CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

CONTINGÊNCIA

O fato de um clube estar disposto a pagar salários a um jogador no qual investiu R$ 40 milhões, para vê-lo vestir a camisa de um rival, dispensa outras análises. A busca de uma negociação que seja capaz de suavizar as perdas não esconde o arrependimento do ponto de vista esportivo. Quando Alexandre Pato foi contratado, no final de 2012, o Corinthians imaginava diferentes cenários. Nenhum chegava perto do desgosto que a realidade apresenta.

Só há um aspecto positivo da passagem de Pato pelo clube: a solução para suas repetidas lesões, o que permite que ele possa treinar e jogar com a frequência de um profissional. Os dramas musculares do atacante eram a principal questão no momento de sua chegada, razão pela qual se escreveu neste espaço – um equívoco inegável a esta altura – que, se pudesse estar em campo, Pato seria um jogador valioso. O Corinthians conseguiu o que parecia mais difícil.

Jadson custou cerca de quatro vezes menos do que Pato. Também não atingiu a expectativa no São Paulo, ainda que tenha feito boas partidas no ano passado. Investimento, risco e decepção menores. Tanto no bolso quanto na cabeça, a operação dói menos para o clube do Morumbi.

É evidente que os acontecimentos do último sábado precipitaram as decisões no Corinthians. A mesma troca foi oferecida ao clube em janeiro, com resposta negativa. Os bárbaros assustaram Pato (ele não é o único), essencialmente encerrando o período de espera. Ele aumenta a lista de jogadores corintianos que não aceitaram conviver com a violência de “torcedores”, abuso injustificável sob qualquer ótica.

Esta é uma troca que nenhum dos clubes queria ter de fazer. É medida de contingência dos dois lados, estimulada pela necessidade do Corinthians de se desfazer de Pato e pela oportunidade do São Paulo de converter Jadson em algo que lhe satisfaça. Por melindre, clubes rivais não negociam entre si a não ser que não reste opção.

ENCAIXE

As questões sobre o resultado da troca de problemas em busca de soluções são óbvias: Como Jadson reagirá ao clima de terror instalado no Corinthians? Como o São Paulo conseguirá equilíbrio com Ganso e Pato juntos? À primeira vista, pensando só no campo, a entrada de cada jogador em seu futuro time é menos problemática para Jadson. Mas o futebol tem caprichos.

CRIME

Animais em meio a torcedores do Atlético de Madrid abusaram do brasileiro Marcelo com ofensas raciais. Tudo aconteceu diante do filho do lateral do Real Madrid, logo após o clássico de ontem, válido pela Copa do Rey. O comportamento neandertal que não poupa nem crianças encontra suporte nas “autoridades”, que nada fazem de concreto para puni-lo.



  • Emerson Cruz

    Ao aceitar negociar o Pato nestas condições o Corinthians avaliza que a contratação do atacante foi a pior que o clube realizou em toda a sua história se levar em conta a relação custo-benefício.
    Nas bases em que esta troca foi realizada, do ponto de vista financeiro o SPFC leva vantagem, principalmente se lembrarmos que o SCCP gastou 15 milhões de euros por um atleta que atuará a maior parte do tempo pelo seu rival.
    Do ponto de vista do ganho técnico dentro de campo, só saberemos se alguém levou vantagem com o decorrer do tempo. Aparentemente o Corinthians, acredito, tem mais perspectivas de se dar melhor, pois recebe um atleta para uma posição carente no elenco atual, além de Jádson já ter tido bons momentos num passado bem recente pelo time do Morumbi, principalmente do período que foi do segundo semestre de 2012 ao final do primeiro semestre de 2013. Já Alexandre Pato vai se convertendo numa das maiores mentiras do futebol brasileiro em todos os tempos, sua carreira foi sempre baseada em alguns lampejos pontuais,não sei se dá para elencar até hoje 10 grandes partidas deste jogador que sempre foi tratado como uma jóia rara, mas que nunca teve uma grande temporada sequer em toda sua carreira profissional que já tem cerca de 8 anos. Minha impressão é que em breve ele conseguirá ser detestado pelas duas maiores torcidas de São Paulo.

    • Bom dia.

      Seu comentário foi no mesmo sentido que o meu, o Jadson pode ser uma solução para o meio campo do Corinthians, que desde o ano passado tem sido o “calcanhar de aquiles” do time. Afinal, qual time funciona sem um bom meio campo. O do Corinthians não cria, não dá suporte ao ataque, não faz a “ligação”. Concluindo, acho que será uma boa oportunidade para o Jadson e o para o Corinthians.

      Quanto ao Pato, só posso desejar boa sorte, que ele vai precisar.

  • Bom dia André.

    Penso que no final das contas, a troca poderá ser boa para todos. O Jadson vai ocupar o meio de campo, onde o Corinthians anda muito carente. Sem um jogador criativo, o time não vai, as jogadas não saem. Se derem um tempo, acredito que pode fazer a diferença. Quanto ao Pato, seu comentário não comporta nenhum complemento, foi perfeito. Boa sorte ao jogador.
    Sem comentários quanto ao Marcelo. Depois da violência no CT do timão, os espanhóis mostraram seu lado selvagem.

    • Mauro

      O Corinthians, se meteu na maior “sinuca de bico” da sua história:
      Para recuperar os mais de 45 milhoes de reais investidos em seu jogador (ou ex), terá obrigatóriamente torcer para que ele se destaque e faça muitos e muitos gols no São Paulo, e se isso vier a acontecer, muito provavelmente terá reforçado um adversário para ser campeão.
      Se os Corinthians e os corinthianos torcerem contra pato, o clube do ITAQUERÃO, jogará os mesmos 45 milhoes de reais, no lixo. O que fazer?

  • Anna

    Na minha modesta opinião, quem se deu melhor foi o São Paulo, dentro de campo. Acredito que Pato vá se dar bem no Tricolor do Morumbi, desde que tb se empenhe, mostre atitude e tente entender o que o Muricy quer. Muricy recuperou Ganso, de certa forma. Acredito que vá recuperar Pato. Agora, não pode o Pato ficar no São Paulo, tipo “incubadora” como disse brilhantemente o Eduardo Tironi, e depois o Corinthians chegar lá e vender o jogador pro exterior, sem que o São Paulo ganhe tb com isso. Acredito ainda no Pato. Exageraram com as expectativas e ao”culpá-lo” pelos infortúnios corintianos. Tomara que dê tudo certo para todos os lados. Bom final de semana, Anna.

  • Francisco A. de Sousa

    O que são R$ 40 milhões diante de uma rejeição ? A preservação física do ser humano Alexandre Pato deve ter pesado bastante no negócio. Futebol em certos períodos é bastante volátil, e após tantos acertos de contratações, desta vez não deu certo. O SPFC vendeu o Lucas por mais de R$ 100 milhões e não jogou nada, mas ninguém lembra disso.
    Acho que o clima no Parque São Jorge não está nada bom, e me parece que a oposição está jogando no clima de “o quanto pior, melhor”. Acho que um cargo no Corinthians dá projeção pessoal no meio, mas a projeção financeira no todo.

  • Jefferson

    Gobbi é um Dualib piorado. e envolvido com as organizadas. Temos que expulsa-lo do Corinthians. Além disso é incompetente. Assumiu um clube numa situação financeira ótima, agora está no vermelho e devendo pra todo mundo. E preciso auditar essas contas, porque aí com certeza tem maracutaia.
    Perguntas que ficarão sem resposta:
    Quem desligou as câmeras de filmagem do CT momentos antes da invasão?
    Quem vai pagar ao Corinthians os Cr$40milhões perdidos com a compra do Pato.
    Porque mais um jogador(Jadson-medíocre) do Carlos Leite no Corinthians.
    Melhor que o Jadson, na base tem um monte.

  • Carlos Futino Barreto

    Emerson,

    a análise financeira não é assim tão simples: O Jadson rescindiu contrato com o SPFC, enquanto o Pato continua ligado ao Corinthians.
    Se o Jadson estourar no Corinthians e for transferido, o Corinthians pode receber a multa contratual dele. Se o Coritnhians quiser continuar com o Jadson, não precisa pagar multa.
    Se o Pato estourar no SPFC e for transferido, é o Corinthians quem recebe a multa contratual, não o SPFC. Se o SPFC quiser continuar com o Pato, tem que pagar a multa.

    Ou, seja: Até o fim do empréstimo do Pato, não saberemos quem fez bom negócio e que fez mal negócio, financeiramente .

  • Alisson Sbrana

    Racismo é uma coisa que não consigo entender. Não consigo.

    Outro dia, na minha ex-sala de trabalho, uma amiga querida estava indignada com a possibilidade de cotas no serviço público e perguntou se alguém ali era à favor “daquele absurdo”. Eu disse que era completamente a favor de todas as cotas que diminuam um pouco do abismo que existe entre nossas “cores”. Vieram argumentos até válidos, do mérito de um concursando (mesmo que se enganam os que dizem que não existiria mérito na cota), e outros nem tanto… Naquela sala estávamos 10 pessoas, todos ganhávamos bons salários comparando com a média nacional, todos “terceiro grau completo”. Pedi para minha amiga, sob essa ótica de justiça, comparando que no Brasil o censo aponta que temos 50% de brancos e 50% de negros (o número exato não é esse, mas podemos fazer essa leitura), como ela poderia explicar que ali não havia nenhum negro. Poderíamos nos estender pelas outras salas do corredor do 9º andar daquele ministério em Brasília. Ou seria melhor discutir o conceito de justiça.

    Esse exemplo pessoal não é bem sobre o que aconteceu com o Marcelo e seu filho. É mais sobre o racismo no Brasil, se ele existe, se não. Não que minha amiga fosse racista, mas não enxergar que aqui, parte da população tem mais sorte que outra é negar uma selvageria do passado, perpetuada por tanto tempo. E negar é o mesmo que corroborar.

    No caso da Espanha, é ainda mais revoltante a manifestação de parte da população espanhola. Não entendo como pode uma pessoa ser racista. Nos tempos medievais, podemos até dar a desculpa da ignorância. É como achar que a terra não é redonda. O susto com o diferente, enfim. Hoje não há explicação. E quando não há punição, entendo que quem deveria punir está sentado na arquibancada, gritando injurias junto do racista madrilenho, europeu, brasileiro.

  • Andre Alves

    O Pato nunca mais jogará no Corinthians e dificilmente alguém oferecerá 15 milhões por ele, a não ser que baixe um Denner nele e o cara seja o craque que todos esperam que seja, mas que não aparece.
    Na questão troca acredito que tenha sido melhor para o São Paulo, pelo simples motivo de como vc disse, iria perder um jogador e acabou ganhando outro que “pode” brilhar…
    O Jadsono não foi solução no São Paulo e não será no Corinthians, é um jogador nota 6 com marketing de um nota 9, mas no final acabou sendo bom para o Corinthians se pensar que se livrou de uma bomba e ainda pode recuperar algo em algum tempo.

    • Acho que o Jadson pode fazer mais pelo Corinthians que o Pato pelo São Paulo, principalmente porque o meio campo do Corinthians é lamentável. Mas logo veremos os resultados.

  • Luiz Fernando

    Gente é muito simples e ÓBVIA a rasteira que o Corinthians passou no São Paulo. O Pato ou volta pro Corinthians, ou o São Paulo paga a multa dele ou algum outro clube paga por ele. O Jadson tem seu contrato terminando agora no final de 2014 ou seja, será totalmente do Corinthians. O São Paulo não tem nada de vantajoso pois no final das contas ou paga o Pato (perdão o trocadilho) ou ele volta pro Corinthians. Já o Jadson pertence ao Corinthians de qualquer maneira.

    AK: Não vejo assim. O São Paulo basicamente pagou o empréstimo de Pato por dois anos (por metade do salário) ao ceder Jadson. A ideia é ter Pato por esse período. A coisa ficará ruim se o Corinthians receber uma proposta de mais de 15 milhões de euros durante o período do empréstimo, pois Pato seria negociado e o São Paulo ficaria sem o jogador e sem nenhuma compensação. Um abraço.

  • Fabio

    Serio, não sei como alguem pode achar mau negocio pro SCCP. A contratação do Pato foi uma aposta errada mas na epoca o indice de aprovação de midia/torcida foi alto. Como bem pontuado pelo Andre na coluna agora estamos na fase de controle de danos.
    Olhando sob outro prisma, em termos de elenco foi do Douglas pelo Jadson, melhora substancial na minha opinião.
    O Pato foi uma “transferencia de mico”, agora o Muricy tem que lidar com a pressão de não escalar um jogador deste nível, e em fazendo vai ter que solucionar os problemas ja citados em varios comentarios:
    – Relação com R. Ceni
    – Pode jogar junto com L. Fabiano?
    – Num time com ele, Ganso e L. Fabiano, quem marca?
    – Vai melhorar da apatia?

  • Fala André!

    Ótimas ponderações, como sempre. Fora do assunto: teremos post sobre o superbowl? Ninguém esperava um jogo como aquele, hein?

    Abs!

  • RENATO77

    Puro achismo meu…mas desde a chegada do Pato, essa transação me pareceu mal contada, a partir dos valores anunciados e a forma como foi o negócio.

    -Pato teria vindo ao SCCP “fatiado”.
    Investidores, Nike(o negocio se deu na época da renovação de contrato com o Corinthians), SCCP e talvez o próprio Milan.
    Sendo a fatia do Timão a das menores.

    -Teria vindo para se recuperar fisicamente e consequentemente seu futebol e seu valor de mercado. Assim, retornando ao futebol europeu com seu prestigio restabelecido. O staff de Pato estaria no comando das ações, isso justificaria o sigilo e a rapidez na sua contratação pelo Corinthians e por fim na sua troca de clube, SCCP x SPFC. Sigilo e rapidez são coisas MUITO incomuns se tratando de transações deste porte, por dois clubes grandes da capital paulista.
    Para não parecer um estratégia desesperada de recuperar o jogador, PATO S/A e SCCP dizem que o jogador é 100% do SCCP…o clube aceita de imediato, pois adora aparecer na foto como clube rico…coisas dos novos tempos.

    – O SCCP recupera sua “fatia do Pato” na forma dos direitos do jogador Jadson.

    – Pato S/A tenta dar continuidade na recuperação em outro grande clube, do grande centro que dispensa comentários em questão de estrutura e que tem ótima relação com o Milan. Quem coloca Rafael Toloi no futebol italiano…valorizar Pato pode ser fácil.
    Assim, o negocio inicialmente proposto ao SCCP, recuperar Pato e recolocá-lo na Europa com a devida remuneração ao clube brasileiro, passa a ser agora com o SPFC.

    Tudo isso pode ser devaneio…mas com a rivalidade latente entre os dois clubes paulistas, o que impede o SPFC manter Pato na reserva pelos dois anos de contrato, desvalorizando-o ainda mais e estando o jogador ao final desse prazo, praticamente livre pra negociar com outro clube, inclusive o próprio SPFC?
    Ver o rival perder 40 milhões não teria preço…

    Tenho quase certeza de que se o SCCP fosse majoritário no negócio, seria muito mais lógico e “normal”, negociar Pato com um clube europeu por exemplo por 30 milhoes…perder 10 milhões numa venda…dá na mesma que ficar pagando 50% dos salários pelos próximos dois anos(8,5milhoes)…e ainda correndo riscos de perder mais…e para um rival local…

    Desculpe pela viagem…ABRAÇO!

  • o corinthianso se livrou de um mico com possibilidade de recupera-lo no rival. o SPCC se livrou do jadson sem perspectivas de recuprera-lo ou o dinheiro investido.

  • Fabricio

    A vinda do Pato foi uma aposta de risco que nao deu certo. Eh interessante ver as contratacoes desde o rebaixamento ate aqui. Comecou com apostas baixas que na sua maioria deram certo. E conforme o time foi ganhando mais dinheiro e titulos, as apostas comecaram a ficar cada vez mais altas e arriscadas, chegando ao pico com o Pato. Eh como ver alguem chegando num cassino e subindo das maquinas caca niquel ate chegar a roleta.

    O que muita gente esquece, eh que muitas apostas baixas do time, nao deram certo. Mas como foram baixas, pouco importa. A aposta alta na verdade era pra ter sido o Tevez, que nao saiu. E provavelmente teria dado mais certo que o Pato, pelo simples fato de ele ja ter jogado com a camisa, mas ainda mais pelas caracteristicas dele, que casam melhor com o que a torcida quer.

    Querer advinhar quem ganhou nessa troca, eh quase impossivel agora. Muito pior que advinhar se o Pato ia dar certo quando chegou em 2013, porque involve 2 jogadores, salarios divididos, rivalidade, emprestimo, etc. O que eh importante ficar registrado, eh que hoje, as opinioes estao divididas entre os torcedores dos dois lados e dos analistas tbm! Entao daqui a um ano, se alguem chegar e falar que era obvio, eh obvio que vai estar errado!

  • Matheus Brito

    Já até consigo ver os três zagueiros e três volantes que o Muricy vai colocar em campo. Sim, porque se não tiver esses seis jogadores marcadores não vencerá nem o XV de Piracicaba (com todo respeito). Entrará em campo com três a menos na marcação (ninguém vai me convencer que Ganso,L.Fabiano e Pato, de repente começarão a marcar). Analisando bem a fundo, se o Pato arrebentar no primeiro semestre, tipo 03 gols por jogo, o São Paulo fica chupando dedo no meio do ano pois sempre terá um clube Chinês, ou do leste Europeu ou um petroleiro das Arábias para investir “quinzão”. Se não arrebentar mas fizer um gol de título aqui, um gol de classificação ali e não seja vendido, talvez pague o investimento de perder um meia como o Jadson por um atacante que, infelizmente, não quer nada com nada. Já o corinthians se livrou do peso salarial que Pato se tornou, ganhou um meia que precisava de motivação, e pode recuperar o investimento errado se o Pato arrebentar e chegar uma proposta de 15 paus.
    A pior parte para o São Paulo será se o Pato desandar a fazer gols e for vendido no meio do ano. Qual o gol importante que o Pato terá feito? final de paulista? realmente importa?

  • Café Lima

    André,

    O pior cenário para o São Paulo nesta transação é ver Pato ser valorizado no mercado e algum time se interessar em pagar pelo menos o valor da sua multa. Ficaria sem os dois jogadores e o Corinthians com Jádson e, pelo menos, 15 mi de Euros em caixa.

    Contudo, Jádson poderia assinar um pré-contrato com qualquer time (inclusive o Corinthians) já em junho/julho, se ficasse no São Paulo. O tricolor teria que continuar pagando por um jogador pouco motivado e o Corinthians, do mesmo jeito, com o passe de Pato e Jádson a partir de 2015.

    Não poderíamos comparar friamente a troca dos jogadores como se ambos pudessem dar o mesmo retorno financeiro a seus clubes: Jádson não aparenta ter mais mercado no futebol europeu; já Pato ainda pode encontrar interessados no Velho Continente, por ser jovem e já ter feito sucesso em um grande clube por lá.

    Olhando por esta possibilidade, aumentam as chances do São Paulo ter feito a escolha pela menor perda.

    Um abraço

  • SHAOLIN

    O Corintians por tradição dificilmente acerta qdo contrata medalhões, Foi nos anos 60 qdo trouxe Garrincha, foi com Serginho Chulapa, qdo montou uma verdadeira seleção e quase caiu pr segundona, foi com Tulio Maravilha, com Tevez, ganhou um titulo, não conquistou, e saiu pelas portas dos fundos abandonando o clube, Adriano Imperador, só levou grana do clube, e agora o Pato.

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo