CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

RESGATE

A impressão há algum tempo era de que Neymar precisaria de uma imersão na Seleção Brasileira para resgatar traços que o diferenciam: a noção de que nasceu com o que não se aprende, a certeza de que é capaz de alterar o destino de jogos. A última apresentação mostrou que a impressão pode ser enganosa.

Não é exagero afirmar que Neymar atravessa o período mais delicado de sua carreira. Ingenuidade acreditar que os problemas causados pela operação de sua contratação pelo Barcelona, por serem assuntos que não entram em campo, deixariam de afetar seu trabalho. A queda do presidente do clube, as insatisfações internas, uma lesão de certa gravidade. Tudo aconteceu na mesma época.

Até uma declaração de Johan Cruyff foi interpretada com negativismo exagerado, talvez pela antipatia gratuita que Neymar gera no Brasil e, agora percebe-se, na Europa. Ao falar sobre o que considera ser “o problema” do Barcelona, o lendário holandês se referiu ao impacto financeiro da chegada de Neymar a um vestiário composto por jogadores consagrados. Mas suas palavras foram lidas como uma crítica ao desempenho do atacante.

Quando se imaginava um ambiente problemático para Neymar, seu técnico lhe preencheu de confiança. Escalou-o como titular no clássico com o Real Madrid e repetiu a decisão anteontem, contra o Atlético de Madrid, pela Liga dos Campeões. O gol de Neymar empatou o jogo no Camp Nou e pode indicar que o brasileiro está virando o jogo no Barcelona.

A jogada foi fruto do brilhantismo de Iniesta e de uma sutil colaboração de Miranda, atrasado. Mas seria criminoso não registrar o movimento de Neymar para se desmarcar e a finalização precisa. Iniesta já pensava no gol ao direcionar o passe para o pé direito do companheiro, que seguiu pensando no gol ao posicionar o corpo para chegar batendo. É o que Neymar faz quando está bem.

Gol da Seleção Brasileira.

TRIBUNAL

A Portuguesa está na Justiça e o Campeonato Brasileiro de 2014, o ano da Copa do Mundo, está em jogo. Caos encomendado pela CBF e pelo STJD, responsáveis pelo “Caso Héverton”, que pode levar a uma competição com mais clubes do que o planejado. A batalha de liminares é um troféu para o nível organizacional do futebol no Brasil, um paraíso de incompetentes.

LIBERTADORES

Excelente resultado do Flamengo fora de casa, a vitória conquistada nos acréscimos sobre o Emelec. O campeão da Copa do Brasil saiu na frente, soube se defender após sofrer o empate e, nos momentos finais, quando o 1 x 1 já era bom negócio, fez o gol da vitória com Paulinho. Que o Cruzeiro, também em situação difícil, consiga manter suas chances nesta quinta.



MaisRecentes

Porte



Continue Lendo

Segunda vez



Continue Lendo

Paralelos



Continue Lendo