COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

ESPERA

Um aspecto pouco comentado sobre recém-encerrada fase corintiana da carreira de Alexandre Pato: a megalomania dos números envolvidos é tal que, mesmo pagando uma parte dos vencimentos do novo atacante são-paulino, e a totalidade do salário de Jadson, o Corinthians economizará dinheiro. O clube remunerará os dois jogadores simultaneamente em uma operação que alivia, ainda que de forma discreta, sua folha de pagamento. O que dá a medida de quanto o Corinthians gastou com Pato, sem falar no montante – R$ 40 milhões, o segundo mais alto já registrado no futebol brasileiro – investido para adquirir seus direitos.

A hora correta para avaliar a passagem de um jogador por um determinado clube é quando ela se encerra. Enquanto há jogos a disputar, o futebol permite que a leitura de uma trajetória decepcionante se transforme em um instante, e vice-versa. Adriano, para citar um exemplo recente no mesmo Corinthians, será lembrado negativamente seja qual for o critério de avaliação. Mas sempre haverá um apaixonado a dizer que o gol marcado contra o Atlético Mineiro, no Pacaembu, valeu o que ele recebeu em salários. E à diferença do que se deu com Pato, o Corinthians nada gastou para contratá-lo.

Por desempenho, a experiência com Pato foi ainda pior do que com Adriano. O torcedor não tem sequer um momento efêmero para lembrar com carinho ou gratidão. Ao contrário, o arquivo de memória com as sensações provocadas por Pato é constituído por irritação. Adicionada a questão financeira para medir custos e benefícios, o resultado é uma contratação que o Corinthians preferia não ter feito.

É necessário recuperar o contexto. Pato foi adquirido ao final de uma temporada em que o clube respirava otimismo. Os títulos mais almejados estavam expostos no museu do Parque São Jorge, frutos de uma estabilidade incomum no futebol brasileiro. Diante da possibilidade de repatriar um jogador internacional, ainda jovem e, em tese, interessado em reencontrar seus melhores dias para disputar a Copa do Mundo, fez-se a aposta. Deu errado. Tão errado que a melhor coisa que pode acontecer agora é recuperar o investimento (ainda que a chance de Pato voltar a jogar no Corinthians exista em contrato, e que o futebol seja capaz desse tipo de reviravolta, parece um cenário inviável).

O que nos leva a uma possibilidade remota no acordo celebrado entre Corinthians e São Paulo, que pode assumir uma proporção surpreendente caso Pato seja um sucesso instantâneo em seu novo clube: se receber uma oferta superior a 15 milhões de euros, o Corinthians poderá vendê-lo na metade do ano. Nesta hipótese, o São Paulo o terá por, no máximo, quatorze jogos. Por mais estranhas que sejam certas transações, algo assim levantaria as sobrancelhas até de quem já viu de tudo. Pato teria de ser um fenômeno para justificar tamanho interesse. A ironia é que isso é exatamente o que o São Paulo deseja.

Alexandre Pato se foi, mas o Corinthians continua esperando por ele.

ALMA

Maravilhosa demonstração de apoio dada pela torcida do Botafogo, na vitória sobre o Deportivo Quito. Quando jogadores e técnicos falam sobre a diferença de jogar com o estádio cheio, referem-se a noites como a da última quarta-feira. E não há nada mais saudável para a relação entre torcida e time do que a arquibancada sentir-se participante do jogo e do resultado. Estádio ocupado é futebol em sua plenitude.

PISTA

Informação apurada pela repórter Camila Mattoso, do espn.com.br: as investigações do Ministério Público de São Paulo revelam que a comissão técnica da Portuguesa não sabia que Héverton seria julgado na sexta-feira anterior à última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. Pelo menos seis funcionários do clube tinham a informação, mas não a repassaram ao departamento de futebol. É preciso saber por quê.



  • teixeira

    Se não contei errado, 34 linhas para escrever a respeito do Alexandre Pato! Enfim.

    AK: Você leu ou só contou as linhas?

    • Teixeira

      Li umas 12. Aí dormi. Depois, acordado, contei. Não é culpa sua o texto, o personagem é que é nada, enfim, nada! Dorme mais do que eu, em campo. Fora, bem aí não sei.

      • teixeira

        André, novamente não é culpa sua. João Saldanha, o eterno, dizia que na cidade que ele nasceu, no interior gaúcho, ninguém se cumprimentava nas ruas só para fingir que morava em cidade grande. Mal comparado, imagine a Lusa, que de M.United não tem nada, ninguém da comissão técnica sabia que o jogador A ou B ia ser julgado! Que grandiosidade deve ser o Canindé! Não conheço, ainda, porém tudo leve a crer que se assemelha a cidadezinha do João sem Medo! Todos fingem não se conhecer, ninguém se encontra ou se vê. Potência!

  • Boa tarde AK!

    Não contei a quantidade de linhas neste texto, até por que, gosto de me concentrar nas entrelinhas de seus comentários, não querendo com isso, sugerir um trocadilho, mas reiterando o notável talento que você tem de comentar de forma direta, concisa e transparente.
    Em outras postagens, sugeri que o SCCP tinha se aliado a um perigoso parceiro e que poderia, com a insistência em posar ‘a luz do mesmos holofotes direcionados ao governo atual da “situação”, obter resultados negativos que poderiam “sacrificar” este clube tão respeitoso. Luzes intensas. Um “palanque” armado minuciosamente para que as atenções de uma “massa apaixonante” não percebesse a cortina fechada do grande teatro do partido da estrela. Mencionei também uma grande emissora de TV infiltrada neste processo de aliciamento de torcedores que agora se exime de tudo o que está acontecendo com este clube. É desumano o que a mídia e governo tecem em linhas tênues, quase imperceptíveis, para reter e alienar os menos avisados. O futebol é o que menos importa quando estas “parcerias” celebram acordos esdrúxulos para o “bem” de seus objetivos capitalistas e partidários.
    Não recrimino o que vejo na TV, nos noticiários nacionais, quando delinquentes reincidentes, alguns até respondendo internacionalmente por atos inescrupulosos nas arquibancadas, se portando como verdadeiros psicopatas por defenderem uma paixão. Paixão? Futebol? Onde?
    Se é que o principal parceiro deste clube, fez com que massas de pessoas acreditassem na insuperabilidade deste clube sendo projetada subliminarmente pelas entranhas de sua bandeira avermelhada, não causa espanto averiguar que toda a empreitada sórdida de uma enganação viesse a se derribar justamente em cima da cabeça dos torcedores mais alienados. Silêncio. Muito silêncio neste momento é a estratégia demagoga do grande parceiro deste clube, que por um pouquinho só, quase insere nas flâmulas desta agremiação as siglas de seu poder junto a um logotipo que sugere a esfera terrestre. Eu queria que você falasse um pouco mais disto.

    Abraços.

  • E então?

    ???

    Nada ainda???

  • Fabio Hideki

    Existe a possibilidade de o Pato ser vendido por menos de 15 milhões de euros, e o Corinthians declarar que vendeu por 15 ?

    AK: O clube comprador teria de aceitar fazer parte de uma mentira.

    • paula

      É o Corinthians vender por semi-mentirosos 15? Para que o são Paulo não vete o negócio diz qué foi 15 e uns 3 meses depois desembarca um Zé ruela do time contador inflacionado para devolver a diferença… um clube da turma msi / kia não duvido….

  • Emerson Cruz

    Meu palpite sobre o futuro do Pato no SPFC é que daqui um ano, mesmo tendo poder de veto, caso haja proposta de venda inferior aos 15 milhões de euros, os são-paulinos aceitarão liberá-lo por quaisquer 8 milhões eventualmente oferecidos por algum “mundo” qualquer( leste europeu, árabe, chinês, talvez americano…) mesmo sem receber nada na venda, ao menos assim se livrarão dele.
    Para mim está claro que existem 2 Patos, o virtual e o real. O virtual seduz quem o contrata por acreditar na ladainha de que trata-se de um fenômeno, jogador de rara técnica, prodígio, etc… O outro é o verdadeiro, jogador que não se empenha, em mais de 90% dos jogos atua mal e parece não se preocupar com o mundo que o cerca. Um jogador irritante.

  • Anna

    A última frase sobre Alexandre Pato resume tudo. Boa sacada! Boa semana, Anna.

  • Simões

    Não consigo entender a discussão a respeito do jogador de futebol ” Pato” .A mim me parece que torcedores do Corinthians,midia em geral e principalmente a Rede Globo, ACREDITARAM ser ele um fenômeno futebolistico.Desde sua aparição no Inter de P.Alegre, depois sua venda ao Milan e a consequente transferência para o Corinthians, sinceramente NUNCA vi nesse moço algo parecido com “craque” da bola.Fêz seus gols(principalmente no Milan), mas nunca encantou com “aquela partida inesquecivel,nem mesmo na seleção Brasileira.É um péssimo jogador? Não… trata-se de um bom jogador, apenas isso.A midia tornou-o craque(coisa que não é), foi endeusado por parte da imprensa européia e nós aqui no Brasil compramos essa idéia falsa.Deixem-no jogar seu futebol regular,e quem sabe ele passe a ser um coadjuvante no time do São Paulo FC, mas craque…nunca foi!!!

  • CARLOS

    André,

    O Corinthians pagou US$ 15 milhões por 60% dos Direitos Federativos, né? Então, segue a dúvida. Se vender no meio do ano pelo mesmo valor que comprou, significa que terá prejuízo de US$ 6 milhões?

    AK: Tudo errado. Pagou 15 milhões de euros por 100% dos direitos econômicos. Direitos federativos não são divisíveis. Um abraço.

  • Lima

    O senhor foi um dos jornalistas que aplaudiram a contratação de Pato, á época dizendo que Diretoria competente, fazendo UM TIMAÇO DE seleção, e outros adjetivos polpudos em elogios a direção, ao jogador e todos os envolvidos, foram poucos, mas muito poucos que analisaram a contratação muito cara, gastando milhões com um só jogador. Mostre-nos um comentário seu a época dizendo o contrario, queremos ver. Agora é fácil falar, bater em cachorro morto até minha nona de 105 anos. Na ocasião vocês não falam nada, ou quando falam só asneiras, bobagens, depois que a coisa fede, ai desbancam a falar como se tivessem descoberto a America. Cambada de incompetentes.

    AK: Procure. Primeiro, a educação que você não tem. Depois, o que escrevi sobre o assunto. Está tudo aí nos arquivos.

  • Paulo Pinheiro

    O que me custa a entender é: se o SCCP – recente campeão mundial FIFA – não foi vitrine suficiente pra que alguém se interesse em “pagar o Pato”, por que o SPFC seria? Nenhum dos dois está na Libertadores. Nenhum dos dois anda bem das pernas.

    A mim parece mais que essa negociação tenha sido uma satisfação à torcida (ou aos sócios?), enxotando do clube jogadores que não são mais engolidos por eles. Uma olímpica empurrada com a barriga, pra ver lá na frente “como é que vamos resolver isso”.

    Sobre a Portuguesa: sim, descobriram a pólvora. A comissão técnica não sabia (o que parece claro, sabendo que ele estava treinando com a equipe desde sexta-feira). O motivo de alguns saberem e outros não? Meu palpite: negligência. O palpite dos conspiratórios? Cafajestagem.

  • Felipe

    Foi Pato e veio Jadson, mas e pro ataque alguma informação ?

  • Marioh

    Cada vez mais que leio sobre o Pato mais elevo o Ronaldo a fenômeno.

  • SHAOLIN

    Se os funcionários da Lusa sabiam da suspensão e não passaram a informação a C.Técnica, com certeza foram subornados por alguém, nada justifica essa atitute. O q me leva a crer é q esses funcionários, como a situação da Lusa q não é das melhores financeiramente e nunca foi, com certeza esses funcionários estavam sem receber salários ha muito meses, e com um monte de contas atrasadas a pagar, final de ano, natal , ano novo, sem grana, sem esperanças de receber, não pensaram 2 vezes pr se venderem. É só investigarem q essa vai ser a conclusão.

    AK: “Com certeza” …

  • Temos que analisar o seguinte o SP não vem jogando nada e o Pato precisa jogar em um time que esteja jogando um grande futebol, pois ele iria complementar o time e o SP não é esse time e se ele jogar o que está jogando, vai acabar jogando a Copa Kaiser em algum time da varzea de SP.

  • PRG

    Cada dia fica mais claro que alguém dentro do clube agiu deliberadamente para que a Lusa escalasse irregularmente o jogador. Isso em breve vai ficar provado e esclarecido. Será que quem falou e escreveu o que não devia vai ser nobre a ponto de se desculpar? Essa situação está cada dia mais parecida com a Escola de Base, cujos donos depois do linchamento midiático nunca mais se recuperaram e ninguém foi punido por causa disso

    AK: Comparação absolutamente equivocada. No que diz respeito ao que escrevi, mantenho todas as linhas. E se ficar comprovado que não foi um erro administrativo, que os envolvidos sejam punidos. Um abraço.

  • Matheus Brito

    Sobre o Pato, mais ou menos o que comentei na sua coluna anterior a essa. Perfeito raciocínio, além dessa tirada da última frase.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo