CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

HAJA MÉRITO

1 – É compreensível que um campeão da América tenha dificuldades na estreia do Mundial de Clubes. É a norma, contra qualquer tipo de adversário. O melhor time do mundo demorou quase um tempo inteiro para fazer um gol no fragilíssimo oponente chinês. Depois, jogou andando.

2 – Também é compreensível que tais dificuldades se tornem mais perigosas quando o time do outro lado do campo está absolutamente confortável em seu papel. Em casa, apoiado, sem distrações. E já com dois jogos disputados – e vencidos – para soltar a musculatura.

3 – Na terça-feira, o Bayern mostrou como o primeiro gol tem um efeito libertador. Desarma a estratégia do rival que vê o 0 x 0 como objetivo glorioso, estabelece o tamanho da diferença técnica em campo, torna o jogo mais real. Talvez o maior mérito da vitória monumental do Raja Casablanca tenha sido se defender bem.

4 – O que mais saltou aos olhos foram os contra-ataques bem encaixados, que só não mexeram no placar no primeiro tempo porque os finalizadores marroquinos foram ingênuos ou egoístas. Mas o que desequilibrou o Atlético Mineiro foi a capacidade defensiva que encontrou. O Raja Casablanca não permitiu que o time brasileiro se sentisse grande.

5 – E mesmo quando as coisas (na ótica do placar, não do jogo que se via) penderam para o lado atleticano, após o gol de Ronaldinho, a compostura dos africanos foi notável. Cientes de que o contragolpe permaneceria disponível, continuaram atuando da mesma maneira. Com coragem, acima de tudo. O fato de estarem em seu país certamente contribuiu.

6 – O Atlético não sofreu uma derrota “injusta”, um desses jogos em que o futebol impede que o melhor time vença e produz uma decisão casual. Não houve excesso de jogo e falta de sorte. Só um time conseguiu aplicar seu plano: o time que venceu o jogo por 3 x 1, provavelmente na noite mais importante do futebol do Marrocos.

7 – Pênalti mal marcado, exagero. Mas não explica o resultado.

VERDADE

A classificação do Raja Casablanca para a final do Mundial de Clubes, assim como já tinha feito o Mazembe em 2010, legitima o formato do torneio. Times que aparecem como “parceiros de treino” têm motivos para crer que a decisão não é um sonho impossível. E quando as condições conspiram para um cenário favorável, surpresas gigantescas como essas acontecem.

CRUELDADE

O futebol tem um senso de humor sarcástico. Há momentos em que parece ter vontade própria. O ano do maior e mais festejado título do Atlético Mineiro terminará com um resultado frustrante – para dizer o mínimo – no Mundial de Clubes e com o rival vestindo a faixa de campeão brasileiro. Mais um lembrete da obrigação de ao menos chegar à final do torneio da Fifa.



  • Rafael Medina

    Caro André, vc acha mesmo que o Atlético Mineiro é o melhor time da Libertadores? Foi campeão honestamente mas, tropeçando, nos penaltis e com muita sorte. Deu a lógica. Só atleticanos e “Pachecos” tinham alguma esperança.

    AK: Você acha mesmo que “a lógica”, num jogo entre o Atlético e o Raja Casablanca, é a derrota do time brasileiro? Um abraço.

    • Lucas

      Rafael,
      O Atletico foi considerado por muitos o melhor time do brasileiro de 2012, mesmo não sendo campeão. Depois fez a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores. Passeou em cima do São Paulo, enfrentou o Tijuana onde teve aquela defesa do Victor (claro muita sorte), em um pênalti no final, mas num jogo qual o empate seria e foi o resultado mais justo.
      Contra o Neweels na semifinal resolveu um placar adverso de 2 gols sem poder tomar nenhum, (isso é mais competência que sorte né ), depois nos pênaltis se classificou.
      Na final o Atletico conseguiu perder de 2 pra aquele time ruim do Olimpia, que não pressionou o Atletico em momento nenhum, num jogo controlado desde o inicio.O Olimpia também deu muita sorte lá em fazer um gol no finalzinho. Em BH o Atletico conseguiu levar pros pênaltis, e por ter mais jogadores técnicos ganhou, não foi totalmente sorte, pênaltis não é so loteria.
      Acho que isso credencia o Atletico em um dos melhores times da America, senão o melhor daquela Libertadores de 2013. O fator fora de casa foi o predominante para o Atletico no Mundial.
      Aceito replica, abraços.

      • Elcio Moreira

        se esqueceu que o Olimpia perdeu um gol sem goleiro no finalzinho. E Raja e Atlético são do mesmo nível técnico. O galo só tem 3 jogadas: lateral na área (independencia) chutão para o jô (independencia) e falta pro ronaldinho(independencia). Me mostre outra jogada.

        • Bruno

          Elcio, concordo com vc q em 2013 o Atlético foi um time extremamente caseiro, nao digo tanto dependente do Independência pq o título da Liberta foi no Mineirao…. Mas dizer q o Atlético só tem 3 jogadas eh no mínimo falta de conhecimento….. Ofensivamente o time tem muito repertorio e muita qualidade técnica. Porém o time do Cuca de 2013, tem uma grave falha… O desequilíbrio. Sao praticamente 4 atacantes e ainda o lateral direito q nao tem a mínima noção do que eh marcacao. Existe um buraco no meio campo. Mas o problema eh que pra isso teria q tirar um dos 4 atacantes… Mas qual? Problema pro Autuori resolver, ate pq, como disse o proprio Cuca, ele nao entende nada de defesa.

      • Filé

        Dizer que o Atletico passeou contra o São Paulo, só com a camisa do galo no peito. No Morumbi, não fosse o Aloísio (que e fraco) se machucar, o Ademilson (que e pior do que o Aloísio) perder gols que ate minha avo faria e o do lúcio ser expulso de forma medíocre, a história seria bem diferente, não acha? E olha que esse time ridículo do tricolor quase foi rebaixado… Na boa, o galo e mais ou menos. Os mesmos que elogiam o Gaúcho em fim de feira, elogiam o Ganso com 1 perna e meia! Nosso futebol está do tamanho e com a mesma qualidade de quem comenta. Uma pena.

    • Fernandes

      Nem “lógica”, nem zebra. Considero o placar normal.
      Há tempos a mídia, na ânsia de “vender seu peixe”, usa e abusa da paixão do torcedor comum para vender o campeonato nacional como a oitava maravilha. NÃO É!
      Não vamos confundir campeonato DISPUTADO – e o nosso tem sido, apesar da larga vantagem do Cruzeiro – com QUALIDADE.
      Os jogadores que aqui estão… estão pq os clubes europeus (e até da periferia europeia) nao quiseram. FICAMOS COM AS SOBRAS.
      Senão todos (já que são empregados), ao menos parte dos comentaristas deveriam se insurgir e falar a verdade dos fatos: Nosso campeonato, em termos de qualidade é medíocre. E lembrar que, qdo trabalhamos para uma empresa/órgão, vendemos nossa força de trabalho e não nossa consciência.

    • JC

      André, claro que a lógica (existe no futebol?) cravava a vitória atleticana.
      Que o Atlético realmente não foi o melhor time da Libertadores é realidade.
      JC

    • Emerson Miguel

      Ficou claro que a diferença técnica do Galo para o time marroquino não era tão grande como supúnhamos. Está passando da hora de repensarmos o futebol brasileiro. Vivemos numa ilha, totalmente desconectados do que acontece lá fora, perpetuando na nossa prepotência de “país do futebol” um estilo de jogo lento, com ligação direta o tempo todo e que nada tem a ver com nossas origens.

    • cosme

      rafael o atletico pode não ter sidoo melhor da liberta,mas foi o campeão com justiça,ainda sim perder do raja casablanca,como o inter perdeu do mazembe e o meu corinthians perdeu do tolima,não é o normal.e mesmo a derrota do santos p/ o barça também; que o clube praino perdesse p/ o barça,muito normal,o que não foi normal foi a displicencia queo clube entro em campo,como o inter e o atletico este ano,o que houve foi o erro comum do futebol brasileiro,o amadorismo e a arrogancia comum a nós,contamos com a vitoria antes de jogar.que revejam a copa de 50 e de 74,o bayer tinha uma equipe filmando os possiveis adversarios,na semi entrou em campo como se fosse jogar com um real,um barça ou um manchester,não contra um adversario desconhecido da china,é campeonato e titulo em disputa,tem que entrar mordendo,querendo ganhar,buscando gol,pq. o que decide o jogo,é gol,não firulas,jogo bonito,jogo pensado e outras palhaçadas do futebol brasileiro;parreiras,luxas,felipões,zagalos entre outros conseguiram acabar com o futebol brasileiro,hoje um futebol medroso,covarde,lento e previsivel,deixamos nosso estilo de jogo de lado p/ fazer uma cópia mal feita do futebol europeu,ou muda isto ou o futebol brasileiro acaba…

  • Emerson Cruz

    E o Galo acaba de anunciar Paulo Autuori como treinador para 2014. É, esta semana foi mesmo terrível para os torcedores atleticanos.

    • Tomas Sexto

      Rajadas fortíssimas de ventos, tempestade de areia e furacões à vista. E tende a piorar.

  • André,

    O Raja Casablanca manteve sua postura em campo mesmo após sofrer o gol de empate, e isso foi fundamental. Enquanto o desespero atleticano refletiu num péssimo futebol, o Raja manteve a calma, aproveitando-se também da falta de “obrigação” de ganhar, afinal, até o início do jogo, o “favoritismo” era todo do Atlético. Sem esse peso, o time marroquino sobrou em campo. Como você bem colocou, defenderam-se muito bem, e atacaram com eficiência.

  • Tomas Sexto

    O time do galo não se sustenta. Teve no Vítor um salvador, e a falta do Bernard foi pronunciada. No mais, ganhou uma Libertadores morna na sorte, teve atuação pífia no brasileiro, com a segunda pior campanha como visitante, e é sim, no campo, um time pior que o Raja. Se fosse outro o representantebrasileiro, como Cruzeiro, Grêmio ou Atlético Pr, certamente não aconteceria esse vexame histórico. E outra, penalti claríssimo, de um zagueiro lento, que erra a bola e atinge o joelho de seu adversário. Só não vê quem não quer.

    AK: Uma análise neutra.

    • Adriano

      kkkkkk muito neutra!

      • David Reis

        “Se fosse outro o representantebrasileiro, como Cruzeiro, Grêmio ou Atlético Pr, certamente não aconteceria esse vexame histórico.”

        Corrigindo seu comentário acima, Tomas:

        SE o CRUZEIRO tivesse ganho do Bayern em 1976, seria campeão mundial;
        SE o CRUZEIRO tivesse ganho do Borussia em 1997, o título mundial seria brasileiro.

        MAS………..

        (SE o tapetão não existisse, o que seria do Fluminense?)

        • jose

          todos cairam para série B, quer fiasco maior que isso…..claro menos o cruzeiro que é bi vice mundial…kkkk

        • Tomas Sexto

          Se o galo não fizesse tal vexame, perdendo para a sua sombra, seu esturpor, poderia ter a chance de jogar com um time europeu, nem digo alemão, na final. Fato é que vão jogar com o xing-ling. Por favor, não joguem o futebol clubístico brasileiro em lugares nunca dantes pisados por nossas lustrosas chuteiras.

      • Tomas Sexto

        À vezes doi muito a verdade. No que falta de emoção, sobra a objetividade. O galo teve méritos em dois de seus jogadores, Vítor, de novo, e Fernandinho. Já o Raja teve bom passe, boa penetrção, e se fosse um pouco mais maduro, teria aproveitado e sacodido a partida após o primeiro gol. Sejamos sinceros, o galo se acovardou, encheu de vergonha seu torcedor, ou não é verdade? A paixão cega, sempre. O Jô foi o de sempre, Ronaldinho, voltando de séria contusão, apresentou suas armas, golaço, mas cadê seus laterais? E seus cabeças de área? O Pierre foi envolvido como aspirante no terceiro gol. O Alecssandro é horroroso. Será que você concorda com algo que foi dito? Penalti sim, pois o Réver, lento na jogada, erra a bola e atinge, derrubando, o adversário dentro da área. E o Bernard, palmas pro presidente, vendeu-o, não recebeu e desfalcou seu time com a mais letal de suas peças, um bispo atrevido atravessando destemido o tabuleiro, sempre e incansavelmente. Com a palavra o sempre e apaixonado.

    • Matheus Brito

      Minha nossa, quase morri no Pênalti claríssimo.

      • Tomas Sexto

        Você quase morreu não foi de vergonha, não? Quem dera fosse um argentino, ou um chileno, ao invés de um clube brasileiro, a ter sofrido tão humilhante sacolejo! Mas o couro se acostuma à chibata, o ser humano, apesar de tão frágil, é por instinto um sobrevivente. Quantas vergonhas nos são imputadas, quantas cinzas são ressucitadas, né mesmo? Quantas humilhações lhes serão necessárias a lhes trazer à luz? Sejamos humildes, levar chocolate de um certo Raja deveria servir de alerta, não de soberba. Abra seu olho, Autuori vem aí.

  • Cleibsom Carlos

    Enquanto o Bayern sabia de sua superioridade o tempo todo e tinha certeza que o seu gol era só uma questão de tempo, quem assistiu ao jogo sabe que o time alemão poderia ter ganho de uns 20 se quisesse, o Atlético não demonstrou em momento nenhum ser superior ao time marroquino, e talvez não seja mesmo! Comparar os dois jogos das semi-finais do Mundial não tem sentido algum…Será que o Galo é realmente superior ao Raja Casablanca? Será que o jogo do Atlético não rendeu em virtude das qualidades do adversário e não porque o time mineiro “não jogou nada”?

    AK: O que não tem sentido é alguém achar que um jogo foi “comparado” ao outro. Ler é realmente um privilégio. Um abraço.

    • Cleibsom Carlos

      E saber escrever também, AK! O 3º parágrafo seu texto é dúbio e da a entender que se o Atlético tivesse feito o 1º gol contra o “retrancado” Raja a “lógica” teria prevalecido…Eu só queria entender o que tem de ilógico na vitória do time marroquino sobre o Galo mineiro! Outra coisa: o Bayern já estava “liberto” bem antes do seu gol que abriu o placar e colocou o time chinês em seu devido lugar desde o começo da partida, algo que o Atlético não fez porque talvez não seja tão superior ao Raja como a imprensa brasileira acha. Outro abraço para você.

      AK: …

      • minha nossa

        Nao quero ser preconceituoso, mas um cara que se chama Cleibsom tende a ser um péssimo escritor!

      • Luiz

        engraçado como a paixão por determinado clube consegue “emburrecer” uma pessoa. Ler é uma arte e interpretar o que foi lido outra ainda maior. o cidadão não conseguiu nenhuma das duas proezas.

        • Cleibsom Carlos

          Acabou de falar aquele que tudo sabe!!!E saiba que o puxa-saquismo emburrece muito, também…

    • JC

      Houve comparação sim, senhor Kfoury.
      Assuma.
      JC

      AK: Há dois equívocos no seu comentário. Um deles está na grafia do meu sobrenome. O outro é bem mais grave. Um abraço.

      • Rodrigo

        Fiquei confuso, mas acho que um colunista profissional sabe mais do que eu com certeza … então André, acredito no que vc disse em relação a não ter feito comparação entre um jogo e outro … mas poderia explicar-me o sentido que intencionava na seguinte frase:

        “Na terça-feira, o Bayern mostrou como o primeiro gol tem um efeito libertador. Desarma a estratégia do rival que vê o 0 x 0 como objetivo glorioso, estabelece o tamanho da diferença técnica em campo, torna o jogo mais real. Talvez o maior mérito da vitória monumental do Raja Casablanca tenha sido se defender bem.” ?

        …eu havia entendido tbm se tratar de comparação entre os dois jogos, o que o Bayern fez e o Raja não deixou o atlético fazer … mas me senti meio burro agora …

        AK: Lamento. Um abraço.

  • silas

    Caro André,

    O futebol é mesmo maravilhoso. Por vezes nos prega peça quando o time que joga melhor perde. Acontece.
    Acontece que o Atlético Mineiro não jogou nada do que normalmente joga e o Raja Casablanca talvez tenha jogado tudo o que nunca jogou.
    Simples.
    Vitória merecida e inquestionável.
    Resta ver o que acontece com o Raja jogando contra o Bayern.
    É por isto, também, que o futebol é o meu esporte preferido.
    Feliz Natal e que 2014 seja venturoso!

    abraço

    Silas

  • jefferson

    AK, o atletico é um time enganador, assim como foi enganador o brasileirão, na minha opinião o pior campeonato dos ultimos tempos. O atletico vem mal desde o mata-mata da libertadores, ganhando jogos no sufoco e nas decisões por penalidades (também no sufoco), teve muita sorte, mas a sorte… assim como ela vem, ela vai tambem. Acho que esse é o verdadeiro Atletico, e é bom a torcida se acostumar com ele, agora com Paulo Autuori…hummm…

  • Anna

    Melhor perder pro Raja, do que tomar sacode do Bayern. Bom final de semana, Anna.

    • Marcelo Morais

      Falando serio, Anna:
      voce nao gostaria de ver FCB x CAM amanha?
      Eu gostaria. E muito. Independente do resultado.

      • Rafael

        Na boa, não. Gosto de ver jogos parelhos onde Td pode acontecer. Fiquei morrendo de pena do Santos…. Ia ser um jogo do mesmo padrão.
        A verdade Eh que nosso futebol interno está muito mais pra Raja do que para bayern! Uma pena…

        • Juliano

          Não ia me manifestar, mas vamos lá:

          Anna, com todo respeito, mas falou bobagem. Muita bobagem. Não é melhor perder pro desconhecido Raja do que jogar uma final. Nem que seja a final do campeonato do seu bairro. Não importa quem está do outro lado e se vai levar sacode. Não foi melhor levar sacode do Raja, nunca.

          Rafael: o Santos tomou 4 e poderia ser mais, pela forma que (não) se preparou e pela forma bizarra que o Muricy armou o time. E aquele Barça de 2011 com Pep era um assombro, dos melhores times da história. MAS, se a preparação fosse adequada e se Muricy tivesse 2 neurônios, poderiam ter diminuído a clara e enorme diferença. Não, não acho que o Santos seria campeão, mas foi o último time bom que o Santos teve (2012 e 2013 foram tristes, e 2014 será também).

          Mas como disse o amigo ali em cima, SE, não existe (ri demais com “o que seria do Fluminense?”).

          Antes que falem do 8 x 0 recente, o Santos foi com um time sub-alguma-coisa com um técnico (então) interino fazer um jogo que não cabia. Foi ridículo.

          Abraço!

    • Teobaldo

      Concordo com você, Anna. Da mesma forma que foi preferível para o Vasco cair para a segundona do que continuara apanhando e dando vexames sucessivos na primeirona em 2014, assim como o fez em 2013. Certo?

  • joe LHP

    Futebol brasileiro de clubes vai de mal a pior, tanto dentro de campo como fora, um dos melhores times daqui foi praticamente engolido taticamente por um adversário q faz o básico da organização europeia, temos que refletir o futebol nacional como um todo, tanto fora como dentro de campo pois estamos ficando pra trás em relação ao resto do mundo, futebol brasileiro não se resume apenas a seleção, viu Sr Marin!!!

    • Que o futebol de times não é nenhuma maravilha é ponto pacífico. Agora exemplificar a situação por esse jogo do Atlético seria o mesmo que dizer que, porque o Corinthians venceu o Chelsea, o futebol brasileiro é melhor que o europeu.

      • É verdade, um jogo não pode ser o termômetro do futebol nacional. Na verdade, a temporada 2013 foi horrível em termos de times brasileiros e sul americanos. Basta recordar os jogos dos campeonatos. Agora, no últimos 08 anos, o Brasil levou 06 libertadores e 03 mundiais de clubes. Não está tão ruim. Horrível mesmo foi o ano de 2013. Mas vai passar.

  • Marco Reis

    Parece que atleticanos nao andam numa fase muito boa. Nao podem nem ao menos reclamar do resultado do jogo ja que nao jogaram absolutamente nada comtra o Raja. Devem e agradecer por terem perdido por apenas 3×1, e de nao terem que enfrentar o Bayer na final, pois jogando daquela maneira, iam tomar uma verdadeira surra. Continuo achando que o penalty nao existiu, o cara dobrou a perna e deixou cair, mas a infantilidade do Rever foi alguma coisa. Zagueiro de Selecao Brasileira (mesmo banco ou regra 3) nao pode dar um mole daqueles. Na realidade, o Galo parecia jogar sem defesa. E agora, para piorar, contratam o Autuori. Boa sorte, vao precisar. O cara comecou a afundar o Vasco e acabou fugindo para o Sao Paulo. Quase afundou o Sao paulo, sendo demitido ainda a tempo, para que o Muricy consegui-se salvar o time do rebaixamento.

  • O engraçado da situação é que, se o Atlético tivesse conseguido fazer o segundo gol, mesmo jogando super mal, ninguém aqui estaria desqualificando o que o time fez na Libertadores, falando que foi sorte.

    Lógico que não foi sorte. Ninguém chega até a final e ganha o título por sorte. É ridículo pensar assim. Foi um jogo ruim do Atlético contra um time que estava empolgado e determinado por conta do apoio da torcida.

  • RIKBÇA

    Pobre Galo…
    Esse time ter ganho uma libertadores é o mesmo que ganhar sozinho na mega sena da virada…
    Se não fosse por um erro do Lúcio, esse time já teria saído na primeira fase de mata-mata da libertadores…
    O Raja foi melhor no começo, meio e fim do jogo. Zebra??? Pelo que se viu, zebra seria o time brasileiro ter ganho aquele jogo…aliás, zebra não… SORTE, como comecei falando…a mesma sorte que o salvou contra TODOS os confrontos eliminatórios da liberta.

    O verdadeiro time preparado para ser campeão da Libertadores e desse mundial, foi TIRADO de forma CRIMINOSA da competição sul-americana, devido ao triste episódio do torcedor morto em Oruro. Não fosse por isso, sábado comemoraríamos o TRI MUNDIAL da FIFA!

    E Vai Corinthians!

    • José Guilhermo

      Só se fosse nos penaltis porque jogo normal seria 0 X 0 esse time atual do corinthians não faz gol em ninguém, nem no náutico.

      • Juliano

        Exatamente…

        Olha o tamanho do absurdo: “O verdadeiro time preparado para ser campeão da Libertadores e desse mundial, foi TIRADO de forma CRIMINOSA da competição sul-americana”

        Crime é sua torcida, financiada pelo clube, matar um menor que foi assistir ao jogo do seu time de coração. Crime é cometido por todo clube que financia facções criminosas como as torcidas organizadas. Não é só o Corinthians, difícil citar qual clube não financia. Não são torcidas, são facções. Pessoas que saem de casa com o intuito de gerar violência. Não trabalham, logo, não tem dinheiro para pagar os preços abusivos dos ingressos e custear toda a viagem, toda quarta e domingo. Quem paga a conta? Sim, os clubes, que compactuam e financiam esse tipo de crime, logo, devem ser duramente penalizados.

        Responde essa RIKBÇA: se esse “verdadeiro time preparado pra ser campeão” era tão preparado assim, o que aconteceu no Brasileirão, onde fez uma campanha RIDÍCULA? O que aconteceu na Copa-BR, eliminado nos penais, pois como bem disse o José Guilhermo, é um festival de 0 a 0? Explica essa! Seu time foi tirado de forma criminosa dessas competições também?

        Reveja seu conceito de crime. De futebol. De vida.

        Abraço!

  • André,

    A superioridade do Bayern em relação aos demais participantes do mundial é gritante. Já tivemos casos de time europeu desdenhar de sul americano e perder, como bem me lembro do Barcelona em 1992, que seu técnico, um famoso holandês, fez o maior pouco caso do adversário, e depois o Milan, em 1.993, que repetiu o erro e também dançou. Claro que não dá para comparar aquele São Paulo com o atual Atlético MG ou com o Raja Casablanca.
    Mas considerando um suposto “salto alto”, acha que existe alguma chance, ainda que mínima, do time marroquino segurar o Bayer?

    • Vou considerar a não resposta como um não, o Raja não tem a mínima chance.

  • Interessante neste mundial de clubes, é que os times mexicanos nem são tão ruins, aliás, jogam bem, no entanto, jamais conseguiram a façanha de chegar até a final, enquanto os africanos já vão para a segunda decisão.

  • Pedro Mengao

    André
    Seguinte, até gosto da sua coluna mas dessa vez você uma pisoteada na gorduchinha.
    Primeiramente com todo respeito e’ bom a gente falarmos que não tem como comparar o time do atlético com os alemão do bayern. Os caras são muito bom lá. O futebol que a gente estamos jogando aqui infelizmente não e’ mais o mesmo. Vi até um lateral do Marrocos dar passe de letra. Você viu isso André? Deveria ter escrito sobe esse passe porque foi um esculacho.
    Até q foi bom pro atlético só assim eles escapam da surra que os alemão iam dar nele.
    Outra coisa André , aquilo foi muito penalti. Você dizer que não foi me faz desconfiar que ta puchando o saco da galera de BH.
    Fora esses pequeno errinhos tu até que foi bem.
    Mas não vem falar mau do meu mengao que eu volto aqui e boto a boca no mundo parceiro!!!
    Abraço.

    • Ricardo

      Peco desculpas aos leitores de outros estados pelo português de nosso nobre colega. E’ isso que nós, do Rio, somos obrigados a relevar todas as vezes que temos que discutir sobre futebol com eles. Amigo, te indicaria um cursinho a noite mas acho que se mudasses de time, seu idioma melhoraria bastante de imediato!!!!

  • Renato Fran

    O Raja Casablanca não permitiu que o time brasileiro se sentisse grande? Na verdade o Atlético abriu mão de ser grande ao escalar dois primeiros volantes, Josué e Pierre. Já havia acontecido isso contra Olimpia e Newells. Parece que Cuca não aprendeu. No Marrocos não havia jogo de volta. Sem falar na infeliz substituição do efetivo João Marcos, quando o lateral esquerdo Lucas claramente sentia o peso do jogo. É só ver seu posicionamento no primeiro gol. E o segundo, prevísivel, nas costas de Luan, que não é lateral! Cuca enterrou todo seu trabalho neste jogo.

  • Fred

    Se a gente fizesse a brincadeira de pegar o jogo exatamente como foi, mas invertendo as camisas dos jogadores, a análise seria que o Atlético jogou com calma, competência e eficiência, demonstrando sua natural superioridade.
    Pois foi isso, o jogo (voltando as camisas pros jogadores certos): um Atlético nervoso, sem inspiração, mal escalado defensivamente, contra um Raja centrado, com uma defesa bem postada e passes precisos. Simples assim!
    Agora, surpresos pelo jogo ter sido assim, a explicação simples que eu ousaria dizer é que foi um jogo ruim do Atlético, infelizmente, justamente contra um adversário empolgado, e jogando em casa cheia. Acontece.

  • Dim

    Com 15 minutos do 1º tempo deu pra ver que o Atlético estava errado, e o jogo ia ser tenso, perigoso, por causa disso. E não era só o nervosismo, a torcida adversária, a empolgação dos marroquinos.
    O fato é que o Cuca escalou o time mal, errou a mão. Ele tem a mania de pôr o time excessivamente pra frente, confiando só nos zagueiros; ok, prima pelo futebol ofensivo, bonito, mas as vezes exagera. Como nesse jogo.
    Até minha avó sabia que o jogo marroquino é tomar a bola e arrumar correria. Aí o que o Cuca faz? Libera os dois laterais pra subirem, só que escalando o Josué no lugar do Donizete (que o ano inteiro fez cobertura pro M.Rocha ser o lateral apoiador que é). Ficaram duas avenidas nas laterais da defesa atleticana.
    Tudo bem, se o ataque alvinegro estivesse inspirado e resolvesse o jogo logo; mas não estava, aí a bola era facilmente retomada pelos marroquinos, que – lembrem-se – tinham avenidas na defesa do Galo!
    O Cuca viu isso, mas quis esperar. Se tivesse trocado o Josué pelo Donizete ainda no 1º tempo e mandado o Lucas Candido ficar mais, não tinha perdido. A mesma ousadia que o treinador deve ter pra tentar ganhar, às vezes deve ter pra consertar um erro de armação logo, ainda que no início do jogo.

  • hermes leandro

    Aqui no Brasil temos o péssimo hábito de avaliar títulos e/ou quedas por conta dos elencos dos clubes.

    Se ganhou é porque o clube teve um planejamento exemplar e contratou bem, se perdeu, é porque o clube tem um elenco fraco e de nível técnico muito baixo.

    Por vezes, somos incoerentes e costumamos fazer análises pontuais ou até mesmo passionais.

    O que ouvi este ano a respeito do Flamengo, do Cruzeiro, do São Paulo e do Santos superou o ridículo.

    Quando o Cruzeiro abriu frente sobre os demais concorrentes apresentando um futebol alegre e envolvente muita gente creditou a campanha à qualidade do seu elenco (?????). Que elenco?
    Egídio? Borges? Dagoberto? Nilton? Ceará? Bruno Rodrigo?
    Cadê o craque? Cadê o diferente?
    É impressionante ver como a mídia não entende nada de tática, de futebol coletivo e do futebol moderno.
    O Marcelo Oliveira fez uma coisa diferente pondo velocidade no meio campo e ataque nos jogos em casa e atropelou todo mundo. Não houve elenco estelar, mas sim, uma proposta de jogo ofensiva. Ele saiu da vala comum, apenas isso.

    Quando o Flamengo estava caindo pela tabela do Brasileirão, com o Mano Menezes, diziam que o elenco era fraquíssimo e que estava fadado ao rebaixamento. Inclusive, criticaram-me bastante quando disse que o elenco não era tão ruim e que, com padrão tático adequado, dava para brigar por Libertadores.
    Pois bem, caiu o Mano e assumiu o “super campeão” Jayme. Ele arrumou o time, deu padrão de jogo, ajustou algumas peças posicionando e distribuindo melhor a equipe em campo e deu no que deu, Flamengo campeão da Copa do Brasil!

    Quando o São Paulo demitiu Ney Franco e Paulo Autuori diziam a todo momento que o elenco era fraco e mal montado.
    Quando o Muricy assumiu O MESMO ELENCO e engatou uma sequência de vitórias diziam que o elenco era bom e que Ganso e Aloísio (o boi bandido) mereciam vaga na Seleção Brasileira! Inclusive, comemoravam a possibilidade do clube ser o melhor paulista na competição (??????).
    Após a eliminação na Copa Sul Americana, frente a já rebaixada Ponte Preta, voltaram a criticar e a detonar o elenco.
    Dá para alguém decidir se o elenco é bom ou ruim?
    Por que ninguém critica o Muricy por levar de 3 de um time rebaixado em casa?
    Por que ninguém critica seu trabalho medíocre e as várias eliminações em mata-mata?

    Quando o Santos perdeu Neymar diziam que o clube seria rebaixado já que o elenco era muito fraco.
    Eu, ao contrário, dizia que a molecada da base era boa e o grupo, no geral, era melhor que a maioria dos clubes do Brasil.
    O Santos fez, este ano, uma campanha melhor que a do ano passado quando tinha o “mega campeão” Muricy Ramalho no comando e sem o Neymar. Isso porque está sendo comandado por um inexperiente proveniente das categorias de base, o Claudinei Oliveira.

    Vendo esses fatos acima, será que a culpa era só do elenco?
    Os títulos, as perdas, a falta de equilíbrio técnico e emocional é só do elenco?
    Na minha opinião, não! Nunca foi.

    Para justificar isso, uso 2 equipes europeias. Málaga do ano passado e Basel deste ano.
    Olhem os elencos destes times e me digam se são recheados de estrelas e de jogadores de alto nível.
    Não são e fazem frente a muitos grandes e milionários. Por que?

    Porque esses times tinham/têm organização tática. Seus técnicos adotam um futebol mais coletivo, dinâmico e combativo.
    Aqui se espera o adversário, cerca-o em seu campo. Há excessos de passes laterais tornando a partida monótona e facilitando o trabalho do adversário.
    Na Europa, joga-se um futebol mais rápido, mais moderno e mais físico. Por isso, seus jogos são mais gostosos de se ver e seus jogadores são mais completos que os daqui.

    A culpa não é dos elencos, mas sim dos treinadores.
    Estamos atrasados e, infelizmente, a nossa imprensa não ajuda já que não evolui e não acompanha o que está acontecendo lá fora. Estamos mal acostumados e cegos.

    Por isso, nosso futebol cai de qualidade a cada ano o que é uma pena já que, por várias décadas, fomos conhecidos como o país do futebol.

    AK: “nossa imprensa não ajuda já que não evolui e não acompanha o que está acontecendo lá fora”. Que genial.

    • Rodrigo

      Cara na boa,
      nunca vi uma classe tao “nao me toque” quanto a nossa imprensa. E’ so mencionar e os caras pulam.
      Morei nos EUA por 10 anos e la os caras estao sempre se questionando, sem problemas…

  • GUILHERME SOLON DA NOBREGA

    Às vezes dá desânimo de comentar por tanta bobagem clubística escrita por aqui.
    Porém, falando sobre o jogo, o Galo não menosprezou o Raja, apenas não jogou bem, assim como não jogava desde a Libertadores, pois sim, o Galo venceu e com o melhor futebol, agora na ida ter tomado 2 a 0 de um frágil Olimpia, não é de se vangloriar.
    Concordo com o AK na hora em que diz que o primeiro gol muda tudo. E numa partida única muda mesmo. Vide Corinthians X Chelsea, São Paulo x Liverpool, Mazembe x Inter, Barça x Inter, entre outros. Só não dava para o Galo ter permitido desde o primeiro tempo que o Raja tivesse mais chances desde o primeiro tempo. Foi incompetência do elenco sim. Nem falta de sorte, nem pênalti exagerado.
    Por incrível que pareça, o Galo mereceu a derrota. E se não juntar os cacos vai perder do Guanzhou.

  • Caro Andre, você disse que o melhor time do mundo levou quase 45 minutos para fazer um gol, mas esquece de dizer que o Bayer dominou amplamente esta primeira etapa , criou e perdeu varias chances, teve bola na trave e defencivamente não sofreu qualquer ameaça, porque marcou muito bem e eliminou a criação das jogadas enquanto que o Galo criou apenas uma jogada de real perigo em que o Jô perdeu o gol e mesmo contra um adversário inferior tecnicamente apenas teve mais posse de bola. Na segunda etapa, o Raja vendo que jogava contra um time que não assustava, cresceu no jogo e acertando um pouco mais os passes, ganhou o jogo. Nos brasileiros, temos que acabar com essa mania de que foi o nervosismo de estreia, os outros times de fora não dão esta desculpa e conseguem jogar e até golear em estreias seja de libertadores seja de mundiais de clubes ou de seleções.

    AK: Não esqueci de nada, caro. Disse tudo o que queria dizer. A pressão que times brasileiros sofrem neste tipo de situação é clara, frequente e decorre do fato de tais equipes não saberem lidar com o favoritismo. Mas não é sempre. No Mundial em que foi goleado pelo Barcelona, o Santos passou pela semifinal com autoridade. Quanto aos europeus, eles não têm tanta dificuldade pois são, quase sempre, muito melhores do que os nossos. Um abraço.

  • Júnior Luiz

    Caro André!!! Gostaria de saber de vc comentarista como explicar a façanha do Casablanca que em uma semana fez 3 jogos e sendo um indo pra prorogação com 3 vitória parabéns aos marroquinos …. o que eu gostaria de saber é que se fosse com o altético ou qualquer clube brasileiro todo mundo estariam falando que era maratona de jogos os cara jogaram com o atlético e equipe mineira estava bem descansada no Brasil os jogadores reclamam demais que tem que jogar 2 jogos por semna os cara jogaram 3 e agora vão fazer a final, coloca no papel a estrutura do futebol marroquino com a com a estrutura do futebol Brasileiro sálarios..centro de treinamento, preparação fisica melhores hotéis isso falando da serie A …..é uma vergonha !!!
    OUtra coisa é sobre o Técnico Tunisiano que à uma semna de começar o torneio assumiu o time e o levou até a final do torneio….. Se fosse no Brasil e o time perdesse todo mundo estaria falando que não conhessia o elenco que estava se adaptando NO Brasil os técnicos são esessões pois ganham muito e produzem poucos por isso que na eUROPA quase não tem oportunidade….. O Cuca não teve culpa de nada pois assim como ele e o time todo els pensaram que podiam vençer traquilamente foi uma tragédia em Marakeschi mais é isso ae é vida que segue !!!!!!!!!!!

    • Ailton

      Caro amigo Junior

      Não espere o Andre comenta o seu post, a não ser se for para falar dos erros de português ou pegar uma frase isolada como fez com o amigo Hermes Leandro, que falou que os comentaristas brasileiros falam somente dos jogadores e não da tática dos treinadores. Quando ele disse “a nossa imprensa não ajuda já que não evolui e não acompanha o que está acontecendo lá fora”, que ele me corrija se eu estiver enganado, é que poucos comentaristas falam sobre a tática utilizada por um determinado treinador num determinado jogo.
      O Flamengo teve 4 treinadores, quase o mesmo elenco, chegando no meio da temporada Chicão, Moreno e André Santos, somente um treinador campeão, o que muitos comentaristas dizeram: “O mérito do Jaime foi da confiança ao elenco”, só que estes mesmos comentaristas diziam que o elenco era fraco. Sem confiança você não sai nem de casa, mas tem que ter um treinador que saiba táticas de jogos e jogadores capazes de compreendê-las e executá-las.
      Em tempo
      Furo da madrugada. Raja Casablanca contrata advogado do Fluminense e conquista o titulo do Mundial de Clubes da Fifa. O advogado Mário Bittencourt alegou que o Raja teve 3 vitórias, 7 gols gols pró, enquanto que o Bayern teve 2 vitórias, 5 gols gols pró.
      Abraços

      AK: “Muitos comentaristas…”. Quanto brilhantismo.

  • Francisco

    O Atletico entrou de sapato alto e quando tirou o sapato foi tarde demais.

  • Helio Pesci

    O Corinthians campeão do mundo de 2000 sofreu para ganhar do Raja, ganhou com um gol ilegal.
    O Corinthians campeão do mundo de 2012, sofreu para ganhar do Al Ahli por apenas 1 x 0.
    Vai Corinhtians….

    • Rodrigo – CPQ

      Sim, sofreu. Mas ganhou… inclusive as duas finais citadas!!

  • Sagres

    Amigo, você desconhece a alma atleticana. Somos os Campeões da Libertadores 2013. Você não nos conhece. Só você mesmo, que não é atleiticano, para achar que título de rival ou derrota em Mundial prejudica nosso ano. Sabe você quantos anos esperamos por uma conquista como a Libertadores? Somos um clube centenária e já éramos conhecidos como um clube quando nosso priincipal rival era o Vila Nova. Nós sempre permanecemos, mudam os rivais. Vá ler sobre o Galo. NÓS SOMOS OS CAMPEÕES DAS AMÉRICAS. NÓS ACREDITAMOS E JAMAIS ESQUECEREMOS.

    AK: Leia meus textos sobre o Atlético na Libertadores. E cresça um pouquinhho. Um abraço.

  • Everton

    Apesar de ser contra a Fifa convidar o time do país anfitrião a participar do torneio, e ainda achar que o formato do campeonato poderia melhorar um pouco, concordo com o seu texto. E o time marroquino foi melhor inclusive que o Mazembe em 2010.

  • Paulo Pinheiro

    André,

    Não está na hora de meditar se Jô e Rever são mesmo jogadores pra seleção brasileira?

    • Juliano

      Paulo, eu penso que Rever não vai mais ser chamado (Dedé e Marquinhos do PSG disputam a última vaga na zaga (Thiago, David, Dante + 1)).

      O caso do Jô é aquele… falta jogador. Lembrando que ele foi chamado porque Damião (!!!!!) machucou. Antes o Pato teve chance. Ou seja, não tem outro mesmo. Mas lembremos, Viola e Luisão (!!!!) já foram campeões, nas últimas Copas fomos de Grafite e Luis Fabiano… ou seja, não tá fácil, e faz tempo!! A diferença é que por bons anos tivemos Romário, e depois Ronaldo. E agora dependemos de Fred… um abismo!

      Abraço!

  • Antonio Carlos

    Caro Andre
    O time chinês é melhor que o japonês e o Marcello Lippi é melhor que o Nelsinho Batista também.

    Como disse alguém da ESPN os times brasileiros têm sempre dificuldades em vencer os jogos de estreia do Mundial e eu não acho que seja nervosismo de estreia.

    O Santos diziam que era tão bom na época que poderia vencer o Barcelona sem jogar na defensiva, como fez Internacional contra o próprio Barcelona em 2006. O que se viu foi um Santos admirando o Barcelona jogar e nem parecia que estava na final de um mundial.

    André no futebol favorito só existe no papel, nem sempre o melhor time vence, então falar que os times brasileiros não saber impor o seu favoritismo é desculpas de perdedor.
    O problema dos times, comentaristas brasileiros, em modo geral é acha que ganha jogo com favoritismo e esquece que antes da final tem a semifinal.

    O Raja jogaria o 3o jogo em uma semana, enquanto o Atletico jogaria o 1º após uma semana só treinando. Enquanto o Bayern vinha de uma semana de Liga dos Campeões e Bundesliga o Atletico estava treinando, vou acabar acreditando que os times brasileiros tem mais que jogar 4ª e domingo mesmo.

    Abraços

  • hermes leandro

    vamos parar de elaborar desculpas para justificar nosso fraco futebol, fomos inferiores ao oitavo colocado da liga marroquina e fizemos um jogo de igual pra igual contra uma equipe chinesa, a verdade eh que os treinadores europeus priorizam a qualidade tecnica enquanto os tecnicos brasileiros optao pelo vigor fisico, sera que ninguem percebeu ainda que nenhuma equipe brasileira toca a bola com qualidade, paga-se salarios astronomicos para treinadores sacarem o jogador tecnico e colocarem o brutamontes que mal consegue realizar passes curtos com sucesso, porque nao se tenta fazer com que o jogador tecnico realize a marcaçao, se ele se cansar troque-o por outro jogador tecnico, estao fazendo isso na europa, se voce parar pra assistir os jogos infantis vai notar que a materia prima ainda esta aqui, porem, porem desde a base nossos treinadores estao valorizando demais a força em detrimento do talento, quer um exemplo bem claro; o jogador de futsal Falcao nao conseguiu espaço no time comandado pelo professor Leao, alias, nao foi lhe dado sequer uma pequena sequencia de jogos e nao vi a imprensa esportiva e nem a diretoria do clube se posicionar contra a atitude do treinador afinal o time estava ganhando de 1 x 0 ne.

    AK: O problema entre Leão e Falcão aconteceu há oito anos.

    • hermes leandro

      meu caro Andre, apesar de admira-lo como comentarista esportivo as vezes penso que voce responde com muito desprezo os comentarios do seu post, eu sei que o problema do Falcao ocorreu a oito anos, eu somente dei o exemplo mais claro do quanto nossos treinadores vem desprezando a qualidade tecnica em favor da qualidade fisica, penso que o unico caminho sera uma reformulaçao dos tecnicos brasileiros que hoje sao pessimos, ou ninguem estranha o fato dos europeus levarem os nossos melhores atletas para seus clubes e nunca querem saber dos nossos treinadores, alem do mais, temos dois treinadores argentinos nas oitavas da champions

      AK: Escrevo sobre esse tema aqui há muito tempo. Um desses textos está abaixo. Mas usar um exemplo tão antigo, citando um técnico que nem trabalha mais, não é correto. Um abraço.

      http://blogs.lancenet.com.br/andrekfouri/2013/10/08/coluna-da-terca-59/

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo