O ERRO QUE DECIDE



O sujeito carente de princípios e/ou vergonha encontra uma justificativa para tudo.

No futebol, um dos campos mais férteis para a desfaçatez, a habilidade para relativizar situações é disseminada até por declarações como a do goleiro rubro-negro Felipe, que recorreu ao infame “roubado é mais gostoso” após o clássico deste domingo.

O jogo e o campeonato foram decididos por um gol ilegal, marcado aos 46 minutos do segundo tempo.

Ninguém que conhece as regras do jogo de futebol é capaz de contestar que Márcio Araújo estava impedido no lance, ou mesmo absolver o assistente que não marcou a clara posição irregular do jogador do Flamengo.

Não se trata de um “lance complicado”.

Mas há quem queira discutir o indiscutível, apelando a argumentos infantis como, por exemplo, a possível ocorrência de erros da arbitragem no primeiro jogo da decisão carioca.

Analisados individualmente e afastados do contexto em que se deram, equívocos do apito podem parecer semelhantes. Mas quando se observa quando e como eles aconteceram, a distância pode ser brutal.

Compreende-se que aqueles que relativizam a maneira como o campeonato chegou ao final pretendam ignorar o contexto. Além de entenderem, por conta própria, o erro a favor de seu time como uma acusação, e não como uma observação que não pode deixar de ser feita, querem anular o peso da falha gravíssima cometida no lance em questão apontando outras, em outros momentos, que beneficiaram outros.

Não deveria ser tão complicado entender que um gol ilegal, aos 46 minutos do segundo tempo, que altera o significado do placar do último jogo do campeonato, tem consequências muito mais importantes do que um lance idêntico em outras circunstâncias.

Tomemos como exemplo a decisão em São Paulo, entre Santos e Ituano.

A arbitragem errou (não se discutem aqui as diferenças e a dificuldade do lance, a ideia não é essa) ao marcar um pênalti para o Santos, aos 43 minutos do primeiro tempo. Cícero voltava de posição de impedimento quando disputou a bola e foi derrubado na área. O pênalti deu origem ao gol santista.

É indesejável que um erro como esse, que resulta em um gol, aconteça em uma final de campeonato. É uma ocorrência séria. Mas o Ituano, time que foi prejudicado, teve chance de se recuperar porque ainda havia pelo menos metade do jogo a disputar.

O jogo e o campeonato também tiveram chance de se recuperar.

Se o equívoco tivesse acontecido aos 43 minutos do segundo tempo, as chances seriam mínimas. Teria sido um erro decisivo, como se deu no Maracanã.

É inadmissível que o campeão e o vice-campeão de um torneio sejam definidos assim.

Em minha coluna no Lance! de hoje (o texto estará aqui amanhã), lembrei de quem é contra o auxílio eletrônico à arbitragem. Dias como hoje impõem o tema:

“Para aqueles que entendem que o futebol seria prejudicado pelo auxílio eletrônico ao apito, um – mais um – o sabor de um campeonato decidido por um gol ilegal deve ser insuportável. Que consigam digeri-lo sem ânsia ou azia.”

______

Um recado a você, rubro-negro que acha que o blog “persegue seu time”, “não respeita a instituição” ou bobagens parecidas: este texto aqui também fui eu que escrevi.



  • Anna

    Perfeito, como sempre. Sem mais. Fiquei cuspindo abelha africana ontem,mas a vida segue, hoje. Douglas foi uma das melhores contratações da temporada. Pena que o acaso tenha possibilitado que nas vezes em que fez gols decisivos, tenham havido erros crassos de arbitragem. Mas, mesmo assim, orgulho do Vasco, de Adilson Batista, dos jogadores. E eles recuperaram o que é ser Vasco. Que venha a Segunda Divisão. Boa semana a todos, Anna.

    • edu fla

      chora na cama que é lugar quente!!!

      Vejam.

    • JOSE CARLOS

      Considero que o erro existiu, porquê negá-lo, que o escriba tem razão em relação a moral do fato. Entretanto… o erro só se tornou visível quando a TV retornou o vídeo e mostrou a situação irregular do autor do gol. Porquê no lance em si, partindo da cabeçada do Wallace, a bola batendo no travessão, circulando por trás o goleiro vascaíno e finalmente sendo tocada por um jogador do Flamengo… PÁRA O LANCE. Você escriba que enalteceu a ética, a honra, a moral, o esporte, a decência, o mérito do Vasco, você jura que viu impedimento ? Se disse sim está mentindo, que aliás é uma praxe em quem pode rever o vídeo. No princípio poderia até achar, mas certeza não tinha, sabe porquê ? A emoção levava seu olhar a acompanhar a bola naquela trajetória incrível “driblando” num lençol espetacular o goleiro do Vasco, a defesa do Vasco o ataque do Flamengo, todos rigorosamente todos deslumbrados pela beleza do lance, quando alguém fez o gol. Lance repetido você e todos nós vimos o impedimento. Não minta, não há porquê, erros sempre acontecerão.

      • Marcus Vinicius

        Meu caro José Carlos, concordo que nós meros assistentes, não percebemos o lance de impedimento, pois estávamos acompanhando a bola.
        Já o bandeirinha tem o dever de acompanhar a jogada, o qual não fez, por isso o erro toma maiores consequências.
        è de se estranhar o fato de que é o mesmo indivíduo que não viu(?) o gol de Douglas no outro jogo.
        Porém devemos parabenizar o Flamengo por mais um campeonato, haja vista que é nos ùltimos anos tem-se tornado um time bem caseiro.

      • Matheus Brito

        Caro José Carlos, belas palavras. Mas se você está dizendo que, tal como nós torcedores, o bandeira também ficou assistindo os “dribles” que a bola deu na defesa Vascaína, esquecendo de exercer a única função para a qual foi pago e muito bem pago para fazer, você está corroborando com o pensamento de quase todo Vascaíno, o de que esse incompetente não poderia estar ali. Nós podemos ser levados pela emoção, afinal somos torcedores apaixonados. Ele não. Ele não pode ser ludibriado pela “emoção que levava seu olhar a acompanhar a bola naquela trajetória incrível “driblando” num lençol espetacular o goleiro do Vasco, a defesa do Vasco o ataque do Flamengo, todos rigorosamente todos deslumbrados pela beleza do lance, quando alguém fez o gol.”
        Mas entendo seu ponto de vista, errar é humano. Errou. É por isso que o escriba está pedindo o uso da tecnologia para tirar dúvidas.

        PS: AK, a súmula que saiu quase duas horas depois do jogo deu gol para o Nixon? isso aí não pode ser sério. Uma tentativa bizarra de dizer que viram o Marcio Araújo impedido mas que o Nixon estava regular por isso o gol foi legal? Não sei se sou leigo demais no assunto, mas mesmo que não tivesse tocado na bola, ele não participou ativamente do lance? las brujas…

        • Antonio

          Caro Matheus

          Como deixou bem claro o Arnaldo no Bem Amigos se de fato fosse o Nixon que tivesse feito o gol teria sido legal e é por isso que ele, Arnaldo, não achou o lance tão fácil assim, conforme nova regra da FIFA.

          • Matheus Brito

            Com todo respeito ao Arnaldo, ele vive errando no replay. E não, a recomendação da FIFA não é essa e sim a de aguardar pra ver se quem participa do lance está regular. Tanto que outros ex-árbitros disseram que o lance seria irregular mesmo que o gol fosse do Nixon, pois o Márcio Araújo vai na bola e tenta o chute. Se isso não é participar do lance, vou parar de assistir esse negócio.

  • Pablo

    André, mas auxílio eletrônico de um lance que na hora ninguém nem contestou?

    AK: Que diferença isso faz? O mundo viu que foi irregular.

    • Teobaldo

      Concordo com o AK, embora tenha feito a mesma observaçao do Pablo, ao comentar o lance com amigos. Sem querer defender o indefensável entendo que a reação (falta de) dos jogadores do Vasco, no exato momento do gol, tenha, de alguma forma, avalizado a não marcação do impedimento, principalmente pela aparente demora da bola chegar atá o Márcio Araújo, mesmo considerando a excelente posição do auxiliar. Obviamente, o jogo da TV é um e o “jogo jogado” é outro e em lances capitias como esse, quando se decide um torneio, o uso da tecnologia é imprescindível.

      Prezado AK, como você é um defensor do uso do recurso eletrônico, pergunto: O lance ocorrido no Mineirão também seria objeto de “tira-teima” ou é uma situação diferente daquela ocorrida no Maracanã?.

      Um abraço!

      AK: Depende do “pacote” de auxílio eletrônico que for utilizado. Ou seja, quais são os lances que podem ser revisados. Um abraço.

      • JOSE CARLOS

        DEFINIU BEM AK. Se eu tivesse lido vc antes, não teria escrito nada. Vc matou o lindo monólogo do Kfouri
        Parabéns.
        José Carlos

    • Pablo

      Sim. Foi irregular. Mas de que adianta o recurso se na hora ninguém iria consultar tecnologia?

      AK: ????

      • Augusto

        O que o Pablo quer dizer é que o recurso eletrônico só é utilizado quando solicitado pela equipe (pelo menos é assim no futebol americano). Nesse lance, ninguém iria contestar e pedir o auxílio eletrônico, pois ninguém achou que havia impedimento. Não houve sequer aquela levantadinha de braço para o auxiliar. O time do vasco só ficou sabendo depois q viu o replay na câmera lenta da Globo.

        AK: Num sistema de recurso eletrônico que se preze, todo gol é revisado. Isso é primário. Um abraço.

        • Marcos Nowosad

          Acho que entramos no terreno da logistica (como implantar o uso do recurso eletronico no futebol).

          Que e’ uma questao bem interessante por si so’ (sistema de “challenges”? limite do numero de “replays/challenges” por partida e/ou time? limite de tempo entre o lance duvidoso e o uso do replay?).

          Acredito, no entanto, que mesmo no sistema de “challenge”, teria alguem que “sopraria” para a comissao tecnica vascaina para requisitar o uso do replay, ate’ como um ultimo “gesto de desespero” , ja’ que era o ultimo lance da partida.

          A surpresa positiva que teriam e’ que o lance de fato tinha sido irregular. 🙂

          De qualquer maneira, acho que os eventos do fim de semana provam de, que independentemente de *como* usar os recursos eletronicos, nao ha’ justificativa tecnica/moral para não usá-los.

          AK: Gols devem ser revisados. Simples.

          • Marcos Nowosad

            Sim, concordo em relação à regra de sempre revisar gols. Não é um evento tão frequente como o “ponto do tênis” ou o “strike do baseball”.

            Portanto, as revisões dos gols quase não acrescentariam tempo a duração da partida (provavelmente tempo nenhum, devido às atuais comemorações coreografadas dos jogadores…).

            Acho que o mesmo poderia ser aplicado à toda marcação de pênalti.

      • Nilton

        Pablo vou interpretar, os 4? do André como:
        Você já viu partida da NFL?
        Você já assistiu partida da NBA?
        Você já assistiu partida de Tênis?
        Você confia nos velhinhos da FIFA?

    • Leonardo

      Ok, que o mundo inteiro viu. Mas quem apita o jogo? Acho que o mais importante é que o juiz veja o lance e, como disse nosso amigo, nessa situação o mundo viu e fará o que? Ligar para o maracanã para daqui a 15 minutos revejam o lance e não deem o gol? Acho que p termometro para o que a jogada seja revista é o time. Eu não posso da minha casa mandar parar o jogo do Nadal com o Federer pq o suiço colocou uma bola dentro que o arbitro deu como fora.

      AK: Essa é a sua ideia de arbitragem eletrônica?

    • Verdade !!
      E o Juiz achou que o gol foi do Nixon

    • Nilton

      Pablo, em primeiro lugar eu vi que estava impedido no momento do lance e eu sou péssimos em ver isto, em segundo a bola “faz uma curva” de 360° em torno do Marcio Araujo e ninguém estava prestando atenção nele (o único que tinha obrigação era o bandeirinha) no momento da batida a zaga sair da pequena área (momento em que o Marcio Araujo fica impedido) até o momento da cabeçada na marca do pênalti (neste momento os jogadores do Vasco reza para a bola ir fora, e a do Flamengo torce para ela ir para o fundo da rede mas ela ignora todo mundo) e vai para trave neste momento a zaga o Vasco volta para a pequena área de costa para o Marcio e ele mesmo já não esta mais em posição de impedimento e depois é bola na rede.

  • Roberto

    André, a discussão longa sobre o “apito eletrônico” é outra dessas coisas do futebol que nunca entendi. A tecnologia está aí, não, ou ainda existem discussões sobre sua eficácia? Tbem entendo que o tempo de resposta já foi testado e não atrapalharia a dinâmica do jogo. O benefício tbem é claro: Nenhum time quer ser prejudicado no apito e acho q nenhuma instituição se baseia em ser ajudada por ele (espero!). Então qual é o entrave? Que tipo de prejuízo o auxílio eletrônico poderia trazer? É um problema econômico apenas? Quem são “eles” que são contra isso?

  • LauroCezar

    Obrigado, André!

  • David

    Por que eh q certas pessoas nao sao afetadas de forma seria por esse nosso senso imbutido de justica que nos faz revoltados nesse tipo de situacao?

    Me considero totalmente desinteressado nos rumos do campeonato carioca. Sou paulista, moro no exterior ha 15 anos e gosto cada dia menos do futebol brasileiro em geral. Mas nao consigo deixar de acompanha-lo por pura paixao.

    Dai me deparo com uma situacao como a desse fim de semana, e minha indignacao eh nata e revoltante. Simples assim, e nao escolho partidos. Soh observo os fatos, sinto a injustica e imediatamente sou defensor do auxilio eletronico. Nada era pra ser tao menos complicado do que isso, quando ja existe tecnologia pra tanto.

    Mas nao ha nada que eu possa fazer senao tentar conter a ira interna contra aqueles que controlam as regras do futebol, ganham com ele e permanecem desinteressados em faze-lo melhor.

    O fato de mais gente nao sentir o mesmo ao ver a injustica reinar, soh contribui a esse sentimento ruim que nos faz querer abondonar o futebol. Mas a paixao que nos mantem conectados nao permite. Eh essa mesma paixao, abusada por eles em poder. Eles sabem dela e a usam de forma magistral pra escravizar a populacao com seus mandatos eternos.

  • oscar Adachi

    O mundo todo viu a falta que o Barbio fez por tras do jogador do Flamengo no ultimo minuto do primeiro tempo, se ele tivesse dado o cartão amarelo que era merecedor deste, o Vasco estaria o segundo tempo inteirinho com um a menos, e ai????? Fora o lance no Everton que sofreu uma falta no primeiro tempo e o juiz não so inverteu a falta como deu amarelo….isso se desse a vantagem teria o Paulinho livre pela ponta…e isso vc não comenta??? Não se trata trocar um erro pelo outro, acontece porque todos somos passíveis a erros! Alem do mais a arbitragem no Brasil e de péssima qualidade! SRN

    AK: Vejam.

    • Roberto

      Oscar, faz-me rir. Libertadores é totalmente independente de FERJ. Vocês só ganharam em 81 porque tinha o Zico. Jamais venceram. Essa história de que “somos passíveis de erros” não cola mais. A vergonha já ficou escancarada.

      • Que comentario nada a ver, porra.

        • Oscar Adachi

          Roberto,
          confesso que tb nao entendi o que vc quis dizer!!! Meu post esta sendo por causa das inúmeras reclamações sobre a arbitragem na final! E seguem 2 casos anos atras: 83 o gol do Assis na final contra o Flamengo, lembram? O Adilio sofreu uma falta e colocou a mao na bola para bater, como o juiz não havia dado, deu a favor do Fluminense. O Delei pegou e bateu rápido para o Assis….e em 89 a final contra o Botafogo, o gol em que o Mauricio empurrou o Leonardo, lembram? A diferença eh que não ficamos reclamando….simplesmente foi um erro como esse que aconteceu no Domingo…foram dois erros que tiraram o titulo do Flamengo! SRN

    • Matheus Brito

      Nossa senhora. Parabéns pelo título. Você tem razão, esses lances contra o Flamengo prejudicaram demais o jogo. Nada mais justo que marcar um gol em completo impedimento para aliviar os erros que vocês sofreram. Fiquei até com pena do Flamengo, não havia pensado a respeito de como esses lances que você citou mudariam o rumo do jogo. O Flamengo com um a mais em campo todo o segundo tempo hein? ué, não foi assim no primeiro jogo?

      • Nil

        Não, não foi nao. Ewerton Costa foi expulso tardiamente aos 11 do SEGUNDO tempo. AK ta certo que e um erro inadmissivel, e que o recurso eletrônico seria de vital importância. O que não da é essa baboseira que arbitragem quis favorecer o Flamengo. Vide os erros da 1º e 2 º partidas da final contra o Flamengo.
        Ai o AK diz: ” foi um erro decisivo” Ma e se os outros não houvessem ocorrido, seriam um erro decisivo?
        Abraços

        AK: Mais um comentário que exemplifica o texto.

      • Augusto

        Foi, e o Flamengo empatou justamente pq estava com um a mais (resultado q daria o título). Vc só corroborou o comentário do amigo.
        Uma coisa é “roubo”, intencional, outra é erro, não intencional. O trio de arbitragem claramente roubou em favor do Vasco nos 2 jogos. Validaram o gol irregular do Vasco, demoraram 1 século pra expulsar o Everton Costa, e no 2o jogo inverteram metade das faltas e não expulsaram Guinazu, Barbio e Diego Renan em lances claros de segundo amarelo e/ou vermelho. Na média, claramente favoreceram o vasco ao longo das 2 partidas.
        O lance em favor do flamengo (o impedimento não assinalado) foi claramente um erro. Se fosse roubo, o juiz não esperaria até os 47 do 2o tempo. Se fosse roubo, não teria dado um penalti aos 31 do 2o tempo para o Vasco (teria dado amarelo por simulação para o Pedro Ken e vida q segue). Se fosse roubo, não teria expulsado o Chicão. Se fosse roubo, teria expulsado o Guinazu direto no carrinho criminoso.
        O Vasco é tão azarado q, mesmo sendo ajudado durante 180 minutos, conseguiu perder o título no único erro em favor do flamengo.

        • Matheus Brito

          Amigo Augusto, quem está falando em roubo é você e o goleiro do seu time. Você está falando de lances onde o pensamento não é unânime. Há quem diga que o Luan deveria ter sido expulso( eu entre eles) e há quem diga que não pois o Everton driblou para a lateral e teria que voltar em diagonal possibilitando a chegada de outros defensores (foi o argumento que me deram hoje). Os lances de Barbio (não me recordo), Guinazu (poucos árbitros dão cartão naquela chegada) e o do Diego Renan(que raio de lance foi esse?) são casos claros de interpretação da intensidade da falta ou se o juiz entendeu que foi ou não anti-jogo. Estamos discutindo aqui lances claros:

          01 – A bola do Douglas quase meio metro dentro do gol.
          02 – Impedimento claro do jogador que fez o gol.

          Eles não são mal intencionados. São ruins mesmo. Muito ruins. Não conhecem e não sabem interpretar a regra. Deram o gol para o Nixon tentando se limpar, mas o jogador impedido participou do lance mesmo que não tivesse tocado na bola.
          Hoje ainda estou de cabeça muito quente. Talvez daqui a um mês eu consiga ver que o Vasco foi menos prejudicado pela arbitragem do que o Flamengo, como você está AFIRMANDO. Mas hoje, não há como tapar o Sol com a peneira. Tiraram do Vasco um título que traria um alívio para uma torcida magoada, ferida. Nem vou citar o enorme prejuízo financeiro. Agora temos que continuar aturando os Flamenguistas nos chamando de “vice de novo”. Isso tudo sabendo que o Flamengo hoje não tem equipe para vencer o jogo coletivo de um Vasco sem estrelas.

    • Alvaro Gonçalves Kiatkoski

      Oscar não era só o Zico, tinha o José Roberto no apito. O fla só ganha se o juiz roubar. É o campeão mundial de títulos roubados, queriam até somar um que por direito é do Sport.

      • junior

        Chorar faz parte do futebol….todos que perdem buscam desculpas…Claro que foi impedimento, mas não podemos culpar o juiz, nem o bandeirinha por isso apenas. Se o vasco fosse bom também, teria feito mais gols nos dois jogos e só fez um de penalti…não mereceu ganhar esse campeonato em nenhum momento…pensei em quem ganhou mais pontos em todo o campeonato…chorar nao custa nada…pode chorar

        AK: Chorar faz parte do futebol. Ler deveria fazer parte da vida.

  • Frank

    André, qual a punição ao auxiliar e/ou árbitro para casos como este? A impunidade é que e contribui para outros erros assim. Digo isto em favor de qualquer time.

  • rt

    Na súmula o Gol foi dado para o Nixon que estava em posição regular. E agora? Muito fácil falar que foi um lance fácil com a ajuda do Replay os próprios jogadores do Vasco não reclamaram, e olha que eles reclamaram até com a camisa do Samir mão.

    AK: Esse é o seu argumento? Que na súmula o gol foi dado para o jogador errado? Vejam…

    • Matheus Brito

      Cara isso é uma piada. RT foi só brincadeira né? Além que você usar outro erro do juiz (a súmula), vejo que desconhece a regra. Os dois jogadores participaram do lance. Ambos foram na bola, e para seu martírio (se é que você está passando por isso) o gol foi marcado pelo jogador que estava impedido. Mas “Roubado é mais gostoso” né?

    • Antonio

      Caro AK

      O que o RT quis dizer que para o bandeirinha e o árbitro quem marcou o gol foi o Nixon e como deixou bem claro o Arnaldo no Bem Amigos se de fato fosse o Nixon que tivesse feito o gol teria sido legal e é por isso que ele, Arnaldo, não achou o lance tão fácil assim, conforme nova regra da FIFA
      O que você acha da opinião do Arnaldo?

  • Anna

    Perfeito como sempre, André. Sem mais. Boa semana a todos, Anna.

  • André Lopes Quirino

    Não vou entrar aqui no mérito do auxilio eletrônico em partidas, acredito que seja necessário mas isso ainda vai gerar muita discussão. Meu intuito aqui é falar sobre o argumento central de se post, não concordo com sua afirmação de que um erro no inicio ou mesmo logo antes do intervalo do jogo seja menos prejudicial. Se um time tem uma vantagem que é tirada de uma maneira errônea pelo árbitro em qualquer momento do jogo ela é prejudicial. Você utilizou o jogo do Santos como exemplo, mas e se o Santos jogasse somente com a necessidade de empatar o placar do jogo anterior? (não era o caso) E dessa maneira o Ituano não empatasse o jogo, o erro seria menos sério? Todo um planejamento de jogo feito durante uma semana de treinamento seria jogado fora. Todo erro é prejudicial, uma expulsão errada no primeiro minuto complica, um impedimento não marcado ou mesmo um impedimento que não aconteceu e foi marcado atrapalha. Devemos pensar mais em uma arbitragem mais bem treinada.

    AK: Você realmente acha que um gol ilegal no primeiro minuto tem o mesmo peso de um gol ilegal no último minuto?

    • Concordo com vc ANDRÉ LOPES, o erro em S Paulo pro outro ANDRE PAULISTA tem outro significado.

  • Rafael

    Olá André, tudo bem? Sou Flamenguista e reconheço que o gol foi irregular. O Felipe perdeu uma boa oportunidade de ficar quieto, não precisava colocar mais lenha na fogueira dizendo que “roubado é mais gostoso” até porque não foi roubado, se trata de um erro. Foi azar da arbitragem que o lance ocorreu no final da partida, atenção de todos estava na cabeçada do Wallace, no rebote dois jogadores foram em direção a bola, um deles em posição legal, certamente dificultou o trabalho do bandeirinha. O erro ficou evidente após o tira-teima mas no momento do lance quase ninguém percebeu. Os jogadores do Vasco não reclamaram, os torcedores do Vasco não protestaram, os narradores e comentaristas só falaram do impedimento após calmamente revisarem o lance no replay. Os vascaínos tem todo o direito de protestar mas estão fazendo tempestade em copo d’água ao dizer que existe uma conspiração para favorecer o Flamengo, que a Globo está envolvida, acho que tudo isso é estória, até porque o Flamengo já foi prejudicado diversas vezes pela arbitragem, inclusive pelo que apitou o jogo. O time do Vasco tinha o controle do jogo mas optou por recuar e fazer cera. Foi castigado por isso. O Flamengo não tem nada haver com isso.

    • Caslu

      “Estória”….pqp…

      • Matheus Brito

        Caslu, no contexto citado, a palavra “estória” está correta. Mas é outro papo.

        Rafael,

        “O time do Vasco tinha o controle do jogo mas optou por recuar e fazer cera. Foi castigado por isso. O Flamengo não tem nada haver com isso.” Sendo assim, o Flamengo jogou atrás e fez cera os dois jogos. Não merecia um castigo maior?
        outra coisa, ser penalizado com um gol irregular não é castigo, é uma ofensa ao futebol. Se o gol fosse legítimo seria castigo. Justificar o erro pelo fato do Flamengo ter sido prejudicado em outros lances, é no mínimo não ter lido a coluna inteira.

        • rafael

          Concordo em partes com você Matheus, realmente o fato do Flamengo ter sido prejudicado em algumas ocasiões não tem relação ALGUMA, eu não deveria ter citado isso. O que ocorre é que estão penalizando o Flamengo pela conquista, não me refiro ao AK. O erro foi grave por ter ocorrido no final da partida mas foi um tremendo azar do Vasco, o lance realmente não era tão simples. A presença do Nixon que vinha em posição legal dificultou a visão do bandeira. Trata-se de um erro que poderia ter sido evitado com o auxílio eletrônico, que aliás sou favorável. De qualquer forma o Vasco não deveria ficar culpando o Flamengo por mais essa derrota. Todos os clubes estão sujeitos a passarem por isso enquanto a tecnologia não for utilizada.

          • Matheus Brito

            Não falo pelos outros, mas eu não culpo o Flamengo. Culpo a ruindade dos apitadores e bandeiristas. Horrível como quase sempre.

      • PJ Xavier Dos Santos

        Eu só gostaria que os torcedores do time do apito me dessem APENAS 3 exemplos em que a arbitragem os prejudicou em FINAL (porque jogo de meio de campeonato não muda muita coisa). Vejo que terão complicação porque NUNCA houve e se houve não decidiu o jogo.

        • Luiz

          A falta do Everton Costa no Felipe que permitiu o gol do Vasco no 1º jogo da final não conta? A não expulsão do Luan, último homem fazendo falta por trás no Everton que partia sozinho em direção ao gol não conta? A não expulsão do Guinazu que já tinha amarelo e fez falta antidesportiva ao tomar um lençol do Paulinho não conta? Quem viu o jogo pode perceber nitidamente o árbitro pressionado para favorecer o Vasco. Se fosse o contrário nem pênalti ele teria dado, fora os lances citados anteriormente. Levou azar em um lance muito difícil, que nem o bandeira e nem um Maracanã com 50 mil pessoas percebeu. Só se deu conta do impedimento minutos depois com tira-teima e imagem congelada. Agora no ato, ali no momento ninguém viu. Fato. Ponto.

          AK: Vejam.

          • Matheus Brito

            Não sei se li direito, mas é exatamente sobre isso que a coluna trata não? uso de tecnologia para dirimir dúvidas em lances capitais como esse gol?

  • Roberto

    André, muito boas sus colocações. A seqüência de erros pró-flamengo já descaracterizou o erro humano. Isso é uma afirmação minha. É uma pena ver a quebra do espírito esportivo virar rotina apenas para um lado. Os clubes prejudicados nessa correlação de forças viciadas que transcende as quatro linhas sofrem com o prejuízo imediato que se alastra durante o ano inteiro. Não existem meios para coibir e punir os responsáveis. Enquanto isso, os torcedores “vencedores” enchem o peito e gritam injúrias das mais variadas como se o clube deles fosse o “maior de todos”. O goleiro “vencedor” vem e diz em alto e bom som que é maior gostoso ganhar roubado. E aí? Quais as conseqüências disso? Podem os torcedores “vencedores” reclamar dos nossos políticos corruptos quando batem palmas para as palavras épicas do seu goleiro? Segue, Brasil…

  • Prezado,

    “Mas o Ituano, time que foi prejudicado, teve chance de se recuperar porque ainda havia pelo menos metade do jogo a disputar”.

    Isto não está na regra do jogo, erro é erro e influencia o placar seja em que momento tenha ocorrido. O Ituano, por exemplo, não conseguiu mudar o placar, então, mereceu ser punido por incompetência? André acho que sua avaliação está equivocada. Mesmo entendendo que é melhor um erro no início do que no fim em ambos os jogos houve erro fundamental contra os dois times mas como o Ituano venceu nos penaltis só o do jogo no Rio motivou este estardalhaço. Sou flamengo e acho que o vasco mereceu nos dois jogos, mas o árbitro errou, capitalmente, contra o Flamengo tb em ambos.

    AK: O fato de o Ituano não ter, efetivamente, se recuperado, não importa nesta discussão. O que importa é que havia essa possibilidade. Estamos debatendo os pesos dos erros. Não é um conceito complicado. Um abraço.

    • Augusto

      Não faz nenhum sentido discutir “peso” dos erros. O juiz tem rigorosamente a mesma chance estatística de errar no inicio, no meio ou no fim do jogo. Na verdade, no final é até mais aceitável q ele erre, por estar cansado. É só uma discussão psicológica. Do ponto de vista do árbitro, isso não faz nenhum sentido. Ele tem q ser igualmente condenado por qualquer erro, tanto faz em que momento do campeonato ou do jogo. ele não tem mais chance de acertar só pq é final de jogo.

      AK: Você ainda não percebeu o que está em discussão.

    • conde

      André, erro é erro e não importa quando ele ocorreu…vamos supor q um time que precise vencer a partida para ser campeão e este time tenha um jogador expulso bem antes do fim do jogo por erro de arbitragem…aí eu te pergunto André: esse clube com menos 1 atleta em campo que ficará com praticamente o seu esquema tático desmantelado, como ele irá se recuperar dentro do restante do jogo?

      AK: A comparação não cabe. Você está falando de uma expulsão, algo que condiciona o desempenho de uma equipe.

  • JOÃO SALGADO – DUQUE DE CAXIAS – RJ

    Caro André,

    Muito boa sua colocação, também gostei muito da colocação do colunista Gilmar Ferreira no caderno de esportes do jornal Extra.
    Não tem o que discutir, essas coisas continuam acontecendo sem nenhum tipo punição aos envolvidos.
    As arbitragens no Brasil são fracas, mas no Rio ! está demais! uma pergunta: Porque os árbitros de futebol não são colocados de frente para as câmeras numa entrevista coletiva após uma partida? Poque são intocáveis?
    Ouvir declarações escritas pelos senhores Jorge Rabelo e Rubens Lopes , é de causar revolta. Eles sempre defendem os culpados.
    Este erro vai gerar um prejuízo enorme ao Vasco que já tem seus cofres combalidos.
    A comemoração dos rubro negros diante de um erro absurdo é de dar vergonha, eles ficam cegos ou não querem enxergar.
    Pra mim é como aquele indivíduo que compra para sua casa ar-condicionado, televisão, microondas, computador, chuveiro elétrico, mas… faz um ” gato ” no relógio para não pagar a conta de luz.
    Sem comentários…

  • Falando Racionalmente

    André, não seja bitolado…o Felipe falou o q falou por pura provocação à torcida rival…uma provocação sadia q em nada ofende à instituição Vasco da Gama, coisas da emoção e calor do jogo…
    Tá certo André, o gol do Flamengo foi em impedimento, mas o lance de falta no 1º jogo da final, interferiu diretamente, eu disse diretamente no resultado daquela partida…vamos considerar a situação hipotética do Vasco ter sido campeão ontem. Então o Vasco seria campeão por um erro de arbitragem no 1º jogo da final…vcs esquecem de um detalhe importantíssimo: a final foi disputada em 2 jogos decisivos e não somente o de ontem. E em tempo, o Flamengo teve 9 pontos na frente do Vasco na fase de classificação e ele Flamengo só foi campeão porque administrou a vantagem de 2 empates obtida por ter sido a melhor equipe da 1ª fase. O Flamengo jogou c/ o regulamento debaixo do braço. Só isso.

    AK: Vejam.

    • Robson Pacheco

      Caro Falando Racionalmente, pra ser bem sincero, entendo que a atitude do Felipe, foi pior que o erro em si.
      Nem considero um “roubo” o que aconteceu ontem, só mais um erro que poderia ter sido evitado se a tecnologia fosse usada, mas o Felipe deixou bem claro que pra ele, os fins justificam os meios.
      Também não acho que ele quisesse provocar a torcida adversária, já que fez elogios aos vascaínos que estavam no estádio, acho que esse é o Felipe, na sua mais pura essência. Um bom goleiro, mas com um caráter pra lá de duvidoso, que saiu pela porta dos fundos da maioria dos clubes por onde jogou e que não deixou saudades, apesar da qualidade.

      Voltando aos erros do jogo, esse auxiliar foi o mesmo que não deu o gol do Douglas no 1º confronto entre os dois, ainda na fase de classificação, certo?! Como prêmio, ganhou a chance de se “redimir” na final.
      A esposa do Marcelo de Lima Henrique passou a semana postando provocações aos vascaínos, já comprometendo todo o trabalho do marido.
      Enfim, a FERJ tinha poucos motivos pra não escalá-los especificamente nesse jogo, né?! Mas fez justamente o contrário.

    • Eddie The Head

      Caramba…”roubado é mais gostoso” é provocação sadia…incrível,realmente incrível.

  • Luiz Fernando Carrion

    Sr André ….que me desculpem os flamenguistas , vacainos e outros torcedores , mas essa declaração do Felipe DIZENDO QUE GANHAR ROUBADO TEM MAIS VALOR …merece uma punição do TJD e pesada , pois ele está afirmando que o juiz foi ‘ vendido ‘ . Estamos com tantos problemas no Brasil e não é necessária uma declaração infeliz de uma imbecilidade grande como essa que mostra o despreparo e a ignorância de um analfabeto como esse goleirinho… Mesmo que seja piada , isso gera dupla interpretação.

  • Juliano

    AK, me permita contribuir, na final do Mineiro houve um erro em lance importante também: Jô não estava impedido, o que se deu a seguir é discutível (o apitador num primeiro momento apontou para a cal). A história da decisão não foi mudada porque, o bandeira apontou um impedimento que não existiu. Erros em 3 finais dos mais importantes estaduais. E tem gente que é contra a tecnologia…

    PORÉM… pra mim, santista, sofredor, o maior ERRO da final do Paulista se chama DAMIÃO. É constrangedor. Chuta a bola para cima (????), cabeceia a bola para cima (???). É constrangedor. Passou do limite. Não dá mais, devolvam! E o elogiado Oswaldo que conserte o meio campo. De nada adianta um time ofensivo no papel quando se tem DAVID BRAZ e NETO despachando a bola em chutões durante 90 minutos. Foi um dos piores jogos que já assisti na vida! De que adiantou por o Alisson se o Cícero não se apresentou pra organizar? O Santos cometeu muitos, mas muitos erros em 180 minutos, e nesta final o Ituano foi muito merecedor. Organizado, pôs na roda. O que houve com o Santos do início do campeonato para o Santos das finais??

    Que Oswaldo enxergue os erros. BRAZ e DAMIÃO fazem por merecer o afastamento imediato por deficiência técnica!

    Abraço!

  • Marcelo Vianna

    Para de chorar seu Vascaíno…

    AK: Vejam o nível.

  • Concordo com vc meu amigo. As vésperas da Copa, e por esses acontecimentos, que o Brasil está sem credibilidade com outros países.

  • Victor Hugo

    Perfeita análise, André! Sugiro que você leia o texto do seu colega Mauro Beting e veja o “belo” argumento dado por ele para esta situação.

    Reproduzo aqui o trecho que mais me “impressiona”:

    “O assistente não viu a banheira de Márcio Araújo. E os vascaínos nem reclamaram dela. Não sei se é cansaço, desespero por mais uma derrota, desatenção, não sei. Mas em um futebol onde se reclama de tudo, quem pode protestar é o torcedor que não viu os próprios atletas reclamarem do gol irregular.

    Do gol campeão do Flamengo.

    Do gol de Márcio Araújo.

    Incertas coisas só acontecem com o Rubro-Negro.

    P.S.: Sim, no gol vascaíno no primeiro jogo, há como marcar falta em Felipe que foi chargeado por Everton Costa. Lance bem discutível depois de rever a jogada. Lance dificílimo de ser visto e marcado na velocidade do jogo.”

    Enfim, parabéns pelo belo texto e pela imparcialidade que nem todos profissionais desse nosso sofrível jornalismo conseguem praticar!

  • Felipe Teixeira

    Fico aturdido com a insistente reluta e aversão que o futebol tem para com a tecnologia. Até quando teremos que aturar erros grotescos protagonizados pelas arbitragens? Até quando campeonatos serão decididos de forma injusta? Sou vascaíno e, pela primeira vez na vida, refleti acerca da minha paixão com esse esporte. Será que deveras vale a pena me desgastar?
    No esporte o injusto não pode vencer o justo! Incontestável é o exemplo que as ligas norte americanas nos concedem. Como um grande fã da NFL e da NHL, posso falar com propriedade: tamanha injustiça dificilmente teria ocorrido. Lances como o touchdown, ou o gol no hockey, são sempre revisados pelo vídeo para após serem validados. Esse é o verdadeiro esporte, vence o legal e não o ilegal.
    Minha paixão pelo Vasco e pelo futebol é eterna, mas talvez, por ora, seja melhor guardar a camisa no armário.

  • zudgard josé de barros paes coelho

    Publiquei hoje uma nota em outro local do Lance sobre o polêmico gol do Flamengo feito por Márcio Santos e dado na súmula pelo “SR. ÁRBITRO” para Nixon – kkkkkk – Bom, queria apenas repetir mais ou menos o que disse ali:sem paixões futebolísticas, sou torcedor do Vasco desde 1950, vi grandes jogos entre Vasco e Flamengo, apitados por diferentes árbitros, mas nunca vi o que está acontecendo com as arbitragens no Brasil. Primeiro, vem o Felipe nascido em Alagoinhas-Ba. vizinho da cidade onde nasci, locais de pessoas humildes, mas, trabalhadoras e honestas, e dá uma declaração como essa:”GANHAR É BOM AINDA MAIS ROUBADO”, isto falado em um país sério seria motivo de processo: segundo, vem a Comissão de Arbitragem isentando o árbitro, o bandeirinha, o escambal de qualquer culpa, me bata um abacate, uma banana todas as frutas. Finalizando, Felipe, é uma pena que você não se mirou nas imagens de Zico, de Júnior, de Zinho, de Dida(não o goleiro, o ponta) e tantos outros jogadores que honraram a camisa rubro negra.

  • Vinícius

    Mas muitos no final do ano passado disseram que o que importa é o reslutado dentro de campo. Então está aí. Se houvesse auxílio eletrônico fora de campo, o campeão seria o Vasco!

    AK: Que brilhante raciocínio.

    • Adriano

      hahahahahahahahaha

  • Raphael Costa

    André

    o Gol foi irregular é dai? isto faz parte do jogo,muitos campeonatos foram decididos, assim e Minas inclusive teve um erro um Penal claro contra o Galo.
    Não discuto o erro de Domingo, agora o problema é que como é contra o Flamengo logo se iniciam teorias de conspirações, DIZEM QUE FOI A GLOBO, É ATÉ EXISTEM INSINUAÇÕES QUE EURICO AJUDOU O FLAMENGO.
    O vasco tem um time limitado que joga por uma bola, NA semifinal apesar de está ganhado dava a impressão que o Flu marcaria a qualquer momento.
    Ontem o vasco fez um gol, e começou a fazer palhaçada, a BOLA PUNIU, E PARA SER MAIS CRUEL FOI NO ULTIMO LANCE COM A BOLA BATENDO EM DUAS TRAVES COM UM GOL IMPEDIDO…….SÃO COISAS DO FUTEBOL.

    AK: “E daí?”.

    • benelipe

      jogo contra o botafogo e, 1989 falta do Mauricio no Leonardo,todo muindo esquece,impedimento do Adilio dado pelo seu Arnaldo Cezar Coelho que resultou no gol do Assis em 1983,niguém lembra,erros acontecem,esqueçam,Flamengo é o campeão legítimo e ponto

      AK: Vejam.

  • Felipe Teixeira

    Fico aturdido com a insistente reluta e aversão que o futebol tem para com a tecnologia. Até quando teremos que aturar erros grotescos protagonizados pelas arbitragens? Até quando campeonatos serão decididos de forma injusta? Sou vascaíno e, pela primeira vez na vida, refleti acerca da minha paixão com esse esporte. Será que deveras vale a pena me desgastar?
    No esporte o injusto não pode vencer o justo! Incontestável é o exemplo que as ligas norte americanas nos concedem. Como um grande fã da NFL e da NHL, posso falar com propriedade: tamanha injustiça dificilmente teria ocorrido. Lances como o touchdown, ou o gol no hockey, são sempre revisados pelo vídeo para após serem validados. Esse é o verdadeiro esporte, vence o legal e não o ilegal.
    Minha paixão pelo Vasco e pelo futebol é eterna, mas talvez, por ora, seja melhor guardar a camisa no armário…

  • carlos augusto paiva lucio

    André, pode ser que eu esteja totalmente enganado, mas eu não vi e não vejo essa indignação toda quando o Corinthians foi “campeão” em cima do Inter, no maior escândalo do Campeonato Brasileiro.

    AK: Sim, você está totalmente enganado. E esse tipo de comentário é o ponto central do texto, a capacidade de encontrar justificativas para tudo. Fora isso, ninguém aqui tem a missão de passar o futebol a limpo.

    • Nil

      AK, é um abordagem sobre um erro decisivo, como você mesmo chama. Se o Vasco fizesse o gol na sequencia , na cobrança de falta de Bernardo, deixaria de ser um erro decisivo? É isso? A questão então é mais cronologica do que moral?

  • Raphael Costa

    Sim E dai. faz parte do Jogo,

    Todos Sabem que a FIFA nunca vai aceitar utilização de Tecnologia, uma copa do Mundo foi decidido Assim você lembra?
    inclusive em outra copa teve até gol de Mão lembra?
    O que mudou nada, o perdedor reclama e o vencedor comemora, qual é a sugestão agora que Presidente do Flamengo devolva a taça para o Vasco?

    Tem coisas muito Pior que já aconteceu, antes de utilizar a Tecnologia dentro dos estádios o que tem que ser discutido é a profissionalização do Arbitro no Brasil.

    JOGOS DECIDIDOS POR ERROS:

    Santos x Botafogo – 95 (Brasileiro)
    Com gol de Túlio impedido, o Fogão saiu na frente. O Santos empatou em outro erro do juiz: o lateral Capixaba ajeitou com a mão e tocou para Marcelo Passos marcar. Pra ser campeão, o Peixe precisava de mais um gol. E conseguiu no finalzinho, com Camanducaia. Mas, em tarde “inspirada”, Márcio Resende anulou, alegando impedimento.

    Corinthians x Brasiliense – 02 (Copa do Brasil)
    O Corinthians ganhou a Copa do Brasil de 2002 sobre o Brasiliense com uma das arbitragens (de Simon) mais tendenciosas da história.
    Deivid fez gol cometendo falta no zagueiro, penaltis e impedimentos não se marcavam a favor do Brasiliense.

    Santos x Portuguesa – 73 (Paulista)
    Na decisão por pênaltis, o Peixe converteu duas das três primeiras cobranças. A Lusa errou as três, mas ainda podia empatar, certo? Não para o juiz Armando Marques, que encerrou as cobranças e declarou o Santos campeão. Para “consertar” a lambança, a Federação Paulista decidiu dividir o título entre as duas equipes.

    Portuguesa x Corinthians – 98 (Paulista)
    Os três primeiros gols da partida nasceram em jogadas duvidosas. Mas a maior sacanagem veio nos acréscimos do segundo tempo: o zagueiro César, da Lusa, interceptou uma bola com o peito em sua grande área, mas o juizão Castrilli viu toque de mão e marcou pênalti. Gol! O Timão, que jogava pelo empate, foi à final.

    Palmeiras x São Paulo – 71 (Paulista)
    Precisando da vitória para levar o caneco, o Verdão partiu pro ataque. Depois de muita insistência, Leivinha cabeceou um balaço certeiro na meta tricolor aos 22 minutos do segundo tempo. Era o gol do empate, mas o juiz Armando Marques viu toque de mão do atacante e anulou o tento alviverde.

    Corinthians x Inter – 05 (Brasileirão)
    Márcio Rezende de Freitas ignorou o pênalti marcado pelo goleiro Fábio Costa no atacante Tinga. Ainda por cima, expulsou o jogador do Inter por ?simular? o lance. Com isso, o jogo terminou empatado em 1 a 1 e o Corinthians se aproximou mais da conquista do título. Estranhamente, este foi o último jogo apitado por Márcio como árbitro da Fifa.

    AK: Vejam. Um comentário que exemplifica o início do texto. É sensacional.

    • Raphael Costa

      Espero que não esteja achando de que quem discorda de sua opinião seja carente de princípios e/ou vergonha.
      Não estou questionando a Ilegalidade do Gol, nem estou dando Justificativas para falha, o que estou escrevendo é que este tipo de erro acontece o tempo todo,não foi o primeiro nem será o ultimo, o que vai dar Ibope é exatamente dependendo do time que está sendo prejudicado ou favorecido.
      Todo o Torcedor do Flamengo desejava a vitória, para evitar como sempre o desmerecimento do Titulo.
      Desafio ao torcedores dos outro times responderem em caso de um gol idêntico a favor do Time de vocês iriam comemorar ou não?

      LEMBRANDO QUE ATÉ VITORIAS NO TAPETÃO Já COMEMORAM E POR DUAS VEZES…….

      AK: Relativização pura.

    • Juliano

      Pois é AK, nem adianta tu avisar… eles não leem!

      Só posso concluir que cidadãos como estes são A FAVOR do ERRO, porque, afinal, “em copa teve até gol de mão”, afinal “coisa muito pior já aconteceu”… deve achar charmoso, sei lá… enfim, a primeira frase do texto de fato exemplifica.

      Vai que um dia quem manda no esporte se rende, coloca a tecnologia no jogo, os erros capitais diminuem. Esse cidadão irá ao estádio com uma faixa, pedindo o fim da tecnologia e a volta dos erros… só pode!

  • Carlos Eduardos

    Rapaz, só acho que está errado quando você diz que um erro aos 43 min. do primeiro tempo não muda uma partida e que um erro aos 46 do segundo muda assombrosamente.
    Ambos mudam, não importa em qual momento, pois não se tem como saber como irão reagir os jogadores, o quanto isso pode abalar a moral deles, logo não deveria existir o erro, mas são humanos e erram, então que venham os recursos eletrônicos e que façam eles o trabalho na tentativa de coibir o erro.
    E não adianta que sim erros não importam em qual momento, ERROS PREJUDICAM E NÃO IMPORTA EM QUAL MOMENTO
    !!!

    AK: “só acho que está errado quando você diz que um erro aos 43 min. do primeiro tempo não muda uma partida”.
    Não é isso que está escrito. O que está escrito é que um erro tem mais peso do que o outro.

    • Carlos Eduardos

      Você na continuação do seu texto diz que o Ituano teve o segundo tempo inteiro para se recuperar, mas isso não pode ser levado em consideração, pois sabe-lá como abalados eles podem ter ficado com um ERRO DO JUIZ. UM ERRO NO FUTEBOL NÃO TEM PESO DIFERENTE, ERROS SÃO ERROS e ponto final.
      Fazendo uso de suas palavras, o sujeito carente de princípios e/ou vergonha encontra uma justificativa para tudo.
      Eu não estou me justificando você sim. Pois o que escrevi é exatamente o que você quis retratar que o erro aos 43 min. do primeiro tempo o time adversário teria como se recuperar, será ??? Já se colocou na posição do jogador ???
      Digo e repito, se for para entrar o recurso eletrônico que entre, mas não pode julgar que um erro é menos pior do que o outro pelo tempo que falta para o jogo acabar.
      Se a questão fosse essa, imagine se o juiz tivesse aplicado corretamente, mas o que ele não fez, o segundo cartão amarelo e em seguida o cartão vermelho no “Guinazu” na falta cometida sobre o Paulinho no lance que logo em seguida ele expulsou um jogador de cada time ??? Outro erro do árbitro, mas esse não se comenta, pois o outro erro foi maior. Não, não existe erro maior ou menor, ERROU e PREJUDICOU, É ISSO E PONTO FINAL.

      AK: Parece-me que para você, infelizmente, o conceito é muito complicado. Um abraço.

      • Carlos Eduardos

        Felizmente para mim o conceito não é complicado, mas infelizmente a sua maneira de achar que só você tem razão.
        Entendo que são lances diferentes, mas um erro que decida a partida, ele pode acontecer no primeiro minuto ou no último e a partida terá sido decidida pelo erro.
        Talvez nem aceite minha resposta, mas um pouco de humildade às vezes cai bem. #Ficaadica.
        Abraços.

        AK: Interpretação de texto também. E um pouco de raciocínio, claro. Um abraço.

  • Guilherme

    Sou santista e acho que não deveria ter sido penalti mas houve 5 pessoas do Ituano que deveriam ser expulsas entre elas Doriva, os jogadores que pisaram no cicero porque seria agressão o Goleiro Wagner porque seria por 2 amarelos pois simulou estar mau e o Alemão que bateu muito… quando não expulsaram os agressores do Cícero eu falei pai esse jogo o juiz vai fazer media ir para os penaltis até estranhei quando o cicinho foi expulso pelo segundo amarelo até porque o Alemão fez coisas piores e nada sem contar que vão falar é dor de perdedor mas achei o time do ituano um pouco abusivo de faltas para matar o jogo em um normal tem time que tomaria amarelo mas de boa Não vejo o Ituano como zebra e penalti como loteria o Neto MEDROU na hora de chutar mas não tira o fato de ele ter sido o melhor zagueiro do santos o David braz parecia que tinha mais peso e foi melhor acho que o neto nunca imaginou ter que chutar o penalti e o Ituano ganhou parabens aos vencedores… André não sei se viu os mesmos lances que eu mas acho que o Juiz queria penaltis

    • Juliano

      Guilherme, como vc sou santista. Não houve futebol no primeiro tempo, era um show de pontapés, dos dois lados, a bola não rolou. Quando de posse, David Braz e Neto rifavam. Não têm condições de atuar no Santos. Não tivemos meio de campo, Arouca não pegou na bola, Cícero não se apresentou, Alisson correu, correu… correu…

      Em 180 minutos o Santos não foi superior, essa é que é a verdade. O Ituano foi inteligente, dentro de suas limitações conseguiu foi limitar o Santos, que já possui limitações intrínsecas na zaga e no zero à esquerda que é o Damião – prejuízo financeiro e técnico!

      Se o Santos saísse campeão, faria jus por ter feito melhor campanha, levando em consideração todo o campeonato. Mas em se tratando exclusivamente da final, não foi merecedor mesmo, temos de admitir. O Ituano tem seu mérito, e se a arbitragem tendenciou para algum lado, foi para o time grande – e nos dois jogos.

      Enquanto Damião e David Braz figurarem entre os titulares, qualquer time minimamente inteligente será capaz de superar o Santos. E tenho dito.

      Abraço!

      • Guilherme

        Juliano
        como disse mas se tivesse sido expulso os jogadores do ituano que seria o Certo… o errado não acontecia eu particularmente acho que o Juiz quis penalti… mas quando eu falo sou chamado de fanatico

        o Damiao eu entendo a logica de ter ele no time, o que eu nao consigo entender não ter alguem para deixar ele na cara do goleiro ou não ter jogadores para ele passara a bola quando tiver de costas para o zagueiro como se fosse a muralha…

        Acho que quem Assinou não foi uma pessoa que não gostava dos clubes queriam o dinheiro porque até o juninho quis o jogo em itu mas o pessoal assina sem ler… AMADORISMO

        o Ituano foi melhor em 180 minutos, eu curto campeonato assim porque o Brasileiro não é mata mata… podiam pegar e fazer esses campeonatos que nem os estaduais de pontos corridos nos mesmos moldes só que o time com maior pontuação não importando a chave ser campeão ja que curtem pontos corridos porque eu particularmente acho sem a emoção do mata mata chato

        Eu concordo com o Fernando Prass que quem errou foi quem assinou la no campeonato… mas o Santos não tá ruim 6 anos 3 titulos paulistas são 50% de aproveitamento acho que um treinador como o oswaldo de oliveira pensaram no brasileiro porque tem que ganhar e fazer muitos pontos…

        Tecnicos como Gilson Kleina, Oswaldo de Oliveira, Marcelo Oliveira e alguns que tem são para pontos corridos

        Tecnicos como Felipão, Leão, Abelão, Doriva, Claudiomiro, Tite*, e outros bons nomes que tem por ai que ganham jogos importantes são para mata mata

        Acho que os times Paulistas deveriam Fazer turne pelo mundo jogar o Paulistão com sub 21 e ir conhecer Asia, Oceania, Africa, América do norte…

        Juliano agradeço seu comentario

        * Tite coloquei ele nos tecnicos bons em mata mata… mas o tite tbm é bom tecnico como pontos corridos pois ele perde pouco e ganha e empata raramente perde o que é bom em mata mata mas as vezes o destroi em pontos corridos mas deixa o time para libertadores…

  • Roberto

    André, começar o texto com “O sujeito carente de princípios e/ou vergonha encontra uma justificativa para tudo” e dar uma aliviada no filtro dos comentários para provar seu ponto é um pouco cruel. Mas olha, fazia muito tempo que eu não via um post e uma sequência de comentários tão boa no quesito entretenimento. Eu sei que é difícil ver com leveza algumas coisas qdo tanta paixão é envolvida, mas está muito engraçado. Ou trágico, não tenho certeza.

  • edu fla

    chora vascaido o sonho acabou mais uma taça Mengão levou!!!! OHHHOHHHH Vice de novo. kkkkk, e outra coisa futebol ta muito chato, o Felipe falou um texto usado por toda a torcida, e neguim fica querendo aparecer em cima disto, na época do Romário, Renato Gaucho e Túlio era muito mais legal.

  • Jocinei

    Realmente André concordo com você , o erro da final do carioca foi cruel para o Vasco , que nem teve tempo para reagir , infelizmente o recurso eletrônico não deve fazer parte do futebol ,pelos custos . Entendo como você que um erro no minuto final é muito mais prejudicial que um no primeiro tempo ,mais entendo que enquanto os árbitros não forem profissionais ,continuaram a ter erros como este que manchou o campeonato. Infelizmente os auxiliares eram lances muito claros ,o que acabam revoltando torcedores de todos os clubes .

  • Antonio Chaves

    Erro grotesco e capital, definindo o vencedor sem dar ao prejudicado chance de reação. Na esteira, entre o Cruzeiro x Atlético poderia também ser explorado o lance do pênalti marcado pelo Wuaden, aos 43 m do segundo tempo, e invalidado pelo auxiliar por um impedimento inexistente do Jô.

  • renato carvalho

    André, sou rubro-negro das antigas e, embora tenha vibrado com o gol por puro mecanismo emocional inconsciente, confesso que, independente da falha da arbitragem, o futebol brasileiro e o carioca em particular, há muito deixam a desejar.
    Quanto à declaração do Felipe, não é de espantar. Além de não inspirar confiança numa posição em que ela é fundamental, trata-se de um boçal como, aliás, a maioria dos jogadores, torcedores e dirigentes de clubes e federações. Um esporte que seduz pela beleza plástica vem sendo tomado, cada vez mais, pela mediocridade que, literalmente, campeia. Um exemplo foi a atitude do Chicão, a quem tenho defendido a titularidade, ao se deixar levar pela provocação de um jovem, logo ele, um veterano, de quem se espera maturidade e bom senso.
    Mas pior, muitíssimo pior, foi a atitude descontrolada do presidente do Flamengo insultando torcedores e até uma idosa de 72 anos após o jogo contra o Leon por não admitir críticas a um time que é pra lá de ruim.
    Tá difícil amigo, muito difícil suportar esse futebolzinho de várzea com salários europeus.
    Em relação ao uso da tecnologia, sendo a Fifa o que é, me parece óbvio que só não é implantada porque vai contra seus interesses econômicos.
    Abs.

  • Alexandre

    Me desculpe, mas não concordo com sua colocação.
    pela sua analise, só é ruim erro de arbitragem no final do jogo.
    Isso é que se chama relativizar meu amigo.
    O mundo ideal é que não houvessem erros em nenhum jogo.
    Pelo seu pensamento “relativista”: um erro numa semi final aos 10 do 1º tempo não tem problema.
    Mundo ideal não existe, erros acontecem a todo momento, a não expulsão do jogador do vasco na metade do 1º tempo da final de ontem, também influenciou a partida. E nem por isso deixou de ser prejudicial ao Flamengo.
    A declaração do Felipe (goleiro) foi infeliz.. mas o Flamengo foi o melhor time do campeonato carioca.
    No lance do Gol impedido, pode ver o lance de todos os angulos, assim como o auxiliar não viu, nenhum jogador vascaíno imaginou que o M. Araujo estivesse impedido. Nenhum levantou a mão ou contestou o lance.
    Erros no Futebol sempre existiram.
    SRN!!

    AK: “pela sua analise, só é ruim erro de arbitragem no final do jogo.”
    Acho que você vai ter que ler de novo.

    • Alexandre

      Acho que você precisa reler seu próprio texto.

      AK: Vamos reler juntos.

  • Rodrigo

    André, no começo do jogo ontem no maraca o jogador do vasco deveria ter sido expulso o que poderia ter mudado toda a partida…Isso você esquece né…..

    AK: Vejam como se tenta relativizar um erro grave de arbitragem com os argumentos extraordinariamente pífios. Exemplo da abertura do texto.

  • roberto

    É impressionante a cara de pinóquio que vejo por aqui em alguns comentários, querem defender o indefensável, claro que os juízes tem todo o direito de errar pois são humanos, porém há muito tempo que os juízes só erram a favor do Fla contra o Vasco, desde 2011 com o Pericles Bassol, que deixou de dar um penal aos 45 min do segundo tempo no primeiro turno do Brasileirão do Léo Moura no Bernardo e este mesmo juiz apitou o segundo jogo do returno entre ambos e deixou de dar outro penalti do Willians no Diego Souza, se os mesmos fossem convertidos o vasco teria alcançado mais 4 pontos pois ambos os jogos terminaram empatados e a diferença entre o Vasco e o Corinthians foram de 2 pontos. Ficaria por aqui citando vários erros a favor do Fla, como aquele penal marcado em cima do Leo Moura que cavou e o árbrito também marcou, embora penalti pode ser convertido ou não, mas deixar de dar um impedimento clamoroso aos 46 min. do segundo tempo em um jogo decisivo para o campeonato ou marcar impedimento num goal legal como ocorreu em 2007 também nos minutos finais, nada se compara a esses ilícitos, pois a atenção dos trio de árbritos tem que ser redobrada e erros grotescos como esses e sempre a favor de um clube, é realmente má fé desses juízes tipo Djalma Beltrami em 2007 e Marcelo de lima Henrique agora. Obs. Só que em 2007 o clube prejudicado ainda teve a chance nos penais que foi vencido pelo clube sempre beneficiado em questão. Mas eles é que estão certos quando dizem que é choro, e que ganhar roubado é mais gostoso. Fazer o quê, não dá para debater com torcedores com esses pensamentos e depois querem reclamar dos nossos políticos, temos o que merecemos.

  • Marcelo

    Prezado AK, há alguns anos eu era fanático e achava que o querido Juca Kfouri era “contra o Flamengo”. Esta fase passou e hoje sou mais lúcido.
    Concordo que o futebol seria mais justo se adotasse auxílios tecnológicos em decisões polêmicas.
    Entretanto, não podemos deixar de citar aqui toda a “malandragem” e até mesmo falta de caráter e respeito dos próprios jogadores.
    Em momento algum eu vi o zagueiro Rodrigo (e outros) sendo condenado por retardar o jogo, pela famosa (e desonesta) “catimba”, “cera” ou chame como quiser. Sim, o Wallace cabeceou uma bola na marca do pênalti sozinho porque seu marcador caiu no lance do escanteio para ganhar alguns segundos (desonestamente!!!). Ou seja, somos o país que pune mais o erro (não sabemos se de boa, ou má fé) do que a malandragem, a lei de Gérson.
    Enfim, um campeonato como foi o Carioqueta 2014 só podia terminar assim. Só gostaria de registrar meu descontentamento com a postura leviana dos jogadores que caem ao lado de dentro da lateral e esperam a maca quando estão vencendo, e caem do lado de fora até mesmo “sem uma perna”.
    E com relação à paixão por nosso time, acho que é a única coisa que nos mantém ligados ao futebol brasileiro depois de assistir à Champions League e Premier Leagues, por exemplo. É uma pena que o país do futebol esteja às traças desse jeito.
    Um abraço!

  • José Ribeiro

    Eu vejo a Veja fazendo matérias sobre corrupções pelo Brasil, vejo as ESPN e o Lance falando mal da CBF, mas não vejo uma matéria investigativa sequer sobre a armação nos resultados , nem quando houve o problema no brasileiro em que jogos foram realizados novamente, houve uma investigação por parte da imprensa, porque isso ocorre qual o “rabo preso” que ocorre?

    AK: Bem, a Veja deu uma capa sobre isso. Acho que você não viu.

  • Charles

    A boa e velha desculpa de que “erros acontece prá todos os lados” , sempre vem a tona nestes momentos.
    Mas é meio estranho , que erros como esse aconteçam sempre em prol do Flamengo.

    Não faz muito tempo , também numa final…………anularam um gol legitimo do Botafogo ( alegaram impedimento) , neste lance o Dodo fez o gol , e o juiz ainda entendeu que ele deveria ter ouvido o apito , como já tinha cartão amarelo , o expulsou e o Flamengo outra vez foi “bafejado” pela sorte e se sagrou campeão.

    O torcedor sério do Flamengo , aquele que enxerga as coisas com a razão e não só com a emoção , vai entender a pergunta que vou deixar no ar.

    Porque o Flamengo vira e mexe é campeão no Brasil , e desde 1981 (33 anos atrás) , o Flamengo não ganha uma Libertadores????

    Pior , nem as finais consegue chegar…………….será azar? os times de outros países são melhores? Ou será que os juízes internacionais não se deixam levar pela camisa e o medo da repercussão em não dar uma “ajudinha” ao queridinho do Brasil????

  • Bruno Arantes

    Engraçado, né?!? O duplo pisão que o Cícero sofreu na coxa, já deitado no chão, que visivelmente foi maldoso, AGRESSÃO! NINGUÉM, NINGUÉM VIU!! Fosse no Ituano, sem expulsão como aconteceu, já diriam que o time grande estava sendo favorecido e etc etc etc. Outra coisa: tá todo mundo falando que o título do Ituano foi INCONTESTÁVEL! JUSTO eu aceito, mas INCONTESTÁVEL não né? Teria sido incontestável se a melhor equipe da primeira fase, que voou em campo e goleou todo mundo tivesse ganhado o campeonato! Que aliás, terminou empatada a decisão no tempo normal, lembrem-se!

    AK: Não há o que contestar no título do Ituano.

    • Juliano

      Bruno, o campeonato não era de pontos corridos. Todo time sabe do regulamento antes de se iniciar o campeonato. E se participa do campeonato, é porque sabe e concorda.

      Na final, 180 minutos, novamente, o Ituano foi superior. O Santos tem uma zaga MEDONHA e jogou sem meio de campo. O ataque foi estragado pelo DAMIÃO. Tem muita, mas muita coisa errada no nosso Santos. A diretoria ano a ano contrata jogadores sem condições de atuar em time grande, em alto nível. No caso do Damião, o que é mais gritante é o tamanho do valor pago pelo retorno que não tem em campo, e ele ainda ocupa o lugar de algum jogador mais capaz.

      A arbitragem sempre pendeu a favor do Santos. Bater todos bateram. Foram jogos feios. A desculpa do Oswaldo na coletiva não cola. Ele sabia o regulamento. De novo, não eram pontos corridos.

      Abraço do seu colega santista aqui.

  • Aos vascaínos revoltados de plantão, que querem fazer crer que este jogo foi roubado, que a arbitragem é anti Vasco e pró Flamengo, e isso e aquilo, o fato de termos tido dois resultados iguais permite um exercício de imaginação que comprova que vocês reclamariam de qualquer jeito.
    Digamos que, em ambos os jogos, acontecesse tudo igual, e que apenas trocássemos as camisas dos times. Isto é, as jogadas do Vasco seriam as jogadas do Flamengo, e vice versa.
    Teríamos os vascaínos reclamando que a arbitragem sempre ajuda o Flamengo, pois no primeiro jogo, no gol do zagueiro, nosso goleiro teria sido claramente impedido de sair do gol, e o juiz ladrão nada fizera… (aos 11 minutos o Felipe tenta sair do gol e é impedido pelo Everton Costa).
    http://www.youtube.com/watch?v=lrdF8tcBrjk (desculpem os palavrões, não achei outro vídeo)

    E no segundo jogo os vascaínos estariam loucos, revoltados, pois com o jogador vascaíno passando pelo zagueiro mulambo, último homem indo sozinho em direção a área, recebendo carrinho por trás, o juiz ladrão não teria expulsado o zagueiro adversário..
    https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/…/10006186…
    E o juiz ladrão também teria roubado por não ter expulsado o jogador adversário após uma agressão (carrinho) por trás.. (no segundo tempo o Guinazu acertou um carrinho por trás no Paulinho e não foi expulso)
    Querem se achar vítimas, podem achar . Mas não vocês não o são. O juiz não rouba, ele erra, assim como jogador erra passe, erra chute, goleiro erra, todos erram, árbitros também erram. Mas erram a favor de vocês também.
    O problema é que quando vocês são beneficiados esquecem. Afff
    Parem de se vitimizar.

  • Wagner Sasso

    Boa tarde André,
    Concordo com quase tudo que foi escrito, aliás,muito bem escrito. Apenas faço ressalva à questão do momento em que aconteceu o fato. Entendo que no primeiro minuto de jogo ou no último, o fato é o mesmo, o erro é crasso e não é perdoável. Do contrário seria a mesma coisa que afirmar que três pontos na 38a. rodada do campeonato são mais importantes que os três da 1a. rodada… são três pontos que irão influir na classificação da mesma maneira, assim como o erro de arbitragem. Esse, no início do jogo, poderá ter o condão de mudar toda uma estratégia de jogo que foi treinada para aquela ocasião. Na final em São Paulo por exemplo, o Ituano precisou se expor muito mais do que pretendia na segunda etapa. Claro que houve tempo para a recuperação, mas e se o Santos tivesse marcado mais um gol? O erro contra o Vasco, por repetido, é revoltante…
    Grande abraço.

    AK: Pontos têm o mesmo valor, independentemente da rodada, em campeonatos de pontos corridos. Erros de arbitragem têm peso diferente dependendo do contexto em que ocorreram. Um abraço.

  • Antonio

    Certos comentários nessa página fizeram observações boas e a resposta do jornalista foi apenas “vejam”, como se o mesmo fosse o dono da verdade e pudesse jogar a tudo e a todos como um ser moralmente superior. Tá faltando humildade.

  • lucas tomm

    Erros são erros, e no fim das contas o jogador do vasco deveria ter sido expulso pelo carrinho no everton… o everton costa fez falta no felipe no gol do vasco no primeiro jogo… O juiz expulsou o chicao e o lateral do vasco sem necessidade alguma e prejudicou o flamengo que tava com sua defesa postada.
    Fora que fomos melhor durante todo o campeonato, e ainda no confronto direto entre os grandes tb ganhamos. Tivemos o melhor ataque e a selecao do campeonato esta repleta de rubro negros.
    Isso que tão fazendo é so dando lenço pros vascainos chorarem.
    Se fosse o contrario eles seriam campeoes com um gol irregular no primeiro jogo e ng falaria nisso pq nos flamenguistas quando somos prejudicados nao saimos por ai que nem os nossos rivais.
    SRN

  • Alex Sandro – Duque de Caxias

    É complicado analisar friamente quando se torce pra um lado, no meu caso, pro VASCO.
    Tenho 34 anos e acompanho futebol com entendimento a pelo menos 25 e, a partir da presente data, ESTOU DESISTINDO DO FUTEBOL como esporte.
    Não posso suportar uma sucessão de erros sempre a favor de um mesmo time. São anos e anos de gols impedidos, penaltis mal marcados a favor e não marcados contra, expulsões adversárias em condições obscuras, etc, etc, etc…
    Fora de campo não muda muita coisa. O presidente da Comissão de Arbitragem (outro ex-árbitro de índole questionável) sempre arruma uma desculpa, um pretexto pra justificar os erros de seus subordinados.
    São finais decididas “no apito” contra Vasco e Botafogo por anos a fio. Em 2011 acabamos o campeonato 2 pontos atrás do Corinthians devido a 2 penaltis claros não marcados pelo Sr Péricles Bassols (que logo depois virou árbitro FIFA) justamente contra o Flamengo.
    O que me fez DESISTIR é que nada acontece…nenhuma punição, nenhuma investigação externa, nenhuma matéria pra tentar desvendar.
    Estou triste não pelo vice, como alguns aparecerão dizendo. Estou decepcionado pelo esporte que mais amava ser decidido no Gabinetes da FERJ.
    OBS: Nem vou comentar as decisões mais que suspeitas do STJD

    • Desisti mesmo, só assim vc vai parar de ser vice.

  • Paulo

    André, deixa ver se eu entendi: um erro grosseiro de arbitragem é normal se acontecer no meio do jogo, mas não se for nos descontos (pois o time prejudicado não teria tempo de se recuperar). É isso mesmo????? Me desculpe, talvez me falte inteligência, mas nunca vi um argumento tão absurdo e, principalmente, tão forçado como esse!!! Erro é erro, não importa em qual momento do jogo!!! E “possível ocorrência de erros da arbitragem no primeiro jogo da decisão carioca”??? Você só pode estar de brincadeira!!! Quer dizer que o primeiro jogo da decisão não valia nada??? Porque só assim, para ter alguma lógica!!! Não houve possíveis erros: aconteceram erros claros!!! O gol do vasco foi irregular: Everton Costa claramente impede que o goleiro Felipe saia para cortar a bola!!! E o penalti em Samir foi ridículo: o jogador teve a camisa arrancada ( e a bola já estava em movimento ) e não adiante dizer que houve outros puxões de camisa na área do flamengo, pois isto aconteceu para os dois times em vários escanteios!!! Agora a do Samir foi absurdo!!! Além do Everton Costa que deveria ter sido expulso bem antes do previsto. Meu amigo, tente ser imparcial e justo, senão a credibilidade do seu texto fica comprometida. Saudações rubro-negras!!!!

    AK: “André, deixa ver se eu entendi: um erro grosseiro de arbitragem é normal se acontecer no meio do jogo, mas não se for nos descontos (pois o time prejudicado não teria tempo de se recuperar). É isso mesmo?????”
    Não, você não entendeu absolutamente nada. Um abraço.

    • PAULO

      É realmente me falta discernimento!!! Mas vamos lá: “Não deveria ser tão complicado entender que um gol ilegal, aos 46 minutos do segundo tempo, que altera o significado do placar do último jogo do campeonato, tem consequências muito mais importantes do que um lance idêntico em outras circunstâncias.” E logo em seguida: “Mas o Ituano, time que foi prejudicado, teve chance de se recuperar porque ainda havia pelo menos metade do jogo a disputar”. E continua:”Se o equívoco tivesse acontecido aos 43 minutos do segundo tempo, as chances seriam mínimas. Teria sido um erro decisivo, como se deu no Maracanã.”
      Meu amigo se isso não é dizer que um erro no meio do jogo é aceitável e outo no finalzinho não o é, então realmente eu não entendi absolutamente nada. Ou você é que talvez não tenha se expressado corretamente! Abraços.

      AK: Seguimos com a primeira opção. E não é discernimento que lhe falta. Parece-me que você ainda está distante da fase do discernimento. E olha que o texto é simples. Boa sorte! Um abraço.

      • Paulo

        Olha André, na verdade eu não tenho e nunca tive orkut, twitter, facebook, etc. Ou seja, nunca participei de redes sociais justamente para não entrar em bate boca com ninguém ( aliás, acho isso deplorável ). Gostaria apenas que você argumentasse, não só comigo, mas com todos os outros que não concordam com tua tese, de maneira racional e lógica. Mas parece que você está num pedestal e nós reles mortais não devemos ter qualquer consideração de sua parte ( posso até estar enganado e cometendo uma injustiça contigo ). Pode deixar que não pretendo mais ficar replicando tuas respostas, portanto esta é a última. Quando disse que me falta discernimento foi por consideração a você, mas parece que te falta um mínimo de inteligência ( ou pelo menos só as tuas ironias é que tem legitimidade ). Que o texto é simples isto é óbvio, a questão não é essa: a grande questão é que é de um absurdo sem tamanho!!! É ilógico ou pelo menos de uma lógica facilmente rebatível!!! Peso para erros iguais???? A pelo amor de Deus!!! E quem é que determina esse peso?? Você???? E dizer que “possível ocorrência de erros da arbitragem no primeiro jogo” são argumentações infantis??? 1º você antecipa e proíbe as contra-argumentações do outro e 2º se o sujeito mesmo assim as utilizar você tenta intimidá-lo chamando de infantil????? Isto tem um nome: DESONESTIDADE INTELECTUAL!!! Já ouvi falar que 50% das pessoas que saem das universidades formados são analfabetos intelectuais ( não sei se o índice é verdadeiro ), logo nas de jornalismo deve ser por aí também. Se ainda já estar na fase discernimento pleno é isto o que está escrito nesta coluna, prefiro como você mesmo diz estar longe desta fase!!! Mas não se preocupe, num país onde a educação básica é um lixo, onde precisa de cota para isso, bolsa para aquilo ( até bolsa presidiário tem, fazer o quê? ), você pode continuar reinando soberano e escrevendo esses teus textos sem nexo, ilógicos e sem legitimidade intelectual. Afinal mesmo se tudo o mais der errado ( o que é bem improvável ), o sobrenome ainda pode ajudar. Abraços

        AK: Não são “analfabetos intelectuais”, são analfabetos funcionais, e aí pode estar a explicação para muita coisa. Mas seu caso me parece irremediável, já que nem originalidade para me criticar você tem. Assuma que não compreendeu um texto que não tem mistério algum, e cresça. Um abraço.

  • Leandro Freitas

    Vai me desculpar, blogueiro, mas eu tento sempre ser imparcial, diminuir ao máximo o clubismo e analisar friamente. Seu texto quer enaltecer sua opinião e menosprezar as contrárias, chamando-as de infantis. Assim fica difícil…

    Bom, o lance do Everton costa obstruindo Felipe no primeiro jogo resultou em um gol do Vasco. Everton Costa que, aliás, teve não uma, mas 3 oportunidades de ser expulso. Você pode vislumbrar a história do jogo como seria, sem o melhor jogador do Vasco em campo (que já deveria ter sido expulso há muito tempo) e sem o gol de vantagem (irregular)?

    No segundo jogo, Marcelo Lima Henrique fez o que vem fazendo a cerca de 2 anos, tentando apagar a imagem de “ajudador” do Flamengo: marca todas as faltas no adversário, deixa correr as no Flamengo. Inverte laterais. Não dá escanteios. Enerva os jogadores com sarcasmos (“quer sair também?”). Alecsandro e Paulinho estavam quase tendo um AVC de tanta raiva.

    Mais uma vez, um jogador do Vasco merecia ser expulso e não ocorreu o vermelho. Luan. Poderia usar seu argumento, dizendo que você talvez queira discutir o indiscutível e apelar para argumentos infantis. Mas vou deixar sua teoria pra você.

    Aliás, no lance do gol do Flamengo (sim Marcio Araujo estava impedido), um pouco antes Rodrigo – num claro lance de catimba à brasileira – se jogou no chão pela quarta vez e pediu pra sair. Ganhou um tempinho, uns 30 segundos, e deixou Marcio Araujo e Nixon sem qualquer marcação em seu setor. Como diria Muricy, “a bola pune”.

    Vasco teve todas as chances, desde o primeiro jogo, por 180 minutos, de ampliar o placar. Foi “ajudado” com a manutenção de um homem em campo que deveria ser expulso em dois jogos. Teve TODAS as faltas a seu favor marcadas. Teve gol irregular validado. Mas isso virou argumento infantil. Indiscutível.

    Já vi o Flamengo reverter jogos piores. Já vi o Flamengo estar perdendo de 3 e empatar (fluminense) virar (santos).

    E já vi o Flamengo ser eliminado da Libertadores pois o Emelec fez dois gols nos descontos. DOIS! NOS DESCONTOS! Já vi de tudo…

    Sendo assim, sinceramente, tá chato ver que o erro a favor do Flamengo é mais pesado que o erro a favor do rival. Virou rotina. Pra nós é roubo indiscutível. Contra nós, é lance normal.

  • André, os mesmos dirigentes que hoje estão se fazendo de vítima, dizendo que somente o Vasco é prejudicado e tudo mais. são os mesmo que estarão comemorando uma vitoria com erros de arbitragem daqui a pouco e justificarão que um dia também foram prejudicados. Com toda a certeza não há moral na sociedade brasileira para assumir esse tipo de situação. Sou torcedor do Flamengo e estou muito feliz com a vitoria do meu time, mas por outro lado lamento o final do campeonato ser dessa forma, porque sei que daqui a pouco, no Campeonato Brasileiro vão errar contra o meu time e todos ficarão lembrando desse fato. O problema é que além da nossa arbitragem ser ruim, é cruel o que fazem com eles repetindo os “erros” como se fossem intencionais. Os caras não tem o recurso da TV para auxilia-los, e nisso concordo contigo quanto ao uso da tecnologia em favor do Esporte, daria credibilidade e os árbitros não seriam crucificados como vilões da historia.

  • P. Márcio

    Sou flamenguista, sei (como todos sabem) que o gol foi irregular, concordo que é um absurdo o nível técnico da arbitragem brasileira e que já passou do tempo de se abrir uma discussão mais concreta sobre a utilização de recursos tecnológicos em lances capitais. Também não tiro a razão de todos os vascaínos que, neste momento, estejam esbravejando indignados. Mas, na moral, estou comemorando o título sem nenhuma ânsia ou azia e tenho certeza de que isso não me faz um sujeito carente de princípio ou vergonha, mesmo porque também não estou procurando justificativa para nada. O erro aconteceu e pode sim servir para um aprofundamento sobre a referida discussão tecnológica, mas, enquanto as mudanças não ocorrem, não acho que os eventuais favorecidos com o erro tenham que ficar se martirizando com isso ou dando uma de herói para proclamar a vitória para o adversário. Envergonharia-me e deixaria sim de comemorar se não se tratasse de um “erro”, mas de “roubo”, de um “jogo de cartas marcadas”. Como (além da infeliz ironia de Felipe) não há nenhum indício de que seja esta a hipótese, continuarei comemorando, na certeza de que logo mais o Flamengo também poderá ser o prejudicado e nem por isso taxarei de carente de princípio ou de vergonha quem estiver a comemorar. Abraço.

  • Marcelo Ferreira

    André,

    Depois de ler tanta baboseira, e ainda te ver perdendo tempo respondendo algumas, espero que responda essa, bem mais coerente com a tese que você defende.

    No lance do pênalti/impedimento no Jô, mesmo analisando o replay diversas vezes, e com a imagem congelada, fica uma dúvida se estava ou não impedido, além da possibilidade da falta ter sido fora da área. Muito comentaristas de TV disseram que não estava impedido. Seu pai, por exemplo, em seu blog, achou que estava. Como agir nesse caso (com a tecnologia)?

    A verdade é: mesmo com a tecnologia, alguns lances no futebol certamente ainda dariam discussão..

    AK: Não vejo problema. A gigantesca maioria dos lances duvidosos seria resolvida corretamente. Um abraço.

    • Aquino

      Marcelo Ferreira,

      Na NFL algumas vezes os juizes após verem o replay tomam decisões que pela dificuldade ainda abrem discussões sobre “foi ou não foi”. Quando for assim, obvamente haverá debates sobre o lance em questão.

      Acho que o mais importante no final das contas é diminuir o máximo possível os lances que marcam como esse e que são fáceis de verificar com apenas um replay. Na maioria das vezes, o tempo que os jogadores passam gritando com o juiz seria o suficiente para ele consultar qualquer tipo de verificação eletrônica e resolver o problema.

      Abraço.

    • borntobefire

      Até quando o foguim, o pó de arroz e o bacalhau não vão se unir prá combater essa corja de pilantras da FERJ, federação de árbitros que se juntaram a globo, prá sempre beneficiar outro clube?
      Mais uma falcatrua. O FUTEBOL CARIOCA É UMA MÁFIA, JÁ DIZIA CASTOR DE ANDRADE !!!!!!

      • spnunes

        Ainda que involuntariamente, mas é. I AGREE!

  • Cesar Fraga

    O que vocês estão esquecendo é que o jogo teve 180 minutos e dentro desses 180 minutos tivemos erros que mudaram o jogo :

    1) Gol ILEGAL do Vasco (atacante vascaíno segura Felipe)
    2) Jogador vascaíno tira camisa do Samir dentro da área e só leva cartão amarelo
    3) Jogador do Fla parte em direção ao gol e é derrubado pelo último atacante vascaíno e só leva cartão amarelo.

    E por aí vai. Porque colocar tudo numa única jogada ?

    AK: Por que ler o texto?

    • Felipe

      Tem memoria seletiva né? Não lembrou da conduta violenta dos jogadores do seu time e principalmente do Jogador André Santos espalhando cotovelada neste ultimo jogo. Posso listar aqui várias coisas que seu santo time fez de errado e foi absolvido. A questão levantada pelo Andre foi o momento que o erro foi cometido, 46 do segundo tempo é covardia, não da tempo de reagir nao tem como reparar.
      Largue seu clubismo de lado e esses argumentos infantis, não tente justificar um erro com outros.

    • Paulo

      Para ele essa única jogada foi a fatal, mas infelizmente ele esqueceu que o jogo teve 180 minutos, e capitalizou tudo em uma única jogada? Não entendi sinceramente seu texto. Erro é erro em qualquer situação, se errou, errou para os dois lados, ou vc acha que o Luan não deveria ser expulso? Naquele momento o vasco teria apenas 10 jogadores em campo, isso aos 13 minutos de primeiro tempo e o jogo seria um outro totalmente diferente do que vimos! Então tem sim, que analisar todos os erros, pq um erro decide completamente o curso de uma partida como vc mesmo falou!! Não existe erros e erros. Erros são erros e acabou!
      Me desculpe, texto sem coerência nenhuma!!!

      AK: “Não entendi sinceramente seu texto.”
      Perfeito resumo.

      • Marcelo

        Caro André, seu texto possui algumas observações interessantes. Dentre elas a que defende a utilização dos recursos eletrônicos para diminuir o nº de erros de arbitragem. Sei que essa solução não resolverá todos os problemas, especialmente os que envolvem a interpretação do árbitro (ex: Foi bola na mão ou mão na bola? É falta para amarelo ou vermelho?). Porém, discordo que os erros devem ser mensurados de acordo com o tempo em que ocorreram. Quer dizer que um gol mal anulado no início da partida é um erro menor do se for no final? Ah, mas no primeiro caso a equipe prejudicada teve tempo para se recuperar! Isso é uma falácia! Ora, daqui a pouco estaremos salvo conduto aos árbitros que erram no início do jogo! Ele errou mas a outra equipe teve tempo de se recuperar. E “SE” ela não se recuperar, o erro no início não foi tão fatal quanto se fosse no início! Mas, vamos seguir dentro da sua lógica. Qual é o maior erro: a não expulsão de um jogador no início do jogo ou no fim do jogo (não estou falando de situação de falta violenta ou agressão)? Pelo seu raciocínio, no fim do jogo não faria muito diferença. então por que um árbitro iria expulsar um jogador faltando 1 ou 2 minutos para o fim? Dentro dessa lógica, o árbitro nem precisa expulsar um jogador quando ele cometer uma falta que o levar ao 2ª cartão amarelo porque não será um erro decisivo. por outro lado, a não expulsão no início do jogo é um erro grave, pois deixaria o time por muito tempo na partida em desvantagem numérica de jogadores. Assim, esse raciocínio apresentado é totalmente desfavorável ao futebol. Erro é erro! Independente do tempo ou das circunstâncias em que ocorreu..
        Essa decisão foi eivada de erros de arbitragem desde o primeiro jogo. E considero que todos eles decidiram o campeonato. A falta no Felipe no primeiro jogo mudaria a história totalmente do primeiro e do segundo jogo. A não expulsão de alguns jogadores de ambos os times no primeiro jogo também modificariam a história do segundo! A não expulsão do Luan igualmente!
        Temos que combater os erros de forma absoluta e não de forma relativa!

        AK: O impacto de um erro de arbitragem no resultado de um jogo de futebol depende do contexto em que ele aconteceu. É assustador que não se perceba isso.

    • Diego

      Pra começar o Éverton não segura o , ops, o Felipe. Ele fica à frente dele. Todos sabem que o goleiro do flamengo é fraquíssimo em saídas de escanteio. Enfim, discutível.
      Jogador vascaíno tirou a camisa do Samir num lance que não havia sido iniciado. Cartão amarelo era o correto segundo a regra.
      Jogador do flamengo parte pra cima do jogador do Vasco, é derrubado na intermediária. Intermediária é chance clara e manifesta de gol? Acho que não. Leia a regra.

      Queria por fim que o Sr. Dissertasse sobre as seguidas “mãozadas” do André Santos no segundo jogo, se não são lances de cartão vermelho.

      • Smith

        as seguidas “mãozadas” do André Santos, que aconteceram na tentativa de se livrar dos agarrões dos vascaínos, e nenhum pegou no rosto, como deliberadamente simulou os vascaínos.
        Mesmo na intermediária, era o último homem, logo, o cartão vermelho era o mais indicado!
        Mas até aceito a “interpretação” do árbitro, devido a um ou dois metros da área, o que não aceito é o Guiñazu, depois de ter cometido várias faltas pra cartão amarelo, fazer uma falta claríssima de cartão amarelo, e o árbitro dar a falta e o Guiñazu não ser expulso. Foi uma demonstração de total que quem “amarelou” foi o árbitro, pois não teve peito!

        AK: “era o último homem”. Desconhecimento da regra.

    • William

      Não adianta tentar explicar para os anafalbetos flamenguistas. Jamais vão entender.

      O que o André escreveu:

      “Analisados individualmente e afastados do contexto em que se deram, equívocos do apito podem parecer semelhantes. Mas quando se observa quando e como eles aconteceram, a distância pode ser brutal.”

      O que o framenguista leu:

      */%$#@*&$#@$%¨&*()() Gol do Framengo robado!

      Bando de ignorantes!

  • Fernandp

    Prezado André,
    acho seu ponto bastante sereno. No entanto, acho que um juiz não ter expulsado um jogador do VAsco aos 15 do primeiro tempo muda o jogo TODO. Tudo bem não expulsa porque ele pegou uma diagonal. Aos 15 do segundo outro lance: Paulinho dá o lençol e toma uma safanda de dois jogadores do VAsco (ambos com amarelo) em um lance que Everton e Alecsandro estão na área contra um defensor do Vasco e o juiz não da a vantagem. O Juiz não expulsa nenhum dos dois e, para piorar, o Chicão é merecidamente expulso. Ou seja, em vez de expulsar somente o jogador do Vasco (qq um dos dois), o arbitro escolhe expulsar um de cada lado na cobrança da falta. Será que os comentários de sua esposa ao lingo da semana não fizeram ele (um arbitor em geral disciplinador) leniente? Isso não prejudicou o Flamengo? JOgar com um jogador a mais podendo empatar e sem ter que aturar o Erazo (ou seria Erraço!!!!) não muda nada? O vasco ficaria em vantagem?
    O lance final foi claramente em impedimento. O erro foi somente mais um erro grave ocorrido na final que começou com a confirmação da escalação do arbitro após a esposa tentar acabar com a carreira do mesmo. Sem grande clubismo, se vc olhar todo o lance que ele deveria ser mais severo com jogadores do vasco, ele afinou, possivelmente por causa das polêmicas da semana.
    Prefira ser campeão sem toda essa polêmica, mas…… errou e não roubou!!!
    Certamente, qualquer erro grave em deci~soa pode decidir a parada. Mas aos 47, o time não tem como reagir. Mas não ter a vantagem numérica em uma final é um erro igualmente grave e que poderia ter dado o título ao Vasco. Nesse caso, somente teriam falado que o juiz foi leniente. Não foi, foi omisso!!!! Provavelmente, por causa das polêmicas!!!

  • As acontecimentos dentro de campo, no que tange à arbitragem sempre foi de muita complexidade. Observando os 180 minutos de Flamengo e Vasco, vamos conseguir extrair uma visão mais coerente do resultado. Se considerar-mos apenas o impedimento não visto pela arbitragem nos dois últimos minutos da última partida, vamos ter um choque de impresão de incompetencia ou favoritismo para com o Flamengo, Mas, se considerar-mos que no primeiro jogo o gol do Vasco foi feito após falta clara e explicita no goleiro Felipe, consideremos então no primeiro jogo 1 a zero paara o Flamengo, mas o juiz não viu, fazer o que gol do vasco. Falta grave aao 15 minutos do primeiro tempo em Everton do flamengo que tinha apenas um zagueiro à sua frente em direção frontal ao gol, e todo mundo na hora viu, era falta pra cartão vermelho, mas, o juiz não viu!!! fazer o quê? o mesmo juiz que errou contra o Flamengo tambem errou a favor e erros de arbitragens acontecem. Pensando bem 1 a 0 no primeiro jogo pro Flamengotava de bom tamanho e 1 a 0 para oVasco no segundo jogo. Resolvido o problema se o arbitro não errasse o flamngo seria campeão. E para os Deuses do futebol tambem com erro, tava escrito que seria!!! É o futebol…

    AK: Muita complexidade…

  • Definitivamente, precisamos urgentemente implantar todos os instrumentos eletrônicos, elétricos, o que for, para manter a lisura do futebol; só assim os ânimos serão acalmados pelas nítidas evidências e não teremos mais xingamentos, contrariedade e até assassinatos em nome do futebol.

  • Emerson Cruz

    Lamento que:
    1- Campeonatos sejam decididos por erros de arbitragem.
    2- Um atleta diga que “ganhar roubado é mais gostoso”.
    3- Haja quem não entenda que erros ocorridos ao final de uma partida sejam mais pesados que lambanças ocorridas quando há mais tempo disponível para que o prejudicado se recupere no jogo.
    4- O presidente do clube prejudicado faça discursos de lamentação após o jogo, mas não trabalhe por mudanças efetivas e profundas na arbitragem do país.
    5- O clube “agraciado” com o erro perca a chance de fazer história lamentando a injustiça e agindo para evitar que novos erros possam ocorrer, afinal o beneficiado de hoje pode ser o prejudicado de amanhã e “ganhar roubado”,para quem tem ética, é péssimo.
    6- Transformações na arbitragem brasileira, visando a real diminuição de jogos decididos pelo apito, sequer passem pela cabeça de quem comanda o futebol no país.

  • Marcelo Vaz

    No exemplo da final paulista, você afirma que o Ituano teve tempo de fazer o seu gol. Pois, bem, o Vasco teve 90 min. para fazer quantos gols pudesse, só fez 1. O tempo eh o mesmo para todos. Tivesse o Vasco feito 3 ou 4 gols, de nada adiantaria o gol impedido do Flamengo.

    AK: É muito difícil compreender que estamos falando de tempo após o erro da arbitragem?

  • Sr. André, sou leitor assíduo do Jornal Lance e, às vezes, entro no Site Lancenet, assim como fiz agora e, aproveitando a oportunidade, não posso deixar de fazer um comentário sobre o assunto que o sr. lançou neste espaço: “O sr. está viajando na maionese” ou algo parecido, pois o que tem de contradição no seu texto é uma festa. Faça um favor, “dá uma baixada na sua bolinha” pois, na ânsia de defender a sua tese, o sr. chega a ser deprimente e ridículo.
    Abraços

    AK: Aponte uma contradição, rebata os argumentos, escreva alguma coisa que valia a pena ser lida. Qualquer coisa.

    • Paulo A S

      Não esperem que um flamenguista reconheça seu erro, isso jamais irá acontecer, muito pelo contrário, são os mais odiados do país e acham que é porque são os melhores. Não, não é isso, se fossem não seriam eliminados na primeira fase da libertadores, e diga-se de passagem no grupo mais fraco. A verdade é que são pessoas de um espírito ruim mesmo, pessoas que se unem em virtude de características comuns como a desonestidade. Simples assim, poderiam simplesmente admitir um erro que TODOS no planeta assistiram. Mas pessoas com caráter discutível não admitem erros, apenas os justificam, é o tal do “se dar bem”, furar filas, tirar vantagem. É “aquele velho jeitinho brasileiro ambicioso e golpista. Que não perde a chance de se dar bem mesmo tendo que passar por cima de alguém”.
      Lamentável, mas o pior é que é a maioria né? por isso o país está onde está. O torcedor do flamengo se acostumou com isso, os jogadores acabam se acostumando também, por isso não existe reforço que faça terem bons resultados país afora, na libertadores reclamam simplesmente de tudo que os árbitros decidem, não estão acostumados com arbitragens imparciais, assistir um jogo ao lado de um rubro-negro para quem já o fez sabe o quanto é insuportável, eles veem coisas que ninguém vê. Impressionante, é realmente uma nação, uma nação de pessoas sem caráter.

      AK: Para que isso?

      • Smith

        Boa pergunta AK, Pra que isso?
        Isso é para se livrar do complexo, de sempre perder as finais para o Fla, pelo menos nos últimos 23 anos…
        Sem caráter é achar que só o timeco dele é roubado! O vasco ganhou a CB2011, roubando o ABC de Natal, e contando com a complacência do juiz ao não marcar um pênalti claríssimo do Dedé em cima do atacante do Coritiba (só pra citar). Não vem com o chororô botafoguense, não! Aliás, nenhum flamenguista disse que não houve impedimento. O Bandeira errou, sim!
        Mas não foi o único! Pelas suas palavras, espírito ruim, quem tem é vc, e fica medindo os outros com sua régua… Vá se catar, e chore bastante na cama…

        AK: Para que isso?

  • Perfeito o comentário !

  • OSCAR ROCHA

    Pode parecer repetitivo, mas sou obrigado a repetir o meu último comentário aqui:
    É realmente muito difícil ganhar do Flamengo, no Rio de janeiro, e isto, não se dá pela qualidade do time mas pela força do esquema, que não é o tático, de jogo!

    • William

      O León que o diga! Muito difícil… Talvez se a arbitragem fosse carioca…

  • Desculpe,mas o correto seria o ROUBO QUE DECIDE e não O ERRO QUE DECIDE,porque o que vem ocorrendo nos jogos em que o Flamengo precisa do resultado e os arbitros,estão fazendo esses resultados,é uma uma pouca vergonha mesmo.

  • SEBASTIAO PASCHOAL

    Parabén André, por suas sensatas ponderações. Não tenha minha humilde manifestação, o condão de criar mais discórdias das existentes entre torcidas. Mas que o Vasco vem sendo prejudicado sistematicamente por arbitragens no Campeonato Carioca, não se discute. Aliás, vou lançar uma suspeição, pois o Sr. Eurico MMiranda é representante lá na FERJ dos pequenos clubes e, quem dirá de
    seu desinteresse em prejudicar seu clube de coração, com uma diretoria contrária à sua pessoa? Além disso, a imprensa tem que tratar com igualdade todos os clubes e não dar ênfase somente a um.

  • Eder Freitas

    O choro é livre!!!!!!!!!!!!!!

  • Eddie The Head

    Sabia que teria post sobre o assunto,e sabia que seria polêmico,com dezenas de comentários. Apenas esperava que você falasse mais sobre a declaração do Felipe. Pra mim,a essência do mau caratismo. Só mau caráter sente prazer em roubar.

    Como não torço para nenhum dos dois,mas amo futebol,tento ser isento.

    Quero deixar claro uma coisa:sou contra o uso da maioria dos recursos eletrônicos,principalmente a tv. Acho que árbitro tem que se profissionalizar,se preparar adequadamente para as partidas,ter acompanhamento técnico e psicológico,não precisar se preocupar com o trabalho no dia seguinte,ter aposentadoria,ter curso de qualificação,intercâmbio com outros países,enfim,acho que árbitro tem que ser profissão. Depois de tudo isso garanto que não será tão necessário o uso de recursos eletrônicos. O árbitro de Flamengo x Vasco falou sobre isso em entrevista ao Lance!. Assumiu a culpa,embora a responsabilidade da jogada fosse toda do assistente,que,mais uma vez,estava bem colocado e não marcou,assim como aconteceu no gol de Douglas em outro Flamengo x Vasco. Coincidência? Rapaz,sinceramente não creio. Pra mim,má fé,principalmente no gol de Douglas. É exatamente por isso que acho que o recurso usado na Premier League deveria ser usado em outros campeonatos. O árbitro tem um relógio que vibra quando a bola ultrapassa a linha do gol.

    Anteriormente li um post seu falando sobre o mesmo assunto,um gol irregular no fim que não dá tempo ao adversário de tentar recuperar-se. Com todo o respeito,discordo. Acho que um erro aos 5 do primeiro tempo ou aos 46 do segundo decidem o campeonato do mesmo jeito. Quando dois times de qualidade se enfrentam um gol decide a partida,seja a 1 ou a 90 minutos de jogo. A prioridade seria minimizar os erros de arbitragem,pois acho que acabar com eles é coisa daquele filme do Tom Cruise,”Missão Impossível”.

    Quanto à frase que você publicou no fim do post,“Para aqueles que entendem que o futebol seria prejudicado pelo auxílio eletrônico ao apito, um – mais um – o sabor de um campeonato decidido por um gol ilegal deve ser insuportável. Que consigam digeri-lo sem ânsia ou azia.”,será que o arqueiro do Flamengo entenderia se lesse isso?

    Uma coisa que me chamou bastante atenção em comentários acima é que a maioria contesta os erros de arbitragem ocorridos em jogos anteriores. Será que eles conseguiram entender do que o post se trata??

    Grande abraço,nobre. Mesmo discordando em algumas coisas seus posts são realmente muito bons.

    • Smith

      Mau caratismo, é reclamar da bola que entrou na cobrança de falta do Douglas, e não ver que o lance anterior, onde originou a cobrança de falta, não existiu! Isto é, não houve falta alguma, além da má intenção do árbitro em prejudicar o Flamengo.
      Qto ao Felipe, eu vi a entrevista e não falou nada disso. Quem falou foi o reporter!!!
      Distorceram totalmente o sarro q o Felipe tirou, e que TODOS os vascaínos iriam fazer, caso tivesse eles sido campeões, sem falar nos torcedores dos outros times…

      • Eddie The Head

        Lamentável notar a que ponto chega a irracionalidade e falta de compreensão de um ser humano. Seria melhor voltar ao período paleolítico e buscar sua linha evolutiva.

  • Felipe Campos

    Que bom que hj eu tenho lido algumas palavras mais sensatas sobre o escândalo de ontem.Só assim mesmo pra amenizar o sentimento de indignação que ainda paira sobre mim. Os torcedores do Flamengo cegamente não se dão conta da vergonha que ocorreu ontem.Sinceramente eu já não acredito mais em erros justificados pela FERJ como sendo limites da capacidade humana. Isso pra mim é um desaforo com o torcedor. Foram 3 jogos extremamente conturbados pela arbitragem. E o saldo foi esse,mais um erro contra o Vasco que impediria a nossa vitória. Nesse carioca a coisa foi muito suja. É coincidência demais pra engolir!

    • Cris

      Vergonha é cair para serie B duas vezes e querer manchar o titulo merecido do flamengo, o gol foi ilegal, aconteceu, fizemos um campeonato melhor que o seu vice jogando até com time junior, entendo teu sofrimento, se não tivesse tantos erros nos 180 minutos para os dois lados, mesmo assim o fla seria campeão, esse jogo final seria empate em 0x0, aproveite e anulem tambem a final contra o São Caetano, tambem foi vergonhoso. Saudações Rubro Negras.

      • William

        OK, anulem o jogo do São Caetano e todos os outros roubados, pra todos os times, inclusie o Framengo. Nós, Vascaínos, perderíamos um Brasileiro. O Framengo? Até a Libertadores de 1981, e consequentemente o título mundial de que tanto se gabam, apesar da ampla maioria da torcida sequer ter visto o título, o Brasileiro de 1987e 2009 e adicionaria mais uns 3 rebaixamentos. Santa ignorância!

  • Alexandre

    Prezado André,

    Graças a Deus, pelo menos um colunista esportivo deu a real dimensão sobre o que ocorreu na decisão do Campeonato Carioca, domingo. O erro de arbitragem, que já vinha ocorrendo com frequencia, sempre favorável ao mesmo “time”, transformou “o tal time” em campeão de um Campeonato pífio, sem graça e sem público. A federação carioca de futebol deve estar radiante por ter forjado um campeão a seu gosto, assim como ficou radiante a imprensa esportiva em geral e os torcedores do tal “time pseudo-campeão”, que se esqueceu rapidamente do vexame que passou na Libertadores (aaaaa, se os juízes fossem da federação carioca…), que de fato demonstrou a “grande força” da “seleção carioca de vermelho e preto”, ou seria, como eles mesmo bradaram a 60.000 vozes “time sem vergonha”. Aliás, pelo que ocorreu domingo, chego a conclusão que o time é, sim, sem vergonha, mas seus torcedores são muito mais. Me entristece saber como somos tolerantes com corrupção, a partir do momento que vem a nos beneficiar. Parabéns flamengo, por seu “brilhante título” e aproveitem bastante. Só não esqueçam de que, se algum dia acharam, por exemplo, que o fluminense envergonhou o Rio por não disputar a segunda divisão, eis que caiu no campo, agora comemoram um vexame muito maior, e o que é pior, foi friamente calculado. E essas mesmas pessoas, prezado André, criticam políticos por serem corruptos e só pensarem em si próprios. E eles, o que são?
    Me envergonho e tenho nojo disso tudo. Por mim, o Vasco não deveria mais jogar esse campeonato ridículo. Parabéns por sua coragem!

  • Antonio

    Caro AK

    Quando fala que o jornalismo esportivo de hoje em dia adora criar polêmica onde não existe você fica chateado.
    “Foi impedido? Ah, então roubado é mais gostoso ainda!”, disse o goleiro.
    O Felipe falou como um torcedor, um peladeiro de final de semana, não como um “sujeito carente de princípios e/ou vergonha que encontra uma justificativa para tudo”.

    Abraços

    AK: Ele é um jogador profissional de futebol. Representa um nome e uma marca que são mais importantes.

  • Antonio

    Caro AK

    Um pênalti irregular a favor do Ituano no 1º tempo não é a mesma coisa que para o Santos. Para o Ituano se recuperar no primeiro minuto ou no último é mesma coisa, pois o Santos é muito mais time que o Ituano e é muito mais provável o Santos fazer o segundo do que o Ituano empatar.
    Se o Ituano não recupera e perde o título, a culpa é do Ituano pela sua falta de capacidade de recuperar um resultado ou do juiz que marcou um pênalti irregular?

    Abraços

    AK: Não é isso que estamos discutindo.

    • Antonio

      Caro AK

      Desculpas, entretanto estava dentro da sua linha de raciocínio esta situação.
      Você acha que um gol irregular a favor de um time grande nos primeiros minutos de jogo tem a mesma relevância de um gol para um time grande nos mesmos minutos?

      Abraços

      AK: Você já está entrando no território do nonsense. Melhor parar. Um abraço.

  • Antonio

    Caro AK

    Sou a também a favor do auxílio eletrônico. Um dos muitos questionamentos são que numa jogada rápida que um lance duvidoso ocorra numa area tenha sequencia e ocorra um gol na area contraria, qual deveria ser sido o procedimento do juiz? Muitos acham que seria feito como acontece em outros esportes o jogo seria parado para ver o lance e um lance duvidoso poderia não ser nada e o time ser prejudicado.

    Abraços

  • Antonio

    Caro Andre

    Na minha opinião o auxílio eletrônico deveria ser com várias câmeras pegando todos ângulos e com sequencia dos jogos, observado alguma irregularidade o jogo seria parado e a irregularidade seria marcada.
    Enquanto isso deveria haver uma coletiva com os juízes e bandeirinhas após jogos com lances duvidosos para explicar o que eles viram quando marcaram ou não marcaram um determinado lance duvidoso. Seria até um momento para eles explicarem o lance pela visão deles e não da televisão. Pela televisão ou eles são cegos ou têm má fé.
    Qual é a sua opinião?
    Abraços

  • Marcelo

    Andre, também sou plenamente favorável ao recurso eletrônico. Sou rubro negro e não vejo graça em ganhar ou ser prejudicado com lances irregulares. O melhor deve ser apurado dentre aquele que pontuou mais dentro da regra, o que não acontece quando há o erro. No entanto, discordo quando você diz que todos os lances do jogo deveriam ser revisados. Isso porque, para isso, teria que se parar o jogo constantemente, talvez como ocorra no futebol americano, o que deixaria o jogo muito monótono. Acho que a melhor solução seria adotar algo parecido com o tênis, onde cada treinador poderia duas ou três vezes por partida pedir que seja tirada dúvida sobre lance capital (regularidade ou não de gol, ocorrência ou não de pênalti, etc), caso em que se pararia o lance e se observaria. Quanto ao impedimento, acho mais fácil pois poderia-se deixar um programa de “tira teima” rodando, que indicaria automaticamente quando a posição é irregular.
    Por fim, não concordo com a diferença de o erro ser no fim ou no início. Todos são altamente prejudiciais e não há como, objetivamente, diferenciar um de outro – um gol pode mudar completamente a partida, independente da hora que ele saia. No primeiro jogo da final o gol do Vasco foi irregular (falta no Felipe – o Arnaldo inclusive entendeu esse lance como faltoso). Não se pode dizer que esse gol foi menos prejudicial que o que o Vasco sofreu.
    abraço

    AK: É espantoso que não se consiga perceber a diferença de impacto no resultado, entre um gol ilegal que acontece no decorrer do jogo, e um gol ilegal que acontece no último minuto.
    E quanto a “No entanto, discordo quando você diz que todos os lances do jogo deveriam ser revisados”, eu jamais disse ou escrevi isso. Os gols devem ser revisados. Um abraço.

    • Antonio

      Caro AK

      Os gols e os não gols ou você acha que um impedimento marcado irregularmente ou um pênalti não marcado não influencia no resultado da partida?

      Abraços

      AK: Vou criar uma resposta automática para você. É assim: “Não é isso que estamos discutindo. Um abraço.”

  • Julio Cesar

    Bom dia a todos ! Erro ?!?!? Quantos lances tão claros, e o arbitro e auxiliares vem apos o termino da partida dizer que errou. Ate o Simon se justificou no penalti claro sobre o atacante do Atletico Mineiro (semifinal da Copa do Brasil contra o Botafogo). Vou deixar pra la, se houve ou não anteriormente algum acordo interessante. Mas que o arbitro , no instante, decide quem ele quer beneficiar, logo, a quem prejudicar com seu apito. isto é obvio. Na decisão do Mineiro, o Atletico foi claramente prejudicado. Naquele instante, o trio de arbitragem decidiu, quem teria que ser o campeão. O penalti teria que ser cobrado e talvez ate ser perdido. Então todos os lances claros em que os arbitros apos o jogo dizem que erraram, balela. Eles decidiram naquele instante a quem beneficiar. Ou a quem prejudicar, por que não. Não tanto pela simpatia pelo Flamengo talvez, mas pela antipatia pelo Vasco. Uma ou outra coisa, é certa.

  • Marcelo R

    André acho que estamos numa sociedade perdida. Sinceramente, uma situação dessa na Europa ou na liga Japonesa seria caso de entrega sumária do título ao time prejudicado.

    O Flamengo perdeu uma excelente oportunidade de sair por cima. Admitiria o impedimento, não receberia o troféu e desceria para o vestiário. É claro que em se tratando de Brasil é pedir demais.

    Mas, veja se o Flamengo dissesse: “…Já tenho muitos titulos de Estadual e não preciso misturar os outros que ganhei com este que não é meu…”. Mostraria que é realmente grande como afirma, mas preferiu a mesquinheza dos tempos atuais.

    Muita gente, vem falando de erro aqui de não ter expulsado este ou aquele jogador inclusive no primeiro jogo. Procuram justificar o injustificável, como se uma lambança dessa fosse igual ou pior. Foi o primeiro erro grosseiro de arbitragem ?, Não, como também não foi o primeiro erro grave cometido contra o Vasco e nem será o último. Mesmo que assim fosse, sequer dá para comparar porque os erros cometidos contra o Vasco são em lance de gols, ao passo que a maioria dos alegados pelos flamenguistas são de lances de expulsão. E antes que digam que isso é determinante para o resultado, o Vasco chegou a abrir o placar contra o Flamengo com um jogo a menos.

    Mas o que provoca tristeza, não é ver os adultos fazendo aquelas brincadeiras ridículas (só num país moralmente falido onde o beneficiado pelo ilícito ainda tem a desfaçatez de sentir orgulho e de tripudiar em cima do honesto) com o ocorrido porque essa geração está perdida, os adultos de hoje são simplesmente caso perdido, veja o caso do profeta Felipe (acho que o Flamengo encontrou um substituto à altura do Bruno).

    O triste é vc ver essas piadas e brincadeiras disseminando entre crianças de 07, 08 e até de 12 anos, onde eles acham que é normal vc conquistar as coisas à margem das regras e o que importa é ganhar, não se importando se está prejudicando outras pessoas.

    Depois, não teremos o direito de reclamar quando essas crianças e esses jovens de hoje se tornarem adultos e se transformem em pessoas que farão as coisas mais abomináveis para conseguirem promoção, status, dinheiro, poder, mulher.

    Muitos dizem que isso é no mundo ideal e que o futebol é um mundo à parte, afirmação que eu discordo em absoluto. Não dá para reclamar do político corrupto e achar legal ou normal o que aconteceu no domingo no carioca só porque beneficia o meu time. Essa é a grande contradição que as pessoas não enxergam porque é justamente por pensar dessa forma que nossos políticos são o que são. Afinal, pensam eles, se todos roubam não tem porque eu não fazer o mesmo, já que se eu não levar alguma vantagem alguém vai roubar então é melhor eu fazer o meu “pé de meia”.

    A ética é ética em qualquer lugar, pois vc não deixa os seus valores em casa quando vai a algum lugar, inclusive um estádio de futebol.

    Não há como ter uma ética para determinado local ou determinado momento ou para determinada pessoa, nosso país tem de fazer uma opção pela honestidade e não querendo ficar chancelando esse tipo de comportamento.

    Da mesma forma que o Flamenguista tripudia o Vascaíno (quando deveria ocorrer o contrário, ou, no mínimo, ter vergonha do título) nossos políticos tripudiam em cima de nós com os seus cargos de salário altíssimo, suas prerrogativas, suas imunidades, seus jatinhos, seus conluios e vivem num mundo de uma ética particular ou ausente totalmente desconexos com o grave estado de qualquer serviço público prestado por qualquer município, estado ou pela União.

    Qualquer semelhança com o nosso futebol não é mera coincidência.

    • Roberto

      Texto bem escrito. E toca num ponto que, se não diretamente ligado ao jogo, está ligado a nossas vidas como brasileiros.
      Discordo porém sobre a generalização dos adoradores da lei de Gérson. Apesar de concordar que faz parte de nossa cultura (e sempre fará), esse espírito de tomar vantagem a qualquer custo (e se gabar disso) não é característica da maioria dos brasileiros, pelo menos não acima de outras, como compaixão e ética de trabalho. Acho q o futebol é uma dessas grandes válvulas de escape. Acabamos vendo no contexto do jogo características dos torcedores que não se aplicam, na mesma intensidade pelo menos, no restante de suas vidas. O brasileiro quando não está torcendo pelo time, mas trabalhando ou com sua família, é muito diferente desse reflexo caricaturado do torcedor de futebol. É uma pessoa q trabalha, e que quer, com todas as suas forças, um país melhor.
      Se não acreditarmos nisso, que sentido faz investirmos o nosso tempo e nosso trabalho neste país?

      • Roberto

        De acordo André. Seu texto está claríssimo. Me referia ao comentário do nosso amigo Marcelo R. Me chamou a atenção pelo “conteúdo expandido” migrando do futebol para uma discussão de ética no país.

        AK: Perdão. Escapou-me que seu comentário não era para mim. Vou apagar minha resposta. Um abraço.

    • Smith

      Marcelo R, concordo plenamente em “devolver” o título carioca, ou apenas recusar um título ganho por um erro imperdoável. Sim, no dia em que o Vasco também DEVOLVER o título da CB2011 ao Coritiba, e Fluminense também devolver seus inúmeros estaduais, principalmente o de 1971, ao Botafogo, ao Bangu em 85, o Caixão2002 (nem era pra estar na final), e ao V. Redonda em 2005!
      Quando estes títulos forem devolvidos aos seus “merecedores”, serei o primeiro a empunhar a bandeira de devolução deste…
      As suas palavras tem um nome: HIPOCRISIA!

  • Teobaldo

    Certamente se fosse permitido o uso da tecnologia no futebol, a mim teria sido negada a oportunidade de ler tantas pilhérias, de diversos matizes: “ganhar roubado é mais gostoso” (exaltação à desonestidade); “…. e aquele lance no primeiro jogo, ninguém fala dele? (como se o assunto não fosse esse); “… o erro no primeiro minuto é tão significativo quanto o erro no último minuto (então, a minha chance de recuperação em ambos os casos é a mesma, certo?)”. Enfim, ABAIXO O USO DA TECNOLOGIA NO FUTEBOL (exceto quando for em benefício do meu time”… Um abraço!

    AK: É impressionante, não acha? Especialmente a dificuldade de compreender os impactos distintos dos erros, como se não houvesse contextos. Eu gostaria de acreditar que a paixão cega o sujeito, mas creio que é muito mais sério do que isso. Um abraço.

    • Roberto

      André, vc é um grande otimista. E falo isso de maneira muito positiva, de quem compartilha de seu otimismo e da frustração que inevitavelmente vem com ele. É triste ser um otimista no Brasil.

    • Teobaldo

      Apenas para complementar entendi como infame a atitude do árbitro, ao atribuir o gol do Flamengo ao Nixon. Ato raso, totalmente sem propósito, inútil, dispensável. Como se o fato de o Márcio Araújo ter ido de encontro à bola já não fosse razão suficiente para caracterizar o impedimento. Enfim…

      AK: Inadmissível. Uma vergonha absoluta. Um abraço.

  • Charles

    Está claro que se assistirmos à partida novamente é possível identificar vários outros momentos em que a arbitragem também errou.
    Contudo, nenhum desses lances foi tão determinante quanto o engano cometido aos 46 minutos do 2º tempo da final.
    Sou Vascaíno de coração !
    E com vergonha de ser brasileiro, não só pelo futebol, mas por tudo que anda ocorrendo !

    • Smith

      A expulsão “correta” do Guiñazu, seria determinante na partida! A expulsão incorreta do Chicão, foi determinante para o gol do Vasco!!!
      Vá te catar Charles. pode chorar…

  • tudo bem o lance do penalt para o Santos o Cicero voltava de um impedimento então o auxiliar voou, porém o que ninguém fala é de que o penalti defendido pelo goleiro do Ituano ele avançou uns dois ou três passos então deveria ser batido de novo.

  • jose

    Na hora do lance do penalty contra o Ituano, nenhum comentarista falou, foi irregular, somente depois no intervalo analizando o lance inumeras vezes, vem com essa que foi irregular, no momento todos disseram, foi penalti. portanto, era quase impossivel a arbritagem no momento ter certeza do lance.pois havia um jogador ao lado do cicero. portanto isso e conversa para boi dormir.

  • Paulo Wagner

    Caro André Kfouri,

    Perfeito o texto e todas as colocações. Totalmente coerente com o que você escreveu e com tudo o que fala ou falou durante a semana.

    Tenho uma pergunta: juiz/bandeirinha tem time de coração? Até onde vai o profissionalismo quando se trabalha em jogo do próprio time? Existe algum tipo de controle sobre esse assunto nas Federações? Desde os seguidos erros do bandeirinha que atuou no jogo Vasco x Flamengo, eu me pergunto sobre isso. Não é a primeira vez que ele erra contra o Vasco em um jogo com o Flamengo, em lances claros, que não deixam margem à dúvida.

    Imagina uma final de Copa do Mundo entre Brasil e Argentina com juízes brasileiros. Será que a Fifa se arriscaria a isso? NUNCA!!!! Por que seria diferente em outros torneios?

    O que o futebol brasileiro ainda não aprendeu é que não existe ativo mais importante para os seus torneios do que a sensação de lisura, de respeito às regras e respeito aos patrocinadores e torcedores. Algo que para qualquer esporte jogado nos EUA é o básico. Ninguém se atreveria a colocar um tostão sequer para patrocinar qualquer esporte na terra do Tio Sam se houvesse a mínima suspeita de manipulação nos resultados ou sabendo que um campeonato poderia ser decidido em um erro tosco dos árbitros responsáveis. Por isso a quantidade inacreditável de câmeras e repetições à exaustão. Lá, ganha o melhor. Sempre! Algo muito longe de nossas terras tupiniquins….

  • Thiago Mariz

    André,

    acho interessante a discussão. Mas eu não concordo com sua opinião e, exatamente por isso, acho válida a discussão. Existe uma regra no futebol que diz: “na dúvida, não se marca o impedimento”. Estou correto? Ao menos, é o que me recordo de ver os comentaristas falando em transmissões. Meu argumento todo baseia-se nessa premissa, portanto, se não for verdade, basta que você me demonstre isso e a discussão se encerra.

    Continuando, se a regra, ou a norma, seja lá o que isso seja, realmente é essa, parece-me que a lógica da importância do tempo nessa situação trabalha em favor do bandeira. Agora, por que a dúvida me parece razoável nessa situação? Porque, sim, o jogador estava bem a frente da posição. Nisso, não reside a dúvida. Ao meu ver, a dúvida poderia ser gerada porque o impedimento se deu na continuação do lance, após uma bola na trave e com dois jogadores chegando simultaneamente à bola. Tão juntos estavam da bola que o que não toca nela esbarra no Marcio Araújo após o lance e se estatela no chão.

    Talvez, o bandeira não tivesse certeza qual estava impedido, qual tocou na bola. Parece-me razoável supor isso. Existe a contra-argumentação de que ele é profissional, treinado pra isso, etc. Contudo, ele é humano e numa situação dessas, sob um stress desumano, tomar uma decisão que mudará a história do campeonato com 1% de incerteza não me parece a decisão mais correta. Ali, parece-me nada mais que uma aposta. Ele poderia ter errado para o outro lado, caso o jogador estivesse em posição legal e ele marcasse.

    Num ponto, sou de pleno acordo: é urgente o auxílio da tecnologia na arbitragem. Urgente!

  • Gustavo

    Belo texto, André, parabéns.

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo