COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

CINCO GOLS

1 – O Corinthians era levemente melhor no momento em que as pernas de Antônio Carlos o traíram de maneira constrangedora. Uma bola rasteira e forte que cruza a área, perto do gol, pode ser um perigo. Especialmente se o pé que era para ser de apoio assume o papel contrário.

2 – Renato Augusto foi bem escalado como dublê de Jadson. Eles são distintos em características, mas semelhantes naquilo que oferecem. Sem um jogador de passe e visão, o Corinthians seria muito diferente do time que se recuperou nas últimas rodadas. Mano investiu na manutenção de uma forma de jogar e viu seu time fazer um primeiro tempo competitivo.

3 – Chegar à intermediária não era um problema para o São Paulo, com mais posse e mais iniciativa. O problema era superar a recomposição defensiva alvinegra, que cercava a bola com notável movimentação. O passe brilhante sempre será capaz de vazar esse tipo de bloqueio. O chute de fora, certeiro, também. Ganso é capaz de ambos, mas não tem o costume de ameaçar o gol adversário à longa distância. A forma como ele empatou o jogo sugere uma mudança de hábitos.

4 – Ao vivo, ficou a impressão de que Cássio saiu atrasado. No replay, considerando onde a bola entrou, a conclusão é de que ele não chegaria. Magnífica finalização.

5 – Mano excluído, por excesso de críticas a uma arbitragem que errou, sim, mas àquela altura, sem interferência no jogo. Quando o time está mais calmo do que seu técnico, o sinal não é bom.

6 – A consistência defensiva do Corinthians sofreu um abalo logo no reinício. Ou será que apareceu o lance individual de desequilíbrio tricolor? Ou ambos? Lindo movimento de Douglas, retirando dois marcadores de cena. O passe preciso de Pabón manteve o nível da jogada, até o toque de Luis Fabiano para virar o jogo.

7 – A vantagem são-paulina não chegaria a dez minutos, vítima da surpreendente fase artilheira de Antônio Carlos. O cruzamento de Guerrero provavelmente pararia nas mãos de Rogério Ceni, não fosse o desvio do zagueiro, em tarde de extrema infelicidade. A reação de incredulidade diz tudo. Algo assim dificilmente acontecerá de novo.

8 – De cabeça, Rodrigo Caio reestabeleceu a liderança para o São Paulo. Lance que começou com um primor de cruzamento de Osvaldo. O gol aconteceu porque o tempo de bola de Rodrigo foi muito melhor do que o de seu marcador, Uendel. Apesar da sensação de que o são-paulino é bem mais alto, os dois têm quase a mesma estatura.

9 – A lesão muscular de Guerrero, aos 41 minutos, deixou o Corinthians em inferioridade numérica e diminuiu a possibilidade de pelo menos um empate.

10 – O São Paulo marcou cinco gols no Pacaembu. Seria uma anomalia do futebol se não vencesse. O resultado encerrou a sequência negativa em clássicos e freou a subida do Corinthians. Importantes gols de Ganso e Luis Fabiano. Um aplauso para a atuação de Osvaldo.

11 – Para o Corinthians, a derrota e a situação complicada na classificação não são mais preocupantes do que passar um jogo inteiro sem finalizar no alvo.

SEM EFEITO

É possível que interditar estádios onde acontecem episódios como as ofensas racistas a Arouca tenha algum efeito educativo. Ocorre que o apelo à consciência do sujeito que não deveria querer prejudicar seu time não tem se mostrado eficaz, por exemplo, nos casos de objetos atirados ao campo. Ademais, a interdição do estádio deixa impune o elemento primitivo autor da ofensa, o que é muito mais significativo. Os imbecis que pretendem diminuir pessoas por causa da cor da pele devem ser identificados e punidos. Claro que é mais fácil fechar o estádio de um clube pequeno.

SEM INTERESSE

Não faltam motivos para interditar estádios no Campeonato Paulista. De gramados horrosos, como o que ontem ofereceu riscos aos jogadores do Paulista e do Palmeiras, a problemas estruturais. Mas aparentemente esses aspectos não interessam à Federação Paulista de Futebol.



  • Anna

    Racismo é inconcebível!! Boa terça a todos, Anna.

  • Luiz Mello

    Não penso exatamente que “à consciência do sujeito que não deveria querer prejudicar seu time não tem se mostrado eficaz, por exemplo, nos casos de objetos atirados ao campo”. É fato que esse tipo de coisa ainda acontece, mas na minha percepção é algo bem menos banal do que era, digamos, há 20 anos. Muitas vezes vê-se hoje um gaiato ser fortemente repreendido pelos demais torcedores ao se exaltar e tentar atirar um objeto. O fato de ainda haver casos não quer dizer que a intenção educativa da punição ao clube não tenha tido sucesso, apenas que, por si só, não é suficiente.

    Os indivíduos precisam ser punidos – algo que não se faz com eficácia no Brasil, problema que não se restringe à esfera esportiva. Mas os clubes também precisam pagar, para que não lavem as mãos e nem se instalem em privilegiada zona de conforto, como se os promotores do espetáculo não tivessem sua parcela de responsabilidade.

    • Luiz Mello

      A citação que fiz acima deveria ter começado com “o apelo à consciência”. Desculpas.

  • Ronaldo.

    Olá Andre, bom dia.
    Sou corinthiano e concordo com quase tudo. O único senão é com a sua opinião com relação ao primeiro gol do São Paulo. Não acho que o Cassio tenha saído tão atrasado e não acho que era uma bola indefensável, pelo menos para um goleiro com quase 2 metros de altura. Na minha opinião ele não teve explosão, impulso para fazer a defesa… Vendo o lance de frente, percebe-se nitidamente que ele quase não sai do chão!!!! Fora as saídas de gol erradas… Não sei o que acontece com o cidadão que treina os goleiros do Corinthians e isso não é de agora…
    Com relação ao terceiro gol, saiu de um escanteio a favor do São Paulo, a bola caiu no pé do emerson e foi rifada, novamente ficando com o São Paulo. E os 2 laterais do Corínthians, são péssimos!!!! Estou com saudades do Fabio Santos e do Alessandro…
    Bem, é isso…
    Um abraço e parabéns pela coluna.

    • lucas

      Ele nao sai do chao mesmo, pula meio pro lado, esquisito. Mas aquele chute nem de foguete ele pegava, idenfensavel… Ja no ultimo gol acho que ele falhou. Mal colocado, muito pro lado e quase dentro do gol.

  • Renato

    André.. Vc é TOP dos colunistas de todos os jornais e portais que eu leio…

    Parabéns!

  • Raphael

    Sou corinthiano e não vi o SPFC muito superior ao SCCP, simplesmente o SPFC teve mais sorte que o SCCP, pois foi um jogo bastante igual. O SCCP saiu na frente e não foi ameaçado pelo SPFC que tinha mais posse de bola mais não sabia o que fazer com ela. O Ganso acertou um belo chute, coisas do futebol. Gosto da maneira de jogar do SCCP, temos excelentes laterais que chegam bem a frente, um meio campo que valoriza e passa bem a bola e um ataque que não é brilhante, mas que esta dando conta do recado, derrotas acontecem e temos de tirar lições delas. Para finalizar o Mano é um bom técnico, a equipe marca muitos gols ou alguém sente saudades dos eternos zero a zero do TITE?

    AK: Dois gols contra, e o São Paulo teve mais sorte?

    • Joao

      64% de posse de bola do SPFC e 0 chute a gol do SCCP, isso foi sorte ???

      • Raphael

        Quantos chute deu o SPFC? O primeiro chute a gol foi o do Ganso. Quanto a posse de bola é apenas estatística que não influi diretamente no resultado. O Barcelona teve quase 70% de posse de bola contra o Valladolid e mesmo assim saiu derrotado.

        AK: Mais posse e 3 gols. O Corinthians não finalizou nenhuma vez. O Barcelona perdeu o jogo. Não há absolutamente nenhuma relação entre as duas partidas. Um abraço.

        • Raphael

          Realmente não há relação entre os dois jogos, apenas citei um exemplo onde uma equipe teve mais posse de bola mas que não conseguiu sair com o resultado. Quanto ao SCCP não ter finalizado é uma observação falha de sua parte, pois o primeiro gol saiu de um chute cruzado do Luciano, se o Antônio Carlos não faz o gol contra certamente o Gil faria, lance similar no segundo gol onde foi outro chute cruzado do Guerrero que bateu no Antônio Carlos e aconteceu novamente o gol contra, mas Romarinho e Luciano estavam entrando para completar o lance.

          AK: Estamos falando sério aqui, amigo. Não é possível que você não saiba a diferença entre um cruzamento e uma finalização.

    • David

      Hahaha! Essa foi a melhor do dia. 2 gols contra num classico, o time que contou com mais sorte… Pode se dizer que o SPFC entrou para os livros com um dos dias de maior azar da história do Majestoso.

  • Guilherme

    Discordo da escalação do Renato Augusto. Quando você menciona o quê ele “oferece” diz respeito à um passado muito remoto. Preferia o Danilo desde o começo (que não entrou bem) mas vai melhor quando começa jogando.

    Admiro seu trabalho, Abraço

  • Frederico Prado

    André, o Corinthians não acertou o alvo mas teve várias situações de gol no jogo(não muito menos que teve o são Paulo): cabeçada de Renato Augusto no primeiro tempo, finalizações de Luciano, Guerrero de cabeça, a bola que o Guerrero não completou por 1 cm…(lembrar da ausência de Jadson e da grande falta de ritmo do Renato Augusto)
    Os gols contra não são mero azar, mas também um mérito do adversário. É uma situação de jogo que não é rara. Um cruzamento forte e rasteiro na pequena área pode ter vários desfechos, inclusive o gol que aconteceu, vc já deve ter visto vários lances assim, neste ano mesmo.. É muito mais fácil pro adversário completar pro gol sem goleiro do que o zagueiro tirar a bola dali..
    O cruzamento do Guerrero foi forte e poderia ser interceptado total ou parcialmente pelo Rogério que saía,OK..(se ele ficasse no gol defenderia o desvio, ou não??).Mas, se a bola seguisse, chegavam Romarinho e Luciano pra completar pro gol..
    Também concordo com o fator sorte citado em outro comentário(bola no ângulo, cruzamento milimétrico na cabeça do Rodrigo Caio..).Discordo do tempo de bola que vc comentou. Rodrigo nem precisou se mexer, Uendel é que estava mal posicionado, muito à frente, nem pôde atrapalhar.
    Mas, pra mim o grande mérito do São Paulo foi na marcação, nunca deu moleza pro Corinthians desde o Luís Fabiano là na frente até a sua zaga, não deixou o Corinthians jogar. Jogou com seriedade o jogo todo, esteve focado e mentalmente forte, mesmo tomando o 1X0(méritos pro Muricy que antecipou a concentração do seu time mesmo estando classificado e deu muito valor pro clássico).
    Já a marcação do Corinthians foi falha em todos os gols. Mesmo com 3 volantes, nenhum chegou em Ganso no primeiro gol do São Paulo. E esse gol foi chave no resultado do clássico já que o primeiro tempo já findava em 1 a 0.No segundo tempo o Corinthians saiu da postura defensiva mas tomou 2 gols em falhas dos laterais que não apoiaram o ataque, mas também não defendiam bem.Principalmente Uendel, mas também o Fagner que não marcou bem Osvaldo no lance do terceiro gol e em outros lances do jogo.
    O goleiro Cássio também está com os reflexos um pouco abaixo do seu normal, depois de tanto tempo parado. Opinião minha e também de outros dois goleiros que vi comentaram o jogo(um deles Veloso, que foi grande goleiro).E o Bruno Henrique errou muitos passes, ofereceu contra-ataques e pra mim ainda não é a solução pra esse meio de campo.
    Parabéns pela coluna, e por seu trabalho no ESPN.Um abraço!

  • Renato

    Chato esse lance de SPFC e SCCP hein?
    Sao Paulo e Corinthians fica muito melhor…. mas muito melhor mesmo!!
    Abs!

    • João

      UFA! Achei que só eu pensava assim.

  • Francisco Jose Muniz

    André, olha só isso, hoje 12/03/14 o Ceará inicia contra o América-RN a disputa das semi-finais da Copa do Nordeste, até aqui nada demais. Agora, caso consiga avançar para a final o Ceará jogará no dia 02/04/14 a primeira partida da final, no mesmo dia está marcada a estreia do mesmo na Copa do Brasil, contra o Parnayba-PI e ainda, caso se classifique no campeonato cearense, será a data da primeira semi-final. E ainda querem que o torcedor aguente.

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo