COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

MAIS UM

1 – Em uma época em que é difícil distinguir times com base em características (parecem todos, ou quase, construídos sobre o mesmo chassi), o Vasco tem algo que não se encontra facilmente no mercado: personalidade. O time de Adílson foi para o Maracanã com a atitude que seu torcedor teria ao encontrar o rival em uma decisão de campeonato estadual após dez anos.

2 – A personalidade de um time de futebol está diretamente relacionada ao jogo que é capaz de produzir. Uma coisa não existe sem a outra. No caso do Vasco, foi uma questão de levar o clássico a ser disputado no campo do adversário, adiantando linhas e conservando a posse. O que diz muito a respeito da conexão entre Adílson Batista e seus jogadores. O jogo não é disputado por máquinas, por isso não pode ser explicado apenas por propostas táticas. A aplicação delas depende da atuação de seres humanos.

3 – O gol vascaíno – jogada de bola parada, geralmente desvalorizada por quem é vítima delas – fez absoluta justiça a um primeiro tempo em que só um time, de fato, jogou. O critério usado aqui é simples: em relação ao que pretendia, o Flamengo nada fez. Permitiu-se encaixotar pelo oponente, e não pode usar o argumento de que a ideia original era atrair o Vasco para seu território. Pois o objetivo desse plano é sair para aproveitar o espaço, o que não aconteceu.

4 – Após um quarto da decisão, o Vasco foi para o vestiário com a segunda melhor sensação que um time pode ter: a do controle de seu destino.

5 – Só uma mudança drástica nos dois times poderia alterar o rumo do jogo. Ela aconteceu quando Everton Costa se desentendeu com as regras, aos dez minutos. O segundo cartão amarelo encerrou seu dia e abriu uma porta para o Flamengo. Jayme de Almeida a manteve aberta ao trocar Frauches por Everton. Paulinho a escancarou com um chute de fora da área: 1 x 1.

6 – A finalização de Paulinho foi a primeira, no alvo, do Flamengo na tarde.

7 – Everton Costa recebeu uma função defensiva que contribuiu muito para o sucesso do Vasco no jogo. Ao exceder seu papel, prejudicou o que havia ajudado a construir. Entre os temas da semana: a preferência de Adílson por deixá-lo em campo após uma falta em Léo, logo no início do segundo tempo, que já poderia ter encomendado a expulsão.

8 – A desvantagem numérica comprometeu o plano do Vasco e testou sua personalidade. Manter a configuração e o domínio observados no primeiro tempo significaria um feito sobre-humano. A tentativa, um risco considerável. Defender o placar e carregar a obrigação de uma vitória simples para a segunda partida foi a opção racional.

9 – O Flamengo pondera o resultado e como se chegou a ele. O empate é interessante. A forma como ele aconteceu, não. Especialmente se os 38 minutos com um homem a mais entrarem em consideração. Obrigatório levar em conta, também, os jogadores que Jayme não pôde escalar.

10 – A decisão continua no próximo domingo. O título está um pouco mais próximo do Flamengo, como estava antes do empate de ontem.

EM SÃO PAULO

Por falar em teste de personalidade, o Santos está diante de uma prova na decisão do Campeonato Paulista. As dificuldades demonstradas na semifinal, contra o Penapolense, reapareceram ontem no Pacaembu. Com as diferenças óbvias: 1) na semana passada, o Santos decifrou a charada, e 2) agora há uma segunda chance. O Ituano se defende com competência, não alcançou cinco jogos sem levar um gol apenas por sorte. O fato de ter vencido a primeira partida o coloca em situação diferente: pode ser visto como favorito no domingo. Muitos times não souberam lidar com o aumento da expectativa. O Santos precisa saber lidar com a possibilidade de perder o título para um clube do interior.

NA EUROPA

O fim de semana teve erros graves de arbitragem, em gols, na Alemanha, na Espanha e na Inglaterra. Mas há quem veja prejuízo ao jogo no auxílio eletrônico ao apito.



  • Anna

    Excelente análise do jogo André. Orgulho desse Vasco, de Adilson. O primeiro tempo foi muito bom. A expulsão de Everton Costa prejudicou muito a equipe e Adilson poderia tê-lo sacado, pois ele estava muito nervoso. Gostei muito do que vi.Destaques do Vasco no Carioca: Martin Silva, Rodrigo, Luan, Edmilson, Everton Costa, Thiago Renan e Guiñazu. Acredite,se quiser, a defesa do Vasco é a menos vazada do campeonato.Inacreditável, né? A defesa nos levou pra série B em 2013. O gol de Rodrigo foi uma coroação a tudo que ele fez no campeonato. Boa terça, Anna.

    • Eddie The Head

      Muito boa a coluna. Boa mesmo. Mas tem algumas coisas,a meu ver importantíssimas,que não foram citadas por você.

      Adilson Silva errou muito feio ao não substituir Éverton Costa. Antes de levar o segundo amarelo o juiz “passou a mão na cabeça dele” duas vezes,uma num contra ataque que ele matou e outra numa mão na bola que ele colocou. Só faltou ele avisar que seria expulso,mas mesmo assim o treinador vascaíno não o substituiu.

      Douglas. Disparado a pior partida dele com a camisa do Vasco. À exceção das bolas paradas (o gol do Vasco nasceu de um escanteio cobrado por ele) ele não concatenou uma jogada sequer,logo ele,que vinha sendo o desafogo do Vasco em momentos difíceis. Acho que deveria ser substituído muito antes. Mais um erro do Adilson.

      Jayme de Almeida. Um achado do Flamengo. Impressionante sua facilidade em ler o jogo e mudar o panorama do mesmo,algumas vezes sem nem mesmo substituir peças,já fizera isso no jogo do meio de semana pela Libertadores,e domingo fez de novo. Uma pessoa simples,que sem alarde vem fazendo um espetacular trabalho à frente de um elenco mediano.

      Embora o Flamengo tenha a vantagem do empate,acho que está tudo muito aberto,não dá para dizer quem é o favorito. Do último jogo tive a seguinte impressão: no primeiro tempo o Vasco perdeu a oportunidade de matar o jogo,e no segundo o Flamengo perdeu a oportunidade de ser campeão. Nada decidido.

      Árbitro erra. No Brasil,na China,na Indonésia,na Europa,no mundo inteiro árbitro erra. Estava vendo um jogo do Liverpool pela Premier League,e o Luiz Suarez cabeceou a bola,que bateu na mão do goleiro,na trave e quicou no chão. Na hora o juiz (era Howard Webb) olhou para o relógio,o narrador chamou a atenção para isso. Não era para ver a hora,mas para ver se o dispositivo que avisa quando a bola ultrapassa a linha do gol tinha vibrado,o que não foi o caso. Bem,lá é permitido o uso de recursos eletrônicos,alguns deles,o que é um avanço e tanto. Talvez,na verdade provavelmente,um dia chegará aqui,não da forma que alguns desejam,mas chegará.

      Infelizmente,na minha opinião,pois sou contra. Acho que primeiro temos que ter árbitros capacitados,com uma margem mínima de erro,como acontece na Europa. Claro que os erros sempre vão acontecer,mas com árbitros qualificados,bem treinados e com o devido acompanhamento isso seria muito reduzido. Sou a favor do dispositivo que avisa quando é gol,mas só dele..

      Obrigado pelo espaço.

      • Anna

        Errata: Diego Renan. Troquei o nome dele. Boa quarta a todos e bons jogos!! ps. E deu Chelsea!!!

  • Tudo que se espera do segundo e decisivo é que a arbitragem não se sinta tentada a querer disputar os holofotes com os jogadores. Esse tem sido o grande problema da arbitragem carioca. Embora não prometa grandes exibições de talento, pela características de ambos os times, promete ser um jogo corrido, tenso.

  • Juliano

    Sim, o Santos precisa lidar a com essa possibilidade. Da maneira que o time se comportou, fica difícil acreditar. Ituano está fazendo por merecer, à sua maneira.

    Batendo na mesma tecla… o Santos tem na movimentação a resposta para ter feito tantos gols. Mas é inegável que a média é mais baixa com Damião, o doente do pé, em campo. Não é dos mais móveis, muito menos dos mais hábeis. Centro-avante à moda antiga, tem suas oportunidades em campo, mas não é o “matador”, como eram os centro-avantes antigos. Há alguns jogos o Santos vinha demonstrando que poderia sucumbir. A insistência em um jogador que em nada colabora está fazendo o time pagar o preço. E não é o mesmo jogar com 10, mas sim com 10 contra 12, porque ele não só não ajuda, como atrapalha.

    Mas não é só isso. Domingo foi diferente, Damião não foi o único culpado. Todo o time não jogou bem, e isso é mérito sim da Ituano. Destaque especial para a zaga e o fantástico David Braz, que se diz jogador de futebol e a diretoria acredita. A ausência de Gustavo Henrique é muito sentida nesse estilo de jogo ofensivo do Santos.

    Com tantas pratas da casa funcionando bem e acertos pontuais em contratações – como a de Arouca há tempos e Cícero, por exemplo – a título do paulistinha poderá escapar por erros também em contratações de jogadores abaixo da crítica como Damião e Braz. Erro em contratá-los, erro no valor pago, e erro também em escalá-los. Parabéns a todos os envolvidos.

    Perder o título do estadual, que já não tem a expressão de outrora, não é o problema. O problema está em perder, em duas partidas (onde eliminamos o “acaso” que pode acontecer quando é uma só), para uma equipe com um décimo de investimento, folha salarial e torcida. Eventos como este servem para olhar onde o pequeno acertou e onde o dito grande errou. E que as derrotas e erros sirvam como aprendizado, mas o que estamos vendo me deixa pessimista. 2014 será novamente um ano difícil, principalmente com este camisa 9, o homem de 40 milhões, em campo como titular do nosso ataque.

    Ressalto que, tirante este erro exaustivamente mencionado, Oswaldo faz um belíssimo trabalho até aqui. Se ele enxergar a tempo o que está atrapalhando seu trabalho, impedindo de gerar resultado – objetivo final dos cartolas – ficará lembrado pela acertada ousadia.

    Abraço!

  • Charles

    Sou Vascaíno, e pago mensalidade de sócio torcedor.
    Faz tempo que não via o Vasco jogar, como jogou o primeiro tempo.
    Adilson poderia ter substituído o Everton logo após a falta sobre o Leo.
    Com a substituição, acredito que poderia ter vencido o jogo.

  • Ailton

    Concordo com que o Vasco foi melhor no 1º tempo ou porque o Flamengo sentiu o desgaste e a viagem de 4a feira ou porque o Vasco se impôs mesmo. Entretanto o 2º tempo o panorama mudou com o Flamengo desde início partindo para cima do Vasco e a expulsão do Everton Costa foi consequência do avanço do time do Flamengo, o que não aconteceu no 1º tempo. Podemos observar que ele deveria ter sido expulso no 1º avanço do lateral do Flamengo (Leo). O Everton Costa no 1º tempo estava aberto pela direita, no 2º teve que fazer uma falta que merecia ter sido expulso no seu lado oposto, isto já demonstra uma nova postura do Flamengo, você não acha?
    Na minha opinião o Vasco perdeu a chance de mudar a vantagem no 1º jogo e o Flamengo de acabar com jogo.
    Só que o Flamengo vencendo ou não Leon, partirá para cima do Vasco no domingo.

    Abraços

    • Ozarides

      Concordo.
      Além disso, o gol do vasco foi irregular e o time se mostrou muito pilhado. Quando enfrenta o Flamengo, o vasco não tem tido o equilíbrio emocional necessário. Se os jogadores são humanos, como diz a coluna, este item também precisa ser levado em conta. Dirigentes e comissão técnica têm responsabilidade nisso. Precisam acalmar e trabalhar a cabeça dos jogadores e não o contrário.

      • William

        Gol do Vasco irregular? Posso até concordar, se vc concordar que o o Samir fez pênalti no Éverton Costa, claramente mostrado em todas as emissoras excetuando a Globo. Se o pênalti fosse marcado, não teria levado o amarelo e não teria sido expulso, o que de fato mudou o rumo da partida. E não só o Vasco estava pilhado, mas o Framengo quis apitar o jogo o tempo todo, principalmente quando estavam perdendo. Time patético e vai ter o que merece no domingo.

        • Falando Racionalmente

          William, acho que é você quem está pilhado…chamando o Flamengo de Framengo e xingando o Flamengo de patético…realmente finais contra o Flamengo mexem com o emocional de alguns torcedores vascaínos, pois as 7 ultimas entre Flamengo e Vasco, o Flamengo venceu todas…se o time do Vasco quiser por fim a essa escrita que dura mais de 2 décadas, precisa fazer necessariamente o que o Valdir Bigode recomendou: esquecer o passado e pensar somente no jogo de domingo…

        • Ailton

          Caro William
          Discordo de você não vi falta no Felipe como não vi falta no Everton Costa nem vi nenhuma emissora defendendo o Everton, pelo contrário vi várias dizendo que ele deveria ter sido expulso já na falta sobre o Leo. Sobre apitar o jogo foi a intenção dos dois times ou você acha que o Rodrigo passou o tempo todo convidando o arbitro a tomar uma cervejinha, até no final o Alessandro dizer que o juiz não queria e que deveria ir os dois?
          Com certeza o Flamengo terá que merece: mais um campeonato sobre o freguês. Os vascaínos estão desesperados que a esposa vascaína do juiz já jogou a toalha e se preparando para ser vice de novo.
          Sabe porque o Flamengo perdeu para o Fluminense na taça Guanabara? Porque ficou com receio de o Fluminense solicitar o anulamento do jogo e a exclusão do Flamengo, por se o único time de 1ª num campeonato de 2ª e os outros participantes também são de 2ª

          • Paulo Grandão

            Ailton, com certeza vc é fanfarrão que não sabe nada de futebol e só sabe provocar.
            O Flamengo pode ser campeão sim, mas tem um time muito fraco, ridículo e que não honra as tradições do clube, com jogadores sofríveis vestindo a camisa e ganhando milhões, o Vasco também não está longe desta realidade, mas está com o time mais arrumado.
            O Vasco jogou melhor o primeiro tempo e se tivesse um atacante matador teria matado o campeonato em um tempo apenas.
            Acredito que se o Vasco jogar como contra o Flu e o primeiro tempo contra o Fla, dificilmente perderemos, mas futebol não tem lógica e nem equação correta.
            E a volta de André Santos e Leo Moura não tornará o Fla mais forte e sim mais fraco na marcação.
            Leo Moura com a bola no pé ainda é um dos melhores laterais, mas infelizmente a idade pesou e ele não tem mais fôlego para acompanhar na corrida e André Santos é muito, mas muito fraco, joga que nem ponta só com a bola no pé e não volta para marcar.
            Palpite = 2 x 0 Vascão, sem demagogia.

    • Matheus Brito

      Realmente o Flamengo avançou suas linhas no segundo tempo, mas chegou ao campo do Vasco mais na base da ligação direta do que na bola no chão. Se não tivesse perdido um homem, com o espaço que o Flamengo daria no segundo tempo e três jogadores velocistas como o Trio do Vasco… mas o “Se”não entra em campo. Esse time bem armado do Vasco precisa de um Craque.
      O Douglas pode mais do que está jogando. Quanto ao gol do Vasco que disseram ser irregular, não consegui ainda ver nada de anormal no lance.

  • rico

    Depois dizem que a Flapress existe.
    Eita materiazinha tendenciosa.

    AK: Não é uma matéria, gênio. É uma coluna. E pelo visto, por mais simples, é um texto que você não consegue acompanhar. Um abraço.

    • rodrigo

      liga nao AK, é rubro negro…

    • Renato

      Que las hay, las hay… rs
      Mas e’ mais la pelo Rio mesmo. Nunca vi um radialista contrariar o Flamengo. Jamais.
      A coluna ficou boa, futebol mal jogado demais. O Andre conseguiu tirar leite de pedra aqui.
      Abs.

  • JC

    O resultado do jogo foi justo, sendo que a expulsão do Everton Costa proporcionou uma vantagem ao Flamengo que teve muita sorte no gol, pois pegar um chute com aquela violência e de longe não acontece sempre. Agora, nós vascaínos, estamos numa situação difícil porque não temos substituto para o Everton que se encaixou bem no esquema montado com 3 atacantes. Sem o Everton nosso treinador terá que ter muita coragem em lançar um jovem que poderá surpreender que é o Marquinho do Sul( impressionou-me sua veloz atuação contra o Resende); todavia o Reginaldo é lento demais para o ágil time do Flamengo. Seria o caso do lançar o Thales junto com Marquinhos. Seria uma tentativa. A ausência do Everton é menos prejudicial ao Vasco que escalar um jogador veterano e lento como Reginaldo .OK!

  • rafael

    A verdade é que o Flamengo se esqueceu de entrar em campo no primeiro tempo. A prioridade é o Leon e o time entrou adormecido, além dos vários desfalques. O Vasco dominou as ações na primeira etapa, fez um gol no início mas fora isso finalizou apenas uma vez no gol do Felipe. Na se gunda etapa o Flamengo empatou mas segurou o ritmo, o Vasco é inferior e não ousou se arriscar aceitando o resultado de empate. O Flamengo se poupou máximo pra poder sair om a vantagem e com o time descansado para a batalha de quarta-feira. Nos últimos 21 jogos foram apenas 3 vitórias do Vasco. O Vasco não ganha uma final contra o Flamengo a 1/4 de século. A superioridade rubro negra nas últimas décadas é gritante.

  • Oscar Rocha.

    É muito difícil ganhar do Flamengo no Rio de Janeiro. E não é, absolutamente, pela qualidade do time, mas pela qualidade do esquema, que não é o de jogo!

  • Antonio

    Caro AK

    O que você acha desta chamada de capa “Samir e Luiz Antonio melaram o negócio de Fla com Elias”?

    Abraços

  • Marcio

    Sou Rubro, acho que o vasco deixou escapar o titulo no primero jogo da descisão !
    Agora não temos favorito , temos um duelo Psicologico : de um lado um Flamengo abatido por uma saida precoce da Libertadores X Do outro lado o Vasco Abatido por que sabe que deixou escapar o titulo no 1 Jogo da descisão e ainda perdeu força dentro do campo ; Por motivação o Vasco sabe que é um Golpe duro ser vice do Flamengo, mas sabe tambem que não terá um advesario tao fácil …quanto foi o Flamengo do 1Tempo. Em contra partida O flamengo sabe jogar uma descisão,principalmente se for contra o Vasco, sabe também que precisa ser campeão para amenizar a dor de sua apaixonada torcida.
    Quem tiver mais capacidade de transformar o abatimento em força e motivação, leva o Cariocão 2014.
    Na minha opnião da Flamengo por um resultado que termina empatado !!

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo