CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

NA LINHA DO GOL

Anteontem perguntaram a Jérôme Valcke, em Florianópolis, se os sistemas de tecnologia na linha do gol que serão instalados nos estádios da Copa ficarão no país, para uso no futebol doméstico. O gol de Douglas no Maracanã ainda estava quente, e a resposta do secretário-geral da FIFA não trouxe conforto. Valcke lançou mão de sua declaração-padrão: depende do Brasil, não da FIFA. É a frase predileta do executivo francês.

A organizadora do Mundial equipará os estádios com o GoalControl-4D e está disposta a deixá-lo por aqui. O dispositivo desenvolvido na Alemanha custa, em dinheiro nosso, algo como R$ 650 mil cada. A questão não é o custo de instalação, mas o de operação: cerca de R$ 10 mil por jogo. Valcke quer garantias de que o futebol brasileiro continuará utilizando o “presente”.

A tecnologia na linha de gol já deveria estar entre nós, como acontece na Inglaterra e na Alemanha. A FIFA autoriza, o brinquedo não falha, Douglas teria mais um gol em sua ficha. Cabe a cada federação estadual, e obviamente à CBF, zelar pela lisura de seus produtos e garantir que a bola que cruzar a linha aparecerá no placar. Pelo menos nos principais estádios. O Campeonato Brasileiro, nossa competição mais importante, deveria ter o dispositivo em todos os jogos.

É preciso ser corajoso para usar o argumento financeiro, já que o da “graça da polêmica” ficou constrangedor. A FIFA trará doze sistemas, mais da metade do número necessário para um campeonato de 20 clubes. Quando Valcke passou a bola para o lado de cá, a gestão do futebol brasileiro deveria ter se manifestado no sentido de assegurar que a oportunidade não será negligenciada.

Por trás da posição do secretário-geral pode estar a dúvida sobre a necessidade do GoalControl-4D em estádios da Copa que ficam em cidades onde não há futebol profissional. A resposta-padrão cabe aqui também: foi um desejo do Brasil, não da FIFA.

SUSPIRO

Na abertura das oitavas de final da Liga dos Campeões da Uefa, os times que jogaram em casa não só não fizeram nenhum ponto como não marcaram nenhum gol. Evento raro. Bayer Leverkusen, Manchester City, Arsenal e Milan desrespeitaram todos os princípios que ensinam como iniciar bem um confronto de mata-mata. O torneio deve acabar para eles.

MONÓLOGO

O Bayern não goleou seu adversário, o Arsenal. Mas atingiu números expressivos de posse de bola (73%) e passes certos (859 a 186), certamente influenciados pela expulsão de um jogador do time inglês. Toni Kroos completou 151 passes, liderando os alemães. A maior quantidade de passes certos de um jogador do Arsenal foi 20.



  • Alvaro

    Andre, você sabe como funciona o sistema de linha do gol do hoquei no gelo? O custo de R$650 mil de instalação desse sistema FIFA me parece um exagero. No hoquei, qualquer universidade ou mesmo High School tem algum sistema, não creio que pagaram tanto pelo sistema.
    Será que ao invés do “ótimo” sistema, não há um famoso “bom, barato e eficiente”?

    AK: A NHL utiliza câmeras e replay instantâneo, mas já estuda um sistema semelhante ao que vem sendo utilizado no futebol. Os sistemas aprovados pela Fifa têm custo semelhante. Um abraço.

    • No caso do maracanã foi vergonhoso, pois o quarto árbitro estava ao lado da trave praticamente e não havia como não ver que a bola entrou…Será que esses amadores que apitam e bandeiram não sofrem pressão e ficam com medo?

  • Teobaldo

    Prezado AK, não deveria, mas a expressão “…Cabe a cada federação estadual, e obviamente à CBF, zelar pela lisura de seus produtos…” soa surreal. Não por sua culpa, naturalmente (e ainda bem!). Para você que conhece a estrutura do esporte em outros países, pergunto: A avacalhação geral que vemos cotidianamente no futebol (atemo-nos a ele, pois) é privilégio nosso ou ocorre também em outros lugares?

    Apenas para melhorar o meu entendimento do “Monólogo”: Não existe uma incoerência no número de passes certos atribuídos ao Arsenal (186) ou ao Toni Kroos (151)? Parece-me muito desproporcional. Um abraço!

    AK: Não conheço distância maior entre potencial e descaso organizacional do que vemos aqui no Brasil. Sobre os números de passes que você mencionou, eles estão corretos e exatamente por isso estão na coluna. Na chamada “era Guardiola”, com alguma frequência, Xavi acertava mais passes do que o time adversário. Um abraço.

    • Teobaldo

      Então, somente o Toni Croos acertou quase o mesmo número de passes que todo o time do Arsenal, correto? Realmente impressionante e, entendimento meu, função do estilo de jogo do Bayern que, coincidentemente, é treinado pelo ex-técnico do Barcelona, time useiro e vezeiro em ficar com a bola… o tal futebol chato!!! Rsss!!!

    • Emerson Cruz

      A questão de “distância entre potencial e descaso organizacional”me fez parar para pensar rapidamente e o único caso similar, ou até pior que o nosso, talvez ocorra aqui ao lado, na Argentina. Tanto lá, quanto cá o futebol padece comandado por gente que não se importa primariamente com ele. São dois casos típicos de algo que poderia ser, mas não é.

  • RENATO77

    Cara, tô curioso pra ver os números do Bayern a longo prazo.
    Abraço.

  • Rafa

    Mas, se o uso de tecnologias que impedem erros se tornar corrente no futebol carioca, de onde o clube da mídia vai tirar suas cada vez mais estranhas vitórias?

    • Carlo

      A quem vc se refere? Ao Flamengo?

  • Paula

    Ser for para funcionar como no mundial de clubes melhor nem usar. Demorou varios minutos para exibirem o lance com a tecnologia. parecia mais um tira teima da globo! utilizando graficos por cima de imagens das cameras ao redor.

  • Emerson Cruz

    Implementar algum sistema que acabe com as dúvidas sobre se foi gol, ou não, nos principais palcos do futebol brasileiro, é daquelas coisas óbvias a serem feitas, mas que por falta de vontade (ou seria excesso de interesses?) de quem comanda este esporte no país, dificilmente são colocadas em prática. Enquanto isso, muitos times continuarão sendo prejudicados com algo que é relativamente simples de se resolver.

  • Laura

    E como funciona esse sistema? Como em jogos de tenis em que se ve a trajetoria da bolinha como uma sombra? A resposta se a bola entrou e’ automatica; ou se tem que parar o jogo por alguns minutos?

    AK: Câmeras. Informação chega em um segundo.

  • Antonio Carlos

    Caro André

    Discordo de você, achou que os visitantes que souberam se impor, o melhor time pode até não ganhar, mas tem a obrigação de impor o seu melhor futebol em qualquer campo. Abaixo uma pequena anãlise que eu vi nesses primeiros jogos e o que eu espero que aconteçam nos outros.
    Man City 0 X Barça 2 – O Cevadoity preferiu se defender, ficou correndo atrás do toque de bola do Barça
    Leverkusen 0 X Paris SG 4 – Resultado podemos dizer até normal, pois o Leverkusen já havia levado de 5 do United
    Arsenal 0 X Bayern 2- O Arsenal perdeu um penalti e Neuer fez duas defesaças (alguns comentaristas esportivos acham que os goleiros são figuras decorativas)
    AC Milan 0 X Atlético Madrid 1 – Resultado improvável, mas não impossível e o Atlético está numa melhor fase.
    Zenit X Borussia – O Zenit pode até ganhar, pode até fazer gols, mas se não acontecer não será nada de mais, o Borussia é melhor.
    Olympiacos X Man United – O Olympiacos pode até ganhar, pode até fazer gols, mas se não acontecer não será nada de mais, o United é melhor.
    Galatasaray X Chelsea – O Galatasaray pode até ganhar, pode até fazer gols, mas se não acontecer não será nada de mais, o Chelsea é melhor.
    Schalke 04 X Real Madrid – A vítória do Schalke é improvável, mas não impossível, pode até fazer gols, mas o Real é muito melhor, deve atropelar,
    Na minha opinião os 8 que passarão são: 3 espanhois (Barça, Atlético e Real), 2 alemãos (Bayern e Borussia), 2 ingleses (Man United e Chelsea) e 1 francês (PSG) com 6 ganhadores da Champions, pelo futebol apresentado na minha opinião seria a melhor champions.
    Quais seriam seus 8?

    Abraços

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo