COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

SIMULADO

1 – A opinião mais importante sobre Brasil x Sérvia foi oferecida antes do amistoso, não depois. Luiz Felipe Scolari disse textualmemte, ainda em Teresópolis, que gostaria que o jogo tivesse acontecido há dez dias. A CBF inverteu a ordem de dificuldade que a preparação pedia (Panamá depois da Sérvia), e a Seleção sofreu mais do que deveria nesta sexta-feira.

2 – O tom da tarde ficou evidente com dois segundos de bola rolando. Falta em Neymar no grande círculo, recado enviado. O gramado escorregadio e a agressividade dos sérvios foram uma combinação aflitiva demais para quem estava a seis dias de abrir um Mundial em casa. Do ponto de vista competitivo, não foi um amistoso. Com um agravante: a Sérvia não está na Copa e não precisava se preocupar em perder jogadores expulsos ou machucados.

3 – É um equívoco esperar atitude semelhante do Brasil, que poderia ter muito mais a lamentar do que deixar de vencer um amistoso preparatório. Não é por outro motivo que o ideal é que a última movimentação antes da estreia seja um treino de luxo, não uma briga de rua com plateia.

4 – A Sérvia marcou com linhas próximas e dentes expostos. O Brasil se distanciou em campo e não teve a elaboração necessária para romper a pressão. Haverá problemas em situações parecidas se a circulação da bola não for competente para provocar a desorganização defensiva. O passe longo, como válvula de escape (mais sobre isso adiante), depende da falha do adversário para ser efetivo. Algo com o que não se deve contar.

5 – Só uma ocasião clara de gol no primeiro tempo, da Sérvia. Vaias do Morumbi ao 0 x 0 na saída de campo, descontentamento que se refletiu nas fisionomias dos jogadores e de Scolari no caminho para o vestiário. Pressão adicional às vésperas da estreia, que só uma vitória na segunda parte seria capaz de aliviar. Não precisava ser assim.

6 – Um escorregão de Neymar no reinício representou a soma de todos os medos. O prodígio fez cara de dor, levou a mão ao joelho. Levantou-se monopolizando a atenção dos companheiros, do banco de reservas e de quem percebeu a cena. Firmou a perna no chão, logo estava correndo. Alívio. Seria um preço exorbitante por um amistoso realizado na hora errada.

7 – Gol de Fred. Diferença no placar e na maneira como o jogo será processado pela Seleção Brasileira. Formidável lançamento de Thiago Silva endereçado ao peito do centroavante, expondo o erro de posicionamento de Ivanovic. Exibição de recurso de um produtor de gols. Jogada que ilustra o comentário feito no final da nota número 4.

8 – A vitória teria sido maior não fosse um erro inexplicável da arbitragem, que marcou impedimento inexistente de Hulk, lançado por Neymar. A grande vitória, porém, foi chegar ao apito final sem baixas.

9 – O jogo vertical é uma virtude desta Seleção Brasileira, provavelmente a maior delas. Mas é necessário ter outra proposta para responder ao adversário que reduz o espaço. Os sérvios indicaram um caminho que será trilhado por outros times.

10 – Willian bate à porta. Joga e faz jogar. Pode ser a saída.

CUIDADO

Scolari está correto ao preservar Oscar em suas decisões internas e declarações públicas. Nada seria pior do que um jogador importante se sentir descartado logo antes do início da Copa. Mudanças acontecem em todos os times, é provável que aconteçam neste. É papel do técnico comandar esse processo sem ameaçar a confiança e o sentimento de utilidade de cada jogador.

SORTE

As lesões pré-Copa (Ribery foi cortado da França e Reus se machucou no jogo da Alemanha) continuam assustando a todos, menos o Brasil. A imaculada preparação no aspecto médico correu um sério risco nesta sexta-feira no Morumbi.

ESTREIA

A Croácia marca como a Sérvia e possui mais argumentos ofensivos. Deve ser menos viril, por motivos óbvios. Do Morumbi para Itaquera, a Seleção Brasileira, em tese, terá mais dificuldades. Mas também terá mais alternativas.



  • José Henrique

    Excelentes observações,cabendo registrar as palavras de Scolari que revela muito bem porque e por vontade de quem foi realizado esse jogo. “O chefe mandou. eu obedeço .Vamos jogar”.
    Deixou bem claro, assim como observado neste post que esse jogo não deveria ter acontecido.
    Para um agrado ao clube que torce, até risco desnecessário valeu.

  • RENATO77

    Relações intra-uterinas.
    https://www.youtube.com/watch?v=FxaViWWlgD8
    Abraço.

  • Emerson Cruz

    A eterna mania da CBF de fazer média política, com dirigentes e governantes gerou a possibilidade da Seleção perder alguém importante na última quinta. Confesso que no referido lance em que o Neymar ficou sentindo o joelho, temi pelo que seria a ausência de mais um craque na Copa e o fim da possibilidade do sexto título mundial do Brasil. Menos mal que nada seriamente ruim ocorreu.
    Outra coisa, se a comissão técnica era contra o amistoso no Morumbi contra a Sérvia no último dia 6, por que ela não confrontou os patrões? O que Felipão, Murtosa, Parreira e companhia teriam a perder caso revindicassem o que é melhor para a Seleção na fase derradeira de preparação para o Mundial? Está aí perguntas que eu gostaria de ver alguém da comissão técnica responder.

  • Por favor,é urgente para o destino da seleção nesta Copa;Peço a você como jornalista que tem mais poder que eu para chegar ao Felipão esse alerta:ele pode escalar com os jogadores que ele convocou um mesmo esquema com que ele foi campeão no Japão escalando : Julio Cesar(como Marcos);Daniel( como Cafu)Dante(como Lúcio)Thiago Silva(como Roque Jr)Marcelo(como Roberto Carlos)David Luis(como Edmilson)Luiz Gustavo(como Gilberto Silva)Fernandinho(como Kleberson)Willian(como Ronaldinho)Neymar(como Rivaldo)eFred(como Ronaldo);no banco de reservas :Hulk,Oscar,Ramires,Maicon e Victor;claro que a qualidade técnica dos jogadores não é igual mas sim o posicionamento tático para podermos chegar a final contra Alemanha ou Argentina;por favor akfouri faça chegar essa mensagem ao Felipão ! Antecipadamente agradeço.

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo