interesses claramente financeiros e políticos. Ele foi procurar virar espanhol com mais de 20 anos para poder jogar uma copa! O Messi é mais “espanhol” que ele!

    Ah, mas ele não teria chances na seleção brasileira! Azar ué, acontece! O que não pode é cada um se naturalizar isso ou aquilo dependendo da onde terá chances de jogar, e não baseado no povo que representa!

    Abs!

    AK: A carreira do Diego Costa se desenvolveu na Espanha. É absolutamente natural que ele opte por representar esportivamente esse país. E ainda nem estamos falando do direito de cada pessoa de optar pelo que considera melhor para sua carreira, o que, de fato, enterra a demagogia que cerca essa questão. Um abraço.

    • Juliano

      Concordo com AK que a postura da torcida é bisonha, quando ofende Diego. Ele fez a escolha dele, tem identificação NENHUMA com o futebol daqui (alguém lembra se ele foi ídolo em algum time nacional?), e tudo bem. O público brasileiro está totalmente equivocado quando o ofende.

      PORÉM, já comentei isso em outra oportunidade, o que me causou irritação outrora foi ele ter jogado um amistoso pela seleção brasileira, quando nem era cotado ser convocado por Del Bosque. Depois isso se tornou realidade, Felipão tentou interferir (e também acabou falando bobagens), e é isso que temos. Meu ponto é: Diego, por que não continuou se esforçando para ser convocado sempre e tão somente pela Espanha, negando a convocação para os amistosos contra Rússia e Itália? Isso eu achei muito errado, ter optado por defender outra seleção depois de JÁ TER vestido a camisa da primeira.

      Fato é que, depois da estreia catastrófica da Espanha, e de dependermos de Fred e Jô, seria melhor pro Diego e pra seleção brasileira que ele estivesse vestindo a amarelinha. Teria sido melhor para as duas partes. Hoje, não é.

      Abraço!

    • Nilton

      Lembro das discussões em relação ao Hulk quando ele começou a ser convocado para a seleção, boa parte da torcida falava que no Brasil tinha pelo menos uns mil jogadores igual ou melhor que o Hulk e ele sempre sendo valorizado na Europa.

      Acredito que o Diego Costa também receberia estas mesmas criticas se tivesse optado pela seleção principalmente nos últimos jogos em que jogou pelo Atlético da Madrid (já que o “centroavante do nosso time” é sempre melhor que dos times adversários). Lembro da campanha para que o Hernane (Fla) e o Alan Kardec (Palestra/SPFC) fossem convocados pelo Felipão.

    • Lippi

      Acho engraçado tentarem achar argumentos para ir contra o Diego Costa, e nunca ter ouvido ninguém falar uma palavra sobre o Deco. Qual é a diferença? O cara se naturalizou, podia fazer isso, pronto, acabou, a escolha é dele.

      • Juliano

        Lippi, seguindo a minha linha de pensamento, a diferença é que Deco jamais foi convocado, aceitou e vestiu a camisa de outra seleção que não a portuguesa. O mesmo vale pra Liedson, Pepe, Eduardo da Silva, Giovani dos Santos e Thiago Motta (apesar deste ter defendido a seleção brasileira em divisões menores, como sub 17 e sub 23). Essa é a grande diferença destes brasileiros que defendem outras seleções e não são vaiados para Diego Costa, que vestiu a amarelinha e em um curtíssimo período depois disso a preteriu. Para os outros citados, não foi uma escolha, foi a única escolha, ao contrário do Diego.

        Mas não acho que nada seja motivo para ofendê-lo, vaia-lo, hostiliza-lo como “traidor”. Concordo com quem achar que essa postura é errada. Escolheu e pronto, fim da história, não tem porque vaiar e ofender, deixa o atleta realizar o trabalho dele e fim. Nada justifica.

        Concordo com o Roger (abaixo), que a FIFA precisa definir melhor parâmetros relacionados a atletas naturalizados.

        Abraços!

    • Roger

      Penso que na questão do Diego Costa e principal “errada” é a FIFA. Meses antes ele foi convocado para a seleção do Brasil (se entrou em campo ou não é outra coisa) e acatou a convocação. Meses depois a Fifa aceita que ele jogue pela Espanha. Acho errado este fato, quanto a ele se naturalizar espanhol acho normal, mas a partir do momento que aceitou ser convocado pelo Brasil não poderia atuar pela Espanha. Repito erro FIFA. Abraço

  • Anna

    Van Persie fez um golaco. O mais bonito da primeira rodada. Ridicula a vaia a Diego Codta. Grande abraco a todos, Anna.

  • Lucas Gomes Palhares

    André,

    ando revoltado com as transmissões de jogos há muito tempo. Sejam jogos de times ou de seleções, campeonatos nacionais ou internacionais. As transmissões são simplesmente insuportáveis. Precisa ter uma campanha pra virar esse jogo. É o seguinte.

    O espectador não vê mais o jogo. Já há muito tempo que em qualquer jogo, de time ou seleção, as TVs e a FIFA estragam a transmissão. A toda hora corta a visão do campo, para dar close, pra fechar o ângulo, pra mostrar caretas, torcida, técnico, juiz, jogador que bateu por último na bola. Isso tudo com o jogo rolando. Se um jogador tá atacando, pode esperar que a câmera vai dar close nele e o espectador que se vire para imaginar o que está acontecendo no campo.

    E mesmo que o jogo esteja parado, o espectador que ver o campo, quer ver a jogada, quem está preparado para repor a bola, quem está se movimentando. O espectador quer ver o que está acontecendo naquele momento no campo, uma discussão, um jogador combinando uma jogada.

    Chega de close, chega de cortes, chega de mostrar caretas e bocas. E replays não precisam ser mostrados 4 vezes da mesma jogada.

    O espectador não vê mais um lance completo, uma roubada de bola que acontece na defesa e termina num belo contra-ataque. Porque só se vê pedaços de lances na TV.

    As transmissões são um lixo. Viraram apresentação de slides. Viraram videotape ao vivo. Alguém precisa discutir isso na mídia. É um show de péssimas transmissões.

    • Nilton

      Lucas se você gosta apenas ver o que esta acontecendo ao vivo, você tem a possibilidade de assistir as partidas nos estádios, na TV sempre é interessante ver as jogadas por outro angulo e as TV ganha para maximizar o que acontece dentro do campo trazendo detalhes que as vezes passa despercebidos a olho nu. Lembro de uma Coluna do Tostão que ele cita a diferença entre assistir o jogo no Estádio e através da TV e os pontos positivos e negativos de ambos.
      Mas concordo que os operadores de vez em quando perdem alguns lances importante.

      Mas o Galvão já perdeu até gol do Brasil e ainda é o principal narrador do principal canal de TV do Brasil.

      • Lucas

        Nilton,

        convenhamos, não dá pra sair por aí assistindo tudo quanto é jogo nos estádios certo? Nem na Copa, nem no brasileirão. Pelo menos pra mim, he he…

        Minha bronca é com o exagero. A dinâmica do jogo tá indo pro espaço. Estamos perdendo a sequência dos lances. Pra mim, é como se fossem os “melhores momentos” ao vivo.

        Mas respeito a preferência de cada um, só acho que dá para conciliar o jogo em andamento com a hora certa de mostrar detalhes e replay. Normalmente, vejo com calma os lances após os jogos que mais me interessam.

        Talvez, com a tecnologia, isso fique resolvido. Pra mim vai ser ótimo o dia em que, de casa, poderemos escolher a câmera que vai ficar fixa, se queremos ou não replay, se queremos ou não detalhes do jogo. Não deve estar longe… Espero.

        • RENATO77

          Concordo com o Lucas, tá havendo exagero…como um “brinquedo novo” nas mãos duma criança…o momento da partida deve ser o foco principal da transmissão, as imagens correlatas, paralelas deveriam ser apenas um tempero e não prato principal e ser destinadas ao intervalo(cada vez mais espaço aos comerciais) e às matérias do pós jogo.
          Abraço.

        • Nilton

          Realmente sair assistindo nos estádios é algo impossível, principalmente nós daqui do MT que temos somente jogos DA segunda (graça ao Luverdense, quem sabe ano que vem podemos ter jogos da primeira).

          Mas se pegamos que os jogos do Brasileirão temos de 1/3 a 1/2 da partida sem a bola esta rolando, os replays da uma animada na transmissão, mas concordo com a tua opinião que devem sabe o momento de mostrar os detalhes e replay, as maiores “cagadas” neste caso são quando acontece um lance duvido ou bonito e a bola continua rodando por uns 5 minutos e o rapazinho do replay fica doidinho para soltar o Replay.

          Com relação a Tecnologia com a entrada das TV digital, já tem vários canais pagos que tem a opções de pause e de retroceder a imagem. Na Copa temos mais de 30 Câmara filmando os jogos, é muita opção que pena que a gente não possa escolher rsss.

  • Gustavo Soares

    Não vejo tanto problema nas vaias ao Diego Costa. Vaias em jogos de futebol são normais. Como ele poderia ter jogado pelo Brasil e não quis, nada mais normal que ser vaiado. Afinal é de uma equipe adversária e que é considerada uma das favoritas. O público naturalmente torce contra os espanhóis. A vaia nesse caso é mais para desestabilizar. Tentar evitar que o jogador adversário seja positivo para o seu time. Essa é uma das funções do torcedor. Enquanto forem só vaias tudo bem. O problema seria algo mais sério. Se até vaiar jogador adversário for proíbido, vamos tornar nossos estádios verdadeiros teatros. Sou contra vaiar hino e entrada dos jogadores. Mas durante o jogo é outra coisa. Aí pode vaiar sim. Essa sempre foi a conduta dos estádios. Diego sabia que sua decisão ia ter esse tipo de conseqüência. Deve enfrentá-la, e usá-la como motivação maior (espero que não… afinal pode enfrentar-nos na próxima fase) para demonstrar seu valor.
    Em relação aos estádios, estão muito bonitos, e me pareceu que o estádio paulistano é o menos bonito da copa, devido as estruturas temporárias, que não “casam” com o design do restante do estádio, parecem um corpo estranho.

    AK: Vaiar não é o problema.

    • Gustavo Soares

      Sim não é. Foi uma conseqüência. Concordo que a decisão é dele, e não temos como julgá-lo, é uma decisão pessoal, e cada um cuida da sua própria vida.
      Sobre Pirlo… ah se tivéssemos alguém como ele na seleção brasileira… nos falta experiência e maestria.

  • Caro André, sou seu leitor contumaz. Hoje arrisquei um comentário. É banal: parabenizá-lo pelo belo fecho ao seu artigo “Curioso como pessoas tão erradas conseguem se convencer de que estão certas”. Como diz um amigo meu aqui de Natal, quem formula idéias como essa merece aplausos. Parabéns.

    AK: Obrigado. Um abraço.

  • Silva

    Caro André,

    Já assisti umas 10 partidas do Diego Costa. Até hoje não entendo as razões por todos os barulhos que foram feitos sobre sua opção pela Espanha. Um jogador nota 4 (quatro), muito físico e nehuma técnica. Fez um bom campeonato Espanhol? Fez, mas vai ficar por aí.

    Agora vou chorar as dores de um ano difícil, não tão duras como ver a Seleção de 82 eliminada de uma copa, mas é duro ver o fim do ciclo Barcelona/Espanha. Sim, na terça, terei a oportunidade de ver Andrea Pirlo jogar, pena não poder ver Andrés Iniesta. Acho que chorarei novamente, lágrmas de alegria por um olho e de lamentos pelo outro.

    Abraços.

  • Alan Bezerra

    De longe, afinal não fui em nenhum jogo da Copa, estou formando a impressão de que o Mundial está causando um impacto melhor do que o esperado em todos.

    André, você que vive o Mundial por dentro, essa impressão é equivocada? Seus colegas estrangeiros (ou locais mesmo) da imprensa chegam a mencionar isso no dia-a-dia?

    Posso estar errado, mas vejo que mesmo com todas as nossas mazelas, estamos conseguindo realizar uma Copa do Mundo muito boa.

  • Jose Silva

    Com relação à frase “Curioso como pessoas tão erradas conseguem se convencer de que estão certas.”, você A.K. é um belo exemplo disso. Um abraço.

    AK: Você não vai muito longe usando os argumentos dos outros. Seu histórico de comentários reflete essa limitação. Seria bom começar a pensar. Um abraço.

  • Joao CWB

    Poxa André, fiquei triste com a minha amada Curitiba.

    Tivemos o pior jogo até agora, teremos um que não valerá nada e acredito que o clima no CT do Caju é de velório.

    A cidade merecia mais.

    Abraço

  • Alex Melo

    André, nem sei se irá ler meu comentário ainda.
    Se tratando do Diego Costa, não acho que ele deva ser vaiado pq traiu a seleção. Isto é patriotismo desnecessário e infundado, mas faço parte da turma que acredita na força da torcida. Portanto, desestabilizar o atacante titular da atual campeã mundial – logo, grande adversária do Brasil – me parece uma ideia interessante. kkk

    Resumindo, independente de Diego Costa ou não. Eu torço contra as grandes potencias. E se estivesse no estádio iria vaiá-los.
    E torço pra que esteja bem quente no jogo deles.

    A Copa é nossa. Portanto, vamos jogá-la em nossas condições.

    Valeu

    AK: Uma vez mais: não há problema algum em vaiar. Um abraço.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo