CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

VIDA EM CAMPO

Pouco depois do final do jogo em Londres, repórteres se aproximaram de Filipe Luís. O lateral brasileiro do Atlético de Madrid havia ajudado seu time a chegar, pela primeira vez, à decisão da Liga dos Campeões da Uefa. Entre as palavras que conseguiu pronunciar em um momento de verdadeira emoção, Filipe conjugou a necessidade de “pensar no Levante”.

O Levante é o próximo adversário do Atlético no Campeonato Espanhol. O primeiro dos dois últimos times que se colocam entre a equipe da capital e o título nacional, caso o Atlético consiga vencer ambos os jogos. O conceito de jamais deixar de olhar para o desafio seguinte precisa estar impregnado no subconsciente de um jogador para surgir, assim, quando ideias desconexas seriam naturais, esperadas até.

O “próximo jogo” é um dos mantras de Diego Simeone, o técnico que levou o Atlético da irrelevância às portas das duas conquistas mais preciosas que o clube pode almejar. É um exercício de concentração e, ao mesmo tempo, o reconhecimento de uma fragilidade que até agora o argentino e seus jogadores conseguiram esconder. Porque o mesmo time que derrotou o Chelsea, em Stamford Bridge e de virada, pode perder para o Levante, se não se preparar como deve.

Não é retórica de vestiário, é a realidade de uma equipe que é muito mais do que a soma de seus jogadores. O Atlético é o time que “não deveria estar aqui”, na Liga Espanhola ou na dos Campeões. Já deveria ter recebido um tapa nas costas e se recolhido ao sofá que seu orçamento lhe reserva, para ver os gigantes disputarem os troféus.

Quando eventos como esse acontecem no futebol, o trabalho do técnico está na origem da explicação. Simeone pode não conquistar as taças que estão tão perto, mas seu Atlético nos recorda do que jogadores convictos são capazes, se tiverem um bom exemplo e muita coragem.

É um jeito admirável de jogar futebol e de encarar a vida.

COJONES

Simeone agradeceu às mães dos jogadores do Atlético de Madrid por terem feito filhos com “huevos grandes”, um elogio à postura destemida que é característica do time. As semifinais da Liga dos Campeões promoveram o debate sobre formas de jogar. Nada é definitivo no futebol. Ficou evidente que as ideias e os estilos são opcionais. Mas a bravura, não.

DÉRBI

Pela primeira vez na história das competições europeias, dois times da mesma cidade decidirão o título. O Real Madrid ainda não conseguiu vencer o Atlético nesta temporada, com uma derrota e um empate. Mas o time merengue é hoje uma máquina do contragolpe, no auge da confiança após destratar os atuais campeões da Europa. Será uma festa madrilenha em Lisboa.

ATUALIZAÇÃO: Nas semifinais da Copa do Rei, o Real Madrid venceu os dois jogos contra o Atlético.



  • flavio

    Não precisa publicar… O Real venceu o Atlético na Copa do Rei. 3×0 e 2×0, se não me engano.

  • Emerson Cruz

    Conseguir com este elenco do Atlético formar “uma equipe que é muito mais do que a soma de seus jogadores” é o grande feito de Simeone até aqui. O time menos badalado da capital espanhola parece se basear na consciência de seus limites para superá-los através de organização, coragem e coração. Cholo e seus comandados merecem os parabéns.

  • Luiz Mello

    Claro que não tem a mesma relevância dos jogos pela Liga, mas o Real derrotou o Atlético nesta temporada pela Copa del Rey.

  • Thiago Mariz

    Apenas um adendo, o Real Madrid venceu o Atlético duas vezes na Copa do Rei.

    Simplesmente encantador esse time de Simeone. Não tem como não torcer por ele, exceto aos torcedores do Real Madrid. Mais maravilhoso que o Borussia Dortmund fez ano passado. Creio também que o Atlético tem mais chance que o Borussia de ganhar a UCL. E a própria final do ano passado é uma esperança: mesmo com a enorme superioridade do futebol do Bayern à época da final, o Borussia segurou o resultado praticamente o jogo inteiro.

    É possível!

  • Sergio

    Nas semi-finais da Copa do Rei da atual temporada, 2 vitórias do Real Madrid contra o Atlético de Madrid: 3×0 no Bernabéu, 2×0 no Calderón.

  • Emerson José Romão Morelli

    André sem querer corrigi-lo mas ja o fazendo, o Real não ganhou do Atletico nos dois jogos pela Copa do Rei?? Como sempre uma ótima coluna e o Simeone é a cara do Atletico, assim como o Atletico é a cara do Simeone, um abraço.

  • Emerson José Romão Morelli

    André desculpe o atrevimento mas só fazendo uma correção o Real venceu sim o Atletico de Madrid nos dois jogos da Copa do Rei 3×0 no Bernabeu e 2×0 no Calderón, mesmo que não ganhe nada esse time do Atleti é a equipe da temporada em minha opnião meus parabens a todos especialmente a Simeone que belissimo trabalho.

  • fabio

    O Real ganhou sim do Atlético de Madri, na semifinal da Copa do Rei, e os dois jogos ainda.

  • Jérson

    Parabéns pela coluna e pelo nível dos leitores.

  • Matheus Brito

    Um PS sobre a atualização. Naquela semi final, talvez o Atlético não tivesse encarnado o slogan do Obama. A força mental que faz esse time ser tão forte estava se formando e ganhou um Plus naqueles jogos.

    Só vou discordar de algumas coisas que tenho lido ultimamente sobre esse Atlético. Não é um pobre coitado que caiu de para quedas onde está hoje. É um time que tem qualidade em diversos setores. Lógico que não tem um elenco poderoso e caríssimo ( ou não tinha, pois depois dessa temporada muita gente vai ter que abrir os bolsos para tirá-los de lá). Mas tem um goleiraço, um artilheiro que seria titular em qualquer outra seleção do mundo, menos Brasil e Espanha. Tem um Zagueiro como Miranda, que deveria ir à copa. Koke, Diego, David Villa, juanfran, Arda Turan, Gabi, Filipe Luis e alguns que me faltaram. Não enche os olhos, mas é sim um time forte. Sei que a coluna trata de um time desacreditado desde o início, mas desde que colou nos líderes Barça e Real, deixou de ser café com leite.
    O grande lance desse time é que reuniu muita gente que tem muito a provar. Dentre eles seu treinador, que agora só precisa mostrar que tem condição de fazer seus jogadores esfriarem o sangue no momento mais importante talvez da história do clube. O argentino sairá dessa temporada como a grande surpresa do futebol mundial. E grata surpresa, pois quem o viu jogar viu um grande líder, mas um jogador no máximo mediano que está mostrando que será mais treinador do que jogador.

    AK: Há 28 meses, quando Simeone assumiu, o time estava a 4 pontos do rebaixamento. Com 10 dos 11 titulares que venceram o Chelsea na quarta-feira. Um abraço.

    • Matheus Brito

      Bom, acho que esse comentário veio corroborar com o que eu disse. 28 meses com praticamente o mesmo time mostra porque o conjunto é tão forte e mostra porque a parte tática é tão bem absorvida pelos jogadores. Não discordo de você quando deixa transparecer a distância, principalmente financeira, para os outros gigantes Europeus. Tenho lido por aí que é um time fraco e que o técnico tem ganho os jogos. Não é verdade, e é disso que estou falando. O técnico tem sido peça fundamental na montagem do esquema do time, mas ele tem peças que outros gigantes não tem hoje. O Barça não tem um zagueiro como o Miranda, nem um goleiro como o T. Courtois, nem um zagueiro como o Miranda. Chelsea e Bayern não tem um atacante decisivo como Diego Costa. Villa era titular da Espanha campeã mundial e do Barça que ganhou tudo. É sim um time de respeito, abaixo dos gigantes, mas um time de respeito sim.

  • Julio

    Atualização geralmente é usado quando o blogueiro atualiza o resultado de uma partida, por exemplo, que tenha ocorrido apos a coluna ter sido escrita

    Se o blogueiro afirma que o Real nao venceu o Atletico na temporada e depois ve que está errado, aí é correção mesmo… ou errata. Como preferir.

    • Sergio

      Que mala que vc é, ein?

  • André,
    O Atlético ao focar em jogo nos ensina
    que no esporte e na vida pode e deve
    dar certo o planejamento diário, a definição
    do dia após dia ou jogo após jogo.
    Acredito que o Real Madrid leve a Champions,
    pois o time do Ancelotti está tão bem montado
    e dirigido por dois gigantes no banco: Ancelotti
    e Zidane, o homem do vestiário que é mais que
    referência para os jogadores, um ícone.
    Em minha opinião 70% a 30% a favor do Real.
    Abraços.

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo