DON VICENTE



Vicente del Bosque completa 63 anos hoje. Na Espanha, o técnico campeão mundial e europeu é chamado de Don Vicente, por sua maneira calma e elegante de se conduzir.

Na lista dos 30 treinadores mais bem pagos do futebol, divulgada na semana passada pela Pluri Consultoria, del Bosque aparace lá no final, em trigésimo lugar, com 2,5 milhões de euros anuais.

Ele merece muito mais, pela forma como enxerga e defende o jogo de futebol.

No dia de seu aniversário, publico o rápido discurso feito por ele no vestiário do estádio Soccer City, antes de a Espanha conquistar a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul:

“Rapazes, vocês não são soldados indo para a batalha. Isso é futebol, não uma guerra. Nós competimos, lutamos para ter a bola, mas estamos aqui para jogar da maneira que sabemos, para ser leais ao nosso estilo. Humildade, solidariedade. Sejam corajosos, comecem bem, busquem o jogo. Isso é importante.

Não caiam em truques, não façam bobagens. A única maneira de falhar é abandonar o que acreditamos. Façam isso por vocês, esse é o maior momento de suas carreiras, mas se precisarem pensar em alguém mais, pensem em todos os garotos que estão em casa, na Espanha, rezando para que vocês vençam.

Vamos dar a eles o que eles querem.”

(Retirado do brilhante “Spain: The Inside Story of La Roja’s Historic Treble”, de Graham Hunter. A tradução é do blog)



  • É isso mesmo André.

    Don Vicente entende o futebol como ele é, um esporte, não um campo de batalha, uma trincheira. Como um dos esportes mais importantes do mundo (penso que é pelo número de praticantes e sua importância em tantos países), já foi bandeira de tiranos e ditadores, ainda hoje muita gente confunde.

    Mas o mestre espanhol entendeu perfeitamente. Uma celebração esportiva, marcada por grandes paixões e rivalidades, sua missão é unir, não separar, é confraternizar e promover a interação entre os povos e entre os que gostam do futebol.

    Parabéns ao Sr. Vicente del Bosque.

  • Emerson Cruz

    63 anos de um grande vencedor. Nunca é demais lembrar que existe um clube em Madri que há mais de uma década vive à procura de alguém para comandar a equipe, que seja capaz de repetir aqueles feitos que Del Bosque conseguiu nas temporadas 1999-2000 e 2001-2002.

  • Arthur

    Ronaldo fenômeno em entrevista recente declarou que o Del Bosque foi o maior treinador com que já trabalhou e esta coincide com outro gênio do futebol: Zinedine Zidane.
    Simplesmente os dois maiores jogadores de futebol que já vi jogar.
    André tenho duas curiosidades: qual foi o melhor jogador que já viu jogar e quem foi o maior jogador da história do Corinthians?

    Grande abraço

  • hermes leandro

    Não vou entrar no mérito técnico e tático, infelizmente, não sou profundo conhecedor do handebol.

    De toda forma, esta conquista do Handebol Feminino me fez lembrar e confirmar algo que venho dizendo há muito tempo e se aplica a TODAS as modalidades esportivas: que NOSSOS TREINADORES são muito fracos!

    Vejam que precisamos trazer um técnico estrangeiro para elevar o nível da nossa Ginástica Olímpica e passar a brigar por medalhas em todas as competições importantes de nível mundial.

    No Basquete Masculino não íamos a uma Olimpíada há anos. Trouxemos o Magnano e vimos um ótimo trabalho e evolução de muitos jogadores. Vale ressaltar que o mundo viu a nossa eliminação deixando aquele gostinho amargo na boca. Todos sabiam que a equipe tinha “jogo” para brigar por medalha.

    Agora, no Handebol Feminino, a história se repete. Após uma ótima Olimpíada em 2012, a equipe conseguiu o título mundial!
    Não é um mérito pequeno, afinal, quando nós vimos algum trabalho parecido neste esporte?

    E o que aconteceu de diferente? Simples, trouxemos um técnico estrangeiro.

    E a natação? Não trouxemos ninguém para o Brasil, mas César Cielo só evoluiu e conquistou títulos porque foi treinar com os melhores técnicos no EUA.

    Pessoal, não tem jeito, isso é uma constatação da realidade.
    Lá fora, os treinadores são mais cultos, mais evoluídos, mais estudiosos e têm maior conhecimento técnico e tático das suas modalidades esportivas.
    Aqui, são todos muito amadores e, em alguns esportes, são extremamente supervalorizados. É muito dinheiro jogado fora no futebol para pouco retorno, por exemplo.

    E isso vale para muitos outros esportes. Se quisermos fazer bonito nas Olimpíadas do RJ, em 2016, já devíamos ter investido nesse desenvolvimento.
    Falo isso há anos e só agora alguns estudiosos esportivos começaram a se tocar e a falar no assunto.
    Se quisermos melhorar a qualidade do nosso futebol, então, teremos que importar métodos de treinamento de fora.

    Voltando ao assunto do Handebol, nossas meninas mereceram a conquista. Que garra, que luta, que disposição em quadra.
    Jogaram contra as adversárias e contra a torcida.

    E tudo conseguido em um esporte sem nenhum auxílio de mídia ou patrocinador.
    Algum canal transmitiu ao vivo? E olhem que valia título mundial!

    Algum jornal, rádio ou TV fez divulgação dessa competição? Alguém deu valor às meninas?

    Qual é o salário desse time?

    Quais são as condições de treinamento e apoio?

    Quero parabenizá-las por uma medalha que foi conquistada pelo fruto do SEU único e exclusivo trabalho e dedicação!

    Agora, anotem aí: não demorará para os “oportunistas” da mídia explorarem essa seleção. Vão colocá-las no topo da montanha, vão fazer milhares de programas, entrevistas e tal.
    A Globo vai começar a falar sobre competições amadoras e de categorias inferiores, vai comprar os direitos de transmissão da competição nacional e vai exigir jogos às 7h da manhã de sábado (pois será o único horário disponível em sua grade) e, na primeira derrota em uma competição internacional, vão execrar as meninas e chamá-las de amarelonas, perdedoras e incompetentes.
    É triste, mas, infelizmente, é a realidade da imprensa brasileira.

  • Anna

    Sensacional!

  • José Guilhermo

    FELIPÃO Antes da Final do Brasil na Copa de 2014

    “Rapazes, vocês são como soldados indo para a batalha. Isso aqui é uma guerra. Nós competimos, lutamos mas senão vencermos não terá adiantado nada, aqui jogaremos para vencer custe o que custar. Humildade, solidariedade e sobretudo raça Sejam corajosos, Terminem bem, busquem a falta, o adversário não pode jogar, Isso é importante, Ele São o Inimigo a ser batido.
    Façam eles cair em truques, não façam bobagens, induzam o inimigo a fazê-lo A única maneira de ganhar é fazer o inimigo abandonar o que acredita. Façam o que for preciso por vocês, esse é o maior momento de suas carreiras, mas se perdemos será sem dúvida o pior, pensem em todos os garotos que estão em casa, esperando para festejar o Hexa, Não FALHEM!
    Vamos dar a eles o que nós também queremos.”

    Desculpa André, não resisti

  • Carlos

    André gostaria que você comentasse isto: Sumula dos jogos da 5a.rodada/Brasileirão, Fluminense x Goiás , expulsão do atleta Rhayner do Fluminense, depois 6a. Rodada , jogo Fluminense x Internacional, o mesmo atleta jogou sem cumprir a automática , e disso ninguém fala nada..Esta claro que não querem dois clubes do mesmo estado (Rio de Janeiro ), sejam rebaixados. Basta levantar a lebre pois eu levantei as sumulas e verifiquei que realmente aconteceu o fato.

  • flavio

    Nem lí todo o seu comentário, mas já lhe garanto que esses treinadores trazidos ao brasil utilizam de meio inescrupuloso para ganhar campeonatos. Ou você já se esqueceu do doping da Dayane?? Esses treinadores estão preparando o caminho para uma razoável apresentação brasileira na “olim piada” que sediaremos. Ocorre que para isto é preciso dopar todos as modalidades, com o devido consentimento de atletas e dirigentes. Esses caras não me enganam. Trazer treinadores da russia, bulgaria, rep. theca, e outros países onde o doping é uma regra, só poderia dar nisso que estamos vendo. E não me venham com a história de que não existem provas, pois quando eu falei a mesma coisa da Dayane também não existiam provas e todos viram o que aconteceu depois. Vamos parar com esse papo de “a culpa é da farmácia de santa barbara”. Não vamos misturar o grande VICENTE DEL BOSQUE COM ESSA GENTALHA QUE GANHA A QUALQUER CUSTO!

  • Andre Luis

    Pra mim um técnico bom…apenas isso…Um Felipão bem melhorado que não fica prezando retranca.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo